Política

FHC demora um mês para manifestar apoio a Alckmin, mas erra nome do candidato

15/09/2018, 14h50

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) demorou um mês para publicar no Twitter, na manhã deste sábado, 15, uma mensagem de apoio explícito ao candidato tucano à Presidência da República, o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin. No entanto, escreveu duas vezes o nome do candidato sem a letra “c”.

A Coluna do Estadão publicada na edição deste sábado notou que FHC estreou no Twitter há um mês e, até ontem, não havia usado a rede social para pedir votos a Alckmin. O máximo que ele fez foi listar algumas virtudes necessárias para um presidente e, sem citar nenhum candidato, recomendou aos seus seguidores que votem naquele que reunir essas características.

“O Brasil depende de nossas escolhas. Palavras o vento leva. Realizações marcam. Só com experiência se governa. Sem convicção não se criam caminhos de futuro. Avalie quem junta estas virtudes e vote. O país precisa de coesão e grandeza. Está em nossas mãos construir o futuro”, ele escreveu ontem.

Hoje, por volta das 11h, depois de a Coluna do Estadão notar a ausência de menções a Alckmin, o ex-presidente alegou que a mensagem de ontem foi clara no seu apoio ao correligionário e, dessa vez, citou o ex-governador de São Paulo, embora ele tenha escrito duas vezes o nome do candidato sem a letra “c”.

“Intriga não ajuda a convencer. No que publiquei ontem está claro que Alkmin é quem pode governar melhor: experiente, honesto, com olho no orçamento e capaz de ouvir. Meu voto é sabidamente nele. Há tempo para evitar votar em aventuras ou em desastres anunciados”, disse.

Duas horas depois, FHC voltou ao Twitter para dizer que concorda com o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), quando este fez críticas ao sistema político, em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo. Foi nessa mensagem que ele escreveu pela segunda vez o nome de Alckmin sem a letra “c”.

“O senador Tasso está certo: o ciclo partidário-eleitoral se exauriu. Não há outro ainda. Alkmin poderá levar o país a um novo consenso. Fiéis à democracia e aos nossos compromissos votemos nele para a reconstrução social e econômica do Brasil.”, disse.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Polícia prende cinco cambistas por venda de ingresso do Goiás

Segundo o Goiás Esporte Clube, os ingressos para o clássico foram vendidos antecipadamente, ou seja, não haverá venda no estádio antes do jogo.
15/09/2018, 15h37

Policiais militares prenderam cambistas na manhã  desde sábado na Avenida 85, no Bela Vista, em Goiânia. A PM flagrou cinco deles vendendo ingressos para o jogo que ocorre neste sábado entre Goiás e Atlético Goianiense no estádio Olímpico.

O grupo, flagrado com pelo menos 40 ingressos, foi preso no período em que a Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO) realizava uma operação para coibir este tipo de crime.

Segundo o Goiás Esporte Clube, os ingressos para o clássico foram vendidos antecipadamente, ou seja, não haverá venda no estádio antes do jogo.  clássico vai contar apenas com a torcida esmeraldina.

Os cinco homens presos foram encaminhados para a Central de Flagrantes, na Avenida Engenheiro Atílio Corrêa Lima, na Cidade Jardim.

Por meio de nota divulgada nas redes sociais, o Goiás Esporte Clube informa que vai tentar coibir a prática nos pontos de venda e nos arredores do Estádio Olímpico.

Ainda segundo o clube, os ingresso custavam R$ 40. Com uma promoção, os torcedores pagariam meia-entrada, caso apresentassem uma aposta recente da Timemania – claro, desde que deixassem claro que o Goiás, sim, é o time do coração.

O Goiás Esporte Clube pedem, ainda, para que os esmeraldinos não comprem ingressos de cambistas e, que, denunciem o crime.

Segundo o Estatuto do Torcedor,  é crime comercializar ingressos. N o artigo 41-F , esclarece que “vender ingressos de evento esportivo, por preço superior ao estampado no bilhete”.

Quem for flagrado vendendo ingressos pode ser condenado a até dois anos de prisão e/ou multa.

Polícia prende cinco cambistas por venda de ingresso do Goiás
Foto: Polícia Militar

Cambistas não atrapalham jogo que ocorre neste sábado

O clássico, válido pela 27ª rodada da série B, é fundamental para sequência de Goiás e Atlético na competição. O confronto, marcado para as 19h deste sábado, é considerado um jogo de 6 pontos, já que as equipes estão separadas por apenas um ponto.

O Dragão, que hoje ocupa a terceira posição, tem 43 pontos e vem de duas vitórias consecutivas sobre Ponte Preta e Oeste, busca manter a boa fase e se aproximar de vez do líder Fortaleza.

O Esmeraldino busca retomar o caminho das vitórias após a derrota para o Boa Esporte, que era lanterna da competição. A motivação para o clássico é ainda maior após a vitória do Vila Nova, na terça-feira, em Alagoas, na partida contra o CSA, que colocou a equipe colorada novamente como postulante ao acesso.

O Atlético não poderá contar com o volante Rômulo que levou o terceiro cartão amarelo e fica fora do clássico por suspensão. O técnico Cláudio Tencati tem como opções Tomas Bastos e Matheus Trindade, jogador emprestado ao Dragão pelo Flamengo.

Contando com os retornos de Giovanni, e do atacante Lucão, um dos artilheiros da série B, o Goiás tem apenas um desfalque para o clássico, o meia Rafinha. Se recuperando de uma contratura muscular, o jogador ainda não está 100% fisicamente e provavelmente não jogará contra o rubro-negro.

Para a posição, Tiago Luís e, Robinho, recém-contratado por empréstimo, são as opções do técnico Ney Franco.

Via: O Popular 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Homem não paga conta em bar e é preso em Anápolis

Depois de beber e comer, cliente informou que dinheiro caiu no vaso sanitário do bar.
15/09/2018, 15h51

Um homem se negou a pagar a conta em um bar de Anápolis e foi preso pela Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO) no bairro Lourdes, região Leste da cidade anapolina.

Os donos do bar ligaram para os policiais na noite de sexta-feira (14/9). Eles denunciaram que um homem negou a pagar a conta que somava R$70. O homem chegou ao local no final da tarde de sexta-feira, pediu porções e bebida.

Na hora de fechar o bar, a dona do bar pediu para que o cliente pagasse a conta, mas ele insistiu que ficaria mais. Diante das insistência do homem, a dona do bar decidiu chamar os policiais.

Quando informou o valor da conta para o cliente, ele se esquivou. Disse que não poderia pagar a conta porque o dinheiro teria caído dentro do vaso sanitário e que ele teria dado descarga.

Anápolis

Sem opções, a dona do estabelecimento chamou a polícia, que não acreditou na versão apresentada por Wellington e o encaminhou para a Central de Flagrantes.

Foi registrado contra ele um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por sonegação de débito.

O homem pode responder pelo crime de estelionato, previsto no artigo 176 do Código Penal. É um artigo que trata, além de estelionato, outras fraudes, como não pagar por hospedagem, transporte, alimentação e consumo de bebidas.

O simples fato de se usar ou comprar alguma coisa sem pagar em troca claramente é ilegal, pelo menos no campo civil isso não se tem dúvida. Agora em relação ao direito penal, é importante dizer que tal prática é igualmente repudiada e possuindo sua reprovabilidade penal por meio do artigo 176 do Código Penal:

Art. 176 – Tomar refeição em restaurante, alojar-se em hotel ou utilizar-se de meio de transporte sem dispor de recursos para efetuar o pagamento:

Pena – detenção, de quinze dias a dois meses, ou multa.

Parágrafo único – Somente se procede mediante representação, e o juiz pode, conforme as circunstâncias, deixar de aplicar a pena.

Via: Portal 6 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Homem que matou vizinho por causa de lixo na calçada em Anápolis é preso

Homem confessa em vídeo que matou por causa de lixo na calçada.
15/09/2018, 17h10

Policiais militares da Companhia de Policiamento Especializado (CPE) de Anápolis prenderam na manhã deste sábado (15/9) Luciano Lourenço Martins, de 22 anos. Ele confessou que matou com um tiro na cabeça um vizinho por causa de lixo na calçada no último domingo (9/9).

Os policiais receberam, por volta das 9h deste sábado, informações do paradeiro de Luciano, que fugiu após atirar no vizinho, Mário Pereira Correi0a, de 39 anos, do bairro Novo Paraíso, localizado próximo ao Campo Brilhante, na região sudoeste do município de Anápolis.

Com o suspeito, os policiais encontraram a arma calibre 32, utilizada para matar Márcio. Luciano tem passagens por receptação, tráfico de drogas e porte de arma. Segundo informações da PM, Luciano tentou matar outra pessoa 15 dias antes de matar o vizinho.

Depois de capturado, ele foi levado para o 1 DP. O Portal Dia Online não conseguiu falar com o delegado do caso, Cleiton Lobo, da Delegacia de Homicídios de Anápolis (GIH) nem com o delegado plantonista no 1 Distrito Policial.

O crime por causa do lixo em Anápolis

Homem que matou vizinho por causa de lixo em Anápolis é preso
Vítima foi morta com um tiro na cabeça ao reclamar de lixo. Foto: reprodução

Conforme o delegado Cleiton Lobo informou ao Portal Dia Online no dia do crime, Luciano, o autor do crime, era novo no bairro e havia se mudado para ao lado da casa de Mário há apenas cinco dias. Na noite anterior ao crime, Luciano teria colocado sacos de lixo de sua residência na porta da casa de Mário, em vez de usar sua própria lixeira.

Insatisfeito com a situação, Mário teria, então, retirado os sacos de lixo e ido bater na porta de Luciano para reclamar. Foi neste momento em que Luciano sacou uma arma atirou na cabeça de seu vizinho. “Ao que tudo indica, o crime foi cometido por causa do lixo, motivo banal.”

O Serviço Ambulatorial Móvel de Urgência (SAMU) foi acionado para socorrer Mário, mas a vítima chegou já sem vida ao CAIS Abadia Lopes da Fonseca, no Jardim Calixto, bairro próximo ao local do crime, em Anápolis.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Homem é detido após ser flagrado assediando criança na Vila Brasília, em Aparecida

Suspeito quase foi espancado por populares.
15/09/2018, 18h34

Um homem de 52 anos foi detido após quase ser linchado por populares em frente à Avenida Ararás, na Vila Brasília, local onde foi encontrado pela população depois de fazer propostas a uma criança de dez anos a a um restaurante próximo do Templo Mãos Postas, em Aparecida de Goiânia.

Segundo os policiais militares, eles patrulhavam na região quando perceberam uma confusão. “As pessoas queriam linchá-lo por causa de coisas que ele havia dito a uma criança”, disse um comerciante que viu a confusão do outro lado da rua. Homem havia sugerido para uma menina de 10 anos dinheiro para que ela fosse a sua casa “fazer uma coisa gostosa”.

O suspeito tem passagem por injúria, ameaça e difamação na Delegacia da Mulher de Trindade.

Homem mora na Vila Brasília

Segundo contou ao Portal Dia Online, o tenente Rafael Nogueira, com sua equipe, encontrou na casa do homem roupas de crianças que ele afirmou que vendia em Trindade. “Elas estavam em sacos de lixo preto em um barracão sujo e bagunçado. Havia filmes pornográficos em DVDs também”, conta.

Ainda segundo o policial, o homem queria levar a criança para sua casa, mas a menina contou imediatamente à mãe, dona do restaurante e outras pessoas que estavam no local escutaram. “Ele então correu e foi perseguido, momento em que nós conseguimos deter o tumulto”.

A vítima, o suspeito e testemunhas foram levadas para o 1º Distrito Policial. “Mas, como não houve materialidade, o suspeito foi solto. Caberá ao inquérito da Polícia Civil apurar se o homem, quem sabe, não fez vítimas em Trindade”, diz o tenente.

Para os policiais, o suspeito contou que mora em Aparecida de Goiânia há seis meses. Ele vende roupas e objetos em feiras em Trindade.

Ainda que não haja uma legislação específica para tratar apenas de assédio sexual no Brasil, nosso Código Penal prevê, sim, punição para os assediadores – que vai de multa a detenção por até dois anos. Quando se fala em assédio sexual no ambiente de trabalho, vale o que diz no artigo 216-A do Código Penal, que considera crime “constranger alguém com o intuito de obter vantagem ou favorecimento sexual.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.