Política

Alckmin assina documento da Unicef: 'meta é não ter criança fora da escola', diz

17/09/2018, 12h20

O candidato do PSDB à Presidência da República, Geraldo Alckmin, assinou nesta segunda-feira, 17, um documento no qual se compromete a investir prioritariamente em ações e políticas para a primeira infância. O termo foi elaborado pela Rede Nacional de Primeira Infância e pelo Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância).

Durante a assinatura, na sede da Unicef no Brasil, o tucano afirmou à imprensa querer ser o “presidente da primeira infância” e prometeu que se for eleito, não deixará nenhuma criança até 5 anos de fora da escola.

O ex-governador de São Paulo afirmou que cumprirá sua meta formalizando convênios com as prefeituras, que são as responsáveis pela educação infantil, com o repasse de recursos do governo federal e com a inclusão das cidades no Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb).

Alckmin estimou ainda que são necessárias a criação de quase meio milhão de vagas no ensino fundamental para atender a todas as crianças que hoje estão fora da escola.

“Governar é escolher, e nós já escolhemos. Quero ser o presidente da primeira infância. A maneira de garantir melhores oportunidades e reduzir a desigualdade é investir na primeira infância”, disse.

Alckmin também disse que é preciso investir na segurança pública para diminuir os homicídios de adolescentes e jovens em todo o País.

A representante do Unicef no Brasil, Florence Bauer, apresentou os seis pontos colocados no termo de compromisso assinado por Alckmin.

De acordo com ela, a entidade quer que os presidenciáveis se comprometam com a redução da pobreza, a diminuição dos homicídios de adolescentes, a inserção de cerca de 10 milhões de crianças e adolescentes que estão fora da escola ou com a educação defasada, a sobrevivência de crianças e adolescentes, a garantia da nutrição infantil, com o combate à desnutrição e à obesidade, e a participação dos adolescentes nas eleições.

Os presidenciáveis Marina Silva (Rede) e Alvaro Dias (Podemos) também já assinaram o documento. Segundo a assessoria de imprensa do Unicef, todos os candidatos à Presidência foram convidados pela entidade para assinar o termo, mas os demais ainda não se manifestaram.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Instituto goiano divulga vagas para professor com salários de até R$ 9.600 reais

As vagas para professor disponibilizadas pelo Instituto são para 20 cursos, e as inscrições são feitas inteiramente pela internet.

Por Ton Paulo
17/09/2018, 12h27

O Instituto Federal Goiano (IF Goiano) divulgou na última semana um edital para contratação de docentes para o quadro efetivo da Instituição. Ao todo, são 45 vagas para professor distribuídas entre as unidades de Campos Belos, Ceres, Cristalina, Iporá, Hidrolândia, Morrinhos, Posse, Rio Verde, Trindade e Urutaí. Interessados deverão se inscrever no período de 24 de setembro a 14 de outubro, pela internet.

As vagas disponibilizadas são para as áreas de Administração, Agronomia, Arquitetura,  Biologia, Ciências Agrárias, Ciências Biológicas, Contabilidade, Economia, Educação, Educação Física, Engenharias Agrícola, de Alimentos, Civil, Elétrica Informática, Letras, Matemática, Medicina Veterinária, Pedagogia, Química e Zootecnia.

A seleção vai ser realizada em quatro etapas compostas por provas de dissertação, de desempenho didático e de títulos e projeto de pesquisa ou extensão.

A avaliação dissertativa será aplicada no dia 18 de novembro de 2018. Os conteúdos programáticos/temas das provas, bem como a data de realização da avaliação de desempenho didático, locais e resultados vão ser divulgadas nas Normas Complementares a serem expedidas pelo campus responsável pelas vagas.

Os aprovados serão contratados de acordo com regime de trabalho de dedicação exclusiva, com carga horária de 40 horas semanais de trabalho em dois turnos diários completos.

A remuneração  varia de R$ 4.463,93 reais a R$ 9.600,92, dependendo da titulação do aprovado. A divulgação do resultado final está prevista para até 4 de dezembro deste ano.

O IF Goiano

O IF Goiano é de autonomia administrativa, patrimonial, financeira, didático-pedagógica e disciplinar, equiparado às universidades federais. O instituto oferece educação superior, básica e profissional, pluricurricular e multicampi, especializada em educação profissional e tecnológica nas diferentes modalidades de ensino. Atende atualmente mais de seis mil alunos de diversas localidades.

Na educação superior prevalecem os cursos de Tecnologia, especialmente na área de Agropecuária, e os de bacharelado e licenciatura. Na educação profissional técnica de nível médio, O IF Goiano atua preferencialmente na forma integrada, atendendo também ao público de jovens e adultos, por meio do Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na Modalidade de Educação Jovens e Adultos (Proeja). A Instituição também atua na pós-graduação, com a oferta de três cursos de mestrado e, atualmente, é o único Instituto Federal do país a ofertar curso de doutorado.

Via: IF Goiano 
Imagens: IF Goiano 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Após briga por causa de camiseta em Goiânia, homem é esfaqueado enquanto dormia

Após ser agredido pela vítima com pedaço de madeira, o homem voltou para se vingar, esfaqueando o outro enquanto ele dormia.

Por Ton Paulo
17/09/2018, 13h00

Um homem morreu após ser esfaqueado na madrugada do último domingo (17/9), na Rua 17, no Setor Oeste, próximo a Praça do Cigano, em Goiânia. De acordo com informações da Polícia Civil, a vítima, ainda não identificada, estava em casa dormindo, e o crime teria sido motivado por uma briga por camiseta.

Por volta das 22h de ontem, o rapaz teria brigado com um homem identificado como André Luiz Gomes Rodrigues por causa de uma camisa. André foi embora após ter sido agredido pela vítima, que o acertou com um pedaço de madeira.

Por volta das 4h da madrugada, André voltou à residência, acompanhado de dois homens e sua namorada, e matou a facadas a vítima enquanto ela dormia.

A Delegacia de Investigações de Homicídios realizou a perícia no local, e o corpo da vítima foi levado para o IML.

Ainda não há informações sobre a prisão de André Luiz e os três comparsas.

Um homicídio também por motivo banal aconteceu em Anápolis no início deste mês

Um homem de 37 anos foi assassinado a tiros pelo vizinho na porta de casa, por um motivo igualmente fútil, no dia 9 deste mês. A vítima foi alvejada depois de reclamar com o vizinho do lixo deixado em sua porta. O caso aconteceu em Anápolis.

De acordo com o delegado Cleiton Lobo, da Delegacia de Homicídios de Anápolis (GIH), Mário Pereira Correia era morador do bairro Novo Paraíso, localizado próximo ao Campo Brilhante, na região sudoeste do município de Anápolis.

Ainda segundo informações do delegado ao Dia Online, Luciano Bigorel, o autor do crime, era novo no bairro e havia se mudado para ao lado da casa de Mário há apenas cinco dias. Na noite de ontem, Luciano teria colocado sacos de lixo de sua residência na porta da casa de Mário, em vez de usar sua própria lixeira.

Insatisfeito com a situação, Mário teria, então, retirado os sacos de lixo e ido bater na porta de Luciano para reclamar. Foi neste momento em que Luciano sacou uma arma atirou na cabeça de seu vizinho. “Ao que tudo indica, o crime foi cometido por causa do lixo, motivo banal”.

O Serviço Ambulatorial Móvel de Urgência (SAMU) foi acionado para socorrer Mário, mas a vítima chegou já sem vida ao CAIS Abadia Lopes da Fonseca, no Jardim Calixto, bairro próximo ao local do crime, em Anápolis.

O autor do crime, Luciano Bigorel, foi preso no último sábado (15/9).

Imagens: Dia Online 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Educação

Abertas inscrições para preenchimento de 8.075 vagas em Colégios Militares de Goiás

As inscrições podem ser feitas de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, até o dia 1º de outubro, diretamente na unidade em que o candidato deseja estudar.
17/09/2018, 14h46

O Comando de Ensino Policial Militar (CEPM), responsável pelos Colégios Estaduais da Polícia Militar de Goiás, abriu nesta segunda-feira (17/9) o período de inscrições para o preenchimento de 8.075 vagas para 2019. As vagas estão distribuídas em 47 unidades, sendo seis localizadas em Goiânia e 41 no interior do estado.

As inscrições podem ser feitas de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, diretamente na unidade em que o candidato deseja estudar. De acordo com o CEPM, os interessados podem se inscrever até o dia 19 de outubro deste ano. As vagas serão preenchidas pelo critério de sorteio.

Cada candidato pode se inscrever apenas uma vez, e é proibido realizar a inscrição em dois ou mais Colégios. Em caso de descumprimento da regra, o estudante está sujeito a ser desclassificado do sorteio.

Ainda segundo o CEPM, o sorteio das vagas ocorrerá no dia 1º de novembro, às 9h, na sede do CEPMG em que o candidato se inscreveu. A lista dos candidatos sorteados será divulgada logo após os sorteio, ficando afixada na Unidade e sítios eletrônicos para conhecimento dos interessados.

Quem pode se candidatar às vagas em Colégios Militares de Goiás

De acordo com o edital, para se inscrever, são exigidos os seguintes requisitos:

  • Ser brasileiro; se estrangeiro, estar com permanência regular no Brasil;
  • Fornecer cópia da certidão de nascimento ou carteira de identidade;
  • Fornecer cópia da carteira de identidade do responsável legal;
  • Declaração Escolar de que está cursando a série anterior à pretendida.

– Aos candidatos com idade de 14 a 16 anos que pleitearem vaga no turno noturno, apresentar comprovação (carteira de trabalho) de que trabalha no período diurno na condição de aprendiz, com carga horária superior a 4 horas diárias;

– Aos candidatos com idade de 16 a 18 anos que pleitearem vaga no turno noturno, apresentar comprovação documental de trabalho (carteira de trabalho), ou declaração subscrita pelo adolescente e seus pais ou responsáveis, em que conste ser trabalhador,devendo conter nome e endereço do empregador e horário de trabalho diurno;

– Para a inscrição no Programa do Novo Ensino Médio, o interessado deverá ter a idade mínima de 18 anos; o Novo Ensino Médio obedecerá às normas em vigor da Secretaria de Estado da Educação, Cultura e Esporte (SEDUCE).

Imagens: Pirenópolis Online 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Toffoli diz que não irá pautar neste ano ação sobre aborto

Ministro diz que não irá pautar para este ano a descriminalização do aborto até o terceiro mês de gestação.
17/09/2018, 15h38

O novo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, informou nesta segunda-feira, 17, que não irá pautar para este ano a ação que trata da descriminalização do aborto até o terceiro mês de gestação. Toffoli ressaltou que cabe ao Congresso Nacional enfrentar este “tipo de tema”, considerado pelo ministro como “polêmico”. A questão está posta no STF através de uma ação apresentada pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), relatada pela ministra Rosa Weber.

“Esse é um outro caso polêmico, eu já disse que casos polêmicos eu não vou pautar esse ano. A não ser que haja um consenso de todos os colegas para levar a julgamento. Ou seja, eu penso que dificilmente esse caso seja julgado este ano, até porque sequer está liberado para julgamento”, respondeu Toffoli.

Indagado sobre um cenário em que o Congresso “demore” a discutir a questão, o presidente reafirmou que o tema não deve ser examinado unicamente pela Suprema Corte. O ministro disse ter o mesmo entendimento sobre o julgamento que discute a descriminalização do porte de drogas para consumo próprio, que tem pedido de vista (mais tempo de análise) desde 2015.

O pedido de vista foi feito pelo ministro Teori Zavascki, morto em acidente aéreo no ano passado, e “herdado” pelo seu sucessor, ministro Alexandre de Moraes, que ainda não liberou o caso para julgamento.

Para Toffoli, é preciso debater as questões em conjunto com o Congresso, uma vez que são temas que demandam a implantação de políticas públicas.

“A partir do ano que vem, nós temos um Congresso que estará tomando posse em 1º de fevereiro de 2019. Eu penso, particularmente, que nós temos que deixar que o Congresso Nacional tome as iniciativas necessárias para enfrentar esses tipos de tema. Só devem ser trazidos ao Judiciário quando se identifica uma situação final de empate, de não se destravar, como era o caso da relação homoafetiva”, destacou. O ministro ainda considerou que a temática do aborto é ainda “mais complexa e delicada”.

Imagens: pleno.news 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.