Goiás

Prefeito de Caldas Novas e outros oito presos pela Operação Negociata são soltos em Goiânia

Os investigados estavam presos no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia e saíram após expirar o prazo da prisão temporária.
23/09/2018, 11h15

Foram soltos na noite deste sábado (22/9) em Goiânia Evandro Magal (PP), prefeito de Caldas Novas, e os outros oito presos pela Operação Negociata, ocorrida no último dia 13 de setembro. Eles estavam presos no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia e saíram após expirar o prazo da prisão temporária.

O prazo inicial das prisões temporárias venceria no último dia 18 de setembro, mas a pedido do Ministério Público de Goiás (MP-GO), foram prorrogadas por mais cinco dias, até este domingo, dia 23. A prorrogação tinha como objetivo permitir que os promotores do Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) continuassem a coleta de provas e as oitivas dos detidos.

Operação Negociata

A operação, realizada pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO), investiga fraudes em licitação, pagamentos de propina e lavagem de dinheiro envolvendo o Poder Executivo de Caldas Novas e alguns empresários, que se beneficiavam com a atuação ilícita dos agentes públicos.

Ao todo, foram cumpridos 32 mandados de busca e apreensão e nove mandados de prisão na operação, que ocorre simultaneamente nas cidades de Goiânia, Caldas Novas, Morrinhos, Itumbiara, Aruanã, Aparecida de Goiânia e Santa Vitória, em Minas Gerais.

Entre os nove presos estão: Evandro Magal (PP), prefeito de Caldas Novas; Luciano Filho, ex-secretário de Saúde de Caldas Novas e João Afonso Neto, ex-presidente do Fundo de Previdência de Caldas Novas (CaldasPrev).

O Grupo Privê também foi alvo de busca e apreensão na manhã do dia 13. O empresário Waldo Palmerston, sócio majoritário do Grupo Privê, também estava sendo investigado na Operação Negociata.

Prefeito de Caldas Novas

Em novembro de 2017, o prefeito Evandro Magal e seu vice, Fernando de Oliveira, do PPS, haviam sido afastados dos cargos por decisão do juiz Fabiano Abel de Aragão Fernandes, que manteve parte da posição do magistrado de Caldas Novas, de 1ª instância, Tiago Luiz de Deus Costa Bentes

Na época, os acusados recorreram ao Tribunal Superior Eleitoral, que ordenou, no fim daquele mês, que eles reassumissem os cargos até o julgamento dos embargos pelo TRE.

Em janeiro de 2018, Magal e Resende voltaram a ser afastados dos cargos por determinação do Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Ambos foram condenados por abuso de poder por meio de veículo de comunicação por pagarem anúncios em um jornal em um período pré-eleitoral, mas reassumiram os cargos posteriormente.

Imagens: Facebook 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Conversar com bebês é a melhor maneira de incentivar desenvolvimento da linguagem

Você conversa com o seu bebê?
23/09/2018, 11h48

Falar como bebê para bebês pode ser uma demonstração de carinho dos pais com os filhos logo depois do nascimento. Mas quando as crianças começam a crescer, falar corretamente é mais importante para estimular o desenvolvimento da linguagem.

Os bebês começam a se comunicar através do choro. Com o passar do tempo, emitem sons mais como uma brincadeira, despertando a curiosidade pela fala. Apenas com sete ou oito meses de vida, atribuem algum significado às palavras. A fala propriamente dita vai aparecer a partir de um ano de idade, dependendo da evolução de cada um. “Isso não significa que até os dois anos a criança não se comunica. Ela usa gestos, atitudes, bate palma quando solicitada. É uma comunicação muito imitativa nessa fase”, explica a fonoaudióloga Marly Teixeira Kondo, integrante da equipe de Neurologia da Clínica Walkiria Brunetti.

Um estudo que acaba de ser divulgado no The Journal of Neuroscience apontou que uma das melhores maneiras para incentivar a criança a falar é conversar com ela. Os pesquisadores usaram gravações em áudio e exames de imagens do cérebro de 40 crianças, entre 4 e 6 anos de idade. As imagens mostraram que as crianças mais envolvidas nas conversas apresentaram conexões intensas em duas regiões do cérebro: na área de Wernicke e na área de Broca, ambas localizadas no córtex cerebral e ligadas à compreensão e à produção da fala.

A criança passa os primeiros meses de vida sendo exposta a todo tipo de som e comunicação. O bebê vive a fase da compreensão antes da emissão. E os pais podem ajudar muito, conversando, de fato, com o filho. “Então, você vai dar o banho, converse com a criança, mesmo bebezinho: ‘vamos tomar banho, olha como está a água, vou colocar a fralda, a mamãe vai passar creminho no bumbum’ e assim por diante”, aconselha Kondo.

Outra dica importante é, ao passear com o bebê, ir nomeando as coisas que vão surgindo, como paisagens, um cachorrinho na rua, as árvores, mas tudo de forma natural. “Não é para bombardear a criança com os nomes, não é isso. É mostrar o mundo através da fala e a criança vai internalizando tudo”, afirma a fonoaudióloga.

E quando a criança pronuncia alguma palavra errada, deve-se corrigir? Para Kondo, existe um caminho melhor. “Sempre devemos falar com a criança com nomes certos das coisas. Nunca com a linguagem do bebê, por exemplo, se cair um brinquedo, um carrinho no chão. Você deve pronunciar a palavra ‘carrinho caiu’ e não ‘o tainho taiu’, que tem criança que fala assim”, diz.

Por vezes, a criança ainda não consegue fazer os movimentos adequados para aqueles sons das palavras. É por isso que corrigir não é o remédio, na opinião da fonoaudióloga Marly Teixeira Kondo: “O adulto nunca vai corrigir com um ‘não pode falar assim’, mas repetir a palavra correta. Com o tempo é que acontece o amadurecimento. Então, a criança precisa do modelo correto e não da correção”, conclui.

Imagens: Revista Crescer 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Esportes

Judô brasileiro fica sem medalha no 4º dia de disputa do Mundial do Azerbaijão

Os judocas brasileiros não avançaram para a disputa de medalhas.
23/09/2018, 12h07

O judô brasileiro não teve um bom domingo no Mundial do Azerbaijão, que é disputado em Baku. Os três judocas não avançaram para a disputa de medalhas. O melhor desempenho do dia foi do meio-médio Eduardo Yudy Santos (até 81 quilos), que venceu duas lutas e parou apenas no atual campeão mundial, o alemão Alexander Wieczerzak, nas oitavas-de-final. Victor Penalber (até 81 kg) e Ketleyn Quadros (até 63kg) estrearam bem, mas não passaram da segunda rodada.

Em sua segunda participação em Mundiais, Yudy pegou uma chave dura. Estreou com vitória sobre um dos cabeças-de-chave, o mongol Uuganbaatar Otgonbaatar, número 5 do mundo, com waza-ari no último segundo da luta. E superou o grego Alexios Ntanatsidis também por waza-ari, garantindo vaga nas oitavas-de-final.

Em luta aberta contra Wieczerzak, Yudy levou um waza-ari, mas reagiu e empatou o confronto. Em nova projeção, os atletas caíram em posição dividida. A arbitragem deu ippon para o alemão, voltou atrás e deu ippon para Yudy e, por fim, não pontuou para ninguém. A luta seguiu e, então, Wieczerzak encaixou um golpe para marcar seu segundo waza-ari e vencer o combate.

“Acho que eu deixei de finalizar o golpe e ficou meio em dúvida (se foi ou não o segundo waza-ari). Quando voltar para o Brasil, preciso treinar essa parte de finalização para não ter dúvida da próxima vez”, disse Yudy. “Eu vim bem preparado, estava confiante também. Mas, acho que faltou trabalhar mais a parte psicológica. Nesse tipo de campeonato o que decide é detalhe.”

Na mesma categoria, Victor Penalber estreou com vitória por ippon (2 waza-aris) sobre o marroquino Achraf Moutii, mas parou na segunda rodada diante do usbeque Sharofiddin Boltaboev. Cada atleta levou duas punições e, num contra-ataque, Penalber foi projetado e imobilizado.

“Eu tive bastante dificuldade na pegada, mas a luta estava bem equilibrada. Errei no final e aí faltavam cinco segundos, não tinha muito o que fazer. A luta com esse estilo de judô (do usbeque) é bastante enroscada. Eles vão para dividir posição e o brasileiro gosta de lutar na distância para entrar o golpe. Esse encurtamento estava me dificultando para fazer as entradas e eu comecei a arriscar também”, disse Penalber.

Desempenho semelhante a Penalber teve Ketleyn Quadros no meio-médio feminino (até 63kg). Ela venceu a primeira luta por ippon (imobilização) sobre a norte-americana Hannah Martin, mas parou na cabeça-de-chave e número 5 do mundo, Andreja Leski, da Eslovênia. As duas foram punidas duas vezes, mas Leski conseguiu pontuar com um waza-ari.

“É difícil fazer uma análise assim que saímos do tatame. Acho que o judô vem mudando muito e as faltas vão fazendo bastante diferença. Eu treinei para pegar e atacar, pegar e atacar, botar volume. Infelizmente, tomei dois shidos por pisar fora da área e por estourar a pegada e isso dificultou muito a luta, porque eu tinha que abrir ou acabava a luta com mais um shido. Mas, eu estava me sentindo bem, preparada. Não sei dizer agora o que eu poderia ter feito para ter revertido. Fiz o melhor que eu podia ali naquele momento. Procurei a queda, que era o que faria diferença nesse resultado e foi isso”, afirmou Ketleyn.

Até o momento, o Brasil tem uma medalha de bronze conquistada por Érika Miranda (52kg). O Mundial continua nesta segunda-feira e Rafael Macedo (até 90kg) e Maria Portela (até 70kg) estarão em ação.

Imagens: Olimpíada Todo Dia 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Menor bebe, pega carro dos pais, mata mulher e quase é linchado em Rio Verde

Neuraci Marciel morreu antes de ser atendida aos 43 anos.
24/09/2018, 09h21

Embriagado, um adolescente de 17 anos furou o sinal na Avenida Presidente Vargas, em Rio Verde, no interior goiano, e matou uma cabeleireira no domingo (23/9). Neuraci Marciel, de 43 anos, conduzia um Hyundai HB20 branco quando o carro sob a direção do menor, uma Pajeiro branca, trafegava pela rua General Ozório.

Os policiais militares chegaram ao local, isolou e pediu  auxílio da perícia. Depois do procedimento, o corpo da vítima foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML).

O menor, que dirigia alcoolizado conforme o teste de alcoolemia com dosagem de 0,60 miligramas de álcool, foi apresentado ao delegado de plantão pelos policiais militares, que ainda levaram  para a delegacia copos com cheiro de álcool que estavam no carro dele.

Imagens de câmeras de segurança flagraram o momento em que o adolescente fura o sinal fechado e atinge o veículo da vítima, que morreu na hora. A filha de Neuraci, que tem 22 anos,está grávida de quatro meses. Ela ficou ferida, mas recebeu alta depois de ter sido levada à Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Rio Verde.

Para o Portal Dia Online, o delegado Thiago Latorre contou que o teste do bafômetro foi realizado dentro da delegacia e flagrou alto teor alcoólico. Com isso, o rapaz, vai responder por ato infracional análogo a homicídio culposo. “Culposo porque ele desrespeitou o sinal vermelho, quando ele tinha que parar”, explica.

Adolescente quase linchado em Rio Verde

Depois que ficou sabendo do acidente, um amigo do adolescente tentou ajudá-lo a sair do local,  mas quase foi linchado pela população. É possível ver o rapaz dentro de um carro vermelho cercado de pessoas revoltadas, que quebram o parabrisas do carro.

Uma mulher se desespera, pede para que não façam nada com o garoto, sem camisa, sentado no banco do carona. Logo depois, os policiais militares chegam e acalmam os ânimos.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Mundo

Argentina tem manifestações contra Macri hoje e greve geral nesta terça-feira

Trânsito de Buenos Aires deve se complicar com as manifestações que se iniciam nesta segunda-feira (24/09).
24/09/2018, 09h49

Vários sindicatos, movimentos sociais e partidos oposicionistas realizam nesta segunda-feira na Plaza de Mayo um protesto contra o governo de Mauricio Macri na Argentina. Na terça-feira, haverá greve geral no país, convocada por lideranças sindicais contrárias ao modelo econômico e ao ajuste conduzido pelo presidente, informa a imprensa local.

Dirigente do sindicato dos caminhoneiros, Pablo Moyano afirmou em entrevista coletiva que a paralisação também é contra o acordo do país com o Fundo Monetário Internacional (FMI), segundo a agência estatal Télam. O governo Macri chegou a um acordo com o FMI para tentar acalmar o quadro de tensão nas finanças locais, sobretudo no câmbio. Atualmente, as duas partes revisam o acordo, um pacote de ajuda de US$ 50 bilhões, montante que pode ser elevado.

Os sindicatos, porém, se mostram contrários ao ajuste promovido pelo governo, que inclui o corte de subsídios, além de demissões no setor público. Lideranças de trabalhadores pedem mudanças na política econômica, o fim das demissões e suspensões de contratos, um freio para as importações e um recuo no Orçamento almejado para o próximo ano e no acordo com o FMI. Também reclamam do impacto sofrido pelos trabalhadores com a alta inflação, em um quadro de aumento no desemprego e na pobreza.

Central Geral de Trabalhadores da Argentina convoca paralisação

Hoje, a expectativa é que o trânsito em Buenos Aires se complique pelas manifestações. Na terça-feira, a Central Geral de Trabalhadores (CGT) da Argentina convocou paralisação de 36 horas, com a participação de outras centrais sindicais. Nesta terça-feira, devem ser afetados voos, inclusive internacionais, os serviços públicos, o transporte público em geral, os bancos e a coleta de lixo.

A agência Télam lembra que, com a desta terça-feira, Macri tem enfrentado uma greve geral nacional a cada oito meses. O presidente assumiu em 2015 e pode tentar a reeleição no próximo ano.

Imagens: Exame.com 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.