Brasil

Portadores de diabetes têm dificuldade para controlar doença

Pesquisa aponta que os maiores desafios são dieta e preço dos alimentos.
25/09/2018, 13h42

O diabetes atinge cada vez mais brasileiros – dados do Ministério da Saúde indicam que 8,9% da população tem a doença – e o mais comum é o tipo 2, no qual o corpo não processa corretamente a insulina ou não produz insulina suficiente. A doença não tem cura, mas tem controle – com medicação e principalmente com uma alimentação e hábitos de vida saudáveis.

Uma pesquisa da “Minds4 Health” encomendada pela Sanofi e divulgada nesta terça-feira, 25, entrevistou mais de 500 pessoas com a doença, entre homens e mulheres, e aferiu que 80% das pessoas entrevistadas acreditam que estão controlando a enfermidade corretamente, mas um quarto delas não segue a dieta recomendada e um terço não pratica exercícios físicos.

Além disso, 13% dos entrevistados admitiram que não vão ao médico regularmente – isso porque acreditam que a medicação, tanto oral como a insulina injetada, e a alimentação correta já são suficientes. A endocrinologista Denise Reis Franco, diretora coordenadora do Departamento de Educação da Associação Diabetes Brasil, alerta sobre a importância do acompanhamento médico.

“Os pacientes devem ser acompanhados regularmente para controlar o nível glicêmico e fazer exames. Na maioria das vezes, os pacientes se consultam com o clínico geral ou cardiologista. O ideal seria um endocrinologista, mas nem sempre essa especialidade está disponível. A diabete é uma doença crônica, tem necessidade de controle por muito tempo, é necessária uma adesão total das terapias. E se você puder associar esse tratamento com uma equipe multiprofissional, sem dúvidas os benefícios serão maiores”, explica.

Problemas enfrentados por quem é portador da diabetes

O acompanhamento médico é essencial assim como manter hábitos de vida saudáveis – o que nem todos os pacientes conseguem cumprir. Na pesquisa, três em cada dez pacientes disseram que não conseguem seguir o tratamento à risca. A maioria dos entrevistados (60%) alega que a principal barreira está na dieta restritiva, enquanto 21,7% culpam o preço dos alimentos e 5,7%, o preço dos medicamentos. Controlar a ansiedade também é uma questão apontada por 5,6% dos pacientes.

Por outro lado, sete em cada dez entrevistados disseram ter consciência das consequências de não tratarem corretamente a doença. Denise diz que algumas das complicações mais comuns da diabete, se não for controlada, são a cegueira, insuficiência renal, maiores chances de enfartar e de ter um acidente vascular cerebral (AVC), popularmente conhecido como derrame. De acordo com a pesquisa, os problemas de visão, como a cegueira, são os mais preocupantes para os entrevistados (42%).

“O importante é destacar que, apesar de não ter cura, hoje a gente tem cada vez mais opções de tratamento. O mais difícil é ter de fazer mudanças e não ter recursos, e hoje a gente tem recursos para controle. São terapias novas, injetáveis e orais, medicamentos acessíveis”, finaliza Denise.

Imagens: R7 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Política

Raquel Dodge se reune com procuradores espanhóis

Objetivo do encontro é 'acelerar' 29 cooperações no combate a crimes como corrupção, lavagem de dinheiro, tráfico de drogas e de mulheres.
25/09/2018, 14h04

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, deu continuidade nesta segunda-feira, 24, à missão iniciada na semana passada para fortalecer a cooperação jurídica e a troca de informação com Portugal e Espanha. Em Madri, Raquel se reuniu com a chefe do Ministério Público espanhol, María José Segarra, e procuradores que atuam na área criminal, ambiental e internacional.

“Tomamos a iniciativa de pedir esse encontro com o objetivo de acelerar a cooperação com a Espanha no enfrentamento a crimes como a corrupção, lavagem de dinheiro, organização criminosa e tráfico de drogas e de mulheres”, afirmou Raquel, segundo divulgação da Secretaria de Comunicação Social da Procuradoria. A secretária de Cooperação Internacional da PGR, Cristina Romanó, participou da conversa.

Durante a reunião, informou a Secretaria de Comunicação, foram discutidos todos os casos em andamento que envolvem a cooperação entre Brasil e Espanha. Atualmente, há 18 pedidos de cooperação realizados pelo Ministério Público espanhol à PGR, e 11 solicitações brasileiras à Espanha.

No encontro com a PGR, os procuradores espanhóis reforçaram pedido de informações sobre investigações envolvendo o ex-presidente da CBF Ricardo Teixeira, atualmente sob investigação na unidade do Ministério Público Federal no Rio. O caso é considerado prioritário pelo Ministério Público espanhol por causa do prazo prescricional. A PGR informou que a disposição é no sentido de “agilizar a cooperação”.

Raquel Dodge pede agilidade em investigação de alvo da Lava Jato

Por parte do Ministério Público Federal, Raquel pediu “celeridade” na investigação sobre o advogado Rodrigo Tacla Duran, alvo da Lava Jato. Como ele tem dupla cidadania, o governo espanhol negou a extradição. Nesse caso, o pedido da PGR é para sejam analisados os documentos enviados em 31 de julho, quando foi proposta a transferência de jurisdição, para que Tacla Duran seja processado pela Justiça espanhola.

Raquel Dodge enfatizou a importância de avançar nos acordos para a formação de Equipes Conjuntas de Investigação (ECIs), no âmbito do caso Defex, no qual se apuram crimes de corrupção em transações comerciais internacionais e lavagem de dinheiro com ramificações principalmente no Brasil e na Espanha.

O procedimento é apontado como alternativa para o enfrentamento ao tráfico de mulheres, que já é objeto de ações penais em curso no Brasil.

A PGR aproveitou a reunião bilateral para buscar apoio na difusão e internacionalização do Sistema Nacional de Localização e Identificação de Pessoas desaparecidas. Trata-se de uma ferramenta eletrônica de cruzamento de base de dados para enfrentar o desaparecimento de pessoas.

Raquel Dodge apresentou à procuradora-geral espanhola a carta de adesão ao Instituto Global do Ministério Público para o Ambiente. A iniciativa recebeu sinalização positiva por parte do MP espanhol.

Imagens: UOL 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

A história de Gleicy e Laiane, que sofreram violência de homens em Goiás

Laiane sobreviveu, mas Gleicy, que chegou a receber Comenda Maria da Penha na Assembleia Legislativa de Goiás, foi morta no último sábado.
25/09/2018, 15h57

Sete dias e 190km de distância separaram a história de violência Gleicy da Silva Menezes, de 44 anos, e a técnica em enfermagem Laiane dos Santos, de 24 anos.

Gleicy foi enforcada pelo marido até a morte dentro de casa em Aparecida de Goiânia na manhã do último sábado (22/9). Laiane foi espancada pelo namorado no sábado anterior (15/9). Apenas depois da morte de Gleicy que o caso de Laiane dos Santos ganhou grande repercussão.

Em uma postagem nas redes sociais, com fotos de seu rosto inchado e com hematomas, seguido de um relato assustador, Laiane dá conta da violência que teve a sorte de escapar. A mesma sorte teria tido Gleicy, a 20ª vítima de feminicídio em Goiás registrado apenas este ano.

Gleicy tentou se afastar do marido, Ademar de Jesus Sales, de 63. Depois de ter sido agredida, ela procurou a Polícia e conseguiu uma Medida Protetiva.

Diante dos pedidos de desculpas, Gleicy cedeu, voltou com o marido, mas foi assassinada dez dias depois. Laiane, contudo, não quer conversa com seu agressor, o motorista Caio Cesar Ribeiro, de 29 anos. “Estou com medo dele.”

Durante duas horas, em uma madrugada, dentro de um carro Astra bege, Laiane foi enforcada. “Cheguei a fazer xixi”. Foi esmurrada. “Ele me dava socos no rosto”. Foi arrastada. “Ele dizia que ia me matar”. Hoje, Laiane tem a voz para contar em detalhes os bastidores de uma agressão. Coube a ela dar voz às 20 mulheres, como Gleicy, que foram assassinadas em Goiás em 2018.

Gleicy viveu 22 anos com seu assassino. Laiane viveu dois meses um relacionamento de que sobreviveria. Para o Portal Dia Online, por telefone, conta que o rosto inchado e dores não doem mais do que ter sido vítima por quem tinha um sentimento de confiança. Hoje, impera o pânico. “Eu pedi medida protetiva porque estou com medo”, e acrescenta: “Quero que ele seja preso para não fazer isso com outra pessoa.”

Enquanto Laiane não imaginava que seria espancada, Gleicy carregava algumas marcas do marido. Na periferia de Aparecida de Goiânia, abraçava causas de mulheres agredidas. Por isso, chegou a receber uma Comenda Maria da Penha este ano das mãos da deputada estadual Isaura Lemos do PCdoB e da filha dela, vereadora por Goiânia, Isaura Lemos. Suplente de vereadora no município de Varjão, Gleicy não sobreviveu.

"Ele me dava socos enquanto me levava para mata", conta jovem agredida por namorado
Gleicy recebe da deputada estadual Isaura Lemos e da vereadora Tatiana Lemos homenagem “Maria da Penha”. Meses depois, morreria. Foto: Alego

Debate nesta terça-feira alerta para violência de homens

Comentando cada caso, a advogada advogada criminalista Márcia Póvoa explica que, normalmente, o agressor tenta culpar a vítima pela agressão. “Ele xinga ela, empurra, bate. Ela chora e ele tenta colocar na cabeça dela de que ela é a culpada, de que ela foi errada”, exemplifica.

“E ele vem com ‘ah, eu te amo, vamos cuidar de nossos filhos’. Fala que é ele quem paga o aluguel, ele quem compra alimentação. Caso ela não aceite voltar, ameaça tomar a guarda do filho, a se matar e, claro, matar ela ou as crianças. Por isso ela perdoa, ou melhor, cede. No fundo, lá no fundo, tem uma esperança.”

Para discutir casos semelhantes e impulsionar a ideia de que a mulher precisa denunciar o agressor, ocorre nesta terça-feira (25/9), a partir das 19h, no auditório do Hotel Mercure, em Goiânia, palestra com a advogada criminalista Márcia Póvoa e a biomédica sanitarista Tânia Agostinho. A proposta está inserida no Projeto Salto ao Alto, criado pelas duas para discutir e promover o enfrentamento da violência contra a mulher e doméstica.

Elas debatem o tema “Combater a violência psicológica para evitar a violência física”. “Nossa proposta nessa palestra é, através da  ressignificação  e resiliência, ajudar a mulher para que ela desenvolva mecanismos para se livrar da violência para que ele ganhe confiança e saiba como e quem procurar”, afirma Márcia.

Márcia explica que, se para a mulher lidar com a violência física já é um desafio, em relação à violência psicológica a situação se mostra ainda mais complicada. Isso porque os órgãos competentes de atendimento à mulher abusada nem sempre estão preparados  para receber bem a vítima e que é comum a mulher ser rotulada em tais situações como e “criadora de caso”, é relevada à mero “mimimi”. “Mais um motivo para a mulher se fortalecer para ser ela própria o agente de mudança em sua vida”, afirma Tânia Agostinho.

A história de Gleicy e Laiane, que sofreram violência de homens em Goiás
Laiane quer que o ex-namorado agressor responda por tentativa de homicídio. Foto: Reprodução/Facebook

Tipos de violência sofridas por mulheres

Márcia e Tânia enumeram algumas modalidades de violência a que mulheres estão sujeitas em relacionamentos opressores. O primeiro exemplo é a violência patrimonial, quando a mulher embora economicamente ativa  é colocada na condição de dependente; a intelectual, quando há o desmerecimento de conhecimentos e conquistas em áreas de conhecimento e profissional, entre outras. Sobre esse tipo de violência, elas citam o caso de uma das mulheres atendidas que se viu proibida pelo marido de assumir vaga em concurso público no qual havia sido aprovada.

Márcia Póvoa acrescenta que a lei trata a violência quando ela já está irremediavelmente instalada nos lares, com mulheres sendo violentadas psicologicamente e, posteriormente, como consequência natural, fisicamente sendo levadas até à morte. Ela acredita ser possível identificar, combater, através do fortalecimento das instituições envolvidas na proteção da mulher e principalmente através do fortalecimento da vítima em questão.

A lei Maria da Penha em seu artigo 2º prevê que todas as mulheres tenham assegurada sua prerrogativa de viver sem violência e que sejam preservadas sua saúde física, mental e seu aperfeiçoamento moral, intelectual e social.

“Seja por falta de estrutura ou mesmo vontade, a mulher só recebe um pouco mais de atenção quando precisa ser encaminhada ao IML para exames de corpo de delito ou quando é morta. Mas aí já temos a violência em seu estado mais latente”, revela Tânia Agostinho

A dupla acredita que ideal seria que essas mulheres tivessem grupos e um atendimento efetivo e não a interpretação geral, embora poucos admitida, de que para certos tipos de violência- incluindo aí a psicológica e até patrimonial – não se deve dar muita atenção. “Uma morte a facadas ou tiro pode começar com uma agressão verbal, com uma proibição simples no âmbito da relação. É preciso tratar a doença quando ela está apenas começando, porque quando ela se espalha na relação, difícil poder controlá-la”, salienta a advogada.

A música de Elza Soares, Maria da Vila Matilde, exemplifica bem a violência da mulher:

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Entretenimento

12 cidades turísticas de Goiás para você conhecer e relaxar

Não é preciso ir muito longe para curtir as maravilhas naturais de nosso país. Conheça algumas cidades turísticas de Goiás e apaixone-se!
25/09/2018, 16h13

Água, sombra e água fresca. Quem é que não precisa disso de vez em quando? Se é o que você está buscando para os próximos dias, seja porque pegou folga no trabalho, porque tirou férias, ou por qualquer outro motivo, saiba que não é preciso ir muito longe para conseguir o merecido descanso. Algumas cidades turísticas de Goiás são completamente exuberantes, capazes de impressionar qualquer um com tamanha beleza.

Cachoeiras, rios, lagos, grutas, morros, serras, cidades históricas, enfim… Sempre há uma opção para cada gosto! Dá uma olhada e já vai pensando em qual será o destino de sua próxima viagem!

Conheça cidades turísticas de Goiás:

1 – Caldas Novas

x cidades turísticas de Goiás que você precisa conhecer
Foto: Reprodução/Exame

Quando o assunto abrange as cidades turísticas de Goiás, a primeira que vem em mente é Caldas Novas, e não é por acaso. Conhecida em todo o país como a terra das águas quentes, Caldas reserva muitas atividades de lazer e surpresas para seus visitantes.

Apenas para que você tenha ideia, anualmente são esperados mais de quatro milhões de turistas na cidade, e não são apenas brasileiros que viajam de todos os cantos do país para conhecer esse pedacinho de Goiás, mas pessoas do mundo inteiro.

É uma das cidade turísticas mais visitadas do Brasil e ainda conta com o maior polo hoteleiro de Goiás. Conta com diversos parques aquáticos de renome, sem contar que também é por ali que se localiza o Parque Estadual da Serra de Caldas, uma boa pedida para os fãs de ecoturismo, trilhas e banhos em cachoeiras.

Como um todo, a cidade oferece para seus visitantes cerca de 200 piscinas termais, que possuem temperaturas que variam entre 43º a 70º. Se você pretende aproveitar o espaço enquanto não tem muita gente, o ideal é evitar os períodos de férias, que é quando a cidade recebe milhares de turistas.

2 – Pirenópolis

x cidades turísticas de Goiás que você precisa conhecer
Foto: Reprodução/Por aí de Barraca

Pirenópolis é uma pequena cidade localizada no interior de Goiás. Embora esteja afastada dos grandes centros urbanos, também é um dos maiores pontos turísticos do estado, uma vez que é considerada como o retrato vivo da história goiana.

Com um ambiente que remonta a arquitetura colonial, é cercada por morros e cachoeiras, estas que por sinal, fazem parte das maiores atrações. Como algumas cachoeiras se encontram em propriedades privadas, os turistas podem ter que pagar determinado valor para conhecê-las, no entanto, ainda existem algumas que permanecem abertas e encantam os olhos de quem vê.

Tombada como Patrimônio Histórico e Cultural pelo IPHAN, conserva um clima hospitaleiro, alegre e festivo, convivendo com belezas naturais inestimáveis. O Centro Histórico de Pirenópolis é um de seus principais pontos, e é por lá que podemos encontrar toda a beleza da Igreja de Nossa Senhora do Rosário e a Igreja de Nossa Senhora do Carmo, que ficam abertas para visitação. Também é possível praticar ecoturismo, fazer trilhas, arborismo, rapel, montanhismo e tantas outras atividades pela cidade.

3 – Cavalcante

x cidades turísticas de Goiás que você precisa conhecer
Foto: Reprodução/Tom Alves

E por falar em cidades turísticas de Goiás que você precisa conhecer, apresentamos Cavalcante! Pequeno município localizado ao norte da Chapada dos Veadeiros, fica a aproximadamente 500 km de Goiânia.

Se você quer se aprofundar um pouquinho na história de nosso estado, fazer uma visita à cidade é uma boa pedida. É possível conhecer uma parte do Povoado Kalunga do Engenho II, bem como tradições quilombolas. O lugar ainda reserva inúmeras belezas naturais em seu Sítio Histórico.

Entre suas principais atações turísticas estão cachoeiras, a exemplo da do Rio Prata, de Santa Bárbara, da Capivara, e também as diversas cachoeiras que podem ser encontradas na fazenda Veredas e na Ponte de Pedra. Vale a pena conhecer!

4 – São Miguel do Araguaia

x cidades turísticas de Goiás que você precisa conhecer
Foto: Reprodução

Também um pequeno município de Goiás, começou a ser povoado no ano de 1952, e possui população estimada menor que 23 mil habitantes. Ao longo do tempo construiu uma história forte e chegou a ser conhecido como a capital do arroz do estado, durante um tempo.

Está situado a 483 km de Goiânia e a 50 km de Luiz Alves do Araguaia (o Rio Araguaia). É o ponto de acesso para a Ilha do Bananal, que, apenas para você ter noção, é a maior ilha fluvial do mundo! Possui paisagens simplesmente magníficas e as melhores prais fluviais que se pode imaginar.

A cidade vive do comércio, da agricultura, pecuária e também do turismo. Um dos maiores eventos sediados no município é a Cavalgada Ecológica, que já acontece há vários anos e se transformou em tradição. Começa em São Miguel e segue sentido ao distrito de Luiz Alves, percurso este que é feito a cavalo. A realização é uma parceria feita entre os moradores e fazendeiros do local, recebendo também turistas que se interessem.

5 – Aruanã

x cidades turísticas de Goiás que você precisa conhecer
Foto: Reprodução/ Viagem em Pauta

Visto como o centro Obelisco do Brasil, o município de Aruanã é também um dos que mais recebe turistas anualmente em Goiás. Isso porque o Rio Araguaia passa por ali, querido não apenas pelos goianos mas também por pessoas de todo o país.

Para aqueles que pretendem passar uma estadia na cidade, é possível encontrar hotéis e casas de hospedagem. No entanto, também é possível acampar em determinados locais, como nas margens do próprio Rio Araguaia e Rio Vermelho.

Também é o lugar perfeito para quem adora a pesca desportiva e qualquer atividade que envolva água. Se você ainda não conhece as belezas da cidade, já pode programá-la como o destino de sua próxima viagem!

6 – Mineiros

x cidades turísticas de Goiás que você precisa conhecer
Foto: Reprodução/TripAdivisor

Para os fãs de cachoeiras, a cidade de Mineiros também é uma boa escolha. Localizada no sudoeste goiano, fica a 420 km de Goiânia e a 650 km de Brasília. Boa parte do Parque Nacional das Emas se encontra na região, representando um de seus destaques.

Para você ter ideia, a cidade concentra 120 cachoeiras, sendo que ainda podem haver outras que ainda não foram catalogadas. Os rios Formiguinha, Diamantino e Matrinchã ainda cortam um conjunto de serras, que recebem diversos turistas.

Com diversidade de fauna e flora, ainda conta com grutas e exuberantes piscinas naturais. Outro lugar que também pode ser visitado é a comunidade do Cedro, local onde são mantidas a cultura e tradição do povo negro. Bem ali existe um laboratório de pantas medicinais do cerrado.

7 – Colinas do Sul

x cidades turísticas de Goiás que você precisa conhecer
Foto: Reprodução/ Turismo na Chapada

Também considerada como uma das cidades turísticas de Goiás, é um município pequeno e, de acordo com o IBGE/2008, registrava população estimada em pouco menos que 4 mil habitantes.

Fica localizado nas proximidades do distrito de São Jorge e do espelho d’água Cana Brava. Vale lembrar que é a única cidade que possui terras da Chapada dos Veadeiros a ser banhada pelo Lago Serra da Mesa.

Seu potencial turístico está no fato de abrigar muitos rios, termas e cavernas, lugares esses, onde é possível praticar trilhas e pesca esportiva, além de banhos de rio.

8 – Formosa

x cidades turísticas de Goiás que você precisa conhecer
Foto: Reprodução/Viagem

Se você conhece a cidade de Formosa em Goiás, sabe que o nome do local condiz muito bem com suas características. Localizada a 282 km de Goiânia e a 80 km de Brasília, nasceu ainda no século 18, no tempo em que a capitania de São Paulo era quem comandava Goiás.

É um município que possui valiosa riqueza natural, com diversas cachoeiras. A de maior destaque é, sem dúvida, a Cachoeira do Itiquira, que fica a 34 km de distância do centro da cidade e é considerada como uma das mais altas de toda a América Latina, possuindo quedas de 168 metros.

Um dos pontos positivos é que ela não é de difícil acesso, fazendo com que idosos, crianças e pessoas com algum tipo de limitação possam chegar até lá com facilidade.

Lagoa Feia também é outro ponto bastante conhecido, em toda sua exuberância de 6  quilômetros de comprimento e meio quilômetro de largura. Também é possível conhecer o Lajedo e suas vastas piscinas naturais, a Gruta das Andorinhas, Buraco das Araras, Cachoeira do Bisnau e o Rio Bandeirinha, formado por várias cachoeiras.

Ainda vale lembrar que os praticantes de voo a vela consideram o município de Formosa como um dos melhores locais do país para a prática do esporte!

9 – Caiapônia

x cidades turísticas de Goiás que você precisa conhecer
Foto: Reprodução/Arqueo Viagem

Localizado a 318 km da capital goiana, o município de Caiapônia também é conhecido por ser a casa de diversas cachoeiras. Entre as mais conhecidas, podem ser citadas: Cachoeira de São Domingos, Cachoeira de Samambaia, Cachoeira do Jalapa, Cachoeira do Sereno, Cachoeira do Rio Verdão, Cachoeira da Abóbora, entre outras.

Como atrações turísticas ainda vale lembrar de suas serras e morros, a exemplo do Morro do Gigante e o Morro do Peão. Em seu centro urbano pode ser encontrado o Lago dos Buritis, e é por lá que acontecem as maiores festas da cidade, que sempre atraem diversos turistas.

10 – Jataí

x cidades turísticas de Goiás que você precisa conhecer
Foto: Reprodução/TripAdvisor

A cidade de Jataí é considerada como uma das principais potências no que tange o agronegócio do país, mas não para por aí. Também apresenta bom potencial para turismo, uma vez que proporciona a seus habitantes uma das melhores qualidades de vida do estado, o que se estende para aqueles que estão apenas de passagem.

Nem todo mundo sabe, mas a cidade também possui águas termais, que brotam a 40ºC e são um bom atrativo para quem quer relaxar. Também concentra parques, lagos, cachoeiras e rios, fazendo com que clubes e confortáveis hotéis da cidade recebam anualmente milhares de turistas.

11 – Alto Paraíso de Goiás

x cidades turísticas de Goiás que você precisa conhecer
Foto: Reprodução/Leve na Viagem

Localizada na Chapada dos Veadeiros, a cidade está em área de proteção ambiental desde o ano de 2001. Para aqueles que procuram por atividades de turismo no município, é possível encontrar bares, restaurantes, pousadas e pequenas praças, sem contar com suas diversas cachoeiras.

No entanto, o ambiente que mais atrai atenção do público é a Vila de São Jorge, com característica rústica, não deixa o charme de lado e é ideal para quem pretende curtir momentos de paz, cercado de muito contato com a natureza e dispondo de suas belezas.

12 – Cidade de Goiás

x cidades turísticas de Goiás que você precisa conhecer
Foto: Reprodução

Mais conhecida pelo nome de “Goiás Velho“, é uma das mais conhecidas cidades turísticas de Goiás. Cercada de história, já foi capital do estado e ainda conserva sua arquitetura colonial em quase 100% de sua estrutura, que por si só, já é uma grande atração turística.

A terra da grande Cora Coralina ainda concentra um museu em sua homenagem, que é aberto à visitação e se localiza na casa onde a poetisa morou por tanto tempo. Fora isso, os turistas ainda podem encontrar um vasto acervo de arte sacra nas igrejas seculares da cidade em museus.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

“Operação Efeito Dominó” prende 12 pessoas por tráfico de drogas e crimes patrimoniais em Goiás

Força-tarefa foi realizada pelas Delegacias de Ipameri e Catalão, com o apoio de policiais de outras oito delegacias.
25/09/2018, 16h18

Foi deflagrada nesta terça-feira (25/9) pela Polícia Civil ( PCGO) a “Operação Efeito Dominó” que prendeu em Goiás 12 pessoas por tráfico de drogas, associação criminosa para o tráfico e crimes patrimoniais, inclusive crimes ocorridos na zona rural da região. As investigações foram realizadas pelas Delegacias de Ipameri e Catalão, com o apoio de policiais das delegacias de Pires do Rio, Vianópolis, Goiandira, Cumari, Santa Cruz, Orizona, Ouvidor e Três Ranchos.

Durante a ação, foram cumpridos 11 mandados de busca e apreensão e 11 de prisão preventiva. As medidas cautelares foram executadas por 50 policiais civis, com o apoio logístico da 9ª Delegacia Regional de Polícia, sediada em Catalão.

O bando, explica ao Portal Dia Online o delegado Jean Carlos Arruda, era investigado desde março de 2018. “Um escondia, outro comprava, outro revendia. Alguns praticavam furtos na zona rural, inclusive de máquina agrícola. No grupo, ainda tinha uma pessoa que emprestava quatro armas ao grupo e uma espingarda.”

“Uma dessas pessoas tem passagem por homicídio cometido ano passado. São pessoas do interior que foram seduzidas pelo ganho fácil”, comenta. Para o delegado, a estrutura da Polícia Civil não é favorável, mesmo assim, o trabalho em conjunto com várias delegacias, policiais militares, dão a chance de o crime organizado ser desarticulado. “Há uma demanda grande, da briga de vizinho, violência doméstica, tráfico e homícidio”, reclama o delegado.

A Operação Dominó, deflagrada pela Polícia Civil, prendeu 12 suspeitos de envolvimento com tráfico de drogas em Ipameri, na região sudeste de Goiás. As prisões e cumprimento de 11 mandados de busca e apreensão ocorreram nesta terça-feira (25). Foram apreendidas várias porções de drogas e armas.

A corporação informou que as investigações começaram em Ipameri e revelaram grupo de pessoas responsável por tráfico de drogas e outros crimes, como furtos, que também tinham envolvimento com a atividade principal. Os presos devem ser indiciados pelos crimes de tráfico e associação para o tráfico.

Também segundo a Polícia Civil, foram cumpridos 11 mandados de prisão e a 12ª pessoa foi presa em flagrante por estar portando cinco armas, um simulacro de pistola e várias munições.

A Operação teve apoio de 50 policiais de outras nove cidades da região sudeste: Catalão, Pires do Rio, Vianópolis, Goiandira, Cumari, Santa Cruz, Orizona, Ouvidor e Três Ranchos.

Além dos onze presos preventivamente, mais um investigado foi preso em flagrante, depois de ser flagrado com cinco armas de fogo, um simulacro de pistola e grande quantidade de munições. De acordo com a Polícia Civil, foram apreendidas ainda drogas e outros objetos.

A Operação prendeu Weverton Silva Santos, Idalina Rosa da Silva, Guilherme Gomes Gervásio, Dione Francisco do Nascimento, Igor Nolasco da Silva, Micael Vale da Silva, Ravel Bruno de Oliveira, Thiago Bruno de Oliveira, Bruno Nunes Florêncio, Antônio Ovidio do Nascimento, Kerlisson Assis Paiva e Marcelo Rodrigues Martins.

Os 12 presos foram encaminhados para o presídio de Ipameri e estão a disposição do Poder Judiciário.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.