Esportes

Polícia faz megaoperação no futebol belga por suspeita de lavagem de dinheiro

Documentos, computadores e cofres privados foram apreendidos em vários locais.
10/10/2018, 09h13

Numa das maiores operações policiais dos últimos anos no futebol belga, as autoridades belgas realizaram na manhã desta quarta-feira buscas e apreensões em 44 diferentes localidades e em dez dos 16 clubes da primeira divisão do país.

Donos de clubes, jornalistas dirigentes, jogadores, agentes, treinadores e mesmo árbitros semiprofissionais são suspeitos de fazerem parte de uma organização criminosa que usava o futebol para atividades corruptas e lavagem de dinheiro.

A pedido dos belgas, 13 operações foram realizadas ainda em nove países, entre eles França, Luxemburgo, Chipre e Montenegro. Num total, a ofensiva contou com mais de 200 policiais. Sob o radar da Justiça estão clubes tradicionais como o Anderlecht, Brugge e Standard Liège.

De acordo com a Justiça belga, documentos, computadores e cofres privados foram confiscados de vários dos locais. Vários dos suspeitos foram detidos entre eles o agente Mogi Bayat, o ex-diretor do Anderlecht, Herman Van Holsbeeck, o atual treinador do Brugge, Ivan Leko, além dos árbitros Sébastien Delferière e Bart Vertentes.

Suspeita de lavagem de dinheiro no futebol belga

O processo começou no final de 2017, quando surgiram suspeitas de pagamentos de comissões sobre a transferência de jogadores, fraude e o encobrimento de pagamentos sobre os salários de jogadores e de treinadores.

Ao se aprofundar na investigação, o inquérito descobriu indícios de compra de resultados em jogos da elite do campeonato nacional. Alguns dos detidos para questionamento são considerados como verdadeiros pilares do futebol belga, que vive um de seus melhores momentos da história.

Mogi Bayat, por exemplo, controlaria 90% do mercado de transferências no país. Já o croata Ivan Leko é o atual treinador do Brugge e foi com ele que o time venceu o campeonato nacional na temporada passada. Herman Van Holsbeeck liderou o Sporting de Anderlecht entre 2004 e 2018.

A Federação Belga de Futebol ainda não se pronunciou sobre o caso, enquanto os clubes apenas confirmaram que foram alvo de operações policiais.

Com Eden Hazard e Kevin De Bruyne, a seleção belga viveu em 2018 um de seus melhores momentos na história e atingiu as semifinais da Copa do Mundo, seu melhor resultado num Mundial. O grupo passou a ser tratado como “a geração de ouro” do futebol nacional belga, hoje mergulhado em sua pior crise em anos.

Imagens: Estadão 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Mototaxista cai em córrego junto com passageira, em Rio Verde

Apesar do grande susto, tanto o mototaxista quanto a passageira sofreram apenas leves escoriações.

Por Ton Paulo
10/10/2018, 09h27

Um mototaxista que transportava uma passageira no município de Rio Verde, a 230 quilômetros de Goiânia, não conseguiu frear a tempo e acabou caindo junto com ela no Córrego Barrinha, que passa dentro da cidade, na última terça-feira (9/10). Apesar do grande susto, os dois tiveram apenas pequenas escoriações.

Segundo contou o Tenente Júnior do Corpo de Bombeiros, responsável pelo atendimento da ocorrência, o mototaxista Genival Francisco, de 36 anos, foi acionado para buscar uma passageira, uma senhora de 50 anos .

Ainda de acordo com o Tenente, Genival seguia por uma via íngreme da cidade, que terminava no Córrego Barrinha, muito famoso na região. O mototaxista teria, então, calculado mal o percurso de frenagem e, com a velocidade influenciada pelo peso da passageira, que tem o porte físico grande, não conseguiu parar a tempo e acabou passando direto, caindo no córrego junto com ela, de uma altura de aproximadamente três metros.

O Corpo de Bombeiros foi acionado para o socorro, mas apesar do grande susto, tanto Genival quanto a passageira tiveram apenas leves escoriações. “Quando chegamos, o mototaxista já estava até de pé”, conta o Tenente Júnior.

Mototaxista cai em córrego junto com passageira, em Rio Verde
Mototaxista é atendido pelos Bombeiros (Foto: reprodução)

Mesmo assim, os bombeiros militares utilizaram técnicas de salvamento em altura e de atendimento pré-hospitalar, fazendo a retirada da passageira e a conduzindo à Unidade de Pronto Atendimento (UPA). O mototaxista se recusou a ser conduzido para ser atendido no hospital.

Córrego de Rio Verde vira problema com chuvas fortes

O Córrego Barrinha, que passa dentro do município de Rio Verde e onde caíram o mototaxista e a passageira, vira uma grande dor de cabeça quando chove forte na cidade, transbordando e alagando as regiões por onde corta.

Em 2016, com uma forte chuva que caiu em fevereiro fez o Córrego Barrinha, em Rio Verde, transbordar. A chuva pegou muita gente de surpresa. Algumas pessoas ficaram ilhadas após o córrego transbordar e invadir a Alameda Barrinha, na região central da Cidade.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Saúde

Outubro Rosa Acieg: evento abre as portas para importantes palestras

Feito especialmente para as mulheres, o Outubro Rosa Acieg ofereceu palestras, rodas de conversa e muitas possibilidades para networking, tudo isso em um evento gratuito.
10/10/2018, 09h48

O movimento conhecido por nós como Outubro Rosa, nasceu ainda na década de 1990. Foi uma forma de estimular as pessoas a se conscientizarem sobre a importância da prevenção do câncer de mama. Os dados são preocupantes e, segundo a Agência Internacional para a Pesquisa do Câncer, um a cada quatro tipos de câncer que afetam as mulheres é o de mama, considerado também como um dos que mais mata. Sabendo da importância deste momento, a Associação Comercial, Industrial e de Serviços do Estado de Goiás (Acieg) também decidiu apoiar a causa.

Outubro Rosa Acieg

Outubro Rosa Acieg: evento abre as portas para importantes palestras
Foto: Reprodução/ Acieg

A Acieg, por meio de sua Câmara Temática de Capital Humano, dirigida por Mara Suassuna, promoveu o Outubro Rosa, um dia para networking, informação, beleza, moda, saúde e muito mais. O Outubro Rosa Acieg foi marcado para o dia 10 de outubro, das 9 horas às 17 horas, na sede da entidade.

O evento apresentou palestras e boas rodas de conversa com mulheres especialistas nas diversas áreas, que por sinal, transmitiram o tom rosa para esse dia tão importante. Aberto ao público, foi caracterizado pela entrada social, onde cada participante poderia levar um brinquedo que será doado para as crianças assistidas pela Casa de Eurípedes.

Voltado para a mulher de negócios e profissional, o evento foi pensado para proporcionar um dia completamente especial e diferente. A ideia foi promover a troca de experiências, abrindo espaço ainda para networking e participação nas diversas atividades executadas ao longo do dia.

Confira abaixo a programação que rolou durante o evento!

Apresentação Musical com Elen Lara Rocha

Palestra Outubro Rosa – Prevenir é um ato de amor

Jacqueline Andrade Amaral – CRP09/1106

Roda de Conversa:

Com Luciene Alencar Cândido e Marta Suassuna

Moderadora: Patrícia Rigoni Dantas Baldi – CRP 09/7872

Palestra MARCA PESSOAL , DESTAQUE-SE

Palestrante: Pollyana Oliveira Guimarães,

Palestra ALIMENTAÇÃO PARA SAÚDE DA MULHER

Palestrante: Dra. Jalily Moura

Palestra: Comportamento social e etiqueta para negócios

Palestrante: Evelyn Crosara

Palestra “Mulher Inovação e Tecnologia”

Palestrante: Chris Taveira

Entrega das homenagens às voluntárias do Hospital Araújo Jorge e CEBROM.

Mais uma vez, a Acieg se atenta para uma causa extremamente importante. Foi, sem dúvida, uma oportunidade valiosa e única para as mulheres participantes.

Via: Acieg 
Imagens: Mazzatech Acieg 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Economia

Começa hoje segunda fase do eSocial para empresas de médio porte

O eSocial mudou e está sendo estendido a todas as empresas e aos microempreendedores individuais.
10/10/2018, 09h51

A segunda fase do eSocial começa hoje (10/10) para empresas de médio porte, cujo faturamento tenha ficado entre R$ 4,8 milhões e R$ 78 milhões em 2016. A etapa envolve o envio de dados dos trabalhadores e seus vínculos empregatícios até 9 de janeiro de 2019, informou a Receita Federal. Essas empresas iniciaram em julho de 2018 o envio de dados pelo eSocial. Isso já era obrigatório para as grandes empresas desde o início deste ano.

De acordo com o auditor fiscal do trabalho João Paulo Machado, integrante do projeto eSocial no Ministério do Trabalho, as organizações precisam observar o cronograma, uma vez que o não envio dentro dos prazos pode gerar atraso nos recolhimentos e penalidades para as empresas. “A observância dos prazos é fundamental para que, ao final de cada fase, a empresa já esteja preparada para a próxima etapa”, informou, em nota da Receita.

No último dia 5, uma resolução com as novas datas foi publicada no Diário Oficial da União. Além de especificar o início da segunda fase para o segundo grupo, o documento traz importantes mudanças no cronograma do sistema. A partir de 10 de janeiro de 2019, as empresas integrantes do Simples Nacional, inclusive MEI, as instituições sem fins lucrativos e as pessoas físicas, que compõem o terceiro grupo, devem enviar informações ao sistema. Já o último grupo, formado pelos órgãos públicos e organizações internacionais, prestará suas informações ao e-Social a partir de janeiro de 2020.

No caso das micro e a pequenas empresas optantes pelo Simples Nacional, inclusive o Microempreendedor Individual (MEI), a Receita informa que não devem enviar eventos via sistema eSocial antes dos novos prazos estabelecidos para esse grupo. As informações que já foram enviadas permanecerão no ambiente do eSocial e poderão ser retificadas ou complementadas quando o sistema reabrir para essas empresas, em janeiro de 2019.

Entenda o eSocial

Por meio do Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSocial), os empregadores comunicam ao governo federal, de forma unificada, as informações relativas aos trabalhadores. Cada grupo tem quatro fases para a transmissão eletrônica de dados.

Na primeira, devem ser comunicados os eventos de tabela, que são os cadastros do empregador mais o envio de tabelas. A segunda etapa abrange os eventos não periódicos – dados dos trabalhadores e seus vínculos com a empresa. A terceira fase compreende os eventos periódicos, que são as informações sobre a folha de pagamento. E, por fim, na última fase são exigidas informações relativas à segurança e saúde.

Segundo a Receita, o objetivo é simplificar a prestação das informações referentes às obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas, de forma a reduzir a burocracia para as empresas. O envio de dados ao eSocial substitui o preenchimento e a entrega de formulários e declarações separados a cada ente.

A obrigatoriedade de utilização desse sistema para os empregadores é regulamentada por Resoluções do Comitê Diretivo do eSocial, conforme o Decreto 8.373/2014.

Imagens: Exame.com 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Fala, deputado: "Fui da coligação do PSDB, mas não o apoiei", diz Elias Vaz

O político atribui a votação expressiva que o elegeu ao reconhecimento da população pelo seu trabalho como vereador.

Por Ton Paulo
10/10/2018, 10h10

Eleito com quase 75 mil votos, o vereador Elias Vaz, do PSB, foi um dos 17 deputados federais eleitos pelo Estado de Goiás nestas eleições. O político, que integrou a coligação Goiás Avança Mais, encabeçada pelo PSDB, diz que não apoiou o partido tucano e atribui sua eleição ao reconhecimento do povo.

Elias Vaz é de Goiânia, formado em Direito e cumpre seu quarto mandato como vereador na Câmara Municipal de Goiânia. Em seu primeiro mandato como vereador, foi eleito com a maior votação da história da Câmara, com 14.237 votos.

Nestas eleições, Elias foi eleito com 74.877 votos, contabilizando 2,47% dos votos válidos.

Elias é taxativo ao declarar seu objetivo no Congresso Federal: “Eu luto pela justiça social, não abro mão dela”. O vereador, agora deputado, disse que atua sempre a favor dos direitos do povo e contra os privilégios de banqueiros e grandes corporações.

O político atribui a votação expressiva que o elegeu ao reconhecimento da população pelo seu trabalho como vereador. Elias ainda diz que, agora como deputado, um de seus focos será a “fiscalização no combate à corrupção”.

Para finalizar, Elias Vaz conta o que é, para ele, ser um deputado: “Ser deputado é um sentimento público, é defender os interesses coletivos no lugar do interesse individual”.

Fala, deputado: "Fui da coligação do PSDB mas não o apoiei", diz Elias Vaz
Foto: Reprodução
Imagens: O Popular 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.