Dia Online
13/05/2018, 19h05

Juiz acusado de agressão pede afastamento

Além de xingar a ex-mulher de mulher de "cachorra", "mentirosa", "doida" e burra", chegou a ameaçá-la com uma faca.

O juiz Roberto de Figueiredo Caldas, acusado de agredir ex-mulher, frente à polêmica do caso, pediu licença da Corte Interamericana de Direitos Humanos, “por tempo indeterminado”. O comunicado consta de e-mail encaminhado ao tribunal internacional. O caso foi denunciado pela revista Veja.

Segundo advogados de Caldas, o pedido foi enviado na própria sexta-feira (11/5), logo após a ampla divulgação do escândalo. No texto, contudo, o juiz não se aprofunda sobre os reais motivos da decisão, menciona apenas que o afastamento se deu “por razões particulares”.

O juiz foi indicado a ocupar a Corte ,Interamericana pela ex-presidente  Dilma Rousseff (PT), em 2011. Roberto Caldas é representante brasileiro no órgão interamericano para tratar exclusivamente de direitos humanos e rede de proteção humanitária. O juiz, que já presidiu a Casa, ocupa o cargo desde 2013, mas em novembro deste ano o mandato chega ao fim.

Consta na denúncia que a ex-mulher do juiz conhecido pelo discurso eloquente em defesa dos direitos humanos, chamou a ,mulher de “cachorra”, “mentirosa”, “doida” e burra”. Ele teria ameaçado ela com uma faca.

Confira o documento na íntegra: 

Venho a público revelar uma situação íntima derivada do encerramento, em dezembro passado, do vínculo com a minha ex-companheira. O assunto foi levado ao âmbito forense e obteve o resguardo do segredo de justiça, sem que tenha havido decisão ou medida alguma que me desfavoreça.

Venho espontaneamente fazer esse pronunciamento, na medida em que passei a sofrer ameaças de publicização de desavenças conjugais, com o objetivo de me constranger a aceitar um acordo financeiro absolutamente escorchante. Lamento que em breve possa haver a exposição pública de tais circunstâncias, sob uma ótica deformada e parcial.

Tenho agido com o máximo empenho e orientação profissional adequada para preservar os nossos filhos em comum e a filha da minha ex-companheira dos efeitos dessa chantagem. Mas a provável iminência de uma divulgação indevida desse conflito familiar me obriga a dirigir esse alerta aos que conheço e respeito.

Roberto de Figueiredo Caldas

Com informações do Metropoles.