Goiás

Confira a lista dos deputados estaduais eleitos por Goiás em 2018

O deputado estadual mais votado, o candidato Henrique César, obteve 46.503, seguido de Jeferson Rodrigues Lemos, 45.573 e Diego Vaz Sorgatto, 41.313.
07/10/2018, 21h28

Durante todo este domingo (7/10) os eleitores goianos elegeram nomes para ocuparem 41 vagas na Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego), com renovação de 50%. Os deputados estaduais vão tomar posse no 1º de janeiro de 2019.

O mais deputado estadual mais votado, o candidato Henrique César, obteve 46.503, seguido de Jeferson Rodrigues Lemos, 45.573 e Diego Vaz Sorgatto, 41.313.

Lista dos 41 deputados estaduais eleitos por Goiás

  • Henrique Cesar PSC – 1,51% – 46.545
  • Jeferson Rodrigues PRB – 1,48% – 45.605
  • Diego Sorgatto PSDB – 1,34% – 41.362
  • Paulo Cezar Martins MDB – 1,33% – 40.970
  • Delegada Adriana Accorsi PT – 1,27% – 39.283
  • Helio de Sousa PSDB – 1,26% – 38.788
  • Major Araujo PRP – 1,24% – 38.278
  • Lissauer Vieira PSB – 1,22% – 37.550
  • Chico Kgl DEM – 1,20% – 37.048
  • Antônio Gomide PT – 1,20% – 36.998
  • Antônio DEM – 1,19% – 36.683
  • Claudio Meirelles PTC – 1,18% – 36.502
  • Talles Barreto PSDB – 1,18% – 36.456
  • Lêda Borges PSDB – 1,14% – 35.040
  • Bruno Peixoto MDB – 1,12% – 34.655
  • Humberto Aidar MDB – 1,03% – 31.873
  • Tião Caroço PSDB – 1,02% – 31.407
  • Alysson Lima PRB – 1,00% – 30.868
  • Virmondes Cruvinel PPS – 0,99% – 30.576
  • Wilde Cambão PSD – 0,97% – 29.853
  • Gustavo Sebba PSDB – 0,95% – 29.286
  • Rubens Marques PROS – 0,90% – 27.763
  • Delegado Humberto Teófilo PSL – 0,85% – 26.252
  • Iso Moreira DEM – 0,81% – 24.963
  • Amauri Ribeiro PRP – 0,81% – 24.922
  • Lucas Calil PSD – 0,78% – 23.994
  • Alvaro Guimaraes DEM – 0,77% – 23.788
  • Rafael Gouveia DC – 0,76% – 23.466
  • Delegado Eduardo Prado PV – 0,68% – 20.845
  • Henrique Arantes PTB – 0,67% – 20.556
  • Zé Carapô DC – 0,63% – 19.583
  • Charles Bento PRTB – 0,60% – 18.626
  • Cairo Salim PROS – 0,60% – 18.579
  • Vinicius Cirqueira PROS – 0,57% – 17.698
  • Paulo Trabalho PSL – 0,55% – 16.957
  • Amilton Filho SOLIDARIEDADE – 0,53% – 16.486
  • Karlos Cabral PDT – 0,52% – 15.941
  • Thiago Albernaz SOLIDARIEDADE – 0,47% – 14.561
  • Wagner Neto PATRI – 0,46% – 14.256
  • Julio Pina PRTB – 0,43% – 13.148
  • Coronel Adailton PP – 0,38% – 11.616

O que fazem os deputados estaduais

Um deputado estadual deve votar, propor, criar emendadas, alterar e revogar leis, de abrangência estadual, mas que não tenham qualquer conflito com a legislação federal. Por meio de projetos aprovados em plenário, um deputado pode criar taxas e impostos de âmbito estadual, novos municípios ou instituir regiões metropolitanas. Um deputado pode, inclusive, modificar as mensagens do Executivo, por meio de emendas aditivas ou supressivas, como os projetos de leis orçamentárias apresentados pelo Governo do Estado, remanejando recursos para projetos e programas nas mais diversas áreas;

Deputado precisa fiscalizar, debater e encaminhar soluções

Os deputados estaduais devem fiscalizar os órgãos governamentais, as obras públicas e a execução das ações e dos atos da administração, como a execução orçamentária, contas e contratos.

Além disso, eles precisam analisar e votar anualmente as contas prestadas pelo governador. Deputado, ainda, precisa propor comissões especiais ou comissões parlamentares de inquérito no âmbito do Legislativo estadual para acompanhamento e investigações de ilicitudes na administração pública. Uma CPI investiga e propõe soluções, encaminhando as conclusões para órgãos como o Ministério Público, a Defensoria Pública, o Poder Executivo e o Tribunal de Contas do Estado.

Leia mais:

Em vitória histórica, Ronaldo Caiado é eleito governador de Goiás

Confira os deputados federais eleitos por Goiás em 2018

Jorge Kajuru é eleito segundo senador por Goiás

Vanderlan Cardoso vence disputa ao Senado por Goiás

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Depois de quase 30 anos, Marconi Perillo perde foro privilegiado e comenta derrota

Iniciando a carreira política em 1991, Marconi Perillo fica sem nenhum mandato depois de 27 anos. O tucano comentou a derrota por meio de nota.

Por Ton Paulo
08/10/2018, 08h13

Após quase 30 anos exercendo mandatos políticos e, automaticamente, contando com foro privilegiado, Marconi Perillo (PSDB), emitiu ontem (7/10) uma nota oficial na qual comenta sua derrota na corrida ao Senado Federal.

O ex-governador seguia líder nas pesquisas de intenção de voto para o Senado, até o momento em que foi deflagrada a operação da PF, Cash Delivery, na qual envolveu seu nome e políticos próximos a ele.

No dia 28 de setembro, a PF deflagrou a Cash Delivery baseada em delações premiadas de executivos da Odebrecht, relacionando o nome de Marconi Perillo ao recebimento de propina voltada à campanhas do tucano em 2010 e 2014.

Com a enorme repercussão negativa da operação, noticiada nacionalmente, Marconi caiu para a 4ª posição nas pesquisas, quadro que se deteriorou e culminou na 5ª colocação apurada, com 7,55% dos votos válidos, segundo a contagem do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), fazendo com que fosse derrotado.

Em dados consolidados, o ex-governador ficou atrás de Vanderlan (PP), 31,35%; Jorge Kajuru (PRP), 28,23%; Wilder Morais (DEM), 14,43%; e da aliada Lúcia Vânia (PSB); 9,42%. Abaixo do Tucano, ficaram apenas Agenor (MDB, 3,56%); Professora Geli (PT, 2,41%), Luís Cesar Bueno (PT, 1,84%), Fabrício Rosa (PSOL, 0,83%); e Professora Magda Borges (PCB, 0,37%). Santana Pires (Patriotas) e Professor Alessandro Aquino não registraram votos.

Na política desde 1991, Marconi Perillo fica sem mandato e perde foro privilegiado

Marconi iniciou na política em 1991, ano em que foi eleito como deputado estadual. Em 1994, Perillo ganhou a eleição para deputado federal pelo PP, sendo o sexto mais votado. Em 1998, Marconi foi eleito governador de Goiás, já pelo PSDB. Foi reeleito em 2002, cumprindo o mandato até 2006, quando foi eleito ao Senado Federal. Voltou a ser eleito e reeleito governador de Goiás em 2010, ficando no mandato até o início de 2018, quando se licenciou para concorrer ao Senado.

Em nota, Marconi comentou a derrota

“Em nota, Perillo falou sobre o resultado negativo com agradecimentos aos eleitores, a Deus, a goianos, e profissionais e apoiadores que “marcharam” com ele durante o tucanato. “Encerro essa disputa de cabeça erguida, com a cristalina convicção de que nosso legado ficará registrado na memória dos goianos e nos livros de história. Um marco sem precedentes de realizações, de transformações, de transparência e de honestidade”.

Encerrada a apuração dos votos dos quase 3,5 milhões de goianos que compareceram às urnas para escolher seus representantes, as minhas palavras são de gratidão.

Gratidão a Deus, por estar sempre comigo nesta bela e recompensadora missão de dar as mãos ao nosso povo para ajudar a transformar Goiás num lugar cada vez melhor para se viver.

Gratidão e apreço pelos goianos, que me elegeram para sete mandatos, quatro deles como governador do meu Estado, confiança dispensada apenas a mim até hoje.

Gratidão aos amigos, profissionais e apoiadores que marcharam comigo nesta jornada, sempre obstinados e dispostos a dar o melhor de si mesmo diante das missões mais árduas.

Gratidão à minha família, que me apoiou mesmo diante de incontáveis dias longe de casa para cumprir a honrosa e elevada missão de servir à minha terra, à minha gente, ao meu Estado e ao meu País.

Encerro esta disputa de cabeça erguida, com a cristalina convicção de que nosso legado ficará registrado na memória dos goianos e nos livros de história. Um marco sem precedentes de realizações, de transformações, de transparência e de honestidade.

Gratidão, porque fizemos uma campanha limpa e democrática, na qual prevaleceu o desejo da maioria dos goianos, do maior ao menor município. É justamente assim que tem de ser e assim prosseguiremos.

Tenho agora a oportunidade de me dedicar muito mais à minha família, à minha saúde, aos meus amigos e ao meu primeiro neto, que em breve virá ao mundo.

Aos eleitos, meus sinceros votos de sucesso e a convicção de que se empenharão arduamente para manter Goiás no caminho do avanço e para recolocar o Brasil na rota do desenvolvimento econômico e humano.”

Via: Mais Goiás 
Imagens: O Popular 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Brasília tem dez novos deputados federais goianos

Dos novatos, o Congresso Nacional ganha o combativo Elias Vaz, o professor Alcides, o Dr. Zacarias Calil e o ex-governador de Goiás, Alcides Rodrigues.
08/10/2018, 09h44

Dos 17 deputados federais goianos, dez são novatos para os quatro anos seguintes a partir de janeiro de 2018. O melhor colocado no ranking de preferência do eleitor goiano e, por isso, mais votado, foi o deputado delegado Waldir (PSL), com 274.406 votos. Em segundo lugar no pódio, Flávia Morais (PDT), obteve 169,774 votos, seguida do médico, Dr. Zacarias Calil (DEM), com 151.508.

Outros cinco parlamentares, além de Flávia Morais e de Waldir Soares, conseguiram reeleição. João Campos (PRB) e Rubens Otoni (PT), que vão para o quinto mandato, Magda Mofatto (PR), Lucas Vergílio (Solidariedade) e Célio Silveira (PSDB) alcançam o segundo mandato.

Deputados como Roberto Balestra (PP), que perdeu a tentativa de se reeleger para o nono mandato e Jovair Arantes (PTB), que tentava o sétimo mandato, deram lugares aos dez novatos.  Não conseguiram a reeleição, os deputados Giuseppe Vecci (PSDB), Fábio Sousa (PSDB) e Marcos Abrão (PPS).

Os novatos serão Glaustin da Fokus (PSC), Zé Mário (DEM), Professor Alcides (PP), Adriano do Baldy (PP), o vereador por Goiânia Elias Vaz (PSB), o ex-governador Alcides Rodrigues (PRP), além de Major Vitor Hugo (PSL) e o deputado estadual José Nelto (Podemos).

Deputados federais goianos eleitos por Goiás:

1) Delegado Waldir (PSL) – 274.406 votos

2) Flávia Morais (PDT)- 169,774 votos

3) Dr. Zacarias Calil (DEM) -151.508 votos

4) Francisco Jr. (PSD) -111.788 votos

5) João Campos (PRB) – 106.014 votos

6) Glaustin da Fokus (PSC) -100.437 votos

7) Zé Mário (DEM) – 96.188 votos

8) Magda Mofatto (PR) – 88.894 votos

9) Professor Alcides (PP) -88.545 votos

10) Rubens Otoni (PT) – 83.063 votos

11) Lucas Vergílio (SD) -78.431 votos

12) Adriano do Baldy (PP) -77.729 votos

13) Elias Vaz (PSB) -74.877 votos

14) Célio Silveira (PSDB) -70.663 votos

15) Alcides Rodrigues (PRP) – 64.941 votos

16) José Nelto (Podemos) -61.809 votos

17) Major Vitor Hugo (PSL) – 31.190 votos

Leia mais:

Confira a lista dos deputados estaduais eleitos por Goiás em 2018

Em vitória histórica, Ronaldo Caiado é eleito governador de Goiás

Jorge Kajuru é eleito segundo senador por Goiás

Vanderlan Cardoso vence disputa ao Senado por Goiás

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Metade dos deputados estaduais de Goiás é reeleita; veja os nomes

Entre a maiores bancadas que agora legislam na Alego, estão a do partido Democratas (DEM) - partido do governador eleito, Ronaldo Caiado -, e PSDB.

Por Ton Paulo
08/10/2018, 10h08

Um total de 21 deputados estaduais de Goiás foram reeleitos nestas eleições, número que representa metade dos 41 parlamentares em exercício na Assembleia Legislativa (Alego).

Entre a maiores bancadas que agora legislam na Alego, estão a do partido Democratas (DEM) – partido do governador eleito, Ronaldo Caiado -, e PSDB.

Confira abaixo a lista com os nomes dos deputados estaduais de Goiás que foram reeleitos (por ordem alfabética):

Álvaro Guimarães – DEM

Bruno Peixoto – MDB

Charles Bento – PRTB

Cláudio Meirelles – PTC

Del. Adriana Accorsi – PT

Diego Sorgatto – PSDB

Dr. Antonio – DEM

Gustavo Sebba – PSDB

Helio de Sousa – PSDB

Henrique Arantes – PTB

Humberto Aidar – MDB

Iso Moreira – DEM

Jeferson Rodrigues – PRB

Karlos Cabral – PDT

Lêda Borges – PSDB

Lissauer Vieira – PSB

Lucas Calil – PSD

Major Araújo – PRP

Paulo Cézar Martins – MDB

Talles Barreto – PSDB

Virmondes Cruvinel – PPS

O partido Democratas, que, até o momento era a oposição dentro da Assembleia Legislativa, passa agora, com a eleição do governador Ronaldo Caiado, a ser situação.

O PSDB, que agora passa a ser oposição teve o maior número de deputados estaduais eleitos em Goiás. Das 41 vagas, a legenda aprovou seis candidatos: Diego Sorgatto, Dr. Helio de Sousa, Talles Barreto, Leda Borges, Tião Caroço, Gustavo Sebba. O número, porém, é menor do que as 12 cadeiras que o PMDB mantém atualmente na Alego.

A coligação Goiás Avança Mais (PSDB-PPS-PSB) elegeu outros dois deputados. A coligação A mudança é agora (DEM-PTC-PMB-PSC) elegeu o segundo maior número de candidatos, com seis deputados.

Com 46.545 votos, o primeiro colocado entre os deputados estaduais foi Henrique César (PSC), que havia assumido cadeira no Legislativo em 2017, por oito meses, enquanto Talles Barreto (titular da vaga) estava de licença.

O segundo colocado, com 45.605 votos, foi Jeferson Rodrigues (PRB). Ele foi reeleito após assumir cadeira em 2016 na Assembleia Legislativa. O terceiro colocado, Diego Sorgatto (PSDB), tem 28 anos, já foi presidente da Câmara Legislativa Municipal de Luziânia, vai para o segundo mandato como deputado estadual e teve 41.362 votos.

Via: Mais Goiás 
Imagens: O Popular 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Política

PT e PSL elegem as maiores bancadas da Câmara dos Deputados

Goiás manteve um deputado reeleito pelo PT.
08/10/2018, 10h10

O PT e o PSL despontaram nas urnas neste domingo (07/10), com as maiores bancadas para a Câmara dos Deputados para os próximos quatro anos. O PT, que em 2014 elegeu 69 deputados, continua com uma grande bancada, mas perdeu representação ficando com 56 deputados. O maior crescimento foi do PSL, que saiu de 1 deputado eleito em 2014 para 52.

O MDB que hoje ocupa a presidência da República com Michel Temer perdeu quase a metade do espaço que tinha em 2014, quando elegeu 65 deputados. A bancada tem até agora 34 parlamentares.

O Partido Novo, que estreou nas eleições de 2018, conseguiu 8 deputados. A nova Câmara continua marcada pela fragmentação partidária. São 30 legendas com representação no Parlamento.

A representatividade das bancadas é fundamental na atuação parlamentar. O maior partido tem peso na escolha dos cargos mais importantes da Casa, como a presidência da Câmara e da Comissão de Constituição e Justiça.

Até fevereiro de 2019, quando os deputados tomam posse, os partidos ainda podem se aliar á outros blocos para ajustar a atuação parlamentar de acordo com o resultado da eleição para presidente da República.

Renovação na câmara dos deputados

A renovação teve alta em alguns estados. No Mato Grosso e no Distrito Federal, apenas uma das oito cadeiras é de deputados reeleitos. Erika Kokay (PT) foi reeleita pelo DF e Carlos Bezerra (MDB) pelo MT. Os demais são novatos na Câmara dos Deputados. Já em Goiás o PT manteve um parlamentar reeleito, o deputado Rubens Otoni (PT).

O Piauí, por outro lado, reelegeu sete dos dez deputados federais de sua bancada. O Rio Grande do SuL também optou por reeleger a maior parte da bancada: 19 foram reeleitos e 12 são novatos.

A composição da Câmara traz novos nomes como o ator Alexandre Frota (PSL-SP) e a jornalista Joice Hasselmann (PSL-SP). Há vários novatos ligados à área de segurança, caso Policial Katia Sastre (PR-SP), que ganhou fama nacional após abordar um assaltante em frente a uma escola.

A deputada Luiza Erundina (Psol-SP) é a veterana da próxima composição da Câmara. A parlamentar, que tem 84 anos, vai iniciar o sexto mandato consecutivo. Outro veterano é o deputado Átila Lira (PSB-PI), 71 anos, que vai iniciar o oitavo mandato como deputado, sendo o sexto consecutivo.

Justiça Eleitoral

Os resultados das eleições poderão ser alterados em decorrência de eventuais recursos decididos pela Justiça Eleitoral. O Judiciário analisa ações sobre abuso do poder econômico e político nas eleições, atendendo a Lei da Ficha Limpa (Lei Complementar 135/10).

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.