Política

De cada cinco deputados do PSL eleitos, ao menos um é militar ou policial civil

08/10/2018, 20h30

Partido com o maior crescimento nestas eleições parlamentares, o PSL vai impulsionar a presença de policiais civis e militares na Câmara dos Deputados no próximo ano. De cada cinco deputados eleitos neste domingo, 7, pela legenda, ao menos um é militar ou policial civil, de acordo com as profissões declaradas pelos candidatos eleitos ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O partido elevou sua tímida bancada de atuais oito deputados para 52. Deste total, 12 declararam profissões ligadas à área da segurança. A expectativa é que, com isso, a legenda do capitão reformado Jair Bolsonaro turbine a chamada “bancada da bala” na Câmara. Neste grupo eleito pelo PSL, está o campeão de votos Eduardo Bolsonaro (SP), que é policial civil, e a policial militar Major Fabiana (RJ), que tinha o slogan “a mulher na segurança” em sua campanha.

No total dos 513 candidatos eleitos para a próxima legislatura da Câmara dos Deputados, 15 declararam ter profissões de militares ou policiais civis.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Carro capota e fica preso em árvores na BR-060; motorista bêbado é preso

Deu ruim!
08/10/2018, 20h56

Um motorista de 24 anos, que não teve a identidade revelada,  foi preso pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) após capotar o carro que dirigia e ficar “pendurado” nas árvores, na BR-060, em Rio Verde. O jovem estava bêbado e antes do acidente, segundo testemunhas, “ziguezagueava” pela rodovia. O caso ocorreu no último sábado (6/10).

Tudo aconteceu após o motorista, que estava em alta velocidade, perder o controle da direção e capotar diversas vezes até o veículo parar de ponta nas árvores a beira da rodovia. Apesar do susto, o homem não ficou ferido. De acordo com as informações da polícia, ele é funcionário de uma grande rede telefônica, e seguia de Anápolis-GO com destino à Mineiros-GO. O veículo que o homem dirigia era alugado pela empresa em que presta serviço.

Depois do acidente, agentes da PRF foram até o local para atender a ocorrência e verificaram que o motorista apresentava sinais de embriaguez. Ele foi submetido ao teste do bafômetro, que apontou 1,0 mg/l de álcool, caracterizando crime de trânsito. O motorista foi preso e levado à Polícia Civil, onde foi arbitrada fiança no valor de R$ 10 mil.

Segundo informações da PRF, além de ser autuado por dirigir embriagado, tendo que pagar multa no valor de R$2.934, o jovem responderá judicialmente pelo crime, podendo ser condenado de seis meses a três anos de prisão.

Motorista bêbado é reincidente

O mesmo motorista, inabilitado, já responde processo por ter se envolvido em acidente de trânsito com vítima fatal. Em março do ano passado, o motorista se envolveu em um acidente onde bateu de frente com outro veículo, resultando na morte do outro condutor.

O acidente ocorreu em Mineiros, no interior de Goiás. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, na ocasião, o motorista fugiu do local do acidente, e se apresentou tempo depois na delegacia para prestar esclarecimentos.

Via: PRF 
Imagens: PRF 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Município goiano é o primeiro de todo o Centro-Oeste a receber internet ultraveloz

O Vivo Fibra foi lançado em duas cidades do interior de São Paulo nesta semana e agora a Vivo anuncia a expansão da rede de FTTH em 23 bairros na cidade de Jataí, no estado de Goiás.

Por Ton Paulo
09/10/2018, 08h16

O município goiano de Jataí, a 320 quilômetros de Goiânia, foi o primeiro de toda a região Centro-Oeste a ter disponível internet ultraveloz. A prefeitura da cidade realizou parceria com a empresa de telecomunicação Vivo, para que começasse a funcionar a internet de fibra ótica na cidade. Os jataienses agora recebem sinal com velocidade de até 300 megas por segundo.

De acordo o prefeito Vinícius Luz (PSDB), o sinal de internet em Jataí era muito precário e desde a sua eleição, no ano de 2016, ele tentava fazer tratativas com a operadora para resolver a situação. “A Vivo nos repassou a informação de que a legislação da cidade estava travando a instalação de novas torres”, relata a um jornal de Goiânia.

A prefeitura, então, começou a trabalhar com meios que viabilizassem alterações na legislação municipal. Depois de reuniões tanto em Brasília, como em Jataí, a administração da cidade conseguiu simplificar a legislação para que a operadora pudesse instalar novas torres.

Para o prefeito, foi uma melhoria significativa para a ampliação da cobertura de sinal. Segundo ele, graças às tratativas da administração, foi possível estruturar a rede de FTTH’Vivo Fibra’ na cidadepermitindo que o consumidor tenha acesso a internet com até 300 megas de velocidade.

Recepção dos moradores de Jataí está sendo positiva

De acordo com Vinícius Luz, a recepção dos moradores de Jataí que já adquiriram o sinal está sendo totalmente positiva. O prefeito relata que antes da internet ultraveloz, agora disponível aos habitantes, o município tinha alguns sinais de empresas de internet via cabo, e alguns com fibra ótica, mas nunca com essa velocidade.

O objetivo inicial da operadora é atingir cerca de cinco mil estabelecimentos residenciais e comerciais em 31 bairros da cidade.

A parte da prefeitura na parceria com a empresa foi a de viabilizar a alteração na legislação para que ela entrasse em sintonia com a Lei Geral das Antenas (PLS 293/2012). Segundo o prefeito, não houve necessidade de nenhum gasto por parte da administração municipal.

O prefeito ainda contou que a análise do projeto foi aperfeiçoada e que os alvarás foram liberados no prazo de um dia.

Além de Jataí, duas cidades do interior de São Paulo receberam a internet de ultravelocidade

O Vivo Fibra foi lançado em duas cidades do interior de São Paulo nesta semana e agora a Vivo anuncia a expansão da rede de FTTH em 23 bairros na cidade de Jataí, no estado de Goiás.

A cidade fazia parte do cronograma de cidades selecionadas pela operadora para receber a tecnologia neste ano e os bairros contemplados foram: Vila Santa Maria, St Granjeiro, St Central, Jd Floresta, St Iracema, St Epaminonda II, Santa Lucia, St Cordeiro, Vila Fatima, Vila Progresso, St das Mansões, St Planalto, Bela Vista, Vila Jd Rio Claro, Vila Luíza, St Hermosa, Centro, St Aeroporto, St Oeste, Vila Jardim Maximiliano Peres, Samuel Grahan, Don Benedito e Divino Espírito Santo.

Imagens: Exame.com 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Polícia Civil deflagra mega operação de combate à pornografia infantil em Goiás

Ao todo, os mandados vão ser cumpridos em 15  cidades do Estado de Goiás na operação de combate à pornografia infantil.

Por Ton Paulo
09/10/2018, 08h38

A Polícia Civil do Estado de Goiás (PC), sob a coordenação da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Cibernéticos (DERCC), deflagrou na manhã desta terça-feira (9/10) a “Operação Meu Zeloso Guardador”, que tem por objetivo o cumprimento de 51 mandados de busca e apreensão, visando a Prisão em Flagrante de investigados que compartilham imagens pornográficas infantis pela internet. A operação representa um golpe na pornografia infantil em Goiás.

Os mandados de busca e apreensão foram expedidos pela Justiça Criminal de Goiânia, em deferimento a pedido realizado pela Delegada Titular da DERCC, Dra.Sabrina Leles.

Ao todo, os mandados vão ser cumpridos em 15  cidades do Estado de Goiás.

A execução da Operação Meu Zeloso Guardador conta com o empenho de um efetivo de 280 policiais civis, oriundos de 16 cidades do Estado de Goiás, sendo elas: Goiânia, Aparecida de Goiânia, Anápolis, Bela Vista, Senador Canedo, Trindade, Inhumas, Pirenópolis, Caturaí, Itumbiara, Planaltina de Goiás, Rio Verde, Jataí, Cidade de Goiás, Mozarlândia e Aruanã.

Data da operação de combate à pornografia infantil em Goiás foi escolhida em razão do Dia das Crianças

A investigação da Policial Civil durou quatro meses, nos quais foram analisados mais de 100 mil arquivos, e objetivou identificar aqueles internautas que mais compartilham imagens pornográficas infanto-juvenil.

Esta data foi escolhida por marcar a semana de comemoração ao Dia das Crianças, na qual a Polícia Civil ressalta a necessidade de proteção daqueles que são explorados sexualmente, sendo que os usuários da internet que compartilham material pornográfico infantil são verdadeiros incentivadores dos abusos sexuais que sofrem essas  vítimas.

De acordo com a PC, uma coletiva de imprensa acontecerá no final desta manhã, para a divulgação de mais informações sobre a operação.

Imagens: Ponta Pora Informa 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Pesquisa indica que quase metade dos brasileiros sofre com má digestão

As mulheres são mais atingidas, provavelmente pelo acúmulo de encargos, mas há prejuízos na vida de 93% dos ouvidos pela Federação Brasileira de Gastroenterologia; entrevistados relataram sono afetado (74%) e sintomas durante o trabalho (70%).
09/10/2018, 08h39

Um levantamento inédito da Federação Brasileira de Gastroenterologia aponta que quase metade dos brasileiros sente algum sintoma de má digestão, como refluxo, azia e tosse seca. A azia foi o sintoma mais relatado nas cinco regiões do País e o Nordeste apresentou mais relatos de sintomas, totalizando 48% das queixas. Os dados, segundo a entidade, ajudam a montar um perfil dessas doenças com um recorte nacional e servirão como base para o trabalho de especialistas da área.

O levantamento considerou não só os sintomas, mas o impacto no dia a dia. “Atrapalha a qualidade de vida. Sabíamos que era muito frequente, mas não tínhamos ideia de que quase metade da população apresentava (má digestão) – e quem mais sofre são as mulheres. Tínhamos o interesse em descobrir até para ajudar essa população”, diz Flávio Quilici, presidente da Federação Brasileira de Gastroenterologia.

A pesquisa, realizada em junho, mostrou que os sintomas causam prejuízos na vida pessoal e profissional para 93% dos entrevistados, que relataram sentir a qualidade do sono afetada (74%) e disseram que já apresentaram sintomas durante o horário de trabalho (70%). Embora a azia, a sensação de queimação no peito, tenha liderado entre os sintomas, ficando entre 88% e 90% das respostas, o refluxo, quando o conteúdo do estômago volta para o esôfago e pode ser sentido na garganta, é o problema que mais causa desconforto. Ele foi apontado por cinco em cada dez entrevistados entre os problemas que ocorrem semanalmente.

Além dessas, a pesquisa também destacou outras reclamações dos pacientes que nem sempre podem ser associadas a problemas de digestão, como a tosse seca e o mau hálito. “Conseguimos ver que alguns fatores correlatos, como o sobrepeso e o hábito de fumar, pioram esses sintomas. E isso não escolhe classe social nem idade”, diz Quilici.

Perfil

Segundo ele, os dados permitem elaborar o perfil do paciente que tem problemas de má digestão no País. “É mulher, jovem e com sobrepeso – e, talvez, fumante. A mulher se preocupa mais com a saúde, mas os casos são mais frequentes entre elas. Não deve ser alimentar, porque o homem se alimenta pior. A mulher é mais sobrecarregada no ponto de vista social, ela trabalha e é mais importante no comando da vida familiar, porque trabalha diretamente na sua casa, na manutenção da qualidade de vida da família. Com os filhos, se preocupa desde ensinar a falar até a escola. Ela é muito mais sobrecarregada em responsabilidades do que o homem.”

Em agosto, a enfermeira Larissa Rodrigues de Oliveira, de 25 anos, recebeu um diagnóstico de refluxo. Ela procurou ajuda médica após medicar-se com antiácido, remédios para a garganta e o estômago, e não melhorar. “Estava sentindo muita queimação, principalmente quando acordava, engasgando. Tomei bastante antiácido, mas não estava resolvendo nada. Era uma queimação que parecia que a garganta estava inflamada, já cheguei a tratar pensando que era inflamação, gastrite.”

Larissa também tem sintomas de azia e acredita que seu problema de saúde está ligado aos hábitos. “No meu caso, tem relação com a alimentação, porque sempre me alimentei mal, nunca fui regrada nem comia nada saudável. Fumo há um ano, mas já diminuí bastante, é mais nos fins de semana.”

Agora, está tentando ter uma nova rotina e também perder peso, outro fator que contribui para reduzir os sintomas do refluxo. “Perdi 24 quilos e ainda quero perder mais oito. Mudei a minha alimentação, comecei a comer mais frutas e estou tentando diminuir as frituras, que era algo que eu comia quatro, cinco vezes por semana.”

Alimentos fritos ou gordurosos e refrigerantes lideram entre os produtos que desencadeiam os sintomas de má digestão. De acordo com Quilici, os hábitos justificam as diferenças regionais, considerando que o Nordeste lidera as queixas. “Sem dúvida, tem o clima. Sabe-se do hábito das pessoas que vivem na região equatorial de comer e descansar para fazer a digestão. Além disso, tem uma comida pesada, condimentada, com alimentos mais secos, como a farinha.”

Ele afirma que, com os dados divididos por região, será possível oferecer um atendimento mais específico aos pacientes. “Essa pesquisa trouxe para a gente base científica. A federação tem uma sociedade em cada Estado. Poderemos fazer um trabalho regionalizado, porque falamos em uma situação econômica diferente e um clima diferente em cada região.”

Tratamento

Uma alteração na voz começou a incomodar o economista e professor aposentado Frederico Mazzucchelli, de 71 anos, há cinco anos. Como sempre usou muito a voz, dando aulas e cantando em uma banda de rock e samba, acreditou que seu problema poderia ser resolvido por um otorrinolaringologista. “Nunca tratei adequadamente. Fazia exames nas cordas vocais e aparecia uma irritação. No último mês, piorou. Fiz quatro exames no otorrino e fui no gastro. Ele falou que isso era consequência do refluxo e tinha de atacar o problema pela raiz.”

Ele conta que não tem os sintomas clássicos, como a sensação de que o conteúdo do estômago está voltando, e nunca imaginou que poderia ter refluxo. “Para mim, é só na voz que tem as manifestações. Mas é chato, desagradável. Tenho ensaiado, mas não tenho cantado. Isso me causa frustração. Espero que melhore, porque achava a minha voz o máximo.”

Mazzucchelli foge do padrão da pesquisa. Tem hábitos saudáveis, evita frituras e, três vezes por semana, faz caminhada, musculação e alongamento. Além do tratamento indicado pelo gastroenterologista, inclinou a cama em 15 centímetros. “Estou me tratando. No limite, existe uma cirurgia que corrige isso. O médico pediu para eu tomar o remédio por dois meses para ver como fica.”

Gastroenterologista clínico do Departamento de Gastroenterologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP), Ricardo Barbuti diz que, independentemente da queixa, o paciente deve manter hábitos saudáveis.

“A dieta tem de ser equilibrada. Os exercícios são importantes para ter um funcionamento saudável da parte digestiva. Essas doenças têm relação com maus hábitos, com o uso excessivo de medicamentos.”

Segundo ele, até a internet pode ser um inimigo. “Porque as pessoas tomam medicamentos (usando consultas à web), sem respaldo científico, e retardam a vinda ao médico, o que pode fazer com que demorem a receber o tratamento adequado e com que a doença evolua.”

Remédios para a má digestão

O gastroenterologista alerta para o uso indiscriminado de anti-inflamatórios. “Eles podem lesar o estômago, provocar sangramentos e não precisa tomar por muito tempo. E a lesão ocorre independentemente da via, oral ou intravenosa.”

Segundo a pesquisa, ao ter os sintomas, 45% dos consultados se medicam – 52% tomam antiácido. Entre as justificativas para não ir ao médico, aparecem: não achei necessário (30%), melhorei (26%) e não costumo ir (21%).

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.