Goiás

Rotam prende dois assassinos de preso do semiaberto em Goiânia

A dupla chegou de capacete e efetuou cinco disparos contra a vítima, que morreu na hora.
22/09/2018, 20h04

Depois de matar homem que cumpria pena no semiaberto Frederico Félix Junio de Souza, de 23 anos, na tarde de sexta-feira (21/9) na Rua A-18, no Bairro da Vitória, em Goiânia, a equipe da Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam) prendeu Liomar da Silva Vale, na Vila Mutirão.

Liomar confessou o crime e indicou o autor dos disparos, que foi preso no setor Carla Cristina. Vitor José Alves Bueno, que já estava foragido da Justiça pelo crime de roubo, também confessou ter participado do assassinato de Frederico.

A dupla chegou de capacete e efetuou cinco disparos contra a vítima, que morreu na hora. Testemunhas deram características dos criminosos e, um deles, Liomar, é muito conhecido na região como “neguinho”.

Os policiais cruzaram as informações e desconfiaram de que se tratava de Liomar. Depois de encontrá-lo e conseguir informações sobre o autor dos disparos, os policiais encontraram armas e drogas. Com Vitor, os policiais da Rotam encontraram uma pistola Taurus calibre 9mm e uma moto roubada utilizadas no homicídio. Com ele, ainda foi encontrada uma granada de mão, além de aproximadamente 2kg de cocaína e 1kg de maconha.

Homem confessa crime para policiais da Rotam

View this post on Instagram

ASSASSINO CONFESSA QUE MATOU PRESO DO SEMIABERTO Depois de matar Frederico Félix Junio de Souza, de 23 anos, que cumpria pena no semiaberto, na tarde de sexta-feira (21/9) na Rua A-18, no Bairro da Vitória, em Goiânia, a equipe da Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam) prendeu Liomar da Silva Vale, na Vila Mutirão. Liomar confessou o crime e indicou o autor dos disparos, que foi preso no setor Carla Cristina. Vitor José Alves Bueno, que já estava foragido da Justiça pelo crime de roubo, também confessou ter participado do assassinato de Frederico. A dupla chegou de capacete e efetuou cinco disparos contra a vítima, que morreu na hora. Testemunhas deram características dos criminosos e, um deles, Liomar, é muito conhecido na região como "neguinho". Os policiais cruzaram as informações e desconfiaram de que se tratava de Liomar. Depois de encontrá-lo e conseguir informações sobre o autor dos disparos, os policiais encontraram armas e drogas. Com Vitor, os policiais da Rotam encontraram uma pistola Taurus calibre 9mm e uma moto roubada utilizadas no homicídio. Com ele, ainda foi encontrada uma granada de mão, além de aproximadamente 2kg de cocaína e 1kg de maconha. Segundo a Vitor e Liomar, Frederico teria feito ameaças. Vitor ainda contou aos policiais que comprou a granada no Terminal Padre Pelágio, que fica na Rua Patriarca, no Jardim Fonte Nova, em Goiânia. A dupla, que seria da facção criminosa do Rio de Janeiro denominada Comando Vermelho (CV), foi presa pelos crime de homicídio, receptação do veículo e porte de arma de uso restrito. A vítima, Frederico Félix havia sido condenado por roubo e receptação e era monitorado por tornozeleira eletrônica. Leia mais em nosso site: diaonline.r7.com

A post shared by Dia Online (@portaldiaonline) on

Segundo a Vitor e Liomar, Frederico teria feito ameaças. Vitor ainda contou aos policiais que comprou a granada no Terminal Padre Pelágio, que fica na Rua Patriarca, no Jardim Fonte Nova, em Goiânia. A dupla, que seria da facção criminosa do Rio de Janeiro denominada Comando Vermelho (CV), foi presa pelos crime de homicídio, receptação do veículo e porte de arma de uso restrito.

A vítima, Frederico Félix havia sido condenado por roubo e receptação e era monitorado por tornozeleira eletrônica.

A tornozeleira eletrônica é um dispositivo monitorado pela Central de Alternativas à Prisão (CAP) do Governo de Goiás. O CAP, segundo o Governo, consegue detectar, à distância, sinais de rompimento e descarregamento de tornozeleiras eletrônicas.

Essa unidade atua em parceria com o Judiciário estadual na execução do Projeto Audiência de Custódia, idealizado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e que fixa prazo de 24 horas para a apresentação do preso em flagrante ao juiz.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Trânsito

Trecho entre Goiânia e Aparecida é interditado neste domingo para obras na BR-153

Atenção, motoristas!
23/09/2018, 08h35

Neste domingo (23/9) a Triunfo Concebra realiza obras de intervenção no asfalto em alguns trechos do perímetro urbano da BR-153, entre Goiânia e Aparecida de Goiânia, Região Metropolitana. Os serviços foram iniciados na manhã de sábado, dia 22, e continuam até a tarde de hoje. Ao todo, sete ponto da via, nos dois sentidos, receberão reparos.

De acordo com a empresa, os trechos que passarão por reforma asfáltica ficam entre o viaduto da Avenida Anhanguera, em Goiânia, e o Hotel 10, em Aparecida de Goiânia. Na manhã de ontem (22/9) o trânsito ficou lento em algumas partes das BR-153. A sinalização foi feita com cones, placas com avisos de homens na pista, além dos painéis de LED da Triunfo Concebra com mensagens de aviso sobre as obras.

O primeiro trecho que recebeu as obras foi após o viaduto da Avenida Anhanguera, sentido Vila Romana, na região Leste da capital. As equipes também trabalharam na pista, no sentido contrário (Sul-Norte), do viaduto que dá acesso à Alameda Contorno, no Parque Jardim Botânico. O trânsito também ficou lento na região.

Segundo informações da concessionaria, para o sábado, estavam previstas cinco intervenções em trechos planejados da rodovia. Já para este domingo, mais dois trechos, localizados no sentido norte da rodovia, recebem os reparos no asfalto.

Para evitar grandes filas de veículo e confusão no local, a Triunfo Concebra informou que disponibilizará viaturas de inspeção de tráfego e apoio operacional durante a execução das obras na BR-153.

Obras: tráfego na BR-153

E atenção motoristas, de acordo com o painel de monitoramento do fluxo de veículos nas rodovias de concessão da Triunfo Concebra, em tempo real, o tráfego na manhã de hoje está intenso em três pontos da BR-153. O primeiro ponto é o Trevo – P6 (BR-153/BR-153) nos dois lados da rodovia, sentido Norte/Leste. Outro ponto que também apresenta fluxo intenso é o P5 – P4 (BR-153/BR-153), também nos dois lados da via, sentido Norte/Leste. O terceiro e último apontado pelo painel fica no sentido Sul/Oeste, Trevo – P6 (BR-153/BR-153), nos dois sentidos.

Imagens: Triunfo Concebra 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Jovem morre após bater cabeça em chão de boate de Anápolis durante briga

Caso ocorreu na madrugada de sábado (22/9); vítima chegou a ser levada para o Huana, mas não resistiu aos ferimentos.
23/09/2018, 09h07

Um jovem de 23 anos morreu após bater a cabeça em chão de boate de Anápolis durante uma briga. Caso ocorreu na madrugada de sábado (22/9). O homem chegou a ser socorrido e levado para o Hospital de Urgências de Anápolis (HUANA), mas morreu pouco tempo depois.

De acordo com informações da Polícia Civil (PC), Danillo Patrício Romano, que morava em Aparecida de Goiânia, foi até a boate, localizada no Recanto do Lago, acompanhado de um amigo.

Por volta das 3h, quando eles chegaram à casa de festas, outros frequentadores teriam provocado o amigo de Danillo, que reagiu agredindo um homem. Neste momento, um dos seguranças da boate, na tentativa de conter a confusão, teria empurrado Danillo, que bateu com a cabeça no chão.

Danillo, que era sócio de uma oficina em Aparecida de Goiânia, chegou a ser levado para o Hospital de Urgências de Anápolis (HUANA), mas morreu momentos depois. Não há informações sobre o motivo da discussão.

Segundo o advogado da família de Danillo, Francisco Roldão, existe indícios de que a morte do jovem não foi um acidente e sim “força empregada de forma exacerbada por seguranças.”

Em nota enviada à TV Anhanguera, a direção da casa de festas informou que prestou toda assistência para Danillo, inclusive levando o jovem até o hospital. Foi esclarecido ainda que a boate irá colaborar com as investigações.

Via: G1 Portal 6 
Imagens: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Corpo de mulher morta pelo marido em Aparecida será enterrado em Goiânia

Crime ocorreu na tarde de sábado (22/9); autor confesso do crime foi preso ao tentar se matar.
23/09/2018, 10h02

O corpo de Gleyce da Silva Menezes, de 44 anos, morta pelo marido no sábado (22/9) em Aparecida de Goiânia, será enterrado hoje na capital. O sepultamento está previsto para ocorrer às 15h no Cemitério Parque Memorial de Goiânia.

Nas redes sociais de Gleyce amigos e parentes, ainda chocados com o crime, se despedem da mulher e pedem políticas mais duras contra o feminicídio. Em um dos posts uma amiga de Gleyce escreveu “MEU CORAÇÃO ESTA DE LUTO UMA GRANDE PERDA MULHER GUERREIRA”.

“Feminicídio é o assassinato de uma mulher pela condição de ser mulher. Suas motivações mais usuais são o ódio, o desprezo ou o sentimento de perda do controle e da propriedade sobre as mulheres, comuns em sociedades marcadas pela associação de papéis discriminatórios ao feminino, como é o caso brasileiro….É por isso que lutamos contra o ódio; mulher não é objeto, não é posse de ninguém, não é frágil, não é menos, é mulher; hoje morre um pedacinho de nós, hoje morremos um tantinho, poderia ser você, mulher, que vocifera a favor de um candidato declaradamente machista! Estranhamente essa abominação acontece pós carreata a favor de um candidato com “um discurso” que coloca a mulher como menos!!! Meu coração está de luto! O silêncio da morte é grande, o do nosso coração ainda maior, mas o nosso grito e nossa força serão sempre de resistência, de luta pela nossa existência!!!!!”, completou Patrícia Alves na postagem.

Acompanhe:

https://web.facebook.com/photo.php?fbid=2041859152793681&set=a.1383669618612641&type=3&theater

Morta pelo marido

O crime ocorreu na tarde de ontem (22/9). Gleicy foi encontrada já sem vida próximo a cozinha da casa, onde morava com Ademar de Jesus Sales, de 63 anos,  autor confesso do crime.

Ademar teria estrangulado a mulher após um vídeo íntimo indicar uma suposta traição. Logo após cometer o crime, o homem ligou para os parentes de Gleyce contando o que tinha feito e sem seguida tentou se matar. Ele foi preso pela Polícia Militar (PMGO) juntamente com a Guarda Civil Metropolitana (GCM) de Aparecida de Goiânia.

O caso foi registrado no 1º Distrito Policial, mas será encaminhado para o Grupo de Investigação de Homicídios de Aparecida de Goiânia (GIH), que fica na Vila Brasília.

Gleicy e Ademar eram casados há mais de 20 anos e criaram dois filhos, um de 26 e outro de 22 anos, único filho biológico de Ademar. Os rapazes moram na Bélgica e até o momento não se sabe se chegarão a tempo do enterro da mãe.

Agressão

De acordo com um irmão de Gleyce ao G1, ela havia sido agredida pelo marido a cerca de 20 dias. Ela chegou a sair de casa e registrar um boletim de ocorrência. Ademar, arrependido de ter batido na mulher, pediu perdão para Gleyce e para os pais dela. A dona de casa havia voltado a conviver com o homem 10 dias antes do crime.

Imagens: Facebook 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Prefeito de Caldas Novas e outros oito presos pela Operação Negociata são soltos em Goiânia

Os investigados estavam presos no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia e saíram após expirar o prazo da prisão temporária.
23/09/2018, 11h15

Foram soltos na noite deste sábado (22/9) em Goiânia Evandro Magal (PP), prefeito de Caldas Novas, e os outros oito presos pela Operação Negociata, ocorrida no último dia 13 de setembro. Eles estavam presos no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia e saíram após expirar o prazo da prisão temporária.

O prazo inicial das prisões temporárias venceria no último dia 18 de setembro, mas a pedido do Ministério Público de Goiás (MP-GO), foram prorrogadas por mais cinco dias, até este domingo, dia 23. A prorrogação tinha como objetivo permitir que os promotores do Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) continuassem a coleta de provas e as oitivas dos detidos.

Operação Negociata

A operação, realizada pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO), investiga fraudes em licitação, pagamentos de propina e lavagem de dinheiro envolvendo o Poder Executivo de Caldas Novas e alguns empresários, que se beneficiavam com a atuação ilícita dos agentes públicos.

Ao todo, foram cumpridos 32 mandados de busca e apreensão e nove mandados de prisão na operação, que ocorre simultaneamente nas cidades de Goiânia, Caldas Novas, Morrinhos, Itumbiara, Aruanã, Aparecida de Goiânia e Santa Vitória, em Minas Gerais.

Entre os nove presos estão: Evandro Magal (PP), prefeito de Caldas Novas; Luciano Filho, ex-secretário de Saúde de Caldas Novas e João Afonso Neto, ex-presidente do Fundo de Previdência de Caldas Novas (CaldasPrev).

O Grupo Privê também foi alvo de busca e apreensão na manhã do dia 13. O empresário Waldo Palmerston, sócio majoritário do Grupo Privê, também estava sendo investigado na Operação Negociata.

Prefeito de Caldas Novas

Em novembro de 2017, o prefeito Evandro Magal e seu vice, Fernando de Oliveira, do PPS, haviam sido afastados dos cargos por decisão do juiz Fabiano Abel de Aragão Fernandes, que manteve parte da posição do magistrado de Caldas Novas, de 1ª instância, Tiago Luiz de Deus Costa Bentes

Na época, os acusados recorreram ao Tribunal Superior Eleitoral, que ordenou, no fim daquele mês, que eles reassumissem os cargos até o julgamento dos embargos pelo TRE.

Em janeiro de 2018, Magal e Resende voltaram a ser afastados dos cargos por determinação do Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Ambos foram condenados por abuso de poder por meio de veículo de comunicação por pagarem anúncios em um jornal em um período pré-eleitoral, mas reassumiram os cargos posteriormente.

Imagens: Facebook 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.