Goiás

Em Goiânia, astronauta ministro de Bolsonaro fala em "missão" aceita por ele

O astronauta Marcos Pontes, que foi confirmado como ministro da Ciência e Tecnologia de Jair Bolsonaro, foi o convidado do Torneio Sesi de Robótica, em Goiânia.

Por Ton Paulo
01/11/2018, 12h12

O astronauta Marcos Pontes, confirmado como Ministro da Ciência e Tecnologia no governo de Jair Bolsonaro (PSL), presidente eleito nas últimas eleições, participou de um evento em Goiânia na manhã desta quinta-feira (1/11). O astronauta falou sobre a escolha de seu nome para a pasta federal e afirmou  “que ficou honrado com a escolha”.

Pontes participou do Torneio Sesi de Robótica First Lego League, com o tema Into Orbit (em órbita), em Goiânia, e o astronauta marcou o lançamento da etapa regional da competição, prevista para os dias 23 e 24 de novembro, no Sesi Canaã.

Para Pontes, o cargo de ministro da Ciência e da Tecnologia será tratado como uma missão difícil. Mas conforta: “Estou acostumado a receber missões difíceis de cumprir”.

Ele também falou sobre a carreira e a experiência como primeiro astronauta brasileiro a ir para o Espaço.

Quem é Marcos Pontes

Marcos Pontes nasceu em Bauru, no interior de São Paulo, e ingressou na Academia da Força Aérea em 1981, onde fez cursos de paraquedismo de emergência, sobrevivência no mar e se formou como piloto de aviões.

Em 1989, foi cursar aeronáutica no ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica). Em 1996, ingressou no mestrado da Naval Postgraduate School em Monterey, na Califórnia, onde aprendeu a navegar ônibus espaciais americanos e naves russas Soyuz, e recebeu treinamento a respeito dos sistemas da Estação Espacial Internacional. Isso abriu caminho para que fosse selecionado, em 1998, por meio de um concurso público do governo brasileiro, para a vaga a que o Brasil tinha direito no programa espacial da Nasa, a agência espacial americana -o país fez parte do esforço conjunto para a construção da Estação Espacial Internacional.

Pontes foi enviado para o espaço apenas em 2006, quando realizou experimentos para a Agência Espacial Brasileira durante um período de oito dias. Uma de suas experiências foi plantar um feijão no espaço, para avaliar se ele germinaria de maneira diferente.

Em 2014, tentou se eleger deputado federal pelo PSB em São Paulo, sem sucesso. No pleito de 2018, foi eleito segundo suplente do senador eleito por São Paulo, Major Olímpio (PSL).

Hoje, Pontes é embaixador da Boa Vontade na ONU, dá palestras e continua a trabalhar na Nasa,. Ele foi confirmado como ministro da Ciência e da Tecnologia do governo Bolsonaro.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Esportes

Conmebol confirma finais da Copa Libertadores aos sábados

Entidade informa, por meio de publicação em sua página no Twitter, que a partida de ida da decisão, no estádio de La Bombonera será às 16h; decisões estão marcadas para os dias 10 e 24 de novembro.
01/11/2018, 13h23

A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) anunciou no início da tarde desta quinta-feira que os dois jogos das finais da Copa Libertadores, entre Boca Juniors e River Plate, foram marcados para dois sábados, nos dias 10 e 24 de novembro, em Buenos Aires.

A entidade informou, por meio de publicação em sua página no Twitter, que a partida de ida da decisão, no estádio de La Bombonera, casa do Boca, será às 16h (horário local), assim como ocorrerá também no jogo de volta, no Monumental de Núñez, onde será conhecido o campeão desta edição da competição.

O River Plate foi o primeiro a garantir vaga na final ao vencer o Grêmio por 2 a 1, de virada, na última terça-feira, em Porto Alegre, depois de o time brasileiro ter batido a equipe argentina por 1 a 0 no confronto de ida. Já o Boca assegurou lugar na decisão ao empatar por 2 a 2 com o Palmeiras, na noite desta quarta, no Allianz Parque, em São Paulo, após ganhar o primeiro duelo do mata-mata por 2 a 0.

Essa será a primeira vez que dois clubes argentinos farão a final de uma Libertadores, cuja primeira edição foi realizada em 1960. Com seis títulos, o Boca é o segundo maior ganhador da história da competição e terá a chance de se igualar ao Independiente, também da Argentina e recordista de taças do torneio, com sete. Já o River buscará o seu quarto troféu após ter triunfado anteriormente em 1986, 1996 e 2015.

Boca Juniors confirma vaga nas finais da Copa Libertadores

Palmeiras recebeu na noite desta quarta-feira (31/10) o Boca Juniors (ARG) pela partida de volta das semifinais da Libertadores da América 2018.

Como perdeu o primeiro duelo pelo placar de 2 a 0, o alviverde paulista precisava vencer por três gols ou mais de diferença para conquistar a classificação direta para a decisão.

Mesmo com o apoio da torcida, o time alviverde saiu atrás no marcador e teve que buscar o resultado. O Palmeiras chegou a virar a partida, mas tomou o gol de empate loco em seguida.

Como perdeu o primeiro jogo pelo placar de 2 a 0 e não conseguiu reverter o resultado, o Boca Juniors ficou com a vaga na final da Libertadores da América 2018 e encara o arquirrival River Plate.

Imagens: Veja 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

O celular que cabe em caixa de fósforo usado por presos, em Goiás

"Com este novo tipo de celular, vai ter que mudar a forma de evitar a entrada dos aparelhos nos presídios. Ele é imperceptível", comenta presidente do sindicato.
01/11/2018, 13h41

Eles têm cerca de 6cm e podem caber em caixas de fósforos, conforme conta ao Portal Dia Online, o presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Estado de Goiás, Maxsuell Miranda das Neves. “Com este novo tipo de celular, vai ter que mudar a forma de evitar a entrada dos aparelhos nos presídios. Ele é imperceptível”, disse.

Os aparelhos são importados da China e do Paraguai por meio do contrabando que passam pelas rodovias goianas. Um aparelho desses, com entrada para os mesmos chips e carregadores tradicionais, para chegar às mãos de um preso pode custar em média 2 mil reais. “Não fica barato um preso conseguir um celular. Ele precisa corromper servidores, advogados e familiares. Fora o valor do aparelho”, comenta Maxsuell.

Além da facilidade de o celular entrar nos presídios, os presos podem escondê-lo com mais facilidade. “Eles escondem em buracos, entre as camas, em qualquer lugar. Eles ainda são indetectáveis porque são produzidos com fibra de carbono”, destaca Maxsuell.

Superintendente de Segurança Penitenciária da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), Jonathan Marques, explica que uma dificuldade é a revista humanitária, que não permite a revista vexatória, com agachamentos, por exemplo. “Mesmo assim, temos detector de metal e os scanners que conseguem flagrar algumas coisas”, conta,

Marques conta que uma mulher foi flagrada com um Iphone J7 nas partes íntimas. “Imagine um mini-celular…”, sugere. Para ele, estes celulares foram produzidos justamente para facilitar a entrada em locais proibidos e que facilitariam seu esconderijo.

O Ministério Público solicitou que não exista mais tomadas nas cadeias de Formosa para evitar que celulares sejam recarregados. “É uma boa medida porque evita que o crime organizado aja de dentro das cadeias porque acreditamos que grande parte da criminalidade passa pelo sistema prisional, por meio de recados e telefonemas ilegais. Consideramos também a sucessão do crime, que é quando a família inteira se envolve no crime por conta do  tráfico de drogas”, conta.

Drogas em marmitas e buraco para fugas

Durante a entrega de marmitas na Central de Triagem de Aparecida de Goiânia na quarta-feira (31/10), os servidores Irleone Rodrigues e Francisco Inaldo viram um pequeno embrulho na parte externa perto do estepe do caminhão de entrega. Os dois perceberam que o embrulho tinha maconha. Nem o motorista, nem os três ajudantes assumiram a droga.

Os quatro foram levaram para o 1º Distrito Policial (DP) de Aparecida de Goiânia, mas foram liberados antes dos servidores que os levaram após o flagrante.

Também na quarta-feira, agentes prisionais evitaram um fuga no Centro de Inserção Social de Luziânia. Os plantonistas faziam uma revista estrutural de rotina nas celas quando depararam com um saco com pedaços de concreto. Os presos estavam retirando o piso do banheiro usando uma barra de ferro.

Leia nota completa sobre os celulares em cadeias goianas

“Sobre os novos celulares que chegaram ao mercado nacional e que, por suas características peculiares como tamanho e pouco metal na estrutura, dificultam as revistas nas unidades prisionais, a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) informa que em face da dificuldade de detecção desse equipamento por parte de detectores de metal, tem focado nos serviços de inteligência e na ação dos agentes de plantão para evitar a entrada indevida dos aparelhos nos presídios.

A DGAP entende que a solução do problema passa pela aprovação de projetos de leis, já em tramitação no Congresso Nacional, que tratam da necessidade das operadoras de telefonia celular serem obrigadas a bloquear os sinais nas imediações dos presídios brasileiros.

Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP)”

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Teatro Goiânia: patrimônio cultural da cidade

O Teatro Goiânia é considerado como Patrimônio Cultural e hoje representa um dos mais importantes centros de cultura da cidade e do estado.
01/11/2018, 13h45

Considerado como um dos mais belos e mais importantes lugares históricos da cidade, o Teatro Goiânia foi inaugurado no dia 12 de junho de 1942, fator que o caracteriza como o mais tradicional espaço cultural de Goiânia.

Construído sob a perspectiva do projeto arquitetônico da cidade, também integra o quadro de construções em art decó – estilo artístico que nasceu na Europa e foi trazido para o estado por Attílio Correa Lima, engenheiro-arquiteto responsável pelo plano urbanístico da nova capital.

Assim que o processo de sua construção foi concluído, O Correio Oficial daquele dia noticiou: “A inauguração do Teatro Goiânia vai ser marcada por uma super produção da Metro-Goldwyn-Mayer, na próxima terça-feira“. O dia foi realmente marcante e cheio de emoções.

Quem esteve presente pôde ver o então interventor federal de nosso estado, Pedro Ludovico Teixeira, descerrar a placa e inaugurar aquela que seria a mais luxuosa casa de espetáculos da nova capital de Goiás. O momento foi comemorado com fervor e tudo parecia moderno demais para o tempo em que acontecia.

Teatro Goiânia e seu simbolismo

Teatro Goiânia: patrimônio cultural da cidade
Foto: Reprodução/ Governo de Goiás

Foi exatamente no Teatro Goiânia que aconteceu o Batismo Cultural da Cidade. Em sua estreia, foi exibido o filme “Divino Tormento“, com Nelson Edyy e Janette MacDonald.

Naquela mesma semana a maior empresa de comédia conhecida nacionalmente até então, a Eva Todor, inaugurou o palco com a obra do Colégio Interno, de Ladislaw Todor. Fato é que o teatro foi projetado para servir também como cinema, mas tal utilidade foi usufruída em pouquíssimas oportunidades.

Além de ser historicamente importante, hoje o teatro representa um dos principais espaços da cidade para apresentações de dança, teatro e música erudita, reconhecido como Patrimônio Nacional no ano de 2003.

Um dos primeiros prédios da cidade, atua hoje com a capacidade para receber até 850 pessoas. Localizado na região central de Goiânia, abre de segunda a sexta, das 8 horas às 20 horas, mas também funciona aos sábados, domingos e feriados para receber espetáculos e eventos diversos.

Telefone para contato: (62) 3201-4684

Endereço: Rua 23, esq. com a, Av. Tocantins, 252 – St. Central, Goiânia – GO, 74015-005

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Brasil tem menos gastos com saúde que países desenvolvidos

Estudo "Aspectos Fiscais da Saúde no Brasil" que foi divulgado nesta quinta-feira admite que emenda do teto de gastos tornou ainda mais desafiadora a dinâmica futura das despesas na área.
01/11/2018, 14h51

Apesar do crescimento nos gastos com saúde na última década, o Brasil ainda distante do patamar de despesas com a área nos países desenvolvidos. A conclusão está no estudo “Aspectos Fiscais da Saúde no Brasil” que foi divulgado nesta quinta-feira, dia 1º, pelo Tesouro Nacional. O documento admite ainda que emenda do teto de gastos tornou ainda mais desafiadora a dinâmica futura das despesas na área.

O levantamento mostra que os gastos com saúde tiveram um crescimento real de 31,9% nos últimos dez anos, com uma média de expansão anual de 3,1% entre 2008 e 2017. No mesmo período, a Receita Corrente Líquida cresceu apenas 6,7%. Com isso, a participação das despesas com saúde em proporção da receita corrente passou de 6,7% para 8,3%.

Gastos com saúde

Mas, em relação ao Produto Interno Bruto (PIB), o crescimento do gasto com a área foi de apenas 0,2 pontos porcentuais nos últimos dez anos. As despesas na área passaram de 1,6% do PIB em 2008 para 1,8% do PIB em 2017. No ano passado, os desembolsos federais em saúde somaram R$ 117,1 bilhões.

Considerando também dos desembolsos de Estados e municípios, o gasto do País na área foi equivalente a 3,8% do PIB no ano passado, de acordo com levantamento do Banco Mundial. Apesar de estar melhor que a média da América Latina e Caribe (3,6%), o Brasil ainda ocupa a 64ª posição em um ranking com 183 nações. Os países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) – grupo do qual o Brasil deseja fazer parte – gastaram em média 6,5% do PIB com saúde em 2017.

Teto

Aprovado no fim de 2016, o regime do teto de gastos limita a expansão das despesas primárias à variação da inflação em 12 meses até junho do ano anterior. Em tese, o gasto com saúde não precisa respeitar esse limite, mas está dentro do limite global do orçamento federal. Ou seja, para que o gasto com saúde aumente acima da inflação, é necessário cancelar despesas em outras áreas.

O problema é que a saúde sofre forte pressão por elevação de despesas, porque os custos dos serviços da área têm uma inflação bem superior à da média da economia. Além disso, a dinâmica de envelhecimento da população deve pressionar ainda mais o orçamento para a área.

“A dinâmica futura das despesas em saúde torna-se ainda mais desafiadora em um contexto de limitação do crescimento dos gastos públicos e de ajuste fiscal. Dessa forma, é fundamental o debate sobre maneiras de aumentar a eficiência e a equidade do gasto em saúde.”, avaliou o Tesouro.

O Tesouro estima que a demanda por despesas primárias da União com saúde terá crescimento real de 25,9% os próximos 10 anos, ou cerca de apenas 2,6% por ano. Com isso, as despesas federais devem ficar estáveis em relação ao PIB no período. O órgão também apresenta um cenário de expansão para o gasto que contempla um crescimento real de 37,0% no período, ou cerca de 3,6% ao ano.

“Dessa forma, o crescimento superior à inflação resultaria em um cenário de pressão sobre o teto de gastos, na medida em que a despesa primária da União na área de saúde, que em 2017 atingiu 8,7% do teto, passaria, em 2027, a representar 11,5% no Cenário Base e 12,6% no Cenário de Expansão”, conclui o Tesouro.

Imagens: femipa.org 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.