Goiás

Bombeiros transportam para Hugol criança vítima de afogamento em Luziânia

Só nesta semana, este é o terceiro caso de afogamento de crianças em Goiás.
18/10/2018, 16h54

No início da tarde desta quinta-feira (18/10) o Corpo de Bombeiros de Goiás realizou o transporte de uma criança de 1 ano vítima de afogamento ocorrido em Luziânia, Entorno do Distrito Federal, para o Hospital de Urgências Governador Otávio Lage (Hugol), em Goiânia.

Segundo informações da corporação, menina, de 1 anos e 3 meses, recebeu os primeiros socorros de uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e encaminhada para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) localizada no Jardim do Ingá, em Luziânia.

Por conta da gravidade do quadro, a criança, que já estava entubada, precisou ser transferida para o Hugol pelo helicóptero dos Bombeiros, que levantou voo por volta das 14h30 e chegou em Goiânia às 15h30. Ainda não se sabe como teria ocorrido o afogamento. 

Casos de afogamento em Goiás

Só esta semana, este já é o terceiro caso de afogamento em Goiás. Todos com crianças. O primeiro afogamento ocorreu no Clube Jaó, em Goiânia, no último domingo (14/10). David Gabriel Barros Souza, de 6 anos, morreu após ficar cerca de 15 minutos no fundo da piscina.

O Corpo de Bombeiros de Goiás (CBMGO) foi acionado para atender a ocorrência e quando chegou ao local, o corpo do menino já havia sido retirado da piscina, mas apensar dos procedimentos de reanimação,  a criança morreu. A Polícia investiga o caso.

Já o outro caso ocorreu também em Luziânia. Gabriel Conceição de Almeida, de 5 anos, morreu após se afogar na piscina de casa, na terça-feira (16/10), na zona rural da cidade. A criança chegou a ser levada para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas não resistiu.

Segundo os bombeiros que atenderam a ocorrência, Gabriel apresentava um hematoma na testa, possivelmente causado por uma queda.  No dia do ocorrido, mãe e o padrasto da criança foram encaminhados para a 1ª Delegacia de Polícia de Luziânia, onde foram ouvidos e liberados em seguida. O caso também é investigado.

Via: Dia Online 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Saúde

Nutrição materno-infantil em Goiânia: a importância do controle de peso e aleitamento materno

O controle de peso durante a gestação é essencial para manter a saúde da mãe e do bebê. Para auxiliar mulheres que enfrentam algum problema, a nutrição materno-infantil em Goiânia conta com bancos de leite humano.
18/10/2018, 18h08

Durante a gestação, o cuidado com o peso é muito importante, tanto para as mulheres com sobrepeso quanto para as que possuem baixo peso. De acordo com Poliana Resende Mendonça, que trabalha com nutrição materno-infantil em Goiânia, complicações ao longo da gravidez ou durante o parto podem acontecer devido ao peso adquirido na gestação.

É preciso estar sempre alerta e manter controle sobre a alimentação. O início da gravidez, embora ainda não afete tanto a rotina da mulher, é uma das que mais precisam de atenção, considerando que é a fase mais crítica para abortos e má-formações. Fenômenos do tipo podem acontecer em decorrência de alguma doença ou mesmo de deficiências nutricionais da mãe.

Nutrição na gestação em Goiânia

Nutrição materno-infantil em Goiânia: a importância do controle de peso e aleitamento materno
Nutricionista materno-infantil Poliana Resende Mendonça

Segundo a nutricionista materno-infantil, esse ganho de peso pode variar de mulher para mulher. “Vai depender do estado nutricional antes da gestação, estilo de vida, doenças pré-existentes, tipo de gestação e funcionamento intestinal. Esse peso pode variar entre 7kg e 18kg.”

Poliana Resende Mendonça explica que o cuidado com a alimentação é essencial em qualquer momento da vida, mas durante este período é de importância ainda maior. “Alguns nutrientes são fundamentais para a formação do bebê e precisam estar em níveis adequados antes mesmo da fecundação. Ácido fólico, vitamina D, Magnésio, DHA (ácido graxo ômega 3), ferro e iodo são alguns que devemos estar atentos” afirma a nutricionista.

Para a especialista nutricional, um estilo de vida saudável aliado a uma dieta equilibrada são conceitos suficientes para garantir a nutrição necessária para mãe e bebê ao longo destes nove meses.

Ela ainda lembra que o período gestacional não é o momento ideal para começar o emagrecimento. O indicado é manter o controle de peso e uma dieta balanceada.

Nutrição materno-infantil em Goiânia

Nutrição materno-infantil em Goiânia: a importância do controle de peso e aleitamento materno
Foto: Reprodução/ Psychology Now

A nutrição materno-infantil em Goiânia recebe o apoio de bancos de leite humano. Funcionam com o objetivo de promover a proteção e apoio ao aleitamento materno. Desta forma, contam com qualificados profissionais que auxiliam as mães no período de amamentação quando há algum tipo de dificuldade, e ainda orientam sobre a saúde da criança.

Segundo Poliana Resende Mendonça, o leite materno, por ser espécie-específico, ou seja, produzido para o ser humano, confere inúmeras vantagens em relação às fórmulas artificiais. Apresenta características nutricionais ideais, sendo a quantidade e a qualidade de todos os nutrientes compatíveis com a necessidade e a fase dos bebês.

Possui ação imunomoduladora, transmitindo para o bebê anticorpos, citocinas, enzimas, lipídeos, nucleotídeos, peptídeos, hormônios e componentes do sistema complemento que contribuem para a capacidade de defesa do bebê, fortalecendo o sistema imunológico. Reduz infecções respiratórias e intestinais, diminuindo o índice de mortalidade infantil.

Além de todos os benefícios fisiológicos, o leite materno aumenta o vínculo entre mãe e filho. Todas as mudanças que acontecem após o nascimento são amenizadas com a presença da mãe: o toque, o cheiro, os olhares, a passagem do alimento, a temperatura corporal, as batidas do coração, favorecendo o desenvolvimento emocional da criança.

A amamentação também confere benefícios para a mãe: acelera a recuperação do parto, auxilia no processo de perda de peso, prolonga a anovulação, ou seja, a mãe permanece por mais tempo sem menstruar, reduz o risco de câncer de mama e o risco de doenças cardiovasculares.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que o aleitamento aconteça de forma exclusiva até os 6 meses e seja continuado até os 2 anos de idade ou mais, de acordo com a vontade da mãe e bebê, concomitante com a introdução de novos alimentos aos poucos. É responsabilidade de todas as pessoas que convivem com a nutriz ajudá-la, apoiá-la e, acima de tudo, respeitá-la.

Caso esteja precisando do apoio de um especialista em nutrição materno-infantil, pode entrar em contato com Poliana Resende Mendonça, por meio do Instagram @nutripoliresende ou pelo telefone (62) 99848- 8961.

Imagens: Poradnia Psychology Now 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

"Ele caiu de olhos abertos", diz pastor de igreja onde jovem morreu em Goiânia

Homem foi assassinado a tiros na frente do pastor da igreja, que preenchia documentos dele na manhã desta quinta-feira.
18/10/2018, 18h18

O pastor Cleudimar Antônio Serra, de 56 anos, não conseguiu almoçar nesta quinta-feira (18/10) depois que viu o corpo de Ednaldo de Souza Estevam, de 25 anos, caindo junto com a cadeira em que estava sentado enquanto o pastor assinava sua frequência a sua frente por volta de 11h45, no Jardim Guanabara I, em Goiânia.

“Eu assinava o ponto dele, com a cabeça baixa, quando apenas ouvi três ou quatro disparos”, conta Cleudimar, há 20 anos como pastor na igreja. “Eu ainda vi o corpo dele caindo para o lado, com os olhos abertos, do outro lado da mesa da recepção da igreja. Continuei sentado, peguei o telefone e ia ligar para o 193, mas percebi que ele estava morto. Em seguida liguei para a PM”, relata ao Portal Dia Online.

Ednaldo prestava serviço comunitário na igreja desde março de 2018 e não apresentava nenhum comportamento anormal. “A gente acompanha outras pessoas que cumprem pena e costumamos não saber o que eles fazem fora do horário da igreja. Ednaldo vinha às quinta-feiras para ajudar na limpeza do templo”, complementa o pastor.

O pastor, abalado, conta que quem convivia com o rapaz gostava dele. “Ele respeitava a gente, ouvia os conselhos, aceitava orações. Foi até em um Encontro da nossa igreja há alguns meses.”

Mesmo o susto que passou não desanima o pastor. “Vou continuar com o projeto, acompanhando, fazendo de tudo para ajudar. Tem gente que se converteu depois de trabalhar com a gente.”

A vítima da execução foi encaminhada à igreja pelo Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO) para cumprir pena alternativa. “Na verdade, ele era obrigado a vir por causa da pena. Desde março ele estava sendo acompanhado às quinta-feiras. Ele passava o dia todo, limpava a igreja com muita atenção. Parecia gostar daqui.”

A reportagem procurou a Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH), mas  a delegada que esteve no local, Mirían Vidal não quis dar detalhes sobre as investigações. “Quem vai cuidar do caso é o delegado Marco Aurélio. Você precisa ligar para ele”, disse, antes de desligar.

Marco Aurélio foi procurado, mas não atendeu a reportagem.

Veja nota completa da igreja em Goiânia

“O Ministério Apostólico Luz Para os Povos lamenta muito o ocorrido no final da manhã desta quinta-feira, quando um homem conhecido por Ednaldo foi baleado dentro de uma igreja do nosso ministério, a Luz Para Os Povos do Jardim Guanabara I, na Avenida Vera Cruz.

Há certo tempo, a igreja faz um trabalho de recuperação com jovens e adultos, incluindo trabalho envolvendo alguns que cumprem penas alternativas. A vítima estava no projeto há quase 1 ano, e havia acabado de voltar do Encontro com Deus.

Os pastores responsáveis pela igreja, Cleudimar Antônio Serra e Maria José Serra, não têm conhecimento da causa do assassinato, mas acreditam que tenha sido algum acerto de contas.

Todos aguardam as investigações policiais. . Nosso sincero consolo aos familiares e membros da Luz Para Os Povos – Jardim Guanabara I.”

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Saúde

Aprovada em Goiânia criação de programa de atenção a portadores de epilepsia 

Lei tem como objetivo garantir atendimento especializado e de qualidade a essas pessoas.
18/10/2018, 18h50

Foi sancionada esta semana a lei que cria o Programa de Atenção à Saúde das Pessoas Portadoras de Epilepsia, em Goiânia. O objetivo da ação é garantir atendimento especializado e de qualidade a pessoas portadoras da doença. A lei prevê ainda uma melhor qualidade de vida para quem enfrenta a  discriminação em razão das crises convulsivas, ocasionadas pela epilepsia. O projeto, de criação do vereador Alysson Lima (PRB), foi aprovado em fevereiro de 2018 e sancionado pelo prefeito Iris Rezende. 

Segundo a lei, o município deve desenvolver ações como: campanhas educativas sobre a epilepsia e contra a discriminação; capacitar profissionais de saúde; distribuir os medicamentos necessários de forma ininterrupta e principalmente, fornecer atenção terapêutica integral no serviço público de saúde para diagnóstico e tratamento da epilepsia, dentre outras.

As verbas para o custeio do programa serão provenientes de convênios, acordos, parcerias e ajustes tanto com entes estatais quanto com a iniciativa privada, de acordo com as atribuições e competências legais da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Epilepsia no Brasil

De acordo com a Liga Brasileira de Epilepsia (LBE), a epilepsia é uma alteração temporária e reversível do funcionamento do cérebro, que não tenha sido causada por febre, drogas ou distúrbios metabólicos. Durante alguns segundos ou minutos, uma parte do cérebro emite sinais incorretos, que podem ficar restritos a esse local ou espalhar-se.

Se ficarem restritos, a crise será chamada parcial; se envolverem os dois hemisférios cerebrais, generalizada. Por isso, algumas pessoas podem ter sintomas mais ou menos evidentes de epilepsia, não significando que o problema tenha menos importância se a crise for menos aparente

Segundo dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 2017, cerca de 50 milhões de pessoas no mundo sofrem de epilepsia, desse total, cerca de 3 milhões são brasileiros. Conforme a LBE, no Brasil, grande parte dos pacientes ainda não tem um controle adequado das crises, tanto pelo despreparo dos profissionais da área da saúde como por desinformação da população.

Imagens: M10 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Saúde

Comissão de Saúde em Goiânia: vereador Dr. Paulo Daher realiza vistoria surpresa no Hugo

Ação tem como objetivo apurar denúncias de falta de medicamentos, insumos e itens necessários para o atendimento dos pacientes.
18/10/2018, 19h16

Nesta quarta-feira (17/10) o vereador Dr. Paulo Daher (DEM), integrante da Comissão de Saúde da Câmara Municipal de Goiânia, realizou uma visita surpresa no Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo). A ação, que visa apurar as diversas denúncias de falta de medicamentos, insumos e itens básicos necessários para o atendimento dos pacientes, foi acompanhada por Paulo Magalhães (PSD), Gustavo Cruvinel (PV), Priscilla Tejota (PSD) e Jair Diamantino (PSDC), também vereadores e membros da Comissão.

NÃO MEXER
Foto: Reprodução

Foram vistoriadas todas as alas da unidade de saúde e apontadas, em cada uma delas, os erros e acertos na gestão do Hugo, como interdição feita pelo Ministério do Trabalho para que a unidade não receba mais pacientes além do suportado atualmente; a falta itens básicos como seringas, luvas e máscaras, além do atraso no pagamento de servidores e fornecedores. A visita foi acompanhada ainda pelo diretor geral do hospital, Ciro Renato de Castro.

Esteve presente ainda na ação, José Mário Teles, superintendente técnico do Instituo GERIR, a Organização Social (OS) que administra o Hugo. Na reunião, o superintendente ressaltou o compromisso da OS com a unidade e os pacientes que dependem dos serviços de urgência e emergência, mesmo diante da crise, segundo ele, ocasionada pela falta do repasse da verba feito pelo governo estadual.

Quanto a essa dívida, que ultrapassa R$ 40 milhões, a Comissão se comprometeu a formalizar um documento e encaminhar ao Ministério Público de Goiás (MP-GO), solicitando o pagamento imediato da conta.

Dr. Paulo Daher questiona crise na gestão

NÃO MEXER
Foto: Reprodução

Durante a diligência, o Dr. Paulo Daher, que propôs a vistoria e recebeu apoio unânime do demais vereadores na Câmara, questionou o diretor do Hugo sobre a atual situação da unidade, que normalmente realiza mais de 5 mil atendimentos por mês.

Ciro Renato apontou como principal causa a má gestão dos recursos da Saúde por parte do governo de Goiás. “O Hugo está nesta situação, exclusivamente, por falta dos devidos repasses do Estado”, afirma.

Os vereadores também visitaram  o departamento de farmácia da unidade, onde foi constatado o baixo estoque de medicamentos, além da falta de remédios importantes para o tratamento dos usuários. Mas o que agrava ainda mais a situação, é que não existe previsão para reposição dos medicamentos, segundo relatório da farmacêutica responsável, Patrícia Fausta Viveiros.

Dr. Paulo Daher enfatiza compromisso dos servidores do Hugo

Apesar da midiática crise na gestão do Hospital de Urgências de Goiânia, a Comissão de Saúde entendeu que, apesar de todos os problemas, o Hugo opera com mais de 90% da capacidade de internação e de forma satisfatória.

Segundo o Dr. Paulo Daher, o funcionamento se dá em razão do compromisso da equipe médica, de enfermeiros (as) e dos demais colaboradores da saúde com a população, que precisa do atendimento. “Mesmo com salários atrasados e sem recursos, o hospital conta com o idealismo e o empenho de toda a equipe, dando a máxima dedicação e atenção aos pacientes. Um verdadeiro milagre, dada as circunstâncias”, conclui o vereador.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.