Economia

Colnago defende emendas parlamentares direcionadas a obras em andamento

23/10/2018, 17h12

O ministro do Planejamento, Esteves Colnago, defendeu nesta terça-feira, 23, que emendas parlamentares no orçamento do próximo ano sejam direcionadas a obras já em andamento e não para a abertura de novos projetos. Após reunião com técnicos da Comissão Mista do Orçamento, Colnago afirmou que o direcionamento dos recursos para essas obras tornaria mais eficiente o gasto do governo no próximo ano.

“O ideal seria canalizar as emendas para obras já abertas. O Tribunal de Contas da União (TCU) e a própria comissão do orçamento já têm trabalhos nesse sentido”, disse o ministro após a reunião.

Segundo ele, o volume de emendas para 2019 gira em torno de R$ 20 bilhões. Colnago ficou de enviar à comissão a lista de projetos do Painel de Obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para servir de banco de exemplos para os parlamentares.

Perguntado sobre o andamento da tramitação da Lei Orçamentária Anual de 2019 após a eleição e sobre eventuais dificuldades do novo governo em gerir um orçamento apertado, Colnago enfatizou que o projeto de orçamento para o próximo ano permitirá que os novos gestores “atravessem 2019 com tranquilidade”.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Márcio França responde acusação de Doria sobre suposto vídeo íntimo vazado

Em suas redes sociais Márcio França (PSB) respondeu a acusação de João Dória sobre o suposto vídeo íntimo do candidato ao governo de São Paulo.
23/10/2018, 17h58

Depois da divulgação de um vídeo em que um homem atribuído ao candidato ao governo do Estado de São Paulo, João Doria (PSDB), aparece em momentos íntimos, com várias mulheres em um quarto, a equipe do candidato do PSDB informou em nota que o vídeo é uma montagem e acusou o adversário Márcio França (PSB) de divulgar o material.

Com isso, o concorrente de Dória, Márcio França, que também concorre à vaga no segundo turno, utilizou suas redes sociais na tarde desta terça-feira (22/10), para classificar a acusação do candidato do PSDB como “lamentável” e “tão grave quanto a violência da qual ele foi vítima”.

O vídeo em que Doria supostamente se relaciona sexualmente com cinco mulheres viralizou em várias redes sociais. E é o assunto mais comentado do Twitter Brasil, chegando ao primeiro colocado trends topics.

No próximo domingo (28/10), os moradores de São Paulo irão às urnas, para escolher entre os dois candidatos, o próximo Governador do Estado e também o novo Presidente do Brasil.

A pouco menos de uma semana das eleições, pesquisa mostrava Doria com a preferência de 52,3% do eleitorado paulista, contra 47,7% de Marcio França, atual governador de São Paulo, entre os votos válidos.

Confira na íntegra o que Márcio França escreveu em sua página no Facebook

"É lamentável que Dória nos faça essa acusação", diz Márcio França sobre suposto vídeo íntimo vazado de Dória
Foto: Print/ Twitter Márcio França

“É lamentável que Dória nos faça essa acusação que chega a ser quase tão grave quanto a violência de que ele é vítima. Repudiamos tanto a declaração do candidato, quanto a divulgação desse tipo vídeo.São Paulo não merece esse constrangimento.Repudiamos qualquer tipo de ataque pessoal a quem quer que seja.Dória não deve medir os outros pela sua régua. Se ele não tem limites, eu tenho. Se, para ele, um adversário político é inimigo, para mim não é. Se, para ele, vale qualquer coisa numa campanha, para mim não.

Márcio França”

Por meio de sua conta do Twitter, João Doria, ao lado da mulher, comenta o vazamento do vídeo.

Via: Facebook 
Imagens: Facebook 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

"Uma para cada cabeça", escreve aluno de Aparecida de Goiânia ao postar foto com bala

Foto foi publicada no último fim de semana; coordenação informou que estudante não frequentará mais a escola.
23/10/2018, 18h17

Um aluno de uma escola particular de Aparecida de Goiânia, Região Metropolitana da capital, assustou os colegas de classe e os pais dos alunos ao postar uma foto com uma bala na mão com a seguinte legenda: “kkkkkkkkk pessoal da marvel tem uma para cada cabeça”. O jovem, de 18 anos, fazia menção ao grupo de alunos concorrente caso vencessem uma gincana escolar. Após o ocorrido, o colégio informou que o estudante foi afastado das aulas.

"Uma para cada cabeça", escreve aluno de Aparecida de Goiânia ao postar foto com bala
Foto: Reprodução

A foto foi publicada no último fim de semana em um grupo do WhatsApp e também no status da rede social, onde ele questionou: “Na cabeça de quem vai entrar?”. Alguns dos colegas de turma comunicaram os pais do ocorrido, que compareceram até a escola na manhã desta terça-feira (23/10). Após tomar conhecimento dos fatos, a coordenação da escola informou que o jovem faz o 3º ano do ensino médio e tem bom rendimento escolar, mas ele não “frequenta mais a escola.”

Em entrevista, uma colega de classe do aluno, que preferiu não ser identificada, disse que não acredita que ele seria capaz de tamanha violência. “Eu acho que foi só uma brincadeira, que ele não ameaçou ninguém de verdade, que ele não teria capacidade de fazer isso. Eu não esperava que ele fosse fazer isso, mas assim, apesar de ter sido uma atitude extrema, eu não acho que vai acontecer nada não. Ele não é assim.”

“Foi em tom de brincadeira”, diz aluno de Aparecida de Goiânia

Procurado pela TV Anhanguera, o aluno disse a foto foi apenas  uma “brincadeira”. Ele contou que as fotos são uma reprodução da internet e que está arrependido do que fez. “Posso te dizer que realmente foi em tom de brincadeira, até porque isso pode prejudicar vida acadêmica minha”, explicou.

O jovem disse ainda que: “Eu sei que no teor que a sociedade que a gente vive a violência em escolas está muito grande realmente e isso realmente foi desnecessário, tanto é que já foi pedido desculpas aos alunos que foram envolvidos, do grupo na verdade.”

Via: G1 
Imagens: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Vereadores derrubam veto e município deve instalar e melhorar iluminação nos pontos de ônibus de Goiânia

Prefeitura também deve informar, semestralmente, as ações realizadas para melhorias do transporte público.
23/10/2018, 19h46

Nesta terça-feira (23/10) os vereadores da Câmara Municipal de Goiânia derrubaram, por 19 votos unânimes, o veto do prefeito Iris Rezende (MDB) e agora o município é obrigado a instalar e melhorar a iluminação pública nos pontos de ônibus da capital. De acordo com o projeto, a Prefeitura deve informar ainda, semestralmente, as ações realizadas nesse sentido.

A proposta, de autoria da vereadora Tatiana Lemos (PC do B), aponta que as ações não aumentarão os gastos do Executivo, já que a população paga taxa de iluminação, instituída em Lei em dezembro de 2002. “Todo contribuinte paga mensalmente taxas para a manutenção da iluminação pública, por isso é uma obrigação e não um favor garantir que qualquer cidadão possa estar em um ponto de ônibus, contando com iluminação e segurança”, lembra a vereadora.

Segundo Tatiana, a matéria é fundamental para garantir a segurança da população, sobretudo no horário de verão, em que muitas pessoas chegam aos pontos de ônibus antes de o dia clarear. “Sem falar na segurança das mulheres, que ficam mais desprotegidas em pontos sem iluminação”, completa.

Tempo de espera nos pontos de ônibus em Goiânia

No dia 20 de setembro de 2018, o plenário também vetou, por 18 votos a um, a decisão do prefeito Iris Rezende ao projeto do vereador Alysson Lima (PRB) que estabelece tempo de espera de ônibus para usuários do transporte coletivo de Goiânia.

De acordo com a lei, ficam estabelecidos os seguintes prazos de espera: até 20 minutos em dias normais; 30 minutos nas finais de semana e feriados; 40 minutos em dias de fortes chuvas e alagamentos. As empresas terão 90 dias para adaptarem se às novas regras.

“Temos o pior sistema de transporte público do País. Não temos pontualidade de horário. O usuário, em certos casos, espera até duas horas para embarcar. Essa nossa proposta fará justiça e modernidade ao sistema de transporte”, comentou o autor do projeto.

Imagens: O que rola 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Assassino de Leonardo Pareja é morto em presídio de Aparecida de Goiânia

Eduardo Rodrigues Siqueira, de 46 anos, foi agredido por outros três detentos com um objeto perfurante improvisado.
23/10/2018, 20h45

Eduardo Rodrigues Siqueira, de 46 anos, que cumpria pena na Penitenciária Odenir Guimarães (POG) em Aparecida de Goiânia, pela morte do também preso Leonardo Rodrigues Pareja, foi morto nesta terça-feira (23/10) dentro do presídio. De acordo com a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), ele voltava do banho de sol quando foi agredido por outros três detentos com um objeto perfurante improvisado, conhecido como ‘chucho’.

Os presos que mataram Eduardo já foram identificados. Em nota, a DGAP informou que ele foi atacado “pelos presos Diego Martins da Silva, Cleyber Antonio Nicolau e Antonio Camargo dos Santos”. Logo após o ocorrido, Eduardo chegou a ser socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e lavado para o Hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia (Huapa), “mas não resistiu aos ferimentos e foi a óbito”. A diretoria esclareceu ainda que “foi determinada abertura de sindicância para apuração dos fatos e a Polícia Civil vai instaurar inquérito policial para investigar o homicídio”.

Morte de Leonardo Pareja

Eduardo cumpria pena pela morte de Leonardo Pareja, conhecido por comandar uma rebelião no antigo Centro Penitenciário de Goiás  (Cepaigo) que teve a duração de seis dias. Pareja ainda conseguiu fugir do presídio com seis reféns, mas foi recapturado um dia após o motim, no interior de Goiás. Antes disso, em 1995, Leonardo havia sequestrado uma adolescente de 16 anos, sobrinha do então senador Antônio Carlos Magalhães, em Salvador, na Bahia. Um mês depois, após passar por três estados, ele se entregou à polícia.

Pareja, conhecido por debochar e se esconder facilmente da polícia, foi assassinado em 1996, também por outros detentos, após comunicar à polícia um possível plano de fuga por um túnel cavado na unidade prisional. Eduardo, Eurípedes Dutra Siqueira, José Carlos dos Santos, Ivan Cassiano da Costa e Raimundo Pereira do Carmo Filho foram condenados pelo crime. Juntas as penas somavam mais de 40 anos de prisão.

Via: G1 O Popular 
Imagens: O Popular 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.