Goiás

Polícia deflagra operação que investiga fraudes em vistorias no Detran Goiás

Ação investiga funcionários e despachantes envolvidos em esquema.
06/11/2018, 09h52

A Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) e o Departamento Estadual de Trânsito de Goiás (DETRAN-GO) deflagraram Operação Simulatio que investiga esquema de fraude envolvendo funcionários públicos e despachantes, que fraudavam vistorias do departamento. A ação é feita por meio da Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubo de Veículos (DERFRVA),  na manhã terça-feira (6/11).

Segundo a PC, mais de 100 policiais estão envolvidos na operação que conta também com a presença de vários  fiscais do Detran. A operação acontece neste momento em 14 cidades do Estado de Goiás, entre elas Formosa, Itapuranga, Nova Crixas, Aguas Lindas, Aparecida de Goiânia, Planaltina, Guapó entre outros.

Os resultados da operação foram apresentados pelo delegado Cleybio Januário, em entrevista coletiva na sede da  DERFRVA, na manhã desta segunda-feira (6/11). Foram cumpridos durante a ação 33 mandados de busca e apreensão e até a coletiva já haviam sido cumpridos 15 mandados de prisão de um total de 18. Além dos documentos que compravam as irregularidades, nas residências dos suspeitos de participar do esquema foram apreendidas armas de fogo e munições sem registro.

Segundo o delegado as investigações tiveram início a partir do segundo semestre do ano passado, quando uma servidora do Detran, aprovou a vistoria de aproximadamente 1000 veículos. O esquema contava com a participação de despachantes e de servidores Circunscrição Regional do Trânsito (Ciretran) das cidades envolvidas na operação desta terça-feira (6/11).

De acordo com as informações divulgadas na coletiva de imprensa, a servidora ganhava pequenos valores em cada vistoria. Valores que em algumas ocasiões eram divididos entre ela e os despachantes e servidores dos Ciretrans das cidades onde a operação aconteceu.

“Os despachantes solicitavam a vistoria a essa servidora, que fazia as vistorias, na verdade simulava as vistorias que não existia e o servidor que concluía a transferência dando aparência regular e licita daqueles veículos que as vezes eram até clonados” conta o delegado.

A servidora e os envolvidos no esquema serão indiciados pelo crime de inserção de dados falsos e corrupção passiva. O delegado afirmou que está analisado toda documentação apreendida durante a operação, para verificar se os suspeitos se enquadram em organização criminosa.

Outra Operação da Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubo de Veículos

Em 2018 a DERFRVA deflagrou outras operações. A última foi feita na região da Vila Canaã, em Goiânia, no último dia (18/10) a delegacia prendeu o dono de uma loja e seus funcionários, vendendo peças de carros roubados. Entre as peças de veículos comercializadas pela loja, foram encontradas a de um veículo modelo Jeep Renegade com registro de furto no Rio de Janeiro.

Outra prisão aconteceu na manhã do mesmo dia e pela equipe do CPE 90 da Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO) outro proprietário de autopeças e seus funcionários também foram presos. Neste caso, a prisão foi feita depois de uma denúncia do roubo de uma caminhonete Ford Ranger. Ao chegar na loja, os policiais encontraram o veículo e constataram que o dono encomendava o roubo dos carros, para desmanche e depois revender as peças.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Esquema de imobiliária em Bela Vista de Goiás vendia o mesmo lote para várias pessoas

Os donos da imobiliária falsificavam os documentos do lote e faziam a revenda mesmo depois de ele ter sido quitado pelo comprador. Delegado responsável pela operação afirma que o esquema vem desde a década de 1980.

Por Ton Paulo
06/11/2018, 10h26

Três pessoas foram presas na manhã desta terça-feira (6/11) em Bela Vista de Goiás, a 50 quilômetros de Goiânia, na Operação Solo Sagrado. A operação, deflagrada pela Polícia Civil (PC), investiga o esquema fraudulento de uma imobiliária que fazia a venda de um mesmo lote para várias pessoas diferentes. Os donos da imobiliária falsificavam os documentos do lote e faziam a revenda mesmo depois de ele ter sido quitado pelo comprador. Delegado responsável pela operação afirma que o esquema vem desde a década de 1980.

Considerado um dos maiores loteamentos da América Latina, o Parque Las Vegas foi lançado ainda na década de 1980, em Bela Vista de Goiás, sendo a imobiliária A Pontual a principal responsável pela venda dos lotes.

De acordo com o delegado Alexandre Lourenço, responsável pela Operação Solo Sagrado, os proprietários da imobiliária faziam a venda dos lotes, que eram quitados normalmente, mas sem a transcrição. Após um tempo, os responsáveis pela venda se aproveitavam de quem havia comprado o lote sem se atentar a ele, e verificavam se ele já havia sido ocupado. Em caso negativo, os suspeitos conferiam no cartório se o lote ainda não havia sido transcrito para o comprador.

Quando confirmavam, os donos da imobiliária então voltavam a vender o lote, ou o davam para alguma empresa como pagamento de dívidas da imobiliária.

Segundo o delegado Alexandre Lourenço, a operação foi deflagrada em razão de cinco lotes, no valor de R$ 90 mil cada, que foram usadas nesse esquema. Mas, segundo o delegado, há muitos outros. “É incontável o número de lotes que eles usaram para fazer esse esquema. Esses cinco são só os que estão na minha mesa agora. O lote mais barato que eles venderam custa R$ 35 mil”, conta.

Alexandre afirma que, além de Bela Vista de Goiás, a imobiliária A Pontual Imóveis também possui unidades em Aragoiânia, Goiânia, e entorno de Brasília, e que há suspeitas do mesmo esquema fraudulento nesses lugares. Ele ainda afirma que o número de pessoas que foram lesadas no esquema ainda será estimado.

A reportagem do Dia Online entrou em contato com uma dos responsáveis pela imobiliária A Pontual, que afirmou que não vai se manifestar sobre o caso.

Eles serão indiciados por estelionato e associação criminosa.

Imobiliária havia sido proibida de vender lotes em 2014, em Bela Vista de Goiás

Em julho de 2014, um juiz da comarca de Bela Vista de Goiás deferiu liminar requerida pelo Ministério Público de Goiás e proibiu a A Pontual de vender ou efetuar qualquer outro tipo de negociação envolvendo lotes no loteamento Parque Las Vegas.

De acordo com o estipulado na liminar, a proibição abarcou lotes que estavam em nome da Pontual e também da Morama Empreendimentos Imobiliários Ltda., Stanza Construtora e Incorporadora Ltda. e J. Virgílio.

Além de vetar a venda dos lotes, a decisão judicial também proíbe a publicidade do empreendimento. O magistrado vedou ainda à empresa o recebimento de prestações vencidas e vincendas previstas nos contratos do loteamento.

Na ação cautelar, proposta pelo promotor de Justiça Carlos Vinícius Alves Ribeiro, o MP relatou que o loteamento Parque Las Vegas foi aprovado e registrado em novembro de 1981, contando com 4.554 unidades, todas de propriedade, inicialmente, da Morama Empreendimentos Imobiliários e da Pontual Imóveis.

Segundo informado na ação, certidão emitida pelo Cartório de Registro de Imóveis aponta que, deste total, apenas 1.163 lotes foram registrados, restando 3.391 sem qualquer registro.

Em depoimentos prestados ao MP em 2009, os proprietários à época do loteamento por parte da Morama, Itamar Lourenço Ribeiro e João de Oliveira Carvalho, ressaltaram que todas as unidades do loteamento foram vendidas, sem qualquer exceção, tendo as prestações pagas sido recebidas pela Pontual.

Contudo, mesmo com a confirmação da alienação de todos os lotes, foi apurado no curso das investigações que houve novas negociações envolvendo as unidades já vendidas. Uma delas envolveu a transferência de 920 lotes para o nome de Maria de Fátima Almeida, mãe dos atuais representantes da Pontual Imóveis.

De acordo com o promotor, todos esses lotes negociados já tinham seus legítimos proprietários. Para comprovar isso, foi juntada aos autos uma planilha com a indicação dos lotes e seus donos.

Diante desse quadro, o MP decidiu propor a ação cautelar para impedir novas negociações, com o objetivo de evitar mais danos à ordem urbanística do município.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Economia

Anatel publica limites de quantidade de espectro de radiofrequências

A Anatel publicou a decisão no Diário Oficial da União nesta terça-feira.
06/11/2018, 11h17

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) publicou no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira, 6, resolução com os limites máximos de quantidade de espectro de radiofrequências, definidos depois das sugestões recebidas em consulta pública concluída em março deste ano.

De acordo com o ato, uma mesma prestadora de serviço de telecomunicações de interesse coletivo – suas coligadas, controladas ou controladoras em um mesmo município – poderá deter faixas de radiofrequências, em caráter primário, dentro dos seguintes limites: para faixas abaixo de 1 GHz: até 35% do somatório do espectro de subfaixas (listadas em tabela anexa à resolução), podendo chegar a 40%, mediante condições da Agência de ordem concorrencial e que visem ao uso eficiente do espectro.

Já para faixas entre 1 GHz e 3 GHz, o limite é de até 30% do somatório do espectro de subfaixas (listadas na resolução), podendo chegar a 40%, também mediante condicionamentos da Agência.

A resolução estabelece ainda que, em processos de transferência de autorização de uso de radiofrequências ou alteração de controle societário, a Anatel deverá conceder prazo, não superior a 18 meses, para a adequação aos limites fixados.

A norma ressalta que não serão computadas, para os limites previstos, as faixas de radiofrequências autorizadas decorrentes de processo de coordenação e ainda que editais de licitação poderão adotar limites de espectro mais restritivos do que estes estabelecidos na resolução, inclusive quanto a faixas acima de 3 GHz.

Imagens: O Globo 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Homem é morto a tiros no Residencial Itaipu, em Goiânia

Vítima tinha várias passagens pela polícia.
06/11/2018, 11h32

Um homem identificado como André Sóstenes, de 26 anos, foi morto a tiros na noite da última segunda-feira (5/11) em uma calçada, na Rua RI-13, no Residencial Itaipu, em Goiânia.

A Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO) foi chamada via Copom para atender a ocorrência. Ao chegar ao local, os policiais encontraram o corpo com perfurações de arma de fogo e acionaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgências de Goiânia (SAMU) que constatou a morte de André.

A equipe do 7º Batalhão da Polícia Militar (BPM) durante levantamentos feitos na área, encontrou o autor do crime dentro de sua residência a poucas quadras de onde matou André.

O autor foi identificado como Maicks Santana Brito, que confessou a autoria do crime e entregou a arma usada para tirar a vida de André, um revólver calibre 38, com seis munições deflagradas.

Maicks foi preso em flagrante e apresentado na Central de Flagrantes, junto com a arma e as munições que foram apreendidas.

Autor era monitorado pela tornozeleira eletrônica

A Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) afirmou que tanto o autor do homicídio como o assassinato têm passagens pela polícia. André possuia passagens por tráfico de drogas, roubo, receptação, ameaça e desobediência.

Maicks, por sua vez, possui passagens por roubo, tráfico de drogas, receptação e homicídios. Ainda conforme as informações repassadas pela polícia, o autor do homicídio estava no regime semiaberto e era monitorado através da tornozeleira eletrônica.

Segundo a Central de Flagrantes da Polícia Civil (PC) o autor do homicídio de André, Maicks Santana Brito, foi levado à audiência de custódia no final da manhã desta terça-feira (6/11).

Imagens: Facebook 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Entretenimento

Título de Homem Mais Sexy do Mundo fica com Idris Elba

Elba foi cotado como um dos favoritos para ser o próximo James Bond.
06/11/2018, 11h44

A revista norte-americana “People” divulgou na madrugada desta terça-feira, 6, por meio de sua conta no Instagram, a capa da sua edição que traz o eleito para o posto de Homem Mais Sexy do Mundo de 2018: Idris Elba.

O ator e diretor britânico, de 46 anos, ficou conhecido por sua atuação em filmes da franquia Thor, além de “Círculo de Fogo” e “Depois Daquela Montanha”. Também participou de séries como “Luther” e “In the Long Run”.

Em seu Instagram, Idris Elba postou a imagem da capa da revista e se mostrou surpreso com o resultado: “Quem teria pensado! Obrigado People e todos os fãs por me nomearem O Homem Mais Sexy do Mundo. Estou honrado e agradecido. Mas o que é ainda mais importante é o seu voto nas eleições de meio de mandato. Seu voto ode fazer a diferença!”, escreveu. Os Estados Unidos realizam nesta terça-feira suas eleições de meio de mandato.

Em agosto deste ano, Elba chegou a ser cotado como um dos favoritos para ser o próximo James Bond. O britânico seria, então, o primeiro agente 007 negro da história do cinema. Mas, posteriormente, o ator negou essa possibilidade.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.