Esportes

Mateus Anderson passa por exames e pode desfalcar o Vila Nova na Série B

Atacante realiza exames nesta segunda-feira (14/5) para descobrir a gravidade das dores.
14/05/2018, 17h36

O jovem atacante do Vila Nova, Mateus Anderson, cria da base colorada, pode se tornar desfalque no Campeonato Brasileiro Série B. O jogador deixou o campo na partida contra a Ponte Preta, aos 25 minutos do segundo tempo, com dores no joelho esquerdo, após o volante Paulinho cair em cima durante uma dividida entre os dois jogadores.

O atleta deixou os gramados do Serra Dourada chorando e a preocupação do departamento médico do clube colorado deve-se a uma possível lesão no ligamento. Mateus Anderson irá passar por exames às 18h desta segunda-feira (14/5) e o resultado deve ficar pronto em torno das 14h desta terça-feira (15/5).

Em caso de confirmação de lesão, Joãozinho – que entrou em seu lugar – deve ser mantido como titular. O Vila volta a campo no sábado, quando visita o Oeste na Arena Barueri. O Tigre é vice-líder da Série B com 13 pontos. O Fortaleza está na ponta.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Entretenimento

Fox confirma renovação de última temporada de 'Gotham' e promete focar em Batman

Série deve focar na transformação de Bruce Wayne em Batman.
14/05/2018, 18h05

A Fox confirmou a renovação para a quinta e última temporada de Gotham. A série que focou na cidade do herói Batman e no surgimento dos clássicos vilões – como Charada, Pinguim, Coringa, entre outros – terá como grande destaque no último ano, a transformação de Bruce Wayne em Batman.

“A temporada final vai focar na transformação de Bruce Wayne no Batman”, disse o canal, em comunicado oficial.

Ben McKenzie, conhecido por The O.C., interpreta James Gordon e a brasileira Morena Baccarin é a Dra. Leslie Thompkins, enquanto David Mazouz interpreta Bruce Wayne.

No Brasil, Gotham é transmitida pelo canal pago Warner Channel.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

CEI da Saúde pede indiciamento de Iris Rezende e Fatima Mrué por ao menos quatro irregularidades

Mais de 30 pessoas foram indiciadas na CEI da Saúde.
14/05/2018, 18h27

O relatório final da Comissão Especial de Inquérito (CEI) da Saúde, foi apresentado nesta segunda-feira (14/5) com o parecer do vereador Elias Vaz (PSB). O prefeito Iris Rezende (MDB), juntamente com a secretária municipal de Saúde, Fatima Mrué, foram indiciados por ao menos quatro irregularidades. Além dos dois, mais de 30 nomes apareceram na lista.

Iris Rezende foi apontado por improbidade administrativa, por ter contratado a empresa Neo para gerir a frota, por ter assumido, em depoimento, que foi consultado e autorizou todas as decisões da secretária e na terceirização do serviço de raio-X e favorecimento da Tech Capital, tendo conhecimento dos fatos, conforme depoimento e deixando claro que a decisão contou com seu consentimento.

Além deste caso, Iris também foi indiciado pelo pagamento irregular de mestrado a servidores – por ter conhecimento e continuar -. O prefeito também autorizou a contratação de um software da Vivver Sistemas, sem consultar um órgão da prefeitura.

A secretária de Saúde é citada pelos mesmos casos, além de um pedido de indiciamento por lesão corporal após suspensão de atendimento odontológico na Capital.

Entre a lista com mais de 30 nomes, o ex-secretário municipal de Saúde Fernando Machado e o secretário estadual, Leonardo Vilela, também estão presentes como indiciados.

A expectativa é que o relatório seja votado pelos integrantes da comissão na próxima segunda-feira (21/5).

Confira a lista completa de indiciados:

  • Hospital e Maternidade Santa Bárbara (proprietário).
  • Hospital Jacob Facuri – os documentos apresentados pela unidade não não atendeu ao requerimento do relatório de ocupação diária requerido (proprietário).
  • Hospital Santa Rosa (proprietário).
  • Hospital Cidade Jardim (proprietário).
  • Hospital Ortopédico de Goiânia Geraldo Pedra (proprietário).
  • Hospital Goiânia Leste (proprietário).
  • Hospital Santa Genoveva (proprietário).
  • Hospital São Francisco (proprietário).
  • Hospital Infantil de Campinas (proprietário).
  • Hospital da Criança (proprietário).
  • Instituto Goiano de Pediatria – IGOPE, embora tenha entregado o relatório, este comprovou a baixa ocupação (proprietário).
  • Fernando Machado de Araújo –  Ex-Secretário Municipal de Saúde – por omissão na fiscalização da ocupação dos leitos
  • Márcia Ribeiro de Souza – Gerente de Internação da SMS – por não ter feito denúncia formal aos superiores sobre a seleção de pacientes para leitos de UTI.
  • Leonardo Moura Vilela – Secretário Estadual de Saúde – pela assinatura do Quarto Aditivo que alterou os leitos do HMI e gerou a contratação de 28 leitos fantasmas. Ele também está sendo indiciado por não repactuar os valores pagos pelos 10 leitos UTI transformados em leitos de Cuidados Paliativos no HGG;
  • Instituto de Desenvolvimento Tecnológico e Humano (IDTECH) por ter causado lesão ao erário público ao ser remunerado por 10 leitos de cuidados paliativos com o mesmo valor pago a UTI’s;
  • Instituto de Gestão e Humanização – (IGH) por ser remunerado por 28 leitos de UTI que não existem e com valores superfaturados.
  • Maxilânia Clemente Costa – Ex-Gerente de Transportes da SMS e fiscal do contrato com a Útil Pneus, atestou as notas fiscais de serviços que não foram executados, garantindo pagamento milionário à empresa;
  • Fernando Machado de Araújo – Ex-Secretário Municipal de Saúde – pela falta de gestão, que permitiu gasto milionário com a manutenção de veículos.
  • Carlos Roberto Valadão – proprietário da Útil Pneus – beneficiário.
  • Wilson Rodrigues de Oliveira – Ex-Supervisor de Transportes do SAMU – por não ter denunciado as irregularidades na manutenção da frota.
  • Iris Rezende Machado – Prefeito de Goiânia- por ter assumido, em depoimento, que foi consultado e autorizou todas as decisões da Secretária Fátima;
  • Rodrigo Melo – Ex-Secretário Municipal de Administração- por ter iniciado e conduzido todo o processo licitatório vencido pela Neo Soluções. Ele ainda assinou contrato com a NEO e orientou que todos os órgãos fizessem adesão a Ata de Registro de Preços;
  • Fátima Mrué – Secretária Municipal de Saúde – por ter assinado o contrato lesivo
  • Fátima Mrué – Secretária Municipal de Saúde – por ter sido comunicada por Maxilânia e não tomou nenhuma providência ;
  • Luiz Antônio Teófilo Rosa – Ex-Diretor Administrativo da SMS – por ter mentor do direcionamento;
  • André Luiz Braga das Dores – Diretor-Geral do SAMU- por ter executado os serviços sem contrato.
  • Wilson Rodrigues de Oliveira – Supervisor de Transportes do SAMU – por ter executado os serviços sem contrato.
  • Fátima Mrué – Secretária Municipal de Saúde – por não tomar medidas diante do direcionamento dos serviços à oficina Inovar e a prestação de serviços sem contrato.
  • Fernando Machado de Araújo – Ex-Secretário Municipal de Saúde –por permitir que a Regulação favorecesse o prestador CLIAME;
  • Daniela Domiciano de Moura – Ex-Diretora de Regulação da SMS – por direcionar procedimentos ao prestador CLIAME;
  • Clínica Cliame – por ter  sido beneficiária dos serviços.
  • Fátima Mrué – Secretária Municipal de Saúde;
  • Ana Paula Nomelini Marques da Silva Vianna de Oliveira – Gerente de Saúde Bucal;
  • Luiz Antônio Teófilo Rosa – Ex-Diretor Administrativo e Logística;
  • Luciana Curado Santos – Ex-Superintendente de Gestão de Redes de Atenção a Saúde da SMS, superior hierárquica de Ana Paula.
  • Fátima Mrué – Secretária Municipal de Saúde, por determinar a gravação de conversa, sem autorização, dentro da residência de Celina Lopes Teixeira.
  • Iris Rezende Machado – prefeito de Goiânia – por ter conhecimento dos fatos, conforme depoimento, e ter deixado claro que a decisão contou a sua anuência;
  • Fátima Mrué – Secretária Municipal de Saúde – por ter assinado dois aditivos de prorrogação e nesse período de vigência da contratação a Prefeitura conta com aparelhos no almoxarifado e técnicos contratados;
  • Fernando Machado de Araújo – Ex-Secretário Municipal de Saúde- por ter mantido os aparelhos parados para beneficiar a empresa Techcapital;
  • Proprietários da empresa Techcapital – beneficiado.
  • Fátima Mrué – Secretária Municpal de Saúde – pela autorização de mestrado e por se negar a suspender o pagamento, mesmo com recomendação do Ministério Público ;
  • Iris Rezende Machado – Prefeito de Goiânia – por ter conhecimento do pagamento irregular e não adotar medidas para impedir o gasto;
  • Andréia Alcântara Barbosa – Servidora beneficiada;
  • Ana Paula Custódio Carneiro – Servidora beneficiada;
  • Fátima Mré – Secretária Municipal de Saúde – por ter tomado a decisão de contratar e ter assinado o contrato do software sem consultar o órgão técnico da Prefeitura;
  • Iris Rezende Machado – Prefeito Municipal – por ter admitido que a decisão de contratar o software foi autorizado por ele e por ter permitido que tudo isso acontecesse sem consultar o órgão técnico da Prefeitura.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Infraero anuncia implantação de autodespacho de bagagem em seus aeroportos

Aeroporto de Goiânia está entre os sete primeiros que receberão o novo serviço.
14/05/2018, 18h50

A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) informou nesta segunda-feira (14/5) que implantará até o próximo ano o autodespacho de bagagens (Self Bag Drop) em sete aeroportos sob sua administração. O primeiro a receber o novo serviço será o aeroporto de Recife (PE), que contará com pontos de autodespacho no segundo semestre.

De acordo com a Infraero, o serviço será implantado em mais seis aeroportos até o final deste ano e no começo do primeiro trimestre de 2019: Congonhas (SP), Santos Dumont (RJ), Curitiba (PR), Belém (PA), Goiânia (GO) e Maceió (AL).

“A Infraero será a primeira operadora de aeroportos do Brasil a implementar a solução de autodespacho de bagagem (Self Bag Drop) em sete terminais sob sua administração. O objetivo é aprimorar o atendimento aos passageiros e otimizar a infraestrutura dos aeroportos”, anunciou a assessoria da empresa.

Segundo a empresa, a medida, já adotada em outros aeroportos do mundo, permitirá a realização do check-in nos terminais de autoatendimento e o despacho de malas “de maneira rápida e fácil, além de melhorar a capacidade de atendimento do aeroporto e das empresas aéreas.”

A Infraero disse ainda que o autodespacho de bagagens observará as políticas de cada companhia aérea. Outra medida anunciada é o check-in compartilhado. Os dois serviços fazem parte de um contrato de concessão comercial de 15 anos, firmando entre a Infraero e a Sita.

De acordo com a estatal, o check-in compartilhado reunirá as plataformas das empresas aéreas num mesmo totem de autoatendimento, “permitindo que o passageiro faça seu registro de embarque sem precisar enfrentar filas das companhias, o que otimizará os espaços e dará mais opção a quem embarca nos aeroportos da Infraero atendidos pela solução”.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Estádio Olímpico é referência em estrutura e beleza em Goiânia

Parte do Centro de Excelência do Esporte, o Estádio contribui para a prática do esporte no estado.
14/05/2018, 19h37

Conhecido como o “país do futebol” o Brasil faz jus à fama ao dispor de quase 800 estádios. Segundo o Cadastro Nacional de Estádios de Futebol (CNEF) da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) de 2016, são exatos 790 locais de disputa do esporte que mais mexe com o coração do brasileiro.

Desses 790, 85 estão na região centro-oeste do país. Só em Goiás são cerca de 30 locais para as partidas em campo. Em Goiânia, um dos mais importantes é o Estádio Olímpico Pedro Ludovico Teixeira, ou para os mais íntimos, só Estádio Olímpico, que além do futebol tem capacidade de sediar competições de diversos esportes.

Localizado no centro da cidade, o espaço foi inaugurado na década de 1940 e demolido em 2006 para ser reformado. A reforma só foi concluída quase 10 anos depois, e atualmente o estádio tem capacidade para 13,5 mil espectadores.

O nome é uma homenagem ao fundador de Goiânia, Pedro Ludovico Teixeira, e o terreno que o estádio ocupa foi doado pelo Goiânia Esporte Clube. Instalado em 1941 tinha capacidade inicial de 10 mil visitantes, sendo o primeiro da cidade com essa amplitude.

Um dado interessante da história do espaço esportivo é que ele foi usado como abrigo para pessoas contaminadas pelo acidente radiológico que marcou a história de Goiânia, o Césio 137. Muitas famílias tiveram suas casas demolidas por causa da radiação e tiveram que se abrigar em outros locais da cidade. Muitas pessoas, se submeteram a exames para determinar seu nível de radioatividade neste estádio. Vale lembrar que o espaço não oferece perigo algum de contaminação.

Em 1999 foi anunciado o projeto de Centro de Excelência do esporte. A proposta saiu do papel em 2006 quando o estádio foi demolido para a reforma. Apesar da demora de quase uma década para ser concluída, a reconstrução do estádio valeu a pena e atualmente é um dos mais bonitos da cidade.

O Estádio Olímpico integra a estrutura do Centro de Excelência do Esporte, que fica na Avenida Paranaíba, no Centro da capital. Além do Estádio Olímpico, contém pista de atletismo, laboratório de capacitação e pesquisa, parque aquático e ginásio de Esportes.

Em uma área total de 33.682,02 metros quadrados, conta ainda conta com acessibilidade do transporte público e estacionamento subterrâneo com 380 vagas.

Parte da história do futebol goiano, o primeiro jogo no Olímpico aconteceu no dia 3 de setembro de 1941 numa partida entre Goiânia Esporte Clube e América-MG, onde o galo venceu por 2 a 0, na inauguração.

Após reforma, a reinauguração estádio em 2016 sediou a partida entre Atlético Goianiense e Joinville, no dia 27 de setembro. O jogo terminou com um empate de 1 a1.

Em 12 de novembro de 2016, houve no estádio, a conquista da Série B de 2016 para o Atlético Goianiense, o Atlético venceu o Tupi por 5 a 3, e foi campeão do campeonato.

Apesar de ter passado um bom tempo fechado por conta da reestruturação, hoje o Estádio Olímpico e todo o centro esportivo além de belo, contribui para o incentivo ao esporte em Goiás.

*Texto: Juliana Nogueira

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.