Mundo

Carta confirma que Vaticano sabia sobre má conduta de McCarrick em 2000

08/09/2018, 10h35

Cidade do Vaticano 08/09/2018 – Uma carta escrita por um representante do alto escalão do Vaticano em 2006 confirma que a Santa Sé recebeu em 2000 informações sobre o desvio de conduta do cardeal norte-americano Theodore McCarrick. O documento concede ainda mais credibilidade as explosivas acusações de acobertamento de denúncias de abuso sexual envolvendo representantes do mais alto escalão da Igreja Católica. McCarrick, que era como membro do Colégio de Cardeais, renunciou em julho após uma série de acusações.

Na sexta-feira, a agência de notícias da Conferência dos Bispos dos Estados Unidos publicou uma carta do então arcebispo Leonardo Sandri endereçada ao reverendo Boniface Ramsay, padre de Nova York que fez as acusações iniciais.

Em novembro de 2000, Ramsay escreveu ao Vaticano relatando denúncias sobre a má conduta sexual do então cardeal Theodore McCarrick contra seminaristas do Seminário Imaculada Conceição da Universidade Seton Hall. Ramsay, que em 2000 estava na faculdade do seminário, disse que havia enviado a carta a pedido do então embaixador do Vaticano, para relatar que havia ouvido muitas reclamações dos seminaristas afirmando que McCarrick os teria convidado para sua casa de praia e para sua cama.

Sandri, que na ocasião era o número três no secretariado do Vaticano, havia escrito para Ramsay em 11 de outubro de 2006 em busca de recomendações para um cargo no Vaticano. Nessa troca de correspondências, ele se referiu a carta de Ramsay enviada em 2000, dizendo: “Com particular referência aos sérios assuntos envolvendo alguns dos estudantes do Seminário Imaculada Conceição, que em novembro de 2000 você foi bom o suficiente para trazer confidencialmente a atenção do núncio papal nos Estados Unidos, o falecido arcebispo Gabriel Montalvo”.

O arcebispo Carlo Maria Vigano, que está no centro da crise enfrentada pelo Papa Francisco, citou a carta de Ramsay em sua própria exposição do acobertamento sobre o caso McCarrick. Ele incluiu Sandri em uma longa lista de membros do Vaticano que sabiam sobre o comportamento de McCarrick. Vigano também acusou o Papa Francisco de saber já em 2013 da má conduta de McCarrick e de tê-lo reabilitado das sanções impostas pelo Papa Bento XVI.

A carta de Sandri e significativa por confirmar a história de Ramsay e as acusações de Vigano. O relato mostra que o Vaticano sabia sobre as acusações contra McCarrick em 2000, um ano antes do Papa João Paulo II nomeá-lo cardeal. E além disso envolve o Papa Bento XVI, por não ter atuado para impedir McCarrick.

Vigano diz que Bento XVI eventualmente impôs algumas sanções contra McCarrick em 2009 e 2010, quase uma década depois da carta de Ramsay. Mas o fato de Sandri tê-la citado sugere que a carta não foi perdida em uma pilha de correspondência em algum lugar, e que foi relevante mesmo para uma simples solicitação de referência para um cargo. Fonte: Associated Press.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Mulher é assassinada na frente das filhas em Goiânia

O principal suspeito, companheiro da mulher, está foragido.
08/09/2018, 10h46

Uma mulher foi assassinada na frente das filhas na noite desta sexta-feira (7/9), em Goiânia. O crime ocorreu por volta das 19h em uma casa localizada na Avenida Perimetral, no Setor Coimbra, região Central da cidade.

Informações preliminares apontam que Janys Lima de melo Silva, de 35 anos, morreu após ser esfaqueada pelo companheiro. O homem está foragido. Aparentemente, o relacionamento era conturbado, e antes do crime o casal havia discutido.

O Corpo de Bombeiros foi chamado até o local, mas a mulher já estava morta. Segundo a corporação, Janys foi atingida do lado esquerdo do tórax.

Ainda não há informações sobre a idade das crianças.

A Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH) investiga o crime.

Imagens: ZenKlub 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Eleições suplementares para prefeito em 5 cidades goianas ocorrem no dia 28 de outubro 

Nesta data, eleitores de Davinópolis, Divinópolis, Planaltina de Goiás, Serranópolis e Turvelândia vão às urnas.
08/09/2018, 12h08

As eleições suplementares para prefeito e vice-prefeito em cinco cidade goianas ocorrem no dia 28 de outubro. A data foi aprovada, em sessão plenária, pelo  Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO), no dia 4 de setembro.

Sendo assim, eleitores de Davinópolis, Divinópolis, Planaltina de Goiás, Serranópolis e Turvelândia vãos às urnas no próximo mês para votar em seus representantes municipais. Caso ocorra segundo turno das eleições 2018, a votação será no mesmo dia.

De acordo com o TRE, estarão aptos a votar os eleitores constantes do cadastro eleitoral, que regularizaram o título de eleitor até 9 de maio deste ano, e com domicílio eleitoral nos municípios citados.

O tribunal informa ainda que “poderá participar da eleição o partido político que, até 28 de outubro de 2017, tenha registrado seu estatuto no Tribunal Superior Eleitoral e tenha, até a data da convenção, órgão de direção constituído nas aludidas cidades, de acordo com o respectivo estatuto (Lei nº 9.504/97, art. 4º).”

A escolha dos candidatos e a formação das coligações deve ocorrer no dia 18 de setembro, data também prevista pelo TRE.

Resolução: eleições suplementares para prefeito

Aos interessados, todas as informações relacionadas a eleição suplementar de Davinópolis, Divinópolis, Planaltina de Goiás, Serranópolis e Turvelândia, bem como o calendário eleitoral, estão disponíveis nas resoluções abaixo.

Para acompanhamento dos processos e conhecimento das decisões, é necessário acessar o site www.tre-go.jus.br; em seguida vá até a aba superior, em área jurídica, escolha serviços judiciais, acompanhamento processual, e coloque o número do protocolo.

Confira as resoluções de cada município:

Davinópolis –  Resolução 294/2018

  • RE Nº 835-47.2016.6.09.0008 – Recurso Eleitoral
  • Protocolo: 175845/2016
  • Assunto: Captação Ilícita de Sufrágio

Divinópolis – Resolução 293/2018

  • RE Nº 278-40.2016.6.09.0047 – Recurso Eleitoral
  • Protocolo: 161920/2016
  • Assunto: Capitação Ilícita de Sufrágio

Planaltina de Goiás – Resolução 292/2018

  • RE Nº 1410-44.2016.6.09.0044 – Recurso Eleitoral
  • Protocolo: 172923/2016
  • Assunto: Capitação Ilícita de Sufrágio

Serranópolis – Resolução 296/2018

  • RE Nº 520-86.2016.6.09.0018 – Recurso Eleitoral
  • Protocolo: 120083/2016
  • Assunto: Capitação Ilícita de Sufrágio

Turvelândia – Resolução 291/2018

  • RE Nº 670-28.2016.6.09.0128 – Recurso Eleitoral
  • Protocolo: 167553/2016
  • Assunto: Capitação Ilícita de Sufrágio
Via: TRE 
Imagens: DC 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Feriado: motoristas são flagrados acima de 164 km/h entre Goiânia, Rio Verde e Jataí

Foram flagrados ainda motoristas bêbados, além do registro de quatro mortes em acidentes nas rodovias goianas.
08/09/2018, 12h52

Radares da Polícia Rodoviária Federal (PRF), em Goiás, flagraram três motoristas dirigindo acima de 164 km/h entre Goiânia, Rio Verde e Jataí, no feriado do Dia 7 de setembro. Ao todo, foram feitos 273 registros nos trechos que ligam cidades do interior a Capital. De acordo com a PRF, o excesso de velocidade tem sido um dos principais fatores de acidente nas rodovias goianas.

Nas imagens feitas ontem, três motoristas foram flagrados com velocidades de 164 km/h, 171 km/h e 174 km/h. Nesses casos, a infração é gravíssima, com fator multiplicados por três vezes, sendo um total de R$880,20 em multa e o condutor pode ter a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) suspensa por até um ano.

Durante a Operação Independência os radares da PRF estão posicionados em vários trechos das rodovias federais, principalmente nas BR 060 e 153. O objetivo é coibir essas infrações graves, que podem tirar tanto a vida dos ocupantes dos veículos infratores, quanto de outras pessoas que passam pelos locais.

Motoristas bêbados no feriado

Além do excesso de velocidade, outra fato preocupante é a quantidade de motoristas bêbados nas estradas. Só neste primeiro dia de feriado, foram flagrados motoristas bêbados na BR-060 em Rio Verde, e BR-050, em Catalão. Em um dos casos, o motorista bateu o recorde de embriaguez ao volante, registrando 1,30 mg/l. no teste do bafômetro.

Em outra situação um homem que viajava pela BR-060 fez o teste do etilômetro que acusou 0,72 mg/l. Outros sete motoristas foram submetidos ao teste, que resultou índice abaixo de 0,30 mg/l.

De acordo com a PRF, todos receberão multa de R$2.934, mais a apreensão da CNH e veículo retido até a apresentação de um condutor habilitado e em condições de dirigir os carros.

Acidentes nas rodovias goianas durante o feriado

O primeiro dia do feriadão da Independência também registrou quatro mortes por acidente de trânsito nas rodovias goianas. Entre as vítimas está uma criança de 12 anos. De acordo com a PRF, os acidentes ocorreram em rodovias goianas onde os trechos são de pista simples, e todos de colisão frontal, o que indica que os acidentes tenham sido causados por ultrapassagens proibidas ou indevidas.

O primeiro caso ocorreu na madrugada de sexta-feira na BR-364, próximo a Cachoeira Alta, região Sudoeste de Goiás. O carro saiu da pista, por motivo desconhecido, e com o impacto o motorista morreu. Os outros dois acidentes ocorreram na BR-153, no trecho que liga Anápolis a divisa com o Tocantins. Nos dois casos, os carros bateram e frente, provocando a morte e outras três pessoas.

Via: PRF PRF 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Justiça manda Kajuru retirar postagem contra Marconi Perillo da internet

A decisão ainda estipula multa de R$ 5 mil ao dia em caso de descumprimento.

Por Ton Paulo
08/09/2018, 13h56

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-GO), através de decisão do juiz eleitoral José Proto de Oliveira, determinou que o candidato ao Senado Jorge Kajuru (PRP), assim como a rede social Twitter, tirassem de circulação um post contra o ex-governador e também candidato ao Senado Marconi Perillo (PSDB), sob pena de multa.

No post em questão, Kajuru, que atualmente é vereador em Goiânia, disse que “Sem foro, vai pra cadeia mesmo! Só depende de vcs”, bem como “Marconi corre atrás de mandato de senador para evitar prisão”, se referindo ao fato de Marconi ter perdido o foro privilegiado e se tornado réu recentemente por corrupção passiva.

De acordo com o Dr.  José Proto, autor da decisão, a mensagem postada por Kajuru é inverídica e extrapola os limites da informação, e se mostra como inverídica.

Proto ainda diz, em sua decisão, que a mensagem veiculada por Kajuru traz insatisfação, “já que candidato ao mesmo cargo do Representado, o que revela, portanto, propósito de influenciar na disputa eleitoral em seu favor”.

José Proto de Oliveira reforça que não há qualquer indício de existência de mandado de prisão expedido contra Marconi Perillo a justificar as alegações feitas por Kajuru.

“Em caso de descumprimento e não remoção do conteúdo no prazo acima assinalado, fixo, desde já, a multa no valor de R$ 5 mil reais dia/descumprimento, providência a ser informada pelo representante”, diz a decisão.

A decisão do TRE foi divulgada na noite da última sexta-feira (7/9) e determinou que Kajuru e o Twitter retirassem o post no prazo de 24 horas, sob pena de multa. Na manhã deste sábado (8/9), a postagem já havia sido apagada.

A reportagem do Dia Online tentou contato por telefone com Kajuru, mas até o fechamento desta matéria não obteve retorno.

Post de Kajuru trouxe à tona a condição de réu de Marconi Perillo

No dia 3 deste mês de setembro, a 8ª Vara Criminal de Goiânia aceitou a denúncia contra o ex-governador do Goiás e candidato ao Senado, Marconi Perillo (PSDB), em mesmo processo que envolve o bicheiro Carlinhos Cachoeira.

Marconi foi acusado de receber propinas da Construtora Delta por favorecer contratos da empresa com o poder público. No mesmo esquema em questão, foram denunciados o contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, o ex-presidente do Conselho de Administração da Delta, Fernando Cavendish e o ex-diretor regional da empresa, Cláudio Abreu.

Na denúncia, que foi apresentada em março de 2017, o governador é acusado de receber, entre 2011 e 2012, o pagamento de vantagens indevidas pelos executivos em troca de garantir o incremento dos contratos mantidos pela Delta com os vários órgãos do Estado.

Via: O Popular 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.