Política

Jair Bolsonaro é eleito novo presidente do Brasil

Candidato do PSL venceu Fernando Haddad do PT.
28/10/2018, 19h24

Jair Bolsonaro (PSL) foi eleito o novo presidente da República, no segundo turno das eleições presidenciais ocorrido neste domingo (28/10). Com 94% das urnas apuradas, ás 19h22, o capitão da reserva do Exército obteve 55.205.640 votos. Sempre à frente das pesquisas, o capitão acreditava que a eleição estava definida antes mesmo dos 147,3 milhões de brasileiros irem às urnas.

Defendendo ideais que, segundo ele, representam a tradicional família brasileira, Bolsonaro foi considerado pelos seus apoiadores, durante o processo eleitoral, como o “mito” ou o “messias” que pode salvar o Brasil.

Governo de Jair Bolsonaro

Em entrevistas à imprensa durante a campanha eleitoral e também em seus programas eleitorais, Jair Bolsonaro defendeu mudanças como: Acabar com a reeleição; reduzir o número de parlamentares entre 15% a 20% e aumentar o mandato de cargos do Executivo para cinco anos.

O novo presidente da República tem como principais propostas a segurança pública, onde promete um combate rigoroso à criminalidade, garantindo aos cidadãos o direito à legitima defesa e dando melhores condições de trabalho aos policiais; gestão política eficiente, na qual pretende garantir recursos nos estados e municípios, e não apenas concentrar o poder em Brasília; e investir na educação infantil, ensino fundamental, médio e técnico. Bolsonaro garante uma “educação sem doutrinação.”

Nomes para governo de Bolsonaro

Por meio das redes sociais, onde o candidato eleito mais concentrou sua campanha política após levar uma facada durante uma ato público em Juiz de Fora, Minas Gerais, no dia 6 de setembro, Jair Bolsonaro, aos poucos, já define seus aliados no governo.

Em sua conta no Twitter, o novo presidente escreveu, no último dia 26 de outubro, que já tem pelo menos três nomes confirmados para ocuparem os ministérios de seu governo, são eles:  deputado federal reeleito Onyx Lorenzoni (DEM-RS), Augusto Heleno, general da reserva, e o coordenador econômico da campanha de Bolsonaro, Paulo Guedes.

“As eleições só serão definidas no domingo. Além dos 3 nomes mencionados (Onyx, Heleno e Guedes), outros serão anunciados. Com intuito de se promover ou nos desgastar, oportunistas se anunciam ministros. Estes, de antemão, já podem se considerar fora de qualquer possível governo”, escreveu Jair Bolsonaro.

Imagens: Diário Catarinense 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.