Esportes

Advogada é presa ao ir aos Correios receber encomenda de drogas; veja o vídeo

A polícia foi acionada por funcionários da agência de Correios após eles notarem o nervosismo da advogada e professora aposentada.

Por Ton Paulo
03/10/2018, 08h16

Uma mulher de 45 anos foi presa na tarde da última terça-feira (2/10) após receber uma encomenda pelos Correios com 2 quilos de haxixe. A mulher é advogada e professora universitária aposentada, além de ser doutoranda da PUC Goiás. Caso aconteceu no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), no Distrito Federal

De acordo com a Polícia Militar, a acusada é ex-aluno do Doutorado em psicologia pela Pontifícia Universidade de Goiás (PUC Goiás), mestre em ciências penais pela Universidade Federal de Goiás (UFG), pós-graduada em criminologia nesta mesma instituição de ensino, membro dos conselhos Penitenciário do Estado de Goiás e de Direitos Humanos de Goiás, além de professora aposentada e advogada. Ela estava acompanhada de um homem de 28 anos.

Clientes que estavam na agência ligaram para a Polícia Militar do Distrito Federal relatando a situação, após desconfiarem do estado de nervosismo da mulher.

Os PMs abordaram o homem e a mulher tão logo o casal saiu da agência com a caixa nas mãos. Em seguida, pediram aos Correios que passassem a caixa no raio-X, o que levantou a suspeita de algo ilícito.

A doutoranda da PUC Goiás não ofereceu resistência à prisão

No local, uma equipe da Polícia Federal com cães farejadores foi acionada. Segundo a PM, foi a mulher que mesma abriu a caixa. Segundo ela, a droga seria de outra pessoa, também moradora da Asa Norte, no DF.

Segundo o relato do sargento Anderson, do Grupo Tático Operacional (GTop) da PMDF, que prendeu o casal, a mulher demonstrava muito nervosismo. Apesar disso, ela e o homem não resistiram à abordagem.

Os policiais militares detiveram o casal e a PF realizou varredura no veículo dos suspeitos com cães farejadores, mas nada foi encontrado. O casal foi conduzidos para o Departamento de Polícia Federal, uma vez que o caso se enquadra em tráfico interestadual.

A ocorrência está sob responsabilidade da Polícia Federal.

A reportagem do Dia Online tentou contato com o departamento de Doutorado da PUC Goiás mas, até o fechamento desta matéria, não obteve retorno.

Veja o vídeo do momento da prisão:

Imagens: Metrópoles - DF 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Presos são condenados por espancar e estuprar outro detento até a morte em Cristalina

Segundo o processo que condenou os detentos, além de espancar e torturar a vítima, eles o estupraram até a morte.

Por Ton Paulo
03/10/2018, 09h03

Seis detentos do Presídio de Cristalina, entorno do Distrito Federal, foram condenados por envolvimento na morte de outro detento, que não teve o nome divulgado. Segundo a sentença proferida, a vítima foi espancada, torturada e estuprada até a morte pelos colegas de cela.

De acordo com informações de um jornal local, o júri que condenou os detentos foi realizado no Fórum de Cristalina, e a sessão foi presidida pelo Dr. Carlos Arthur Ost Alencar, do Juizado Cível e Criminal.

Ao todos, tiveram condenação confirmada os presos Andrey Pereira da Costa, Gelson Alves dos Santos, Marcondes José dos Santos, Reginaldo Almeida Silva, Tomaz Silva Mota e Eduardo da Cunha Silva.

Detentos torturaram colega de cela até a morte no Presídio de Cristalina

Segundo a denúncia apresentada ao júri, a vítima havia sido presa em flagrante pelo crime de estupro de vulnerável e colocada na mesma cela que os réus.

Quando descobriram o motivo da prisão, os presos da cela começaram a agredir o colega com violência.

Consta nos autos que Andrey, Gelson, Marcondes, Reginaldo e Tomaz agrediram a vítima com socos, murros e com um pedaço de madeira retirado de uma das camas da cela.

Em seguida, o grupo amarrou um barbante no órgão genital do detento e o puxou. Os internos ainda obrigaram a vítima a praticar sexo oral e beijar outro detento.

Eduardo, um dos condenados, se envolveu no homicídio depois de o detento morrer na cela. De acordo com a denúncia, sua participação se restringiu a lavar o corpo da vítima com água, sabão e água sanitária para tentar esconder os vestígios do crime. Por isto, ele foi condenado apenas por fraude processual.

Após a decisão dos integrantes do Tribunal do Júri, o magistrado determinou as seguintes penas:

  • Andrey Pereira da Costa – 26 anos e 6 meses de prisão
  • Gelson Alves dos Santos – 23 anos e 9 meses de prisão
  • Marcondes José dos Santos – 20 anos e 3 meses de prisão
  • Reginaldo Almeida Silva- 30 anos e 2 meses de prisão
  • Tomaz Silva Mota- 22 anos e 6 meses de prisão
  • Eduardo da Cunha Silva – 1 ano e 8 meses de prisão
Via: G1 
Imagens: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Esportes

Brasil arrasa Quênia no Mundial de Vôlei e festeja o retorno de Natália

O Brasil vai disputar a segunda fase do campeonato.
03/10/2018, 09h51

O Brasil garantiu vaga na segunda fase do Campeonato Mundial de Vôlei feminino, ao derrotar, nesta quarta-feira, a fraca seleção do Quênia por 3 sets a 0, com parciais de 25/13, 25/10 e 25/16, em apenas 58 minutos. O jogo foi disputado em Hamamatsu, no Japão.

Com o resultado, o time do técnico José Roberto Guimarães soma a terceira vitória, em quatro jogos, e fica na segunda colocação do Grupo D, atrás da Sérvia, responsável pelo único revés do time brasileiro até agora na competição.

Zé Roberto escalou a seleção com Dani Lins, Gabi, Fernanda Garay, Bia, Carol, Tandara e a líbero Suelen para iniciar a partida. Com o decorrer do confronto, o treinador mexeu bastante na equipe, com destaque para a presença de Natália, recuperada de uma tendinite crônica no joelho direito.

A ponteira teve boa atuação e foi a maior pontuadora da partida, com 12 pontos, seguida por Tandara, que obteve 11. “É o meu primeiro jogo depois de oito meses. Tem muita coisa para melhorar, mas estou muito feliz”, disse a jogadora. “Ela ainda requer cuidados, mas está forte e conseguiu atacar bem e mostrou bom posicionamento no bloqueio e na defesa”, analisou Zé Roberto.

No total, o Brasil teve 35 pontos de ataque, 12 de bloqueio e dez de saque. A equipe só proporcionou 11 pontos de erros para as quenianas.

O Brasil volta a jogar nesta quinta-feira, diante do Casaquistão, na última partida da primeira fase. Além do Quênia, a seleção venceu Porto Rico e República Dominicana, mas perdeu para a Sérvia.

Disputa do Mundial de Vôlei

No último jogo o Brasil ficou em segundo lugar no Grupo D, com seis pontos, atrás da Sérvia, que venceu os três jogos disputados até agora e se isolou na ponta, com nove pontos. O Brasil, que venceu Porto Rico e República Dominicana nos dois duelos anteriores. Na quinta-feira, o adversário será o Casaquistão no fechamento da primeira fase da competição.

Imagens: Massa News 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Política

Tempo na TV não indica triunfo em 40% dos Estados

Um exemplo emblemático é um dos candidatos ao governo de Goiás.
03/10/2018, 10h35

Em 11 das 27 unidades federativas (40%), os partidos que ganhariam no primeiro turno ou lideram em simulações do segundo turno para governador, segundo o instituto Ibope, não são os que têm maior tempo na TV.

Se o foco é colocado sobre os 10 maiores colégios eleitorais, esse porcentual cai para 20%. Os dois únicos Estados em que o tempo a mais não traz favoritismo são Paulo e Rio Grande do Sul. Entre os paulistas, João Doria (PSDB) aparece atrás nas simulações de segundo turno contra Paulo Skaf (MDB), segundo o Ibope (39% a 31%).

No primeiro turno, o emedebista tem 24% das intenções de voto, enquanto o tucano, que tem mais do que o dobro do tempo de TV, aparece com 22%.

Entre os gaúchos, o governador Ivo Sartori (MDB) e Eduardo Leite (PSDB) aparecem tecnicamente empatados no primeiro turno (30% a 29%), mas no segundo turno o tucano venceria por 43% a 34%. O governador tem 3 minutos e 18 segundos, enquanto o tucano usa 2 minutos e 45 segundos. O Estado tem o quinto maior colégio eleitoral.

Tempo na TV dos candidatos ao governo

Considerados todos os Estados, um dos exemplos mais emblemáticos é o de Goiás. O candidato Ronaldo Caiado (DEM) tem 47% das intenções de voto segundo a última pesquisa do Ibope, mesmo tendo 1 minuto e 19 segundos na televisão, contra 3 minutos e 27 segundos de Zé Eliton (PSDB), que apareceu na mesma pesquisa com 13%.

Caiado tem defendido a valorização dos funcionários públicos e mais contratações, a criação de policlínicas e força-tarefa de combate ao crime organizado. Ele já alfinetou os adversários com a imagem de um padeiro. “Quanto mais eles batem, mais Caiado cresce na vontade do povo”, diz o spot. Já Zé Eliton dedica boa parte do tempo em uma mensagem destacando sua trajetória e o legado dos governos do PSDB. “Eu sei o que é trabalhar duro para construir um nome, e não se apoiar em um sobrenome”, diz Eliton.

Em resposta ao jornal O Estado de S. Paulo, a coordenação de imprensa da campanha do tucano contestou a pesquisa Ibope mencionada. A coordenação de comunicação da campanha de Ronaldo Caiado (DEM) acredita que a mensagem do candidato está sendo bem. “A campanha está baseada no tripé diagnóstico da situação, propostas para Goiás e perfil do candidato. Foi definido que o espírito da campanha seria sempre alegre e propositivo. Isso não muda”, afirma a coordenação.

Uma das formas de o senador compensar o pouco tempo de rádio e TV que dispõe é o “Caiado ao Vivo”, que vai ao ar todas as quartas no Facebook. “A receptividade tem sido muito boa, com alguns programas chegando a alcançar 150 mil pessoas”, diz a coordenação.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Política

Ex-chefe da Dersa vira réu por associação criminosa

Laurence foi preso em junho e solto em setembro por ordem do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal.
03/10/2018, 11h20

A juíza Maria Isabel do Prado, da 5.ª Vara Criminal Federal, abriu ação penal contra o ex-secretário estadual de Logística e Transportes do governo Geraldo Alckmin (PSDB) e ex-presidente da Dersa Laurence Casagrande Lourenço e outros 13 acusados. Todos os réus foram denunciados por fraudes em licitações e associação criminosa na Operação Pedra no Caminho, que apura irregularidades em licitações dos lotes 1, 2 e 3 do trecho norte do Rodoanel.

A denúncia também foi recebida contra funcionários das construtoras OAS, Mendes Júnior e Isolux, além de outros agentes públicos, como os ex-diretores da Dersa Pedro da Silva e Pedro Paulo Dantas do Amaral.

Segundo o Ministério Público Federal, os acréscimos indevidos provocaram impacto financeiro de cerca de R$ 480 milhões, valor que corresponde ao superfaturamento por meio da manipulação proposital nos contratos.

Na denúncia, a Procuradoria requereu que este valor seja o mínimo para reparação. Cálculos do Tribunal de Contas da União (TCU) apontam que, somente aditivos contratuais, o prejuízo aos cofres públicos chegou a R$ 235 milhões.

A denúncia do Ministério Público Federal foi apresentada em julho. A Pedra no Caminho foi deflagrada em junho, quando Laurence foi preso. Em agosto, a Justiça determinou a suspensão das atividades públicas de parte dos acusados. Laurence foi solto em setembro por ordem do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal.

Segundo a juíza, a denúncia do Ministério Público “está lastreada em suficientes elementos de prova, instruída por satisfatório número de documentos que indicam a materialidade de delitiva e indícios de autoria”.

Defesa do ex-chefe da Dersa 

A defesa de Laurence Casagrande não respondeu à reportagem até a conclusão desta edição. Alckmin já disse esperar que, “respeitado o amplo direito de defesa, Justiça seja feita”. A Dersa reafirmou que, “havendo qualquer prejuízo ao erário, o Estado adotará as medidas cabíveis”. As defesas dos outros réus e representantes da OAS, da Mendes Júnior e da Isolux não foram localizados.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Imagens: Exame.com 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.