Goiás

Sine Goiânia oferece 485 vagas de emprego nesta quinta; confira quais são

Há oportunidades para a ampla concorrência e vagas exclusivas para pessoas com deficiência.
30/08/2018, 11h20

O Sine Goiânia oferece 485 vagas de emprego nesta quinta-feira (30/8). Há oportunidades para a ampla concorrência e vagas exclusivas para pessoas com deficiência.

Os ofícios com maior número de vagas de emprego são de vendas, com 99 oportunidades, seguido de azulejista, com 50 e porteiro com 31.

Os interessados devem procurar o Sine Municipal entre 7h30 e 18h munidos de carteiras de Identidade e Trabalho, CPF e comprovante de endereço atualizado.

As vagas também estão disponíveis no aplicativo Sine Fácil. Por meio da ferramenta os usuários podem agendar entrevistas de emprego para as vagas disponíveis, caso o cadastro e currículo estejam devidamente atualizados. O aplicativo é gratuito.

Vagas de emprego do dia

  • Acabador de pedras 1
  • Agenciador de propaganda 1
  • Ajudante de motorista 6
  • Ajudante de obras 5
  • Alinhador de direção 2
  • Analista de crédito (instituições financeiras) 1
  • Analista de pcp (programação e controle da produção) 1
  • Analista de suporte de sistema 2
  • Analista financeiro (instituições financeiras) 2
  • Arrumador no serviço doméstico 1
  • Arte-finalista 3
  • Atendente de balcão 1
  • Auxiliar de almoxarifado 2
  • Auxiliar de cozinha 2
  • Auxiliar de expedição 5
  • Auxiliar de lavanderia 1
  • Auxiliar de marceneiro 1
  • Auxiliar de pessoal 2
  • Auxiliar de pintor de automóveis 1
  • Azulejista 50
  • Barman 2
  • Bibliotecário 1
  • Bilheteiro de agência 1
  • Bordadeira 1
  • Caseiro 1
  • Chapeiro 1
  • Churrasqueiro 1
  • Corretor de imóveis 3
  • Corretor de seguros 1
  • Cortador, à mão 1
  • Cozinheiro geral 2
  • Dedetizador 1
  • Desenhista de páginas da internet (web designer) 2
  • Eletricista de instalações 5
  • Eletricista de instalações de veículos automotores 3
  • Eletricista de instalações (veículos automotores e máquinas operatrizes, exceto aeronaves e embarcações) 1
  • Eletrotécnico 1
  • Encarregado eletricista de instalações 1
  • Gerente de departamento de vendas 1
  • Impressor de máquina ofsete 1
  • Instalador de som 1
  • Limpador de piscinas 1
  • Manicure 10
  • Mecânico 3
  • Mecânico de automóvel 3
  • Mecânico de direção e freios de automóveis 1
  • Mecânico de equipamento pneumático 1
  • Mecânico de equipamentos industriais 2
  • Mecânico eletricista de automóveis 7
  • Modelador de metais (fundição) 2
  • Montador de equipamentos elétricos 2
  • Motorista carreteiro 14
  • Motorista de caminhão 3
  • Motorista entregador 1
  • Motorista operacional de guincho 2
  • Operador de cobrança 1
  • Operador de máquina na fabricação de artefatos de cimento 1
  • Operador de retroescavadeira 1
  • Operador eletromecânico 5
  • Orientador de tráfego para estacionamento 1
  • Polidor de metais 30
  • Programador de computador 1
  • Promotor de vendas 2
  • Recepcionista de hospital 1
  • Representante comercial autônomo 9
  • Retificador, em geral 1
  • Salgadeiro 1
  • Serralheiro 4
  • Serralheiro de alumínio 10
  • Tapeceiro de móveis 20
  • Técnico de enfermagem 1
  • Técnico de laticínios 1
  • Técnico eletrônico 1
  • Técnico em farmácia 1
  • Técnico em manutenção de equipamentos de informática 4
  • Técnico em segurança do trabalho 1
  • Técnico mecânico (máquinas) 1
  • Tecnólogo em telecomunicações 1
  • Torneiro mecânico 3
  • Vaqueiro 8
  • Vendedor de serviços 4
  • Vendedor interno 4
  • Vendedor pracista 99

Vagas exclusivas para pessoa com deficiência

  • Ajudante de carga e descarga de mercadoria 1
  • Atendente de balcão 1
  • Auxiliar de almoxarifado 2
  • Auxiliar de estoque 3
  • Auxiliar de limpeza 8
  • Auxiliar de linha de produção 4
  • Auxiliar de logística 1
  • Auxiliar de produção farmacêutica 1
  • Chefe de serviço de limpeza 1
  • Enfermeiro 1
  • Motorista de ônibus urbano 3
  • Operador de caixa 2
  • Porteiro 31
  • Recepcionista atendente 1
  • Repositor – em supermercados 1
  • Servente de limpeza 12
  • Socorrista (exceto médicos e enfermeiros) 1
  • Vigilante 20

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Operação no Rio de Janeiro desarticula organização criminosa formada por policiais civis

Segundo o MP, os policiais extorquiam dinheiro de vendedores ambulantes, bingos, donos de veículos clonados e comerciantes em situação irregular.
30/08/2018, 11h35

Pelo menos 28 suspeitos, entre eles 16 policiais civis, foram presos na manhã desta quinta-feira (30/8), numa operação deflagrada para cumprir 46 mandados de prisão contra denunciados por organização criminosa, corrupção, extorsão, concussão e peculato, entre outros crimes.

Segundo o Ministério Público, o grupo extorquia dinheiro de vendedores de mercadorias piratas, ambulantes, bingos, donos de veículos clonados e comerciantes em situação irregular.

Coordenada pelo Ministério Público do Estado do Rio e a Secretaria de Segurança Pública, a ação realizada faz parte da segunda fase da Operação Quarto Elemento que visa desbaratar uma organização criminosa liderada por policiais civis que extorquiam pessoas envolvidas com atividades ilícitas.

Entre os 46 denunciados estão 24 policiais civis, seis policiais militares, dois bombeiros, um agente penitenciário e outras quinze pessoas que atuavam como informantes dos policiais.

O grupo identificava possíveis infratores da lei e realizava batidas policiais contra eles, com a intenção de flagrá-los cometendo crimes ou irregularidades administrativas.

Em vez de seguir a lei, os policiais exigiam uma quantia em dinheiro para que os infratores não fossem presos.

Segundo o MP a organização fazia graves ameaças e até agredia fisicamente as vítimas. Em certos casos, o grupo denunciado ainda desviava para si os objetos apreendidos para posterior revenda.

Outra operação realizada este ano no RJ prendeu policiais membros de organização criminosa

Quatro policiais civis e um agente penitenciário foram presos no Rio de Janeiro em maio deste ano na Operação Alçapão.

As prisões aconteceram na segunda fase da operação, que visa o combate aos chefões das organizações criminosas que exploram o jogo do bicho e máquinas caça níquel, e não apenas os anotadores e apostadores do jogo ilegal, segundo a polícia.

Na primeira fase, realizada em junho de 2011, os agentes cumpriram dez mandados de prisão e dezenas de busca e apreensão contra policiais civis, um advogado e um agente penitenciário.

Ainda na primeira fase foram apreendidos duzentos e R$ 10 mil em dinheiro escondido dentro de uma mala no topo de uma árvore, veículos de luxo, anotações e contabilidades dos jogos, armas de fogo e munições. Ficou comprovado que policiais recebiam mais de R$ 10 mil para não investigar e reprimir esse tipo de crime.

Via: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Política

TSE pode julgar amanhã participação de Lula na TV

Na sessão extraordinária, será analisada a possibilidade de participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no horário eleitoral no rádio e na TV.
30/08/2018, 12h08

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) marcou para esta sexta-feira (30/8) uma sessão extraordinária para analisar a possibilidade de participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no horário eleitoral no rádio e na TV, que terá início no sábado para candidatos à Presidência. A candidatura do petista, que está preso desde abril deste ano, é alvo de 16 impugnações, todas baseadas na Lei da Ficha Limpa. Um dos autores, o partido Novo reforçou ontem o pedido para barrar a presença do petista no palanque eletrônico.

O PT avalia antecipar a substituição de Lula na cabeça de chapa pelo candidato a vice Fernando Haddad se sofrer um revés na Justiça Eleitoral. A previsão inicial do partido era levar a discussão na Corte até meados de setembro. A decisão, porém, terá de ser submetida a Lula, preso em Curitiba. A defesa do ex-presidente critica eventual restrição à candidatura petista no horário eleitoral.

“A impugnação é do Lula, não da chapa. Na eleição de 2014, Eduardo Campos morreu e o PSB usou o horário na TV antes de Marina ser confirmada candidata”, disse ao Estado Luiz Fernando Casagrande Pereira, que representa o PT no registro da candidatura no TSE.

Em tese, o ministro Luís Roberto Barroso, relator do caso de Lula, pode levar para julgamento amanhã também os questionamentos ao registro da candidatura de Lula. Caso o TSE decida indeferir o registro, advogados do petista vão entrar com recurso extraordinário ao Supremo Tribunal Federal (STF).

A sessão do TSE vai ocorrer um dia depois do fim do prazo para entrega da defesa de Lula, que termina hoje.

Além de Lula, outros registros pendentes podem ser julgados

Na sessão devem ser julgados todos registros pendentes de candidatos a presidente, inclusive Lula, além do pedido para barrar o ex-presidente do horário eleitoral. A definição da pauta, no entanto, cabe à presidente do TSE, Rosa Weber.

Entretanto, na avaliação de um dos ministros, o ideal seria que, mesmo sem a conclusão da tramitação do processo de registro, Barroso decidisse sobre a participação de Lula no horário eleitoral. Com o recurso ao STF, a defesa do petista adia a decisão sobre a candidatura do partido e tenta garantir a presença do ex-presidente na propaganda eleitoral no rádio e na TV.

A defesa que será entregue hoje (30/8) ao TSE vai se basear na liminar do Comitê de Direitos Humanos da ONU que, no dia 17, pediu às autoridades brasileiras a manutenção do petista na disputa presidencial até o trânsito em julgado do processo no qual foi condenado a 12 anos e 1 mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro pelo Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4). A defesa ainda pode recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) e ao STF.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Política

Presidenciáveis arrecadaram R$ 95,5 milhões, mostra TSE

O teto de gastos estabelecido pelo TSE, no primeiro turno de cada campanha presidencial, é de R$ 70 milhões.
30/08/2018, 14h48

Os presidenciáveis vão gastar uma fortuna para tentar uma cadeira no Planalto Central. Duas semanas após o início oficial da campanha eleitoral, dez dos 13 candidatos à Presidência da República declararam ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que arrecadaram R$ 95,5 milhões.

O maior volume – 45,4% – é do tucano Geraldo Alckmin, que informou ter recebido R$ 43,4 milhões da direção nacional do PSDB. A menor arrecadação declarada, até o fechamento desta reportagem, foi do candidato João Goulart Filho (PPL): R$ 1,8 mil de financiamento coletivo e gasto de R$ 157,10 de taxa de administração.

Segundo dados disponíveis no portal do TSE, até este momento, a campanha do PSDB não informou despesas eleitorais. O teto de gastos estabelecido pelo TSE, no primeiro turno de cada campanha presidencial, é de R$ 70 milhões.

O candidato do MDB, Henrique Meirelles, informou uma doação própria de R$ 20 milhões e gastos de R$ 50 mil, com o impulsionamento de conteúdos na internet. Meirelles declarou um patrimônio total de R$ 377, 5 milhões.

Fundo de campanha

Conforme declaração ao TSE, o PT movimentou R$ 20 milhões do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC).  A campanha gastou R$ 550 mil na confecção de adesivos. O valor foi pago à gráfica Mack Color, segundo informações disponíveis no portal do tribunal.

A candidata Marina Silva (Rede) arrecadou R$ 5,8 milhões, sendo a maior parte (R$ 5,6 milhões) repassada pela direção nacional do partido. Pouco mais de R$ 171 mil são de financiamento coletivo e R$ 45 mil de doação individual.

Do total arrecadado, a campanha aplicou R$ 1,5 milhão na produção dos programas para o horário eleitoral gratuito nas emissoras de rádio e televisão. Também pagou quase R$ 13 mil da taxa de administração do financiamento coletivo e R$ 1,1 mil do aluguel de equipamentos de informática.

Presidenciáveis

A totalidade da verba usada pela campanha de Guilherme Boulos (PSOL) é do fundo especial: R$ 4 milhões. O partido declarou ter gasto R$ 1,1 milhão na produção dos programas para o horário eleitoral, no pagamento de serviços de assessoria, advogados, pesquisa e no aluguel de imóvel.

O Pode transferiu R$ 3,2 milhões para a campanha do candidato Alvaro Dias, que arrecadou mais R$ 510 mil de doações individuais. A maior parte foi doada pelo professor Oriovisto Guimarães, empresário do setor de educação que disputa uma cadeira no Senado Federal pelo Paraná. À Justiça Eleitoral, Guimarães declarou patrimônio de R$ 240 milhões.

A campanha de Dias destinou a totalidade da verba repassada pelo Pode à produção do programa de televisão do candidato. O presidenciável tem direito a 40 segundos em cada bloco da propaganda eleitoral gratuita e 53 inserções. O horário eleitoral dos candidatos à Presidência vai ao ar às terças-feiras, às quintas-feiras e aos sábados.

Doação individual

O candidato João Amoêdo (Novo) arrecadou R$ 505 mil, sendo R$ 308 mil de financiamento coletivo, R$ 153 de doações individuais e R$ 43,9 mil repassados pelo partido. Amoêdo gastou cerca de R$ 200 mil com impressão de material de campanha, transporte, aluguel de bens móveis (exceto carros), taxa de administração do financiamento coletivo e locação de imóvel.

O presidenciável Ciro Gomes (PDT) declarou R$ 53,6 mil de financiamento coletivo e o pagamento de R$ 2,3 mil de taxa de administração. A candidata Vera Lúcia (PSTU) informou que o partido repassou R$ 50 mil para a campanha, sendo R$ 27,4 mil usados para a produção de material impresso.

Neste ano, a principal fonte de financiamento das campanhas eleitorais é o fundo de R$ 1,7 bilhão criado para essa finalidade. Até agora, 34 partidos políticos já tiveram os recursos liberados pelo TSE. O partido Novo decidiu não utilizar os recursos do fundo.

Imagens: Agência Brasil 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Entretenimento

Pesquisa mostra que no Brasil existe mais de um smartphone por habitante

Uso excessivo do aparelho tem causado dores e desconforto na cervical. Pilates tem sido uma opção de alívio.
30/08/2018, 15h13

Basta uma notificação no smartphone e pronto. Quando nos deparamos, já se passaram horas de olho na tela do smartphone. De acordo com a 29ª Pesquisa Anual de Administração e Uso de Tecnologia da Informação nas Empresas, realizada pela Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (FGV-SP), realizada em maio deste ano, no Brasil, temos 220 milhões de smartphones: mais de 1 celular inteligente por habitante.

O aparelho faz parte da vida de muitos cidadãos. Por lá estão nossas anotações, redes sociais, agenda, usamos no trabalho e também pra diversão. Resultado disso: 9 horas do nosso dia conectados a internet. É o que aponta o relatório “2018 Global Digital”, da We Are Social e da Hootsuite. A pesquisa diz ainda que, das 9 horas de acesso diário à Internet, 4 horas e 21 minutos são por meio das conexões móveis.

Desse jeito não tem como escapar! Já ouviu falar em Cervicalgia? A cervicalgia é uma dor nas vértebras cervicais. Ela pode ser crônica, quando dura várias semanas ou aguda, quando dura alguns dias. Um dos principais motivos é a má postura que mantemos enquanto estamos conectados.

A arquiteta e urbanista Jéssica Guilard, 24 anos, tem um celular sempre à disposição desde os 12 anos. “Geralmente uso meu celular mais do que o notebook. Pesquiso, edito fotos, uso as redes sociais”, conta ela que acredita que consegue ficar sem. “Por poucas horas”, brinca ela. Para ela, é impossível ficar sem celular. “A gente guarda tudo no aparelho.”

De acordo com a Marcella Vieira, Fisioterapeuta com formação em Pilates Clássico e Científico, a forma com qual mantemos nossa coluna alinhada diz muito. “É nítido uma postura ‘curvada’ com a cabeça para frente dos ombros e voltada para baixo, esta é uma postura clássica que mantemos enquanto olhamos o celular. Consequentemente vem a tensão nos músculos localizados na região cervical, nódulos musculares, inflamação e dores constantes”, afirmou a fisioterapeuta.

Smartphone

A Psicóloga Walquiria Medeiros da Silva Zuppa, de 48 anos, usa o aparelho, em média, 4 horas por dia, e o desconforto sempre aparece. “Acredito que a cervicalgia seja uma combinação de fatores, emocionais e a má postura ao usar esses equipamentos e ao ler um livro também”, conta a psicóloga. Ela contou ainda que encontrou no pilates uma forma de alívio, “as dores diminuem significativamente com alongamentos e fortalecimentos na região da cervical durante as aulas de pilates”, relatou.

Existem formas menos prejudiciais para o uso do celular. De acordo com a Fisioterapeuta, para diminuir os problemas o mais importante é a correção da postura, levando o celular a altura dos olhos para que a coluna fique alinhada e que não haja uma sobrecarga cervical. Então como um recurso alternativo à cervicalgia, no pilates se trabalha o fortalecimento da musculatura e também exercícios de alongamentos para a diminuição das dores, trazendo uma melhor qualidade de vida.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.