Goiás

Conheça a importância histórica e econômica do Setor Campinas em Goiânia

O Setor Campinas em Goiânia já teve o título de "município de Goiás" e hoje representa um dos polos comerciais mais importantes da cidade e do estado.
19/10/2018, 13h51

Prestes a completar 85 anos, a história de Goiânia tem origem ainda lá atrás, no Setor Campinas. Talvez muitos jovens não saibam, mas o setor já foi considerado um município do estado. No entanto, quando surgiu a ideia de construir uma nova capital, a região acabou sendo integrada e perdeu a soberania de ser chamada de cidade. Mas nem por isso o Setor Campinas em Goiânia deixou de ser importante ou ficou menos relevante.

Pelo contrário, com seus 208 anos de existência, o setor é reconhecido atualmente como um dos mais importantes polos comerciais da cidade e muitos o consideram como “mãe de Goiânia”. À medida que o tempo foi passando a região se desenvolveu muito, abandonando suas características bucólicas. Prova disso é o trânsito da região, que passa a ser considerado como um dos mais intensos da cidade.

Um pouquinho de história sobre o Setor Campinas em Goiânia

Campinas em Goiânia
Foto: Reprodução

Mineradores saíam da cidade de Pilar de Goiás e chegavam em Campinas com a intenção de garimparem ouro às margens do ribeirão Anicuns. Naquela época o local contava com praias de areias intensamente brancas.

No entanto, acabaram se frustrando, uma vez que ninguém conseguiu encontrar nada valioso por ali. Por outro lado, foi na mesma época que a região começou a ser povoada por estes mesmos garimpeiros que saíam de sua terra natal em busca de riqueza.

Campinas surgiu ainda nas primeiras décadas do século 19, especificamente, no ano de 1810. Chamada inicialmente de “Arraial de Campinas”, seu aniversário sempre é comemorado nos dias 8 de julho, que possivelmente representa a data em que desbravadores de Minas Gerais e de outras regiões de Goiás chegaram por ali.

No ano de 1853, o local alcançou a categoria de “freguesia”, quando passou a fazer parte da antiga Vila de Bonfim, conhecida atualmente como Silvânia.

Já em 1907, foi denominada “vila”, mantendo jurisdição sobre uma povoação que corresponde à cidade de Trindade nos dias de hoje. Finalmente, sete anos mais tarde foi elevada à categoria de “município brasileiro do estado de Goiás”.

Principais características do setor nos dias atuais

Campinas em Goiânia
Foto: Reprodução/ G1

A partir da década de 1970, Goiânia passou a sofrer com o inchaço populacional, assim como outras capitais do país devido ao intenso êxodo rural. Campinas foi um dos bairros que mais sentiram o impacto, recebendo centenas de novos moradores.

Na mesma época, o local também passou por uma intensa transição de bairro residencial para comercial, processo que ganhou ainda mais força a partir dos anos 80.

Atualmente, por ali é possível encontrar intenso comércio especializado e popular, que se concentra principalmente ao longo da Avenida 24 de Outubro, da Avenida Anhanguera e ruas próximas.

Apenas para que você tenha ideia de sua importância econômica, a região é responsável por aproximadamente 74% da arrecadação de impostos da cidade.

Entre as principais atrações do Setor Campinas em Goiânia está o Santuário de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, mais conhecida como Basílica de Campinas. Durante as terças são realizadas novenas que recebem até 25 mil pessoas. É realmente uma região de peso para nossa querida capital!

Via: G1 TripAdvisor 
Imagens: G1 Twitter 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Entretenimento

Fim de semana em Goiânia garante opções para todos os gostos

Fim de semana em Goiânia tem shows de sertanejo e de rock, peça de teatro e até Festival Alemão! São opções para todos os gostos!
19/10/2018, 14h51

Demorou mas chegou! O fim de semana em Goiânia está repleto de opções que agradam até os mais refinados gostos. Portanto, se tudo que você menos quer é ficar em casa, dá uma olhada na listinha que preparamos!

Tem show de rock, de sertanejo, Festival Alemão e até exposição de arte! Confira e já se organize com os amigos para o rolê que mais combina com vocês!

O que fazer neste fim de semana em Goiânia?

1 – Participar da exposição de arte na Haus Of Love

Fim de semana em Goiânia
Foto: Reprodução

Se você quer aproveitar o fim de semana em Goiânia para uma imersão nas artes, pode fazer uma visitinha na Haus Of Love, no Setor Nova Suíça. Esta sexta e sábado (19 e 20 de outubro) são os últimos dias da exposição “A Metade do Dobro“, com autoria do artista Selon.

O ponto forte explorado é a essência de sua expressão visual, onde suas pinturas apresentam possibilidades cromáticas e composições geométricas, fazendo com que os diferentes planos e linhas forjem perspectivas e dinâmicas controversas.

Para saber mais, confira nossa agenda cultural!

2 – Participar do Festival Alemão do Glória Bar

Fim de semana em Goiânia
Foto: Reprodução

O fim de semana em Goiânia começa hoje para você? Então cola no Glória Bar! Para lembrar a Oktoberfest, tradicional festival de cerveja que é tradicionalmente celebrado na cidade alemã de Munique, o bar realiza a décima edição de seu Festival Alemão, até o dia 31 de outubro.

É uma experiência sem igual, como se o visitante fosse levado diretamente para um cantinho da Alemanha. Os pratos são preparados de forma tradicional, obedecendo as receitas nativas. Se você é fã da cultura e culinária germânia, vale a pena conferir! A entrada é gratuita para clientes!

Para saber mais, confira nossa agenda cultural!

3 – Ir ao evento “YouMakeUp”

Fim de semana em Goiânia
Foto: Reprodução

Para quem já atua no mercado de maquiagem e para aqueles que pretendem começar, chega em Goiânia um evento que promete ser fonte de inspiração.

Com término no dia 20 de outubro (sábado), o evento reúne os maiores nomes do mercado, sem contar que também estarão presentes outras grandes personalidades que estão imersas no universo feminino.

Para saber mais, confira nossa agenda cultural!

4 – Ir ao “Rolê do Aviões”

Fim de semana em Goiânia
Foto: Reprodução

Goiânia recebe neste dia 20 de outubro (sábado), o “Rolê do Aviões”, que traz aos palcos ninguém menos que Xand Avião, com muito forró, e a dupla Humberto e Ronaldo, para os amantes do bom sertanejo.

O show está marcado para acontecer no Deu Praia, no km 501 da BR-153, com previsão de início às 16 horas. O público poderá esperar por grandes sucessos dos músicos e claro, por fortes emoções.

Para saber mais, confira nossa agenda cultural!

5 – Participar da peça teatral com Luana Piovani

Fim de semana em Goiânia
Foto: Reprodução/ O Povo

Ele ainda está aqui” é o novo espetáculo que estreia em Goiânia, com Luana Piovani, Thelmo Fernandes e Omar Menezes. A comédia será apresentada no Teatro Madre Esperança Garrido nos dias 20 e 21 de outubro (sábado e domingo), às 19h.

Entrada: R$ 90 (inteira) / R$ 45 (meia) + 1kg de alimento

6 – Ir ao Cidade Rock – Etapa 9

Fim de semana em Goiânia
Foto: Reprodução

Em sua nona edição, o Cidade Rock traz para Goiânia shows gratuitos de bandas regionais. Marcarão presença as bandas DFC, de Brasília, e Sukinho di 10, de São Paulo. Ainda estarão presentes Señores, Chef Wong’s, Lobinho e os 3 Porcão e This is Perro. Também vai rolar muito chopp artesanal, discotecagem e food kombis. Vale a pena conferir!

Os shows acontecerão no sábado (20 de outubro), a partir das 19h no Martim Cererê.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Chuva e ventania derrubam árvore que estraga roda gigante no Mutirama

O tronco, segundo a Prefeitura, tem pouco mais de 7 metros de altura; seis assentos do brinquedo foram danificados e a cerca de proteção destruída.
19/10/2018, 16h05

Desativado desde que um acidente deixou 13 pessoas feridas em julho de 2017, o Parque Mutirama voltou ao noticiário depois que uma árvore de grande porte caiu durante um temporal, na madrugada desta sexta-feira (19/10), em Goiânia.

A roda gigante do Parque Mutirama ficou parcialmente estragada após a queda de um enorme Jequitibá, de 15 metros.

O tronco, segundo a Prefeitura, tem pouco mais de 7 metros de altura e danificou seis assentos do brinquedo e destruiu a cerca de proteção.

O Jequitibá foi retirado ainda na manhã desta sexta-feira. A espécie é de grande porte, acima de 15 metros, e de acordo com a Agência Municipal de Turismo, Eventos e Lazer (Agetul), estava em boas condições fitossanitárias.

Em nota, Agetul esclareceu que técnicos da Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma) costumam vistoriar todas as árvores do Parque Mutirama.

Caso seja necessário fazer alguma poda ou retirada integral de alguma espécie, a Comurg é chamada. A Agência informa ainda que realiza um levantamento sobre as consequências do episódio e que o fato não influenciará na reabertura do parque, que está prevista para o fim do ano.

Nota completa sobre queda de árvore no Mutirama

“A Agência Municipal de Turismo, Eventos e Lazer (Agetul) informa que técnicos da Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma) vistoriam regularmente todas as árvores do Parque Mutirama. Quando necessário, os serviços de prevenção, como podas e retiradas, são realizados pela Comurg.

Sobre o fato de ontem, a Agetul explica que a queda da árvore foi motivada pelas chuvas e ventos fortes que atingiram Goiânia nesta quinta-feira, 18. A Agência informa ainda que realiza um levantamento sobre as consequências do episódio e que o fato não influenciará na reabertura do parque, que está prevista para o fim do ano. A árvore é um Jequitibá de grande porte, acima de 15 metros e estava em excelentes condições fitossanitárias, estava inclusive com floração.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Esportes

Goiás e CRB fazem duelo de opostos

Dono da melhor campanha do segundo turno, time alviverde busca vitória contra o desesperado CRB.
19/10/2018, 16h21

Uma semana após virada sobre o Juventude, o Goiás volta a campo para um duelo de opostos nesta sexta-feira, 19, às 19h15, no Estádio Rei Pelé, em Alagoas.  O Verdão é vice-líder da competição com 53 pontos e, segundo meta estabelecida pelo técnico Ney Franco, o acesso poderá ser conquistado com mais três vitórias nos próximos sete jogos. O adversário desta noite é o desesperado CRB, 17° colocado com 32 pontos.

Goiás e CRB: duelo de opostos

O Goiás tem a melhor campanha do segundo turno. É o melhor visitante, e possui o ataque mais efetivo da competição com 48 gols marcados. A última derrota sofrida foi há um mês, diante do Boa Esporte, em Varginha.

Desde então, foram cinco partidas (3 vitórias, 2 empates), com dois triunfos fora de casa. A equipe do técnico Ney Franco espera manter a boa fase e conquistar a nona vitória fora de casa, o que mantém o Esmeraldino na briga pelo título e o distancia dos times que vem logo abaixo na tabela.

Em contrapartida, o CRB vive momento delicado e precisa da vitória para seguir vivo na briga contra o rebaixamento. A última vitória do Galo foi contra o Sampaio Corrêa, em casa, no dia 31 de agosto. De lá pra cá, foram quatro empates, três derrotas e a incômoda posição no Z-4. Para quebrar a sequência de sete partidas sem vencer será necessário melhorar o aproveitamento nas finalizações.

São 22 gols em 31 jogos, 0,70 por partida: números que colocam o CRB como pior ataque do campeonato. Mesmo com uma vitória diante do Goiás, ainda é preciso torcer por um tropeço do Sampaio Corrêa-MA para sair do Z-4. As equipes estão empatadas em pontos, porém, a equipe maranhense leva vantagem no número de vitórias (8-7).

No primeiro turno, as duas equipes se enfrentaram, no Estádio Olímpico, em confronto direto pela parte debaixo da tabela. O Goiás venceu por 2 a1 com dois gols de Lucão, artilheiro da série B. Com o desfalque de Victor Ramos, que se recupera de lesão muscular, Edcarlos segue na defesa ao lado David Duarte.

Escalação provável

Marcos; Alex Silva, David Duarte, Edcarlos e Ernandes; Gilberto, Giovanni e Renato Cajá; Michael, Rafinha e Lucão

Técnico: Ney Franco

Imagens: Esmeraldino 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Saúde

Atividades físicas poderiam ter salvado 12% das vítimas de câncer de mama no Brasil

Segundo estudo, álcool, alto teor de açúcar e excesso de peso também aumentam a mortalidade em 6,5% por câncer de mama.
19/10/2018, 17h16

Doze por cento das mortes por câncer de mama no Brasil podem ser atribuídas ao sedentarismo, ou seja, uma em cada 10 mulheres vítimas da doença poderiam ter sobrevivido se praticassem atividades física regularmente. O dado foi divulgado no artigo “Mortality and years of life lost due to breast cancer attributable to physical inactivity in the Brazilian female population (1990–2015)” publicado na revista Nature, que contou com a participação do Ministério da Saúde.

Segundo a pesquisa, em 2015, 2.075 mortes poderiam ter sido evitadas se as pacientes realizassem ao menos uma caminhada de 30 minutos por dia, cinco vezes por semana. Um dos fatores que causam o câncer de mama é o excesso de estrogênio, que pode levar à formação de mutações e carcinogênese estimulando a produção de radicais, de acordo com o artigo. Com a prática de exercícios físicos, o estradiol é diminuído e globulina de ligação a hormonas sexuais aumentada, provocando uma redução de circulantes inflamatórios e elevando as substâncias anti-inflamatórias.

A diretora do Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis e Promoção da Saúde da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde explica e reforça que “a prática de atividade física melhora o metabolismo de alguns hormônios relacionados com o câncer de mama, o que pode evitar e até melhorar o quadro de uma paciente com a doença. Estamos conseguindo evidências para mostrar a vantagem de se reduzir o sedentarismo na população.”

O estudo revelou ainda que além do sedentarismo, outros fatores também podem ser relacionados a mortes de mulheres com câncer de mama, como uso de álcool, índice alto de massa corporal e uma dieta rica em açúcar. Esses fatores correspondem a 6,5% dos óbitos.

Sedentarismo e o câncer de mama

A última Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel 2017) apontou que 13,9% das mulheres das capitais brasileiras não praticam nenhum tipo de atividade física. De acordo com os dados, os casos de sedentarismo são maiores entre mulheres mais velhas, mas também entre jovens de 18 e 24 anos (21%).

Já entre as que praticam exercícios, 51,3%  fazem atividade física insuficientemente, ou seja, não alcançam o equivalente a pelo menos 150 minutos semanais de atividades de intensidade moderada ou pelo menos 75 minutos semanais de atividades de intensidade vigorosa.

Segundo a diretora do Ministério da Saúde, “esta informação reforça a importância de ter uma política nacional de promoção da saúde que contribua para mudança dos comportamentos de risco para doença crônica. Estimular o consumo de alimentos frescos e ricos em nutrientes, reduzir o sedentarismo, além de evitar o uso abusivo de álcool e o tabagismo, por exemplo. A adoção de um estilo de vida saudável evitaria 39% das mortes por doença crônica, que responde por 76% das causas de morte no Brasil, sendo a promoção da saúde uma política com baixo custo e com grande impacto populacional. Se a saúde/doença da população brasileira continuar a tendência atual, com grande crescimento da doença crônica em adultos jovens, não haverá financiamento suficiente para o SUS, devido ao alto custo da doença crônica.”

Imagens: Flash Curitiba 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.