Esportes

'Não penso que Valtteri deve trabalhar para mim', diz Hamilton

Após vitória polêmica no GP da Rússia, piloto da Mercedes diz que não espera contar com nova ajuda do companheiro e assegura que o episódio não abalou o clima na equipe.
04/10/2018, 13h38

Menos de uma semana após obter polêmica vitória no GP da Rússia de Fórmula 1, Lewis Hamilton afirmou nesta quinta-feira que não espera contar com nova ajuda do companheiro de Mercedes, Valtteri Bottas, no GP do Japão, em Suzuka. E garantiu que a troca de posições em Sochi não afetou o clima dentro da equipe.

“Eu não cheguei aqui pensando que Valtteri deve trabalhar para mim”, declarou o piloto inglês, principal candidato ao título do Mundial deste ano. “Como eu entendo esta situação: ele deve fazer o melhor trabalho possível para ele mesmo no fim de semana e eu devo buscar a vitória.”

Hamilton assegurou que o contestado triunfo do domingo passado não abalou o clima na equipe e nem na fábrica da Mercedes. “Eu voltei para a Inglaterra no início da semana e vi todo mundo na segunda-feira. O espírito do time é o melhor que já vi”, assegurou o tetracampeão.

Cada vez mais perto do penta, o inglês contou com uma ajuda da direção da equipe para vencer em solo russo no domingo passado. Segundo colocado durante a maior parte da prova, ele viu a chefia do time ordenar ao finlandês Valtteri Bottas que permitisse a ultrapassagem de Hamilton no decorrer da prova.

Bottas ainda questionou se a posição seria devolvida na parte final da corrida, mas a resposta foi negativa. Na cerimônia de premiação, Hamilton pediu ao finlandês que dividisse o lugar mais alto do pódio com ele. E chegou a oferecer o troféu de campeão a Bottas, que rejeitou a oferta.

Hamilton espera que Mercedes pelo menos repita o desempenho do ano passado em Suzuka

Questionado sobre o ritmo da Mercedes em Suzuka, Hamilton se mostrou ansioso para tentar ao menos igualar o desempenho exibido nesta mesma etapa em 2017. Na ocasião, ele bateu o recorde da pista para um carro de Fórmula 1 no treino classificatório, ao registrar o tempo de 1min27s319.

“Mal posso esperar para pilotar novamente nesta pista porque será a volta mais rápida que conseguiremos completar em Suzuka. O primeiro setor do traçado será insano”, afirmou o inglês, já projetando novo recorde, uma vez que os carros deste ano estão ligeiramente mais velozes do que na temporada passada.

Hamilton e os demais pilotos do grid vão à pista de Suzuka nesta quinta-feira, às 22 horas (pelo horário de Brasília) para o primeiro treino livre. A segunda sessão terá início às 2 horas de sexta-feira. No sábado, o treino classificatório está marcado para as 3 horas. E a corrida, na madrugada deste domingo, vai começar às 2h10.

Imagens: Veja 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Política

Temer critica propostas para revisar a Constituição

Presidente da República criticou as propostas de Jair Bolsonaro e Fernando Haddad para revisão da Constituição durante a campanha eleitoral.
04/10/2018, 14h23

O presidente da República, Michel Temer, criticou, em discurso no Palácio do Planalto, propostas para revisar a Constituição, levantadas pelos candidatos Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) durante a campanha eleitoral. Para Temer, é necessário “romper o ciclo perverso que domina a história brasileira, que a cada 20 ou 30 anos precisa ter uma crise para mudar o Estado”.

“Temos uma vocação, uma necessidade, uma compulsão para a cada 30 anos, em vez de nos unirmos para levar o País para frente, dizemos que temos crise institucional e precisamos modificar o País”, disse o presidente, elevando a voz.

Nesta quinta-feira, 4, Temer participa de solenidade no Supremo Tribunal Federal (STF) para celebrar os 30 anos da Constituição de 1988, cuja promulgação, no dia 5 de outubro, marcou a transição entre o período da ditadura militar e democracia.

“Eleição elege aqueles que governam e aqueles da oposição”, diz Temer

A poucos dias da eleição, o presidente disse que é seu dever “aproveitar esse momento, na véspera do aniversário da Constituição, para fazer essa espécie de pregação” sobre o período eleitoral. “Eleição elege aqueles que governam e aqueles da oposição, e aqueles da oposição também são fruto do voto. Vejo com naturalidade extraordinária, mas não vejo essa naturalidade nas várias pregações, manifestações”, criticou.

Temer disse que cada um pensa de uma maneira neste momento, seja no Estado ou na iniciativa privada, e alguns podem achar que “o seu pensamento pode ser o condutor da própria sociedade”, o que é incorreto. “O correto é dizer, reiterar, enaltecer,ressaltar, repetir, afirmar e reafirmar que não há caminho fora da Constituição Federal.” Ele afirmou ainda que “temos que acabar com essa história de que a autoridade é uma centelha divina”.

Ele avaliou que o país “ganha estabilidade institucional definitiva quando tem instituições consolidadas” e defendeu a manutenção da Constituição. “Se formos comparar com a Constituição americana, é de 1789 e é a mesma até agora. Eu volto a dizer: nosso histórico constitucional tem períodos curtos de Estado. Ou seja, nosso Estado precisa ser reformulado a cada período (…) A nossa constituição, embora muito detalhada, pormenorizada, ela soube amalgamar princípios do liberalismo com os do socialismo.”

Michel Temer discursou durante evento para lançamento da primeira portaria de avaliação de impacto do Programa de Fomento à Implantação das Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral (EMTI), com a presença do ministro da Educação, Rossieli Soares.

Também foi anunciada a publicação da portaria do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), para apoiar a implementação do Novo Ensino Médio. Juntas, as duas medidas somam investimentos no valor de R$ 600 milhões, que serão pagos entre 2018 e 2020.

Imagens: euqueroinvestir.com 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Acusado de matar a filha após deixar a cadeia segue foragido

Horácio Nazareno Lucas teria assassinado a filha por conta de denúncia de abuso feita pela vítima.
04/10/2018, 15h03

A polícia paulista continua à procura do caseiro Horácio Nazareno Lucas, de 28 anos, acusado de matar a filha pouco depois de sair da cadeia. Letícia Tanzi Lucas, de 13 anos, foi assassinada a facadas em São Roque, no interior de São Paulo, porque teria denunciado o pai pelo crime de estupro.

Até o início da tarde desta quinta-feira, 4, o suspeito continuava foragido. Em nota, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP) esclareceu que a Polícia Civil realiza diligências para localizá-lo. Foi solicitada medida protetiva para a mãe da garota, “também agredida pelo caseiro”.

A menina teria sido morta na madrugada desta quarta-feira, 3, porque se negou a retirar a queixa de estupro feita em junho deste ano contra o pai. O acusado já havia cumprido pena por violentar a cunhada de 20 anos que tem problemas mentais. O crime ocorreu em 2012, mas demorou para ser denunciado e não houve flagrante.

Ele chegou a ser detido na época, mas acabou solto para responder em liberdade. Condenado a oito anos de prisão, em junho deste ano foi mandado para a Penitenciária de Capela do Alto (SP). Após entrar com recurso na Justiça e comprovar ter residência fixa e outros atenuantes, ele foi colocado em liberdade na terça-feira, 2.

Acusado já havia sido denunciado por abuso antes da matar a filha

Quando estava preso, a filha também resolveu contar que tinha sido vítima de abuso do próprio pai. Detalhes do crime foram relatados na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), onde o inquérito ainda não havia sido finalizado.

Um dia após sair da prisão, ele foi atrás da filha em um sítio no bairro Guaçu 2, em São Roque, onde morava com a mãe, para pedir que retirasse a queixa, mas ela não quis.

A negativa fez com que a garota fosse morta a facadas. Ele agrediu ainda a mãe da vítima, que correu e se trancou em um cômodo na casa da vizinha. A mulher contou que o acusado tentou enforcá-la ao vê-la com o celular ligando para a polícia.

Antes de matar a filha, o homem trancou o irmão dela, de 6 anos, dentro de um quarto. Foi a criança que informou aos policiais o que havia ocorrido quando eles chegaram ao local. O suspeito teria fugido a pé entrando por uma mata nas imediações.

‘Nervosismo’

Em entrevista à TV TEM, afiliada da Rede Globo, Tamires Tanzi, mãe da menina, falou que o acusado inicialmente estava calmo e até abraçou a filha e chorou com ela pelo ocorrido. Mas quando viu que ela não ia retirar a queixa, ficou violento.

“Ele me grudou pela garganta e me deu um murro no nariz”, contou. Depois ela fugiu e diz se arrepender de não ter ficado para defender a filha. “Na hora do nervosismo, a reação da gente não se explica.”

O corpo de Letícia Tanzi Lucas foi sepultado na manhã desta quinta-feira, 4, no Cemitério do Cambará, em São Roque.

Imagens: R7 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Jayme Rincón confirma repasse de caixa 2, diz jornal

Informação divulgada agora à tarde pelo O Popular mostra partes do depoimento, que o ex-presidente da Agetop, Jayme Rincón confirma o repasse de caixa 2 pela Odebrechet.
04/10/2018, 15h05

O ex-presidente da Agência Goiana de Transportes e Obras Públicas (Agetop), que coordenava a campanha eleitoral do candidato à reeleição Zé Eliton, Jayme Rincón, admitiu em interrogatório à Polícia Federal (PF) o repasse de caixa 2 em seu apartamento, em São Paulo. Parte do depoimento foi divulgada na tarde desta quinta-feira (4/10) pelo jornal O Popular.

Jayme Rincón foi preso na últma sexta-feira (28/09) na Operação Cash Delivery. Desde que foi preso, um dos homens fortes do governo Marconi, não havia dito nada em relação ao dinheiro encontrado em seu apartamento. Em um segundo interrogatório, Jayme confirmou o repasse de caixa 2, por representantes da Odebrecht e afirmou que o dinheiro foi usado para a campanha de candidatos aliados do governo, mas não disse os nomes.

Ainda segundo as informações publicadas pelo O Popular, Jayme revelou que o dinheiro que teria sido repassado para a campanha do ex-governador e candidato ao Senado pelo PSDB, Marconi Perillo, em 2010 e 2014, foi legalizado.

O ex-presidente da Agetop informou ainda que não sabe quantas vezes foram feitas as entregas de dinheiro em seu apartamento e nem o total repassado.

Jayme Rincón nega saber qualquer coisa sobre carro do filho

Segundo as informações divulgadas pelo jornal O Popular, no documento com a declaração do ex-presidente da Agetop, ele confirma a entrega de recursos por parte do grupo Odebrechet aos policiais militares Sérgio Rodrigues de Souza Vaz, que na época era motorista de Jayme Rincón – que faleceu em janeiro de 2016 – e Márcio Garcia Moura, atual motorista de Jayme.

As informações divulgadas pelo jornal revelam que durante o primeiro interrogatório, Jayme não disse nada sobre o dinheiro e sobre os R$ 940 mil reais encontrados na casa do seu motorista, durante a operação Cash Delivery, na última sexta-feira (28/09).

Questionado sobre o carro do seu filho, Jayme Rincón afirmou que Rodrigo Godoy Rincón não tem nenhuma participação no caso e não tinha nenhum conhecimento sobre o assunto. Rodrigo que também foi preso durante a operação foi liberado através de um Habeas Corpus.

Via: O Popular 
Imagens: Jornal Opção 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Casag e ESA lançam anuidade bumerangue e beneficiam advocacia goiana

A anuidade bumerangue nasceu de uma parceria entre Casag e ESA, e restitui em forma de benefício os valores pagos por advogados em anuidade à Ordem.
04/10/2018, 15h20

Em fevereiro deste ano teve início um projeto que vem chamando atenção e beneficiando a advocacia goiana. Anualmente, a classe paga à Ordem um valor predeterminado, que em Goiás corresponde a R$ 992,00. Visando devolver tal recurso em forma de benefício para o profissional, a Caixa de Assistência dos Advogados de Goiás (CASAGlançou o programa de anuidade bumerangue, oficialmente conhecido como “Bumerangue – Anuidade Vai e Volta“.

O projeto nasceu como uma parceria entre a Casag e a Escola Superior da Advocacia (ESA-GO), e tem pleno apoio da OAB -GO. A iniciativa é pioneira em Goiás e tem o objetivo de tornar tangível a contrapartida da taxa paga pela classe.

De acordo com Rodolfo Otávio Mota, presidente da Casag: “Nós desenvolvemos este projeto como forma de dar aos advogados a oportunidade de administrar o investimento feito por eles na advocacia. Agora os colegas terão de volta todo o valor pago na anuidade em serviços diversos que são de seu próprio uso“.

Como funciona a anuidade bumerangue?

Casag e ESA lançam anuidade bumerangue e beneficiam advocacia goiana
Foto: Reprodução/ Casag

Com novidades, também surgem algumas dúvidas. Para ter acesso ao programa não é necessário fazer nenhum tipo de inscrição, basta o advogado estar em dia com todas as suas obrigações junto à OAB-GO. O crédito será disponibilizado para o profissional de acordo com a forma de pagamento escolhida para a anuidade.

Por exemplo, se foi em parcela única, o valor total será creditado de imediato. No entanto, se for dividido em mais parcelas, a cada mês o advogado receberá o crédito referente ao valor pago.

A partir daí, a restituição do valor poderá ser feita em forma de serviços, cursos e ademais benefícios oferecidos tanto pela Casag, quanto pela ESA-GO. Entretanto, é válido mencionar que o crédito é dividido entre serviços das duas instituições. Portanto, 50% da anuidade (R$496,00) poderá ser utilizada em qualquer serviço oferecido pela Casag, e a outra metade em qualquer serviço oferecido pela ESA.

Casag e ESA lançam anuidade bumerangue e beneficiam advocacia goiana
Foto: Reprodução

Para se ter ideia, na Casag os profissionais podem ter acesso a engraxataria, manicure, design de sobrancelhas, cursos profissionalizantes e ainda podem locar salas de reunião com o crédito que lhes for disponibilizado pela anuidade bumerangue.

A esmalteria foi criada há pouco mais de três meses e já soma mais de R$ 10 mil de serviços prestados em pedicure, manicure e outras atividades. A engraxataria, serviço disponível de segunda a sexta na Galeria de Serviços da Casag, foi incluída no programa em agosto e já registra recordes de atendimento.

A anuidade bumerangue ainda beneficia aqueles que quiserem aproveitar o CEL da OAB, seja como forma de pagamento para a entrada em eventos, ou para locações.

Segundo Rafael Lara Martins, presidente da ESA: “O mercado ainda está ávido por profissionais com qualificação. Com o programa ‘Anuidade Vai e Volta’, conseguimos estimular a busca por conhecimento e elevar o nível de qualificação dos nossos colegas advogados e advogados goianos“. Os advogados podem utilizar a anuidade bumerangue para participar de palestras, cursos, seminários e congressos na ESA.

Questões em geral

Vale lembrar que:

  • Estagiários também podem utilizar o programa e ter benefícios a partir do valor pago;
  • Não é possível somar créditos com os de outros colegas;
  • Não é possível utilizar o valor integral caso a anuidade esteja parcelada, a não ser que haja o acúmulo de crédito (4 parcelas pagas com o valor de R$100,00, equivalem ao crédito de R$ 400,00);
  • O crédito não é cumulativo e vence no dia 31 de dezembro.

Quais os serviços disponíveis na CASAG?

  • Impressões
  • Cópias
  • Digitalização de documentos
  • Aluguel de Salas Compartilhadas
  • Aluguel do Espaço Cultural Amália Hermano Teixeira
  • Uso das unidades de trabalho
  • Estacionamento (ME e Fórum Cível)

Quais os serviços disponíveis no CEL?

  • Locação dos campos de futebol
  • Uso de brinquedos como mini boggye, skate elétrico e patins
  • Locação da Capela
  • Locação do Píer
  • Locação do Salão de Eventos

Quais os serviços disponíveis na ESA?

  • Cursos Presenciais
  • Cursos on-line
  • Palestras
  • Locação do Auditório
Imagens: CASAG 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.