Política

Lupi diz que Bolsonaro está sendo covarde ao não comparecer a debates

Presidente do PDT irá sacramentar hoje "apoio crítico" ao candidato Fernando Haddad (PT) para o segundo turno.
10/10/2018, 16h03

O presidente do PDT, Carlos Lupi, disse nesta quarta-feira, 10, que o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, pode estar cometendo um erro “fatal” ao utilizar atestado médico para não comparecer aos debates do segundo turno das eleições presidenciais. Lupi disse que “o povo brasileiro não gosta de fujão” e que o presidenciável do PSL está usando uma “desculpa esfarrapada e feia”.

“Ele está correndo dos debates e está sendo covarde. Não quer apresentar ao povo brasileiro o que ele pensa. Como haverá uma eleição com dois candidatos no segundo turno em que um deles não quer participar do debate eleitoral? Ele não quer que o povo conheça sua verdadeira identidade”, disse. “Virou desculpa esfarrapada feia. Por que então ele pode dar entrevista para TV Record? É medo, é correr, é fujão. Eu acho que é um erro do médico dar um atestado novo porque isso pode ser fatal para sua eleição. O povo não gosta de fujão, não gosta de candidatos que não apresentem suas ideias”, complementou.

Lupi disse que o povo precisa “acordar para a realidade” porque a candidatura de Bolsonaro representa “o golpe”. “Muita gente diz que se o Bolsonaro ganhar vem golpe. Não vem, ele é o golpe. É um capitão candidato a presidente e um general candidato a vice-presidente, para quê golpe? Então as pessoas têm de acordar pra essa realidade”, explicou.

Lupi reafirma “apoio crítico” à Fernando Haddad

O presidente do PDT reafirmou que vai defender, na reunião da Executiva Nacional, que a sigla faça um “apoio crítico” à Fernando Haddad, sem que ninguém da direção de seu partido participe efetivamente da campanha petista ou tenha algum cargo no governo Haddad, caso ele seja o vencedor do pleito.

A decisão sobre o “apoio crítico” ao PT será sacramentada em reunião da Executiva Nacional da legenda, que acontece neste momento em Brasília. A opção pelo apoio crítico se deve à manobra, orquestrada com aval do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que atrapalhou as negociações de apoio do PSB à candidatura de Ciro, ainda durante o primeiro turno.

O caso foi encarado como uma rasteira do PT no partido. Na ocasião, os petistas retiraram candidaturas em outros Estados para não atrapalhar nomes do PSB que disputavam os mesmos cargos. Em troca, os socialistas se comprometeram a ficarem neutros no primeiro turno, em vez de apoiarem o presidenciável do PDT.

Além disso, Lupi defende que Ciro Gomes lance um movimento por uma nova candidatura, visando 2022, já após a definição do novo presidente em outubro. Porém, a opção de apoiar Haddad, ainda que de forma crítica, não é unanimidade no PDT.

“A posição mais saudável para o Ciro neste momento é dizer que vai tapar o nariz, escolher o seu candidato, mas não vai recomendar ninguém. Isso não é fugir à decisão, é assumir uma posição de liderança para o próximo pleito”, defendeu o deputado federal Mario Heringer (PDT-MG), reeleito para mais um mandato na Câmara.

Na avaliação de alguns pedetistas, Ciro não conseguiu chegar ao segundo turno justamente porque parte do eleitorado enxergou muita proximidade entre a campanha do PDT e o PT, de Lula. E se posicionar em favor do petista enfraquece ainda mais a postura de liderança de Ciro Gomes para a próxima eleição. “Temos que fazer uma oposição responsável a qualquer um dos dois e não dar apoio”, defendeu Heringer.

Imagens: UOL 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Ex-governador Marconi Perillo é preso

A defesa de Marconi Perillo já se manifestou.
10/10/2018, 16h24

O ex-governador Marconi Perillo (PSDB) foi preso ao prestar depoimento na sede da Polícia Federal (PF), na tarde desta quarta-feira (10), no âmbito da Operação Cash Delivery.

A defesa de Marconi Perillo já se manifestou. O advogado Antônio Carlos Almeida de Castro, o Kakay, disse em nota que manifesta perplexidade.

Leia nota a seguir da defesa sobre prisão de Marconi Perillo

“A Defesa de Marconi Perillo, perplexa, vem registrar a completa indignação com o decreto de prisão na data de hoje. O Tribunal Regional da Primeira Região já concedeu 2 liminares para determinar a liberdade de duas outras pessoas presas nessa mesma operação, através de decisões de 2 ilustres Desembargadores. O novo decreto de prisão é praticamente um “copia e cola” de outra decisão de prisão já revogada por  determinação do TRF 1. Não há absolutamente nenhum fato novo que justifique o decreto do ex Governador Marconi Perillo, principalmente pelas mencionadas decisões anteriores que já afastaram a necessidade de prisão neste momento. Na visão da defesa, esta nova prisão constitui uma forma de descumprimento indireto dos fundamentos das decisões de liberdade concedidas a outros investigados. A Defesa acredita no Poder Judiciário e reitera que uma prisão por fatos supostamente ocorridos em 2010 e 2014, na palavra isolada dos delatores, afronta pacífica jurisprudência do Supremo, que não admite prisão por fatos que não tenham contemporaneidade. Marconi Perillo recebeu o decreto de prisão quando estava iniciando o seu depoimento no departamento de Polícia Federal e optou por manter o depoimento por ser o principal interessado no esclarecimento dos fatos . KAKAY”

Operação Cash Delivery

A Operação Cash Delivery foi desencadeada a partir de investigação depois de delação de executivos da Odebrecht, que alcança empresários, agentes públicos e doleiros pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha.

Ao todo, foram cumpridos 14 mandados de busca e apreensão e cinco de prisão temporária, expedidos pela 11ª Vara da Justiça Federal de Goiás, nas cidades de Goiânia, Aparecida de Goiânia, Pirenópolis e Aruanã, Campinas e São Paulo.

Durante a ação, foram apreendidos R$ 940.260 na casa de Márcio Garcia de Moura, policial militar e motorista de Jayme Rincón. Outros R$ 79 mil foram apreendidos na casa de Jayme, além de 2,4 mil euros, 80 libras esterlinas, 101 dólares e 15 pesos argentinos.

Marconi Perillo tinha codinome de “Master Padeiro”

Por meio de nota, o MPF informou que a Operação Preposto é um desdobramento das investigações da Operação Lava Jato, e decorre de acordos de leniência e colaboração premiada firmados pelo MPF com a Construtora Norberto Odebrecht e seus executivos.

Em um dos documentos obtidos pelos policiais, Marconi Perillo tinha o codinome de “Master Padeiro” nas planilhas.

Valores da propina

“Quando ainda era senador e, depois, também como governador, Marconi Perillo solicitou e recebeu, em 2010, propina no valor de R$ 2 milhões e, em 2014, R$ 10 milhões, em troca de favorecer interesses da empreiteira relacionados a contratos e obras no Estado de Goiás”, diz a nota do MPF.

Informou, ainda, que também eram alvos da operação o ex-presidente da Agência Goiana de Transporte e Obras (Agetop), Jayme Eduardo Rincon, o filho dele, Rodrigo Godoi Rincon, o policial militar Márcio Garcia de Moura, o ex-policial militar e advogado Pablo Rogério de Oliveira e o empresário Carlos Alberto Pacheco Júnior.

Segundo o MPF, o caso foi remetido à primeira instância a partir da renúncia de Marconi Perillo ao mandato de governador de Goiás e a consequente perda de foro privilegiado. O caso foi então assumido pelo Núcleo de Combate à Corrupção do MPF em Goiás e pela Polícia Federal.

A investigação foi iniciada em junho de 2017, perante o Superior Tribunal de Justiça (STJ). Segundo a nota do MPF, em julho de 2018 a Justiça Federal autorizou acesso a e-mails e a extratos de ligações telefônicas dos investigados, bem como às suas respectivas localizações, com base em informações das antenas das operadoras de celulares.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Política

Ex-titular da Seduce, Raquel Teixeira, é nomeada assessora especial do governo 

Nomeação foi feita nesta quarta-feira (10/10), pelo governador José Eliton.
10/10/2018, 17h53

A ex-titular da Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esporte de Goiás (Seduce) Raquel Teixeira é nomeada assessora especial do governo do estado. Ela também é ex-candidata à vice-governadoria na chapa do candidato à reeleição, José Eliton (PSDB). A nomeação foi feita nesta quarta-feira (10/10), pelo governador, há 82 dias do fim do mandato.

Raquel anunciou saída da Secretaria de Educação em abril deste ano para disputar as eleições. Convidada para participar da equipe de transição do governo, em entrevista, a nova assessora  informou que foi convidada pela participação na elaboração do plano de governo de José Eliton.

Raquel Teixeira

Raquel Alessandri Figueiredo Teixeira, de 72 anos, nascida em Goiânia, já foi deputada federal por Goiás por dois mandatos (2003/2006 – 2007/2010). É formada em Letras, mestre pela UnB e doutora em Linguística pela Universidade da Califórnia, EUA. A nova assessora também foi membro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico-CNPq e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Como deputada atuante na área de educação, Raquel contribuiu para a criação das Leis 11.114/2005 e 11.274/2006, as quais, respectivamente, leva as crianças para a escola com seis anos e amplia para nove anos a duração do Ensino Fundamental, garantindo um ano a mais de escolaridade para as crianças.

Novo governo de Goiás

Raquel Teixeira atuará nos últimos 82 dias de mandato de José Eliton, com possibilidade de continuar no próximo governo de Goiás, já que integra a equipe de transição.

Em 2019, quem assume como governador é Ronaldo Caiado, eleito com quase 60% dos votos no último domingo, 7 de outubro. O governador eleito já começou a se reunir com possíveis integrantes de sua nova equipe.

Nascido em Anápolis, Ronaldo Ramos Caiado, de 68 anos, teve seu primeiro cargo político em 1991, quando se elegeu para o cargo de deputado federal por Goiás. Dois anos antes, em 1989, havia concorrido à Presidência da República pelo PSD, ficando com 0,68% dos votos na disputa.

Já em 1994 o político concorreu ao Governo, mas ficou em terceiro lugar com 23% dos votos. Voltou a ser deputado federal em 1999 e foi reeleito em 2003, 2007 e 2011. Em 2014, Caiado foi eleito Senador por Goiás,

Imagens: Facebook 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Dia Gourmet

Fome na madrugada? Conheça os lugares com atendimento 24 horas em Goiânia

Sabe quando a fome bate justo na madrugada e você não tem nada pronto para comer? Muita calma nessa hora! Existem lugares que funcionam 24 horas em Goiânia e podem te salvar!
10/10/2018, 17h58

Quem é que nunca ficou com fome durante a madrugada? Acontece com todo mundo de vez em quando. Mas o pior é quando você não tem nada pronto em casa e fica com aquela preguiça de preparar alguma coisa. Felizmente, existem alguns lugares que funcionam 24 horas em Goiânia e podem te livrar de ter que tentar dormir para esquecer a fome.

Então, se quiser já estar prevenido para a próxima vez que acontecer, salve esta listinha que preparamos com todo o cuidado para você. É possível encontrar lugares que vendem jantas, lanches, sorvetes, sanduíches, caldos e até café! Dá uma olhada!

Lugares que funcionam 24 horas em Goiânia

1 – Simbora Restaurante

Fome na madrugada? Veja x lugares com atendimento 24 horas em Goiânia
Foto: Reprodução/ Simbora

Sabe quando você vira a noite na festa, sai de lá morrendo de fome mas não encontra nenhum lugar aberto? Nesses casos, o Simbora Restaurante pode acabar te salvando.

Um dos poucos com atendimento 24 horas em Goiânia, conta com um ambiente casual e seu cardápio possui variedade de pratos. O destaque vai para as carnes, que podem ser acompanhadas de salada, fritas e o tradicional arroz e feijão. Não fazem serviço de entrega. Vale a pena fazer uma visita!

Telefone: (62) 3088-3131 / (62) 3210-9090

Endereço: unidade Jardim América – Av. C-4, 896 – Jardim America, Goiânia – GO, 74255-060

unidade St. Urias Magalhães – Av. Rio Branco, 62 – St. Urias Magalhães, Goiânia – GO, 74565-070

2 – Sorveteria Beijo Frio

Fome na madrugada? Veja x lugares com atendimento 24 horas em Goiânia
Foto: Reprodução/ Folha Z

Presente no mercado desde 1968, a sorveteria nasceu da paixão pelo sorvete aliada à vontade de produzir algo com amor e muita qualidade. Com diversas opções de sorvetes artesanais, incluindo sem lactose, ainda é possível pedir lanches e saborosos sanduíches, que conta com serviços delivery. Sem dúvida, uma das melhores alternativas 24 horas em Goiânia.

Telefone: (62) 3281-0809

Endereço: R. 84, 604 – St. Sul, Goiânia – GO, 74080-410

3 – Bar do Gaúcho

Fome na madrugada? Veja x lugares com atendimento 24 horas em Goiânia
Foto: Reprodução

Quer sair com os amigos mas não quer ir para baladinhas? Então o Bar do Gaúcho é uma boa opção. Também aberto 24 horas em Goiânia, conta com excelente atendimento, ambiente agradável, cerveja gelada e comidas deliciosas. As porções são grandes e satisfazem até as maiores fomes.

Telefone: (62) 3541-3530

Endereço: Av. 85, 2643 – St. Marista, Goiânia – GO, 74160-010

4 – Fran’s Café

Fome na madrugada? Veja x lugares com atendimento 24 horas em Goiânia
Foto: Reprodução/ Sua Franquia

O Fran’s Café nasceu da paixão pelo café misturada ao sentimento de criar um espaço onde as mulheres pudessem se sentir livres, em um momento onde eram socialmente oprimidas. A ideia deu tão certo que a empresa cresceu e ganhou franquias por todo o país.

Uma das principais características de algumas de suas unidades é o atendimento 24 horas. No Setor Oeste, por exemplo, é possível encontrar um Fran’s que nunca fecha, servindo os mais deliciosos cafés e lanches. Vale a pena conferir!

Telefone: (62) 3215-1590

Endereço: R. João de Abreu, 184 – 49 – St. Oeste, Goiânia – GO, 74120-110

5 – Subway

Fome na madrugada? Veja x lugares com atendimento 24 horas em Goiânia
Foto: Reprodução/ Exame

E para quem adora os sanduíches naturais da Subway, existem pelo menos duas lojas que funcionam com atendimento 24 horas em Goiânia: no Parque Amazônia e no Jardim Goiás.

Telefone: (62) 3092-9055 (62) 3093-4491

Endereço: unidade Parque Amazônia – Praça Sen. José Rodrigues de Morais Filho, 65 – Parque Amazonia, Goiânia – GO, 74835-520

unidade Jd. Goiás – Av. Fued José Sebba, 1679 – Jardim Goiás, Goiânia – GO, 74805-100

Bônus

6 – Sanduicheria Rato de Praça

Fome na madrugada? Veja x lugares com atendimento 24 horas em Goiânia
Foto: Reprodução

E se o que você quer mesmo é comer em um bom e tradicional pit dog, então o Rato de Praça é uma boa opção. Apesar de não atender exatamente 24 horas em Goiânia, funciona das 18h às 8h da manhã, e também pode ajudar a matar aquela fome que bate na madrugada. Fica próximo ao Terminal Praça da Bíblia, oferecendo diversidade em seu cardápio de sanduíches e bebidas.

Telefone: (62) 3202-5641

Funcionamento: todos os dias, das 18h às 8h

Endereço: Avenida Anhanguera, 2635 – St. Leste Vila Nova, Goiânia – GO, 74643-010

7 – Caldos 24 horas

Fome na madrugada? Veja x lugares com atendimento 24 horas em Goiânia
Foto: Reprodução/ Casal Gourmet

Também não funciona 24 horas por dia, mas ficam abertos das 18h às 6h da manhã, todos os dias. Com os melhores caldos da cidade, é possível escolher entre variadas e saborosas opções. Vale lembrar que durante as quartas ainda rola rodízio de caldo, das 18h às 22h.

Telefone: (62) 3259-8118

Funcionamento: todos os dias, das 18h às 6h

Endereço: Av. T-63, 2940 – Jardim America, Goiânia – GO, 74250-320

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Prisão de Marconi Perillo é por tempo indeterminado

Ainda hoje, um perito do IML deve ir à sede da Polícia Federal, onde Marconi está desde o início da tarde de hoje, para realizar o exame de corpo de delito.
10/10/2018, 18h58

Marconi Perillo (PSDB), ex-governador de Goiás, pode ficar preso por tempo indeterminado. De acordo com nota da Polícia Federal, o mandado cumprido contra Marconi é de prisão preventiva. No pedido, o Ministério Público Federal (MPF) informou que a Operação Cash Delivery mostra que a organização criminosa liderada pelo ex-governador “tem uma atuação muito mais ampla e atual do que se imaginava inicialmente” e “não se limita ao esquema Odebrecht”.

O pedido de prisão preventiva de Marconi foi protocolado na última segunda-feira (8/10) e decretada hoje pelo juiz federal Rafael Ângelo Slomp, enquanto o ex-governador prestava depoimento na sede da Polícia Federal, em Goiânia. Até ontem (9/10), a defesa de Marconi não acreditava na possibilidade de prisão.

Após ser preso, algumas pessoas se reuniram na porta da sede da PF, localizada no setor Pedro Ludovico, em Goiânia. Eles comemoravam a prisão de Marconi. Veja o momento:

Ainda hoje um perito do Instituto Médico Legal (IML) deve à sede da Polícia Federal, onde Marconi está desde o início da tarde de hoje, para realizar o exame de corpo de delito.

Marconi Perillo investigado

Segundo nota do MPF, “quando ainda era senador e, depois, também como governador, Marconi Perillo solicitou e recebeu propina no valor de, em 2010, R$ 2 milhões e, em 2014, R$ 10 milhões, em troca de favorecer interesses da empreiteira relacionados a contratos e obras no Estado de Goiás.”

Ainda de acordo com a nota, o caso foi remetido à primeira instância a partir da renúncia de Marconi Perillo ao mandato de governador de Goiás e a consequente perda de foro privilegiado. O caso foi então assumido pelo Núcleo de Combate à Corrupção do MPF em Goiás e pela Polícia Federal. A investigações começaram em junho de 2017.

Operação Cash Delivery

O ex-governador, que concorria a uma vaga no Senado, mas que recebeu apenas 7,55% dos votos válidos, é investigado na Operação Cash Delivery, deflagrada pela Polícia Federal (PF) e Ministério Público Federal (MPF), no dia 28 de setembro. Antes da operação, Perillo seguia firme nas pesquisas, mas no dia 2, depois de ser citado, uma pesquisa do Instituto Grupom apontou queda do ex-governador para 4º lugar, com 23,2%, na disputa pelo Senado.

Durante a operação, foram cumpridos mandados de busca e apreensão em endereços do ex-governador de Goiás. Ao todo, foram cumpridos 14 mandados de busca e apreensão e cinco de prisão temporária, expedidos pela 11ª Vara da Justiça Federal de Goiás, nas cidades de Goiânia, Aparecida de Goiânia, Pirenópolis e Aruanã, Campinas e São Paulo. A PF apreendeu mais de R$ 1 milhão.

Jayme Rincón, o empresário Carlos Alberto Pacheco Júnior e Rodrigo Godoi Rincón, filho de Jayme Rincón, conseguiram habeas corpus e já foram liberados. Já o motorista de Jayme e policial, Márcio Garcia de Moura, continua preso preventivamente.

Via: O Popular G1 
Imagens: Estadão 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.