Goiás

Nova parceria da CASAG traz muito mais comodidade para a advocacia goiana

Resultado da parceria entre Unimed e CASAG, nova unidade laboratorial em Goiânia oferece inúmeras vantagens para a advocacia goiana.
13/09/2018, 15h08

A parceria entre Unimed e a Caixa de Assistência dos Advogados de Goiás (CASAG) cresceu e já rendeu bons frutos, visando sempre desburocratizar a advocacia goiana. Agora, advogados, familiares e estagiários podem contar com uma nova unidade laboratorial de excelência, para a realização de exames e coleta de amostras.

O espaço foi inaugurado ainda no início do ano, em 28 de maio, mas já se mostrou bastante eficaz para os advogados do estado. Situado na Galeria de Serviços da CASAG, funciona de segunda a sexta, das 7h às 17h e aos sábados das 7h às 11h.

Os profissionais da área que estão associados ao plano de saúde da CASAG, podem esperar muito mais comodidade para realizar procedimentos laboratoriais. Sem filas e com atendimento de excelência, a unidade segue o alto padrão já conhecido da Unimed Goiânia, contando com profissionais altamente qualificados, estrutura de alto nível e um ambiente seguro e confortável.

Unimed e CASAG
Foto: Reprodução

CASAG favorecendo a advocacia goiana

Durante a cerimônia de inauguração do laboratório, Rodolfo Otávio Mota, presidente da CASAG, aproveitou para dizer que a Unimed Goiânia é uma parceira fundamental e que demonstra interesse em contribuir para a manutenção da saúde na advocacia goiana: “Estamos sempre procurando novas maneiras de favorecera advocacia e a Unimed é sempre muito receptiva em nossas negociações e nos desafios que propomos“, disse.

Para ele, este é um projeto que colabora com a meta de oferecer os melhores serviços à classe no estado: “Com esse laboratório, nos aproximamos ainda mais do nosso compromisso de levar cada vez mais benefícios aos advogados, estagiários e dependentes“, acrescenta.

Vale lembrar que os serviços oferecidos vão muito além de apenas coletar amostras e analisá-las. O laboratório disponibiliza ainda um espaço com brinquedoteca, atendimento preferencial, sala de coleta infantil e salas de coleta para exames especiais. Os equipamentos utilizados são  de última geração, proporcionando o que há de melhor na medicina para a advocacia goiana.

Brinquedoteca da CASAG
Foto: Reprodução

Contatos

A unidade fica na Rua 101,  nº 199, Setor Sul.

Para entrar em contato basta ligar nos telefones: (62) 3216 – 8505 / (62) 3216 – 8081.

Via: CASAG 
Imagens: CASAG 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Mulher que teve carro atingido por ambulância vai ser indenizada em Goiás

O município, chamado para esclarecer o acidente, culpou a mulher.
13/09/2018, 15h42

O Município de Palmeiras de Goiás foi condenado a pagar R$ 18,5 mil a Marisa Mello de Lima, a título de indenização por danos morais, materiais e estéticos, em razão de ela ter sido vítima de acidente de trânsito provocado por ambulância de propriedade do município.

O veículo avançou o sinal vermelho sem lançar os alertas sonoros ou luminosos, desrespeitando as regras previstas na Lei de Trânsito, atingindo o carro dirigido pela mulher. A decisão é da juíza substituta Leila Cristina Ferreira, da comarca de Palmeiras de Goiás.

No processo, Marisa informou que, após o acidente, teve várias despesas médico-hospitalares e com remédios e prejuízos salariais pelo tempo de afastamento do trabalho, bem como outros constrangimentos em razão de danos estéticos.

Ela ficou com cicatrizes nas laterais da cabeça por causa da utilização de aparelho no crânio e, ainda hoje, sente dores no corpo por causa do acidente.

Além disso, alegou ter abandonado o mestrado que cursava. No processo, a vítima alega que, com o título de mestre, teria garantido melhoras de ganhos salariais.

O município, chamado para esclarecer o acidente, culpou a mulher.

A vítima de Goiás provou gastos com notas fiscais

A magistrada constatou que foi o motorista do município que causou o acidente ao atravessar no sinal vermelho. “O próprio motorista afirmou na delegacia que não estava transportando pacientes no momento do acidente”, explicou.

A vítima conseguiu provar, por meio de notas fiscais, recibos de táxis, bem como outros documentos anexados ao processo, o prejuízo que o acidente lhe ocasionou.

Em relação ao pedido de indenização por danos morais, a juíza entendeu que as provas anexadas demonstraram claramente que a autora faz jus ao seu recebimento, uma vez que sofreu graves lesões em decorrência do acidente narrado na inicial, tendo sido submetida a diversos tratamentos médicos, que lhe acarretaram inegável dor em razão dos ferimentos, do prolongado tratamento a que foi submetida, bem como da incerteza sobre eventuais sequelas que poderiam persistir.

Com base na teoria da perda de uma chance, a magistrada também julgou parcialmente procedente os pedidos na inicial do processo para condenar o município a se responsabilizar pelos danos materiais e estéticos. “No dia do fato, mesmo que a mulher não estivesse empregada, nota-se que a autora da ação tinha condições de obter novas oportunidades no mercado de trabalho”, pontuou.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Saiba quais são os bairros mais violentos em Goiânia

Dados da Secretaria de Segurança Pública e do site "Onde Fui Roubado" mostram os bairros mais violentos em Goiânia, levando em consideração os índices de homicídios e assaltos.
13/09/2018, 15h47

Goiânia é uma das cidades mais populosas do Brasil, registrando quase 1,5 milhão de habitantes, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Infelizmente, também integra estatísticas não muito agradáveis para sua numerosa população. Apenas para que você tenha ideia, a capital do estado já ocupou posição entre as cidades mais violentas do mundo. Embora tenha abandonado o posto, ainda é válido fazer uma criteriosa análise sobre os bairros mais violentos em Goiânia.

De forma geral, Goiás registrou uma queda em 11 dos 12 indicadores criminais monitorados nos primeiros sete meses deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado. O destaque vai para a redução de 11,98% na redução dos homicídios.

De acordo com Irapuan Costa Júnior, secretário de Segurança Pública: “O empenho das forças policiais foi fundamental nesta conquista. Temos investido constantemente em aumentos de viaturas, aparelhamento das nossas polícias”.

Embora o estado tenha registrado considerável queda, Goiânia ainda apresenta uma situação preocupante.

Confira os bairros mais violentos em Goiânia

Ao analisar os dados referentes a homicídios na cidade, é perceptível que estão espalhados por todas as regiões da capital. No entanto, um levantamento realizado pela Secretaria de Segurança Pública (SSP), levando em consideração os últimos cinco anos, foi capaz de apurar e registrar quais são os bairros mais violentos em Goiânia.

O Jardim Novo Mundo permanece no topo do ranking desde 2013 e os moradores do bairro confirmam que há completa insegurança na região. O medo toma conta de todos, principalmente quando o sol se põe. Até mesmo os comerciantes tendem a fechar as portas mais cedo, na expectativa de evitar que algo aconteça.

De 2013 para cá, os bairros com o maior número de homicídios, além do citado anteriormente, são: Jardim Guanabara, na região norte, Setor Central, Vila Finsocial, na região noroeste e Setor Pedro Ludovico, na região sul.

Em novo levantamento feito em 2017, disponibilizado no site da SSP, os índices são mostrados como “manchas criminais”. No mapa é possível ver cores que vão do laranja até o vermelho escuro. Quanto mais forte a cor, maior a taxa de homicídios na referente região.

É possível ver manchas por praticamente todo o mapa da cidade. No entanto, o destaque vai para a região norte e noroeste da capital, representando os bairros mais violentos em Goiânia no momento.

Bairros mais violentos em Goiânia

Violência também em assaltos

Vale lembrar que outros fatores também devem ser considerados para definir a violência nos bairros goianos, um deles, é a quantidade de assaltos. Infelizmente, não é nada incomum presenciar ou ser vítima de um furto ou roubo na capital, sendo estes, crimes que já se tornaram banais.

O site “Onde fui Roubado” trabalha com estatísticas que se baseiam nas ocorrências registradas em Goiânia. Os dados dispostos no site fornecem preciosas informações para quem pretende se proteger, mas também revela uma situação completamente preocupante.

De acordo com os crimes registrados no site, cerca de 53% dos casos ocorrem durante o período da noite, sendo roubos, furtos e assaltos em grupo os mais reincidentes. Cerca de 71% das vítimas são homens e o objeto que ocupa o topo no ranking dos mais roubados é o celular.

Confira os 10 bairros com o maior número de registros:

  1. Setor Bueno
  2. Setor Central
  3. Setor Leste Universitário
  4. Setor Sul
  5. Setor Marista
  6. Jardim América
  7. Setor Oeste
  8. Jardim Goiás
  9. Jardim América
  10. Setor Aeroporto

Embora os números sejam alarmantes, são de grande importância para a Polícia Militar por exemplo, que os toma como base para direcionar suas ações para estes bairros. Por isso é tão importante que a população sempre mantenha contato e registre as ocorrências, pois somente dessa forma nossas autoridades tomam conhecimento do que está acontecendo em nossa capital.

Imagens: Mais Goiás 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Denunciados por compra de voto, prefeito e vice de Davinópolis continuam com diplomas cassados

Eleições suplementares para ocupação dos cargos no município ocorrem no dia 28 de outubro.
13/09/2018, 16h30

O Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO) manteve a cassação do prefeito e vice de Davinópolis, interior de Goiás, denunciados por compra de voto, pelo Ministério Público Eleitoral. A decisão foi proferida pelo juízo da 8ª Zona Eleitoral do estado.

Robson Luiz da Silva Gomes e Rony Félix Rodovalho, eleitos para os cargos de prefeito e vice-prefeito do município tiveram os diplomas cassados após ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE), que resultou na decisão em 1ª instância, em 2016.

Os políticos foram investigados pela compra de voto e abuso do poder político e de autoridade, após uma denúncia proposta pelo promotor eleitoral Fernando Gomes Rosa. Os argumentos apresentados por Robson e Rony em recurso foram rejeitados pelo tribunal.

Compra de voto e abusou do poder político

De acordo com informações do Ministério Público de Goiás, o promotor eleitoral sustentou que o prefeito Robson Luiz “abusou do poder político e econômico, ao usar o seu cargo para a prática de conduta proibida pela legislação eleitoral, visando beneficiar sua candidatura à reeleição, bem como a de Rony Felix ao cargo de vice, nas eleições de 2016, em especial ao fazer uso promocional de distribuição gratuita de bens de caráter social custeados pelo poder público, em desrespeito à legislação.”

Na época, o prefeito promoveu captação ilícita de votos por meio de doações de terrenos e matérias de construção comprados com dinheiro público. As doações foram feitas aos eleitores em troca de apoio político.

Eleições suplementares em Davinópolis

As eleições suplementares para prefeito e vice-prefeito em Davinópolis serão realizadas no dia 28 de outubro. Eleitores de outras quatro cidades goianas (Divinópolis, Planaltina de Goiás, Serranópolis e Turvelândia) também vão às urnas na mesma data.

A data foi aprovada, em sessão plenária, pelo Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO), de acordo com a resolução n° 294/2018,  que convocou novas eleições para os cargos. A escolha dos candidatos e a formação das coligações deve ocorrer no dia 18 deste mês.

Via: MP-GO TRE 
Imagens: TriCurioso 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Cesta básica em Goiânia tem redução de 6,29% entre agosto de 2017 e 2018

Em relação a julho deste ano, a cesta básica na capital ficou R$ 3,91 mais barata, aponta pesquisa.
13/09/2018, 17h20

Uma pesquisa realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), revelou que a cesta básica em Goiânia apresentou uma redução de 6,29% entre agosto de 2017 e 2018. O preço dos alimentos também caiu em outras 16 capitais brasileiras.

A Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, feita periodicamente em 20 capitais, apontou reduções mais expressivas em Porto Alegre (-3,50%), João Pessoa (-3,36%) e Salvador (-3,02%) e as variações positivas, em Florianópolis (3,86%), Manaus (1,41%) e Aracaju (0,01%).

Ainda segundo os dados, a cesta básica mais cara foi encontrada em São Paulo (R$ 432,81), seguida pela de Florianópolis (R$ 431,30), Porto Alegre (R$ 419,81) e Rio de Janeiro, custando R$ 417,05. Já os menores valores médios foram observados em Salvador (R$ 311,92) e São Luís, onde o conjunto de alimentos é encontrado por R$ 329,42.

Cesta básica em Goiânia

Entre as 13 capitais que se destacam na redução, Goiânia aparece com 6,29% a menos no valor da cesta básica, entre agosto de 2017 e 2018, de acordo com a pesquisa. A capital segue acompanhada de São Luís com 6,51% a menos no valor dos produtos e redução de 6,08% em Salvador.

Segundo o levantamento do Dieese, nas outras sete capitais, os valores médios aumentaram, sendo que as maiores altas foram as de Campo Grande (2,70%) e Cuiabá (2,57%).

Apesar dos valores mais baixos, a pesquisa revelou ainda que nos primeiros oito meses de 2018, seis capitais acumularam taxa negativa, com destaque para Porto Alegre (-1,62%), Salvador (-1,49%) e São Luís (-1,41%). Neste período, outras 14 cidades mostraram aumento, com variações entre 0,49%, em Goiânia, e 3,79%, em Curitiba.

Valor da cesta básica em Goiânia x salário mínimo

De acordo com uma outra pesquisa do Dieese, feita em julho deste ano, a cesta básica em Goiânia custava R$ 366,38, sendo que os consumidores gastavam em média 84 horas e 29 minutos de trabalho para adquirir os alimentos.

Já em relação à pesquisa de agosto de 2018, a cesta básica em Goiânia apresentou o custo de R$ 362,47, redução de R$ 3,91, sendo necessárias 83 horas 35 minutos para a compra dos produtos.

Os dados mostraram ainda que se comparado o custo da cesta com o salário mínimo líquido “verifica-se que o trabalhador remunerado pelo piso nacional comprometeu, em agosto, 42,34% do salário mínimo líquido para adquirir os mesmos produtos que, em julho, demandavam 42,84%.”

Imagens: Folha Vitória 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.