Goiás

Obra em Anel Viário de Aparecida de Goiânia desvia trânsito no local a partir desta segunda

As intervenções devem durar cerca de 20 dias.
27/08/2018, 08h39

O trânsito próximo ao Anel Viário de Aparecida de Goiânia terá alterações a partir desta segunda-feira (27/8) por conta de obras no local que começam hoje.

A intenção é promover melhores condições e segurança no tráfego dando fluidez ao trânsito.

As intervenções acontecem em trecho da BR-060/Anel Viário na região dos setores Cidade Vera Cruz, Mansões Paraíso, American Park, Bairro Itapuã e Morada dos Pássaros.

A Secretaria de Mobilidade e Defesa Social desvia o trânsito na altura do Setores Cidade Vera Cruz e Morada dos Pássaros (Avenida Uirapuru) desde as 6h de hoje para a implantação de uma elipse.

A obra será executada pelo Consórcio Goiás e deve durar cerca de 20 dias. Além da intervenção, dois postes de energia serão mudados de lugar pela Enel e uma  duplicação das vias de acesso à elipse também deve ser feita.

As intervenções são parte do convênio firmado entre Prefeitura e o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT), com o objetivo de estruturar a via que liga a BR-153 à GO-040.

O convênio de cooperação terá a duração de três anos quando as obras estarão sob responsabilidade do DNIT. Após esse processo, a via será municipalizada.

Rotas alternativas no Anel Viário

Haverá sinalização informativa no local das opções de desvios durante o período da obra.

No sentido BR-153  rumo a GO-040 (Garavelo), o desvio será feito pela Rua J-66 e Avenida Senador Antônio Carlos Ramos, retornando ao Anel Viário pela Avenida V-05.

Para quem segue da GO-040 (Garavelo), em direção à BR-153, deverá pegar o desvio pela Avenida Senador Antônio Carlos Ramos, na altura da Escola Municipal Ari Caetano e Rua J-56, retornando ao Anel Viário. Os motoristas percorrerão cerca de 1,5 km a mais devido às rotas alternativas.

Duplicação de vias

Juntamente com as obras da elipse, a Avenida H-161 entre a Avenida V-8 e Avenida Antônio Carlos Ramos será duplicada. Outra Avenida que também passará por estruturação é a V-6, que fica na altura da Feira Coberta da Cidade Vera Cruz e que dá acesso ao Hospital Municipal.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Empresa de ônibus entra em greve e deixa quase 200 mil passageiros sem transporte no Distrito Federal

A paralisação começou no início desta manhã (27/8), e pegou a direção da empresa de surpresa.

Por Ton Paulo
27/08/2018, 08h52

Aproximadamente 2.500 motoristas do transporte rodoviários da empresa São José fazem uma greve na manhã desta segunda-feira (27/8). A greve deixa aproximadamente 200 mil passageiros sem ônibus na bacia 5 do Distrito Federal, que atende os municípios de Brazlândia, Ceilândia, SIA, SCIA, Vicente Pires, Estrutural, Recanto das Emas e parte de Taguatinga.

Os ônibus só começaram a sair dos terminais por volta das 7h da manhã, o que gerou reflexos nas paradas de ônibus e na estação do metrô de Ceilândia, que enfrenta fluxo intenso de pessoas.

O Sindicato dos Rodoviários do Distrito Federal ainda não deu detalhes do motivo da paralisação, mas informou que acontece por problemas internos entre trabalhadores e a empresa. Eles também pedem que os ônibus passem por manutenção e que os ex-funcionários da Cootarde sejam contratados.

Já a assessoria de imprensa da São José informou que a paralisação dos rodoviários pegou a empresa de surpresa. “O sindicato parou toda a empresa de manhã, mesmo estando em período de negociação da database e a São José tendo participado de todas as negociações, não fomos informados dessa paralisação”, informou ao Correio Braziliense.

A reportagem do Dia Online tentou entrar em contato com a empresa, mas não obteve retorno.

Além de greve, falha no metrô

Além da falta de ônibus na região oeste do DF, o metrô também apresenta problemas em Ceilândia. A fila de passageiros chega ao estacionamento da estação.

De acordo com o Metrô-DF, a falha ocorre nas catracas e não há previsão de quando a situação será normalizada.”As apontadas falhas são de ciência e o METRÔ-DF vem buscando medidas junto ao órgão responsável, nesse caso o DFTrans.

“Cabe esclarecer que, apesar de instalados nas estações, os equipamentos pertencentes ao apontado sistema são geridos pelo DFTrans e possuem o serviço de manutenção restrito aos técnicos do citado órgão. Contudo, ainda não é possível informar previsão de reparo”, informou o órgão.

Imagens: Correio Braziliense 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

"Nem conseguiu comemorar o aniversário", diz tio de motociclista atingido por carro em Goiânia

Lucas foi levado por volta das 12h20 de domingo em estado grave para o Hugo, mas morreu no início da noite.
27/08/2018, 09h11

Lucas Lourenço Fleuri atingido por um carro no Setor Oeste, em Goiânia, decidiu comemorar o aniversário no domingo (26/8). Ele completou 21 anos no dia anterior. Ele transitava pela Rua R-11 quando, pela Rua R 17, um Toyota Corola conduzido por um jovem de 19 anos não respeitou a placa de Pare. Lucas não conseguiu parar ou se desviar do carro, batendo na traseira do carro.

“Ele ia buscar a namorada. Nem conseguiu comemorar o aniversário”, diz o tio, Ernesto Fleury. Lucas foi levado por volta das 12h20 em estado grave para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), mas não resistiu e morreu no início da noite.

Conforme a Delegacia de Investigações de Crimes de Trânsito (Dict), a perícia e depoimentos de testemunhas vão concluir o que aconteceu.

A mãe do condutor do Toyota Corola, que pediu anonimato, informou que o filho não viu Lucas. “Pela foto do carro vocês tiram as conclusões do que acontece. Ele não furou o Pare. Ele parou. Olhou para cima e não viu o motoqueiro. O motoqueiro com mais de 90 km, basta ver a frenagem, o porte da moto e lá não tem sinaleiro. Tem duas árvores imensas”, argumenta.

Para ela, as fotos “mostram o tanto que o motoqueiro estava correndo” e defende que o filho não ingerira bebida alcoólica. “Tem que fazer exame toxicológico no motoqueiro”, sugere ela.

Ainda de acordo com a mulher, a família prestou assistência desde o acidente. “Ficamos no local, ligamos para o socorro e nos comunicamos com a família.”

O condutor do Corolla perdeu o controle do carro e bateu em um Mitsubishi Pajero, que estava parado no cruzamento.

A Dict informou ainda que será instaurado um inquérito para apurar o acidente. Os dois motoristas serão intimados para prestarem suas declarações.

Veja o vídeo do momento do acidente:

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Juíza concede dez dias para biólogo acusado de jogar esposa de prédio no Paraná apresentar defesa

A magistrada também negou pedido feito pelos advogados de Luís Felipe Manvailer para suspender o processo. O biólogo está preso preventivamente desde o dia 22 de julho deste mês.

Por Ton Paulo
27/08/2018, 09h19

A juíza Paola Gonçalves Mancini, da 2ª Vara Criminal de Guarapuava concedeu prazo de 10 dias para que os advogados do biólogo Luís Felipe Manvailer apresentem a defesa liminar do réu. Luís Felipe é acusado de matar a advogada Tatiane Spitzner, de 29 anos, com quem mantinha um casamento. Ele nega, e afirma que a esposa se jogou da sacada do apartamento onde moravam.

Além disso, em decisão anexada ao processo, a juíza negou o pedido de suspensão do processo que investiga a morte de Tatiane Spitzner. O pedido foi feito na última semana pela defesa Luís Felipe Manvailer, acusado de matar a companheira, na madrugada do dia 22 de julho.

No pedido de suspensão do processo investigatório, a defesa de Manvailer afirmou que não ficou claro qual foi a causa da morte de Tatiane Spitzner e chegou a dizer que o Ministério Público do Paraná apontou que a advogada “morreu duas vezes”.

Os advogados solicitaram aos promotores que decidissem se Luiz Felipe matou a esposa asfixiada e depois arremessou o corpo dela sem vida pela sacada ou se Tatiane morreu pelos ferimentos causados pela queda.

A Dra. Paola Gonçalves pontuou ainda que a denúncia imputa ao denunciado duas condutas que teriam, em tese, sido praticadas por este, sem que uma exclua a outra.

Para a juíza, “a não especificação da causa mortis por ausência de laudo de necropsia não afasta a materialidade do delito, a qual está amparada por outros elementos indiciários que demostram aptidão para o oferecimento da denúncia”.

Também nesta sexta-feira, o Ministério Público do Paraná se manifestou sobre o pedido de suspensão e afirmou que “formulou acusação precisa, coerente e certa, especificando os fatos imputados ao réu e possibilitando o perfeito exercício da ampla defesa”.

Além disso, frisou que a acusação foi “bem clara ao imputar a Luís Felipe a prática de agressões físicas e arremesso da vítima da sacada do apartamento”.

Defesa

Em nota, a defesa de Manvailer informou que “a suspensão do processo até que as provas periciais sejam juntadas, é primordial para que a justiça possa ser feita de acordo com o bom andamento das doutrinas da lei”.

Os advogados reforçaram que a “tardia manifestação do Ministério Púbico quanto as indagações contidas no pedido de suspensão do processo que investiga a morte de Tatiane Spitzner comprometeu o andamento do processo”.

Manvailer responde por homicídio qualificado por motivo torpe, uso de meio cruel, impossibilidade de defesa da vítima e condição do sexo feminino (feminicídio). Além de cárcere privado e fraude processual.

Via: CBN Goiânia 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Política

Eleições 2018: eleitores devem votar em dois candidatos ao Senado

Isso acontece porque o cargo de senador é o único com com mandato de oito anos estabelecido na Constituição Federal.
27/08/2018, 09h51

Os eleitores vão poder votar em dois candidatos ao Senado nas eleições 2018. Nos demais cargos disputados este ano, de deputado federal, deputado estadual, governador e presidente da República, apenas um voto será computado.

Isso acontece porque o cargo de senador é o único com com mandato de oito anos estabelecido na Constituição Federal.

Apesar do cargo ser de oito anos, as eleições para o cargo acontecem de quatro em quatro. Alternadamente, um terço, ou seja, 27 vagas e dois terços, 54 vagas, são renovadas a cada quatro anos.

Em 2014 apenas uma opção de voto para cada eleitor foi aceita porque naquelas eleições apenas um terço do Senado seria renovado. Neste ano, a renovação é de dois terços.

Não vale votar no mesmo candidato ao Senado duas vezes

Vale lembrar que votar duas vezes no mesmo candidato não adianta. Como cada Estado vai eleger dois senadores, dois votos diferentes são necessários para cada eleitor. Quem repetir o candidato, terá o voto anulado.

Apenas o voto repetido sofre anulação, as demais votações não serão prejudicadas.

De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral, não existe prioridade de voto. O candidato que será votado em segundo lugar terá o mesmo peso que o primeiro.

Como a ordem de votação não importa no resultado final, o candidato que obtiver o maior número de votos na primeira e na segunda opção somadas será eleito, assim como o segundo candidato mais votado.

As eleições para o Senado são majoritárias, assim como para a Presidência da República e para os governos estaduais. No entanto, não há possibilidade de segundo turno para o cargo.

Projeto no Senado tenta alterar esquema de votação

A votação em dois candidatos ao Senado alternadamente em eleições é estabelecido pela Constituição de 1946, mas há um projeto de lei que tenta alterar esse esquema.

De autoria do senador Deca (PSDB-PB), a proposta propõe apenas um voto por eleitor mesmo quando dois terços do Senado deve ser renovado.

O projeto ainda está em análise e caso alterada só entrará em vigor nas eleições de 2026, que é quando o eleitor terá que votar novamente em dois candidatos a senadores.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.