Juliana Nogueira
12/02/2018, 11h02

Avião que caiu na Rússia passou por revisão completa em janeiro

A bordo do AN-148, encontravam-se seis tripulantes e 65 passageiros, entre eles três crianças.

O avião de passageiros AN-148 que caiu neste domingo (11/2) nos arredores de Moscou com 71 pessoas a bordo tinha passado em janeiro por uma revisão completa de manutenção, como informou nesta segunda-feira (12/2) a Saratovskie Avialinii, companhia aérea proprietária da aeronave.

A revisão, conhecida como “tipo C”, é realizada a cada dois anos e inclui, entre outras checagens, “a revisão do motor, da fuselagem e das asas”, afirma um comunicado divulgado pela companhia aérea baseada na cidade de Saratov, que suspendeu os voos de todos seus AN-148.

A aeronave passou, além disso, pela revisão de manutenção obrigatória que se deve fazer antes de cada voo “sem que se detectasse nenhuma falha”, acrescentou a companhia aérea.

O avião, que caiu minutos depois de decolar do aeroporto Domodedovo, em Moscou, tinha completado outras três rotas durante o dia de ontem.

Cerca de mil pessoas, 191 veículos e nove aviões não pilotados participam dos trabalhos de busca dos corpos das vítimas do acidente e dos destroços da aeronave.

“Por enquanto, foram encontrados mais de 200 fragmentos dos corpos dos falecidos”, disse à imprensa local Sergei Poletikin, chefe do Ministério de Situações de Emergências para a região de Moscou.

A ministra de Saúde, Veronika Skvortsova, afirmou que será necessária uma semana para coletar todos os restos mortais do local da tragédia.

Poletikin também anunciou a localização das duas caixas-pretas do AN-148, que serão analisadas por especialistas do Comitê de Aviação Estatal russo, encarregado de investigar as causas do acidente.

A grande dispersão dos fragmentos da aeronave, sobre uma superfície de pelo menos 30 hectares, a neve e as caraterísticas do terreno dificultam os trabalhos de busca.

Por enquanto, as autoridades russas não anteciparam nenhuma hipótese sobre as possíveis causas da queda do avião e se limitaram a assinalar que estão abertas todas as linhas de investigação.

A bordo do AN-148, encontravam-se seis tripulantes e 65 passageiros, entre eles três crianças.

O AN-148 é um avião projetado pela empresa aeronáutica ucraniana Antonov para cobrir rotas de média distância, com uma autonomia de voo de entre 2.200 e 4.400 quilômetros, dependendo da sua configuração.

O acidente aéreo deste domingo é o mais grave ocorrido na Rússia desde 25 de dezembro de 2016, quando um Tupolev Tu-154 da força aérea russa caiu no mar Negro, causando a morte de seus 96 ocupantes.