Esportes

Pimpão admite incômodo por salários atrasados no Botafogo: 'Contas não esperam'

22/10/2018, 19h44

O clima do Botafogo não é mesmo dos melhores. Não bastassem as quatro partidas seguidas sem vitória no Brasileirão e a proximidade da zona de rebaixamento, o elenco vem sofrendo com os salários atrasados. Os vencimentos dos últimos dois meses ainda não foram quitados, o que tem gerado incômodo entre os jogadores.

“Eu te faço uma pergunta. Se estivesse em uma situação de dois meses, o que você faria? Estaria feliz? É uma situação delicada, as minhas contas não esperam, mesmo sendo um pouco mais experiente. Estou aqui há quatro anos e é a primeira vez que isso acontece”, declarou o atacante Rodrigo Pimpão nesta segunda-feira.

Pimpão, no entanto, evitou reclamar diretamente do Botafogo. Pelo contrário, o jogador elogiou a postura da diretoria, que deve resolver a situação dos salários atrasados até o fim desta semana.

“Não tenho o que reclamar do Botafogo. Esperamos que as coisas se resolvam nessa semana e, internamente, resolvamos os problemas. Só temos que agradecer ao clube, aos nossos torcedores e patrocinadores. Os jogadores vem e passam, mas as contas precisam estar em dia”, avaliou.

Com 35 pontos, o Botafogo ocupa a 13.ª colocação, quatro à frente do Ceará, que abre a zona do descenso. Para evitar uma reta final de competição dramática, o time alvinegro precisa reagir logo. Na próxima rodada, o adversário será o Atlético-PR, neste sábado, na Arena da Baixada.

“Não temos tempo para lamentar, e sim agir. Chegou o momento de agirmos e deixarmos para trás o que passou. Temos nove jogos e sabemos das nossas obrigações e deveres. Falar menos e fazer mais para as coisas acontecerem. Não tem explicação para o que está acontecendo e esperamos reverter isso”, afirmou Pimpão.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Política

Ronaldo Caiado deve pagar R$ 80 mil por derramar santinhos em ruas de cidades do interior

Assessoria diz que Caiado vai recorrer da decisão, pois não autorizou nem foi conivente com qualquer prática irregular.
22/10/2018, 20h59

O governador eleito, Ronaldo Caiado (DEM) foi condenado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-GO) a pagar R$ 80 mil por derramar “santinhos” nas ruas de algumas cidades goianas no primeiro turno das Eleições 2018, ocorrido no dia 7 de outubro. De acordo com o TRE, os papéis de campanha estavam espalhados em vias de Santo Antônio do Descoberto, Trajanópolis, Serranópolis, Catalão, Cavalcante, Aparecida de Goiânia, Padre Bernardo, Luziânia, Campos Belos, Planaltina, distrito de Campos Lindos, e Cristalina.

A decisão foi do juiz Juliano Taveira Bernardes, que ressaltou que a responsabilidade deve “recair solidariamente sobre o candidato e coligação”. O magistrado completou ainda que “embora a legislação não fixe um número mínimo de ‘santinhos’ a caracterizar a infração em destaque e a despeito de as quantidades de santinhos virem diminuindo a cada eleição, o volume constatado na presente representação é impressionante, sobretudo porque assume aspecto visual relevante, a ponto de merecer a reprimenda legal.”

Por meio de nota enviada ao O Popular, assessoria de imprensa de Ronaldo Caiado informou que o governador eleito irá recorrer da decisão e argumentou ainda que durante sua campanha ao governo, Caiado não autorizou nem foi conivente com qualquer prática irregular, como a distribuição do “santinhos”. A assessoria explicou ainda que na véspera das eleições, o novo governador havia exigido de candidatos e presidentes de partidos uma campanha limpa e proibindo a o derramamento do material.

Ronaldo Caiado é eleito governador de Goiás

Ronaldo Caido (DEM) foi eleito governador de Goiás no domingo, 7 de outubro, com 59% dos votos (1.773.185 votos). Ele derrotou o candidato Daniel Vilela (MDB), que obteve 16,9% dos votos, 389.544 e Zé Eliton  (PSDB), que conquistou 13,10% dos votos válidos, ou seja 317.205  votos. Os três candidatos disputaram, durante a campanha eleitoral, os três primeiros lugares para a disputa.

Nesta segunda-feira (22/10), o governador eleito Ronaldo Caiado (DEM), que assumirá em 2019, anunciou o senador não reeleito Wilder Morais (DEM) como o coordenador da equipe de transição do governo. O comunicado foi feito por meio das rede sociais do novo governador, após uma reunião com o atual governador de Goiás, José Eliton (PSDB), ocorrida na manhã de hoje, no Palácio Pedro Ludovico, em Goiânia.

Via: O Popular 
Imagens: Facebook 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Servidores do HUGO aderem à paralisação nesta terça-feira

A paralisação foi decidida em assembleia geral realizada na última segunda-feira (22/10).

Por Ton Paulo
23/10/2018, 08h42

Servidores terceirizados do Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) decidiram na última segunda-feira (22/10), em assembleia geral, fazer uma paralisação a começar a partir desta terça-feira (23/10). O ato deverá afetar todas as áreas do hospital, exceto a UTI e emergências.

Dentre os servidores que participaram da assembleia geral realizada na noite desta segunda-feira, e que aderem ao ato hoje, estão técnicos de enfermagem e enfermeiros.

Ainda segundo os servidores, o comunicado ao Instituto Gerir e à Secretária de Estado da Saúde vai ser feito ainda no início desta manhã, quando o Sindsaúde, o Sieg e o Sief vão elencar os serviços a serem suspensos.

Uma nota foi publicada na site oficial do Sindsaúde-Go, informando a decisão.

Veja abaixo:

“Durante assembleia geral realizada na noite desta segunda-feira (22), os servidores terceirizados do Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), em sua maioria, técnicos de enfermagem e enfermeiros, decidiram suspender os serviços a partir desta terça-feira(23).

A decisão foi tomada devido ao atraso no pagamento dos salários e por conta da falta de condições de trabalho.

O comunicado ao Instituto Gerir e à Secretária de Estado da Saúde será feito no início da manhã desta terça-feira quando o Sindsaúde, o Sieg e o Sief vão elencar os serviços a serem suspensos.

A paralisação é gradativa e inicialmente, estarão suspensos apenas os serviços de condução de pacientes intra-hospitalar e cirurgias eletivas.

O pagamento referente ao mês de setembro que deveria ter sido feito até o quinto dia útil desse mês, ainda não saiu.”

Ministério do Trabalho entrou com representação contra HUGO por descumprimento de ordem judicial

Em nota à imprensa divulgada na última segunda-feira, o Ministério do Trabalho, através da  Superintendência Regional do Trabalho no Estado de Goiás (SRT/GO, informou da abertura de representação criminal contra o Hospital de Urgências de Goiânia por descumprimento de termo de interdição emitido em 24/09/2018; descumprimento do termo de notificação de 11/10/18 da Secretaria de Estado da Saúde de Goiás, e descumprimento do termo de notificação de 15/10/18 da Superintendência de Regulação e Políticas de Saúde da Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia..

A representação, aberta após auditoria realizada no hospital, foi encaminhada para o Ministério Público Federal (MPF).

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Bebê de dois meses é abandonando em rua de Goiânia

Morador acordou com o choro da criança e acionou a Polícia.
23/10/2018, 08h56

Um recém-nascido de aproximadamente dois meses de idade foi abandonado na madrugada desta terça-feira (23/10), na rua Potengi no Bairro Goiá, em Goiânia. O bebê foi encontrado por moradores da região.

Um morador identificado apenas pelo nome de Fabrício estava dormindo em sua casa, quando acordou com o choro da criança e acionou a Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO) para atender a ocorrência. Uma equipe da 15ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM) esteve no local, ao chegar à região encontrou o bebê. Imediatamente a equipe pediu apoio do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO).

Bombeiros foram acionados e encaminharam o bebê para o HMI em Goiânia

O CBMGO disse ao Portal Dia Online que a criança é uma menina e estava enrolada em uma manta e sem ferimentos. Ainda de acordo com os Bombeiros, a menina foi encaminhada ao Hospital Materno Infantil de Goiânia (HMI) para passar por uma avaliação médica.

Segundo as informações divulgadas até o momento, a mãe da criança não foi identificada e não há informações sobre o motivo dela ter abandonado a criança. O caso agora será investigado pela Polícia Civil (PC) e a criança ficará aos cuidados do Conselho Tutelar (CT).

Em nota a assessoria do Hospital Materno Infantil (HMI) informou que a criança foi atendida e saudável pesando 5,6 kg.

Confira a nota na íntegra

“O Hospital Estadual Materno-Infantil Dr. Jurandir do Nascimento (HMI) informa que o bebê encontrado abandonado no Bairro Goiá nesta madrugada pelo Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO) deu entrada na unidade às 6h53min e foi avaliada pela equipe multiprofissional do Pronto Socorro de Pediatria (PSP), que constatou seu bom estado de saúde. A criança, que pesa 5,6kg e tem aproximadamente três meses de vida, recebeu alta às 8h, acompanhada pelo Conselho Tutelar Região Leste de Goiânia.”

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Esportes

Árbitro relata em súmula que foi xingado por diretor do Inter após jogo no Sul

Confusão continuou no vestiário.
23/10/2018, 10h29

O árbitro Ricardo Marques Ribeiro relata ter sido chamado de “safado” pelo diretor de futebol do Internacional, Rodrigo Caetano, na súmula da partida entre o time gaúcho e o Santos, válida pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro e disputada na noite de segunda-feira, no Beira-Rio, em Porto Alegre. O confronto, que terminou em empate por 2 a 2, ficou marcado pela polêmica anulação do gol de Leandro Damião no começo do segundo tempo. No documento oficial do jogo, também foi apontada a invasão de campo do técnico Odair Hellmann, da equipe gaúcha.

“Relato que após o término da partida, o treinador da equipe do Inter, Odair Hellmann, invadiu o campo de jogo, se dirigindo ao sexteto de arbitragem e de forma não agressiva, proferiu as seguintes palavras: ‘Isto é um absurdo. Vocês demoraram 10 minutos para definir o lance e erraram feio. O lance foi muito claro. Vocês erraram e definiram o campeonato'”, apontou o árbitro.

No lance, Víctor Cuesta dividiu com Carlos Sánchez e a bola sobrou para Leandro Damião. O centroavante aproveitou e mandou para o fundo das redes. O árbitro Ricardo Marques Ribeiro assinalou impedimento do jogador do Inter. Com dúvidas sobre quem tocou por último na bola (Cuesta ou Sánchez), o sexteto de arbitragem demorou mais de seis minutos para tomar uma decisão final, confirmando a anulação do gol.

Conflito entre o árbitro e diretor do Inter

Já nos vestiários, houve um novo atrito entre um membro do Internacional e a arbitragem. “Quando o sexteto de arbitragem se dirigia para o vestiário e passando pela zona mista, fomos abordados pelo sr. Rodrigo Vilaverde Caetano, gerente executivo de futebol do S.C. Internacional, que proferiu, em tom agressivo, as seguintes palavras: ‘Vocês vão parar por que? Vocês decidiram o campeonato, erraram feio, seu safado, absurdo o que vocês fizeram aqui hoje'”.

Ricardo Marques Ribeiro também confirmou que teve um bate-boca com o cartola. “Respondi em alto e bom som e repetidas vezes, com as seguintes palavras: ‘Você me respeita, respeite a minha instituição. Eu nunca faltei com respeito a você. Eu exijo respeito, por favor, respeito'”, relatou o juiz na súmula do jogo.

O presidente do Internacional, Marcelo Medeiros, disse que a indefinição em campo ocorreu porque a arbitragem ficou esperando por uma ajuda externa. Vale lembrar que o Campeonato Brasileiro não conta com o VAR (arbitragem de vídeo). “É inadmissível que seis homens levem mais de sete minutos para tomar uma decisão. Há duas interpretações. Se foi do Cuesta, é falta. Se foi do zagueiro, é legítimo o gol do Damião. Não precisa consultar assistente, quarto árbitro. Ficou claro que esperava uma informação, que não ocorreu”, reclamou o dirigente.

O treinador Odair Hellmann também mostrou indignação com a decisão da arbitragem e reforçou o pedido pela implantação no VAR na principal competição nacional. “O Inter foi a favor do VAR. Eles precisam de ajuda, mas precisam ter humildade também. Todo final de jogo falam conosco e pedem para darmos moral. Não pode ficar sete minutos esperando uma decisão externa. No sétimo minuto o quarto árbitro vai lá, fala e estraga a situação. Saio daqui muito triste.”

Com o empate, o Internacional chegou aos 57 pontos, mantendo a terceira posição, mas viu seus rivais diretos, Palmeiras e Flamengo, vencerem na rodada e abrirem vantagem nas duas primeiras posições. O time paulista é o líder, com 62 pontos, quatro à frente da equipe carioca.

Imagens: Globoesporte.com 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.