Economia

O mais 'elétrico' salão do Automóvel

07/10/2018, 09h50

Eles ainda têm participação nanica de 0,2% no mercado, com apenas 2.754 unidades vendidas de janeiro a setembro de um total de 1,78 milhão de automóveis. Modelos híbridos e elétricos, contudo, começam a aparecer nas ruas brasileiras e serão as estrelas da 30.ª edição do Salão do Automóvel de São Paulo, no próximo mês.

Mais de 20 automóveis de variadas marcas estão confirmados para a mostra, que ocorrerá entre os dias 8 e 18 de novembro no São Paulo Expo Exhibition. Alguns poderão ser dirigidos pelos visitantes em área reservada para testes, entre os quais o BMW i3 e o i8 e Renault Twizy e o Zoe. No primeiro dia do evento haverá uma carreata pela cidade com cerca de 30 carros movidos a eletricidade, promovida pela Abravei, associação de donos de veículos inovadores.

Outra novidade do salão será um espaço para palestras sobre mobilidade, com temas voltados aos veículos eletrificados, conectados e autônomo. “Vai ser o salão mais elétrico de todos”, afirma o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Antonio Megale.

Um empurrão ao mercado de híbridos (com um motor elétrico e um a combustão) e elétricos (100% a energia) será dado a partir do próximo mês, com a entrada em vigor da nova tabela do Imposto sobre Produtos Industrializados. O IPI para híbridos vai variar de 7% a 20% e, para elétricos, de 7% a 18%, dependendo da eficiência energética e do peso do carro. Hoje é de 25%.

A medida vai aumentar a oferta de modelos menos poluentes ou totalmente limpos no País, “mas ainda não é suficiente para promover uma massificação”, ressalta Megale. A indústria defendia IPI de 7% para todos os veículos “verdes”, mesma alíquota dos carros 1.0.

Ainda assim, quase todas as montadoras devem mostrar no salão modelos importados que já estão à venda ou que serão lançados até o próximo ano. A General Motors apresentará o Bolt, compacto 100% elétrico com autonomia de 400 quilômetros, e a Nissan o novo Leaf, ambos para início de vendas em 2019.

Dos 2.754 veículos “verdes” vendidos neste ano, apenas 158 são elétricos e os demais são híbridos. Em igual período de 2017 foram vendidos 2.352 veículos, sendo 111 elétricos e os outros híbridos.

Segundo Marcelo Cioffi, sócio da PwC do Brasil, no mundo todo a venda de modelos puramente elétricos ainda é pequena pois, além do custo elevado, é preciso infraestrutura para abastecimento. Já as vendas de híbridos crescem mais rapidamente e o mesmo deve ocorrer no Brasil, mas no longo prazo. “O Brasil ainda é um país onde a maior parte dos carros vendidos é de modelos de menor custo e os elétricos têm alto custo.”

A BMW levará ao salão três híbridos plug in, o i3 e o i8 – com preços entre R$ 200 e R$ 800 mil -, e uma novidade ainda não revelada. “A estratégia global da empresa é pela eletrificação e até 2025 teremos 25 modelos e certamente alguns virão para o Brasil”, afirma Gleide Souza, diretora da empresa.

A Toyota trará o inédito Prius Híbrido Flex, que usa etanol no lugar da gasolina para gerar eletricidade. O carro foi testado em percurso de São Paulo a Brasília e agora passa por adaptações. “Estamos avaliando a venda, mas primeiro será importado pois o mercado não tem volume que justifique a produção”, diz Ricardo Bastos, diretor da companhia. O modelo na versão a gasolina custa R$ 125 mil. A Lexus, marca de luxo do grupo, vai mostrar o NX 300, que custa R$ 220 mil. A Audi terá quatro híbridos no estande (A6, A7, A8 e Q8), a Ford duas versões do Fusion (uma delas plug-in), a Kia três (Soul EV, Optima e Niro) e a Volkswagen o Golf GTE.

Marcas que não participam do salão também têm projetos para ampliar vendas. A Volvo oferece os híbridos plug-in XC90, XC60 e S90T8. A BYD vende os elétricos E5 e E6 e em 2019 trará o Song. A Tesla tem as versões S e X, que custam R$ 1 milhão. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Caiado deve ser eleito hoje no 1º turno, segundo Serpes

De acordo com a pesquisa, Caiado tem 45,8% das intenções de voto, contra 11,9% do deputado federal Daniel Vilela (MDB) e 7,6% de José Eliton.

Por Ton Paulo
07/10/2018, 10h36

O senador e candidato ao governo de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), deve ser eleito hoje (7/10) já em primeiro turno. O atual governador Zé Eliton (PSDB) deve ficar em terceiro lugar na disputa, aponta a sétima e última rodada da pesquisa Serpes/O POPULAR, realizada de 3 a 6 de outubro.

De acordo com a pesquisa, Caiado tem 45,8% das intenções de voto, contra 11,9% do deputado federal Daniel Vilela (MDB) e 7,6% de Zé Eliton, em empate técnico com Kátia Maria (PT), que alcança 5,9%.

Considerando apenas os votos válidos, Ronaldo Caiado tem 63,2%. Daniel tem 16,4% e Eliton, 10,5%. São necessários 50% dos votos válidos mais um para as eleições terminarem hoje.

A nova rodada da Serpes trouxe o impacto negativo para Zé Eliton em razão da Operação Cash Delivery, deflagrada no dia 28 de setembro pela PF e pelo Ministério Público Federal (MPF), que prendeu um dos coordenadores da campanha do candidato tucano, Jayme Rincón, ex-presidente da Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop).

A Operação também respingou na candidatura ao Senado de Marconi Perillo, uma vez que fez buscas em endereços do ex-governador do PSDB.

Candidato ao Senado. Jayme conseguiu um habeas corpus na última sexta-feira (5/10) mas as investigações ainda seguem.

Pesquisa mostrou crescimento de 3,9% de Caiado

Em comparação com a rodada anterior da pesquisa, Caiado teve um crescimento de 3,9 pontos porcentuais. Daniel oscilou 1,8 ponto para cima e Eliton perdeu 3 pontos. Kátia apresentou variação positiva de 2,2 pontos porcentuais.

Nas sete rodadas da pesquisa Serpes, o quadro se manteve quase o mesmo, com a maioria das variações dentro da margem de erro.

Desde a primeira, divulgada em abril, Ronaldo Caiado aparece com cerca de 40%. Na véspera das eleições, ele alcançou o maior índice e Eliton o segundo menor – só havia registrado porcentual pior no primeiro levantamento, de 10 de abril, quando tinha 6,7%.

Foram ouvidos um total de 801 eleitores, em 32 municípios goianos, até o fim da manhã de ontem.

O porcentual que indica vitória em primeiro turno de Caiado praticamente não se alterou em todas as rodadas – variou de 60% a 62,1% e chega a 63%.

Via: O Popular 
Imagens: Jornal Opção 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Em Goiás, 11 casos de crimes eleitorais já foram registrados neste domingo

A maioria dos flagrantes dos crimes eleitorais foi por derramamento de Santinhos nas ruas.

Por Ton Paulo
07/10/2018, 11h23

Já foram registradas um total de 11 ocorrências referentes a crimes eleitorais, na manhã deste domingo (7/10), em todo o Estado.

O coronel e comandante da operação Eleições 2018 da Polícia Militar (PM), Anésio Barbosa, disse que a maioria dos flagrantes foi por derramamento de Santinhos nas ruas.

Houve três registros na capital Goiânia, duas no município de Ipameri e o restante em Jaraguá, Uruaçu, Campo Alegre, Cesarina, Águas Lindas e São Miguel do Araguaia.

O coronel contou ainda que após os flagrantes os suspeitos foram liberados depois de assinar os termos de compromisso de comparecimento em Juízo.

Quais atos configuram crimes eleitorais no dia da eleição

Crimes eleitorais são todas as ações proibidas por lei praticadas por candidatos e eleitores, em qualquer fase de uma eleição.

Desde o alistamento eleitoral até a diplomação dos candidatos, as infrações serão punidas com detenção, reclusão e pagamento de multa, previstas no Código Eleitoral e em outras leis.

Fique atento para o respeito e o devido cumprimento das normas eleitorais! Configuram crimes eleitorais no dia da eleição os seguintes atos listados abaixo:

– Promover a desordem ou a concentração de eleitores com o fim de impedir, embaraçar ou fraudar o exercício do voto, sob qualquer forma, inclusive com o fornecimento gratuito de alimento e transporte coletivo;

– Utilizar alto-falantes e amplificadores de som;

– Realizar comício ou carreata;

– Fazer boca-de-urna (É permitida, desde que não faça parte de aglomeração, a manifestação individual e silenciosa da preferência política do eleitor, como por exemplo o uso de camisetas, o porte de bandeira e a utilização de adesivos em veículos particulares);

– Distribuir material de propaganda política (panfletos, cartazes, camisetas, bonés, adesivos, etc) fora da sede do partido ou comitê político;

– Usar (funcionários da Justiça Eleitoral e mesários) qualquer elemento de propaganda eleitoral;

– Violar ou tentar violar o sigilo do voto.

Via: Brasil Gov CBN Goiânia 
Imagens: Correio Lageano 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Política

TRE já substituiu 56 urnas em Goiás até o início da tarde

Até o momento, 11 casos de crimes eleitorais já foram registrados.
07/10/2018, 13h00

O Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO) informou que, até o início da tarde deste domingo, 56 urnas foram trocadas, sendo 11 destas na cidade de Goiânia. Além disso, 11 pessoas foram presas.

O secretário de tecnologia da informação do TRE-GO, Dory Gonzaga, afirmou que o fechamento de algumas seções pode acontecer após as 17h, devido a atrasos. Ele afirmou também que o Tribunal chegou a ser acionado por um eleitor que alegava problema na urna, mas que ele estava, na verdade, confundido a ordem de votação.

O voto para governador vem antes do presidente, e o eleitor estava fazendo o contrário e, por isso, recebia um aviso de voto nulo. “É preciso prestar bastante atenção nesta ordem de votação”, diz Gonzaga.

Imagens: Exame.com 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Candidatos ao governo de Goiás votam neste domingo

Os candidatos falaram também sobre suas expectativas nestas eleições.

Por Ton Paulo
07/10/2018, 13h26

Os principais candidatos ao governo de Goiás votaram em suas respectivas zonas eleitorais na manhã deste domingo (7/10). Daniel Vilela (MDB), Kátia Maria (PT), Ronaldo Caiado (DEM) e Zé Eliton (PSDB) ainda falaram sobre suas expectativas quanto a essas eleições.

O candidato pelo DEM, Ronaldo Caiado, que liderou as pesquisas de intenção de voto e está sob a possibilidade de ser eleito no 1º turno, votou no município de Nova Crixás, acompanhado do deputado estadual Lincoln Tejota e do senador Wilder Morais.

Seu local de votação foi no Colégio Estadual Zizi Caiado. Caiado disse que “o sentimento da população no sentido de mudar o sistema de práticas da gestão público alavancou a campanha” do candidato.

Candidatos ao governo de Goiás votam neste domingo
Foto: Assessoria Ronaldo Caiado

Já Daniel Vilela, candidato pelo MDB, votou em Goiânia, na Escola Municipal João Clarimundo de Oliveira, no bairro Água Branca.

Ele estava acompanhado do ministro Alexandre Baldy e Heuler Cruvinel. Daniel declarou que “está entusiasmado”. “Fizemos uma campanha limpa e verdadeira, e acredito no segundo turno, uma vez que os institutos mostraram isso”, disse.

Candidatos ao governo de Goiás votam neste domingo
Foto: Assessoria Daniel Vilela

Kátia Maria, do PT, votou em Senador Canedo, e foi a pé, juntamente com a militância, de sua casa até o local de votação, o Colégio Estadual Pedro Ludovico Teixeira, no Jardim de Todos os Santos.

A candidata estava acompanhada do vice, Nivaldo Santos, e dos candidatos ao Senado Professora Geli e Luis Cesar Bueno. Kátia afirmou que sua campanha foi “ativa e propositiva” e que está com a consciência tranquila de que fez um bom trabalho.

Candidatos ao governo de Goiás votam neste domingo
Foto: Assessoria Kátia Maria

Já Zé Eliton votou no Colégio Marista, no Setor Sul, em Goiânia. Ao seu lado estava a primeira-dama do Estado, Fabrina Muller e de sua candidata a vice, Raquel Teixeira (PSDB).

Em entrevista à imprensa, o governador ressaltou que fez uma campanha respeitosa e pautada em propostas. Ele também se disse sereno e tranquilo, neste momento de “celebração da democracia”.

A reportagem do Dia Online não conseguiu contato com as assessorias dos candidatos Weslei Garcia (PSOL) e Alda Lúcia (PCO).

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.