Educação

Professores do Basileu França entram em greve; salários e direitos trabalhistas estão atrasados 

Funcionários dos Itegos de Catalão e Anápolis também sofrem com os atrasos.
29/10/2018, 19h34

Os professores do Instituto Tecnológico de Goiás Basileu França (Itego), em Goiânia, entraram em greve nesta segunda-feira (29/10) por falta de pagamento dos salários e dos direitos trabalhistas. De acordo com alguns profissionais, eles estão sem receber por dois meses e as obrigações trabalhistas e fiscais não são pagas a pelo menos um ano. Funcionários dos Itegos de Catalão e Anápolis também sofrem com os atrasos.

Em nota enviada ao G1, a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Agricultura e Pecuária (SED) explicou que “tem buscado soluções junto à OS Cegecon para o retorno das atividades do Itego Basileu França o mais breve possível”. Ainda na nota, a SED informou que a empresa responsável “se comprometeu a regularizar as documentações referentes a obrigações trabalhistas e fiscais, para que assim, sejam efetuados os repasses”.

O Dia Online tenta contato com o Centro de Gestão em Educação Continuada (Cegecon).

Instituto Basileu França

Localizado na Av. Universitária, no Setor Leste Universitário, em Goiânia, o Itego Basileu França, fundado em 1967, oferece cursos de Artes Visuais, Circo, Dança, Música e Teatro. As atividades são voltadas para estimulação da difusão cultural e da pesquisa, além dos meios espontâneos de expressão criativa e  perspectiva de atuação em atividades econômicas geradoras de renda e o empreendedorismo.

Com grande reconhecimento no mercado, os alunos do Instituto são convidados por instituições públicas, filantrópicas, privadas e por ONGs para apresentar suas produções em diversos eventos externos, locais, regionais e nacionais.

Os alunos da Escola de Artes são escolhidos por meio de teste de aptidão e sorteios de acordo com cada curso. O Basileu França oferece cursos nas áreas de música, teatro, circo, dança, arte-educação, artes visuais e produção cênica. Todos os semestres, centenas de alunos participam de processos seletivos no local.

Atualmente, o Itego “tem como meta ampliar a oferta do curso superior em tecnologia, fortalecer o Ensino Técnico e consolidar as ações artístico-pedagógicas em âmbito nacional e internacional, alavancando assim o cenário artístico de Goiás.”

Via: G1 
Imagens: DM 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.