Política

TRF4 nega recursos da defesa de Lula em caso do terreno do instituto

Os pedidos tinham como objetivo solicitar uma reavaliação de dois habeas corpus pedidos pela defesa e negados pelo desembargador João Pedro Gebran Neto.
08/11/2018, 16h16

O Tribunal Federal Regional da 4ª Região (TRF4) negou ontem (7) dois recursos apresentados pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na ação que investiga se houve irregularidades na compra de um terreno para a construção de uma sede do Instituto Lula. Os pedidos, denominados “agravos regimentais”, tinham como objetivo solicitar uma reavaliação de dois habeas corpus pedidos pela defesa e negados pelo desembargador João Pedro Gebran Neto. A decisão foi divulgada hoje (8).

Um dos habeas corpus tinha como objetivo suspender a ação em que Lula é investigado por supostas vantagens, como a compra de um terreno para o Instituto Lula, em troca de benefícios ao grupo Odebrecht em diversas contratações da Petrobrás. A defesa requereu que o processo só andasse após o pronunciamento do Comitê de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas.

Defesa

A defesa também alegou que sua posição pudesse ser colocada depois das alegações dos réus que decidiram fazer delações e pediu que fosse retirado do processo o termo de colaboração do ex-ministro Antônio Palocci.

O desembargador João Pedro Gebran Neto avaliou que não havia precedente deste tipo de suspensão. O recurso ao Comitê de Direitos Humanos da ONU deveria ocorrer após a defesa recorrer a todas as instâncias judiciárias, inclusive os tribunais superiores, o que ainda não ocorreu. Neto também não concedeu o pedido de apresentação das alegações depois dos colaboradores por considerar que não há ilegalidade na ordem definida.

Já a retirada dos autos do termo de colaboração de Palocci não seria necessária, uma vez que estes não são uma prova isolada. O desembargador acrescentou que o ex-ministro foi interrogado dentro da própria ação penal.

O segundo habeas corpus negado questionava perícia feita pela Polícia Federal sobre o esquema de pagamentos da Odebrecht que teria sido usado para repasse de propina. Segundo a defesa, o laudo possui problemas e erros. O desembargador baseou sua negativa no argumento de que o prazo para o questionamento já foi aberto e se encerrou, não cabendo mais tal revisão.

Caso Instituto Lula

O caso foi motivado por denúncia do Ministério Público Federal apresentada em 2016. A apuração visa descobrir se teria havido irregularidades na compra de um terreno para a construção de uma sede do Instituto Lula. Eles alegam que o ex-presidente teria recebido, de forma ilícita, um imóvel ao lado do apartamento que o ex-presidente tem em São Bernardo do Campo, cidade da Região Metropolitana de São Paulo.

O Grupo Odebrecht teria repassado a propina em troca de contratações da construtora pela Petrobrás em diversos consórcios, como obras de terraplanagem na Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, e de construção e montagem de Terminal de Processamento de Condensado De Gás Natural do Terminal de Cabiúnas, em Macaé, no Rio de Janeiro.

A defesa de Lula foi procurada pela reportagem, mas ainda não deu retorno.

Imagens: Agência Brasil 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Momento para reajuste salarial do STF é inoportuno, diz Marco Aurélio

Para ministro da Corte trata-se de uma correção inflacionária.
08/11/2018, 16h36

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello comentou hoje (8) o reajuste salarial do STF de 16,38%, aprovado na tarde de ontem (7) pelo Senado, e reconheceu não se tratar de melhor momento para a medida, embora se trate de uma “revisão” de inflação e não aumento, conforme frisou.

O projeto aprovado nesta quarta-feira tramitava no Congresso desde 2016, quando foi aprovado na Câmara. Ao assumir a presidência do Supremo, em setembro daquele ano, a ministra Cármen Lúcia decidiu que não era momento oportuno para o aumento, o que adiou a votação no Senado.

“Se já não era oportuno em 2016, hoje, com a situação econômica, financeira da União e dos Estados, muito menos”, afirmou Marco Aurélio, antes da sessão plenária do Supremo. Ele, no entanto, defendeu que se trata de uma reposição de perdas inflacionárias referentes ao período entre 2009 e 2014.

Debate sobre cenário em que houve reajuste salarial do STF

Questionado sobre se aprovar o aumento em período de alto desemprego não seria inadequado, Marco Aurélio respondeu: “Não vamos parar o Brasil porque ele está numa situação difícil econômica e financeira. Mas as instituições precisam continuar funcionando”.

Ontem, o mesmo argumento de reposição inflacionária foi utilizado pelo presidente do Supremo, ministro Dias Toffoli, e repetido nesta quarta pelo ministro Ricardo Lewandowski: “Nós temos uma defasagem e ela [a reposição] cobre uma parte dessa defasagem dos vencimentos dos juízes em relação à inflação”, disse Lewandowski.

Abordados, os demais ministros evitaram fazer comentários. Para a ministra Rosa Weber, quem deve responder sobre o assunto é Toffoli. Somente Celso de Mello, em breve declaração, lembrou ter sido voto vencido na sessão administrativa ocorrida em agosto, que aprovou a inclusão do reajuste no orçamento do Judiciário.

Naquela ocasião, a inclusão do reajuste no orçamento foi aprovada por 7 votos a 4. Além de Celso de Mello, votaram contra o aumento os ministros Edson Fachin, Rosa Weber e Cármen Lúcia.

Auxílio-moradia

Marco Aurélio argumentou que não há previsão em lei para o pagamento de auxílio-moradia a magistrados, hoje no valor de R$ 4,3 mil, indicando que o benefício deve ser retirado.

Nesta quarta, Toffoli declarou que uma vez aprovado o aumento nos salários dos magistrados, o tema do auxílio-moradia deve ser “enfrentado” pelo Supremo. O relator das ações que tratam do assunto, ministro Luiz Fux, não quis responder sobre o tema. Um assessor dele manteve a imprensa à distância.

Por força de uma liminar [decisão liminar] concedida por Fux em 2014, todos os magistrados brasileiros recebem hoje o auxílio-moradia, mesmo que possuam residência própria na localidade em que trabalham.

Imagens: Agência Brasil 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Entretenimento

Conheça as melhores lojas para fazer seu enxoval em Goiânia

Está procurando por boas lojas de enxoval em Goiânia? Separamos algumas opções para sua casa e também para os futuros papais e mamães que planejam a chegada do bebê!
08/11/2018, 16h58

Já está planejando o casamento? Ou pensando em se mudar de casa? Então o ideal é ir montando seu enxoval durante o tempo que antecede essa mudança, pois é claro, todo mundo precisa de lençóis, toalhas e cobertores quando passa por esse tipo de transformação. Pensando nisso, nós aqui do Portal Dia Online separamos as melhores lojas para você montar seu enxoval em Goiânia!

Dá para ir montando tudo aos poucos e com calma, pensando sempre naquilo que cabe no seu bolso. Pensando também nos futuros papais e mamães, ao fim da lista preparamos algumas opções de enxovais para bebês, pois sabemos que o desafio de encontrar tudo sob medida para quem ainda nem chegou ao mundo é grande! Dá uma olhada!

Lojas para fazer seu enxoval em Goiânia:

Cama, mesa e banho

1 – Enxovais Paulista

Conheça as melhores lojas para fazer seu enxoval em Goiânia
Foto: Reprodução

Se você pretende montar seu enxoval em Goiânia, a Enxovais Paulista é uma das principais referências. Há anos no mercado, conta com 16 lojas espalhadas por todo o estado de Goiás e também no Distrito Federal. Suas lojas são modernas e confortáveis, sempre oferecendo o melhor atendimento para seus clientes e contando com variadas opções de cama, mesa e banho.

Horário de funcionamento: segunda a sábado, das 9h às 20h

Telefones: 

  • (62) 3224-4329
  • (62) 3223-3903
  • (62) 3945-7697
  • (62) 3942-4397

Endereços: 

  • Av. Araguaia, Nº 613 – St. Central, Goiânia – GO, 74030-100
  • Av. Goiás, 646 – Centro, Goiânia – GO, 74020-200
  • Av. Anhanguera, 5698 – St. Central, Goiânia – GO, 74043-010
  • AV 24 DE OUTUBRO, QUADRA38 LOTE 04.505-012, 74 – St. Campinas, Goiânia – GO, 74505-010

2 – Renata Tecidos e Decorações

Conheça as melhores lojas para fazer seu enxoval em Goiânia
Foto: Reprodução

Mais uma excelente opção para montar seu enxoval em Goiânia, a Renata Tecidos e Decorações conta com várias unidades espalhadas pela capital e variedade de produtos. É uma das maiores lojas de tecidos da cidade, mas também oferece para seus clientes opções em cama, mesa, banho e tudo que sua casa precisa!

Horário de funcionamento: segunda a sexta, das 8h às 18h30 / sábado, das 8h às 13h30

Telefones: 

  • (62) 3092-2213
  • (62) 3945-2958
  • (62) 3945-4029

Endereços: 

  • Av. Assis Chateaubriand, 432 – St. Oeste, Goiânia – GO, 74130-010
  • R. 9, 230 – Centro, Goiânia – GO, 74013-040
  • R. 6, 314 – Centro, Goiânia – GO, 74023-030

3 – Vitória Enxovais

Conheça as melhores lojas para fazer seu enxoval em Goiânia
Foto: Reprodução

Com variadas opções, o Vitória Enxovais oferece os melhores produtos para sua casa. Além de contar com variadas opções para cama, mesa e banho, também é possível montar todo o enxoval de seu bebê na loja. Vale a pena conferir!

Horário de funcionamento: segunda a sexta, das 8h às 18h / sábado, das 8h às 13h

Telefones: 

  • (62) 3281-2012
  • (62) 3932-1515

Endereços: 

  • Rua 90, 93 – St. Sul, Goiânia – GO, 74093-025
  • Alameda Leopoldo de Bulhões, 877 – St. Pedro Ludovico, Goiânia – GO, 74820-060

4 – Bem me Quer

Conheça as melhores lojas para fazer seu enxoval em Goiânia
Foto: Reprodução

Um dos destaques para o Bem me Quer vai para o custo-benefício. É possível encontrar marcas renomadas no setor de cama, mesa e banho com preços baixos e alta qualidade. Vale a pena conhecer!

Horário de funcionamento: unidade Jamel Cecílio – segunda a sexta, das 9h às 18h30 / sábado, das 9h às 17h / domingo, das 9h às 16h

unidade anhanguera – segunda a sexta, das 8h30 às 19h / sábado, das 8h30 às 16h

Telefones: 

  • (62) 3281-5248
  • (62) 3223-2311

Endereços: 

  • 74820-050, Av. Dep. Jamel Cecílio, 1839 – Lot. Areiao, Goiânia – GO, 74820-050
  • Av. Anhanguera, 4357 – St. Central, Goiânia – GO, 74043-011

5 – Casa Central Enxovais e Tecidos

Conheça as melhores lojas para fazer seu enxoval em Goiânia
Foto: Reprodução

Localizada no Setor Campinas, também trabalha com variedade em cama, mesa, banho, tecidos e decoração. Se você pretende encontrar peças de qualidade e baixos custos é sem dúvida uma das melhores opções para enxoval em Goiânia.

Horário de funcionamento: segunda a sexta, das 8h às 18h / sábado, das 8h às 13h

Telefone: (62) 3233-0214

Endereço: Av. 24 de Outubro, 1357 – St. Campinas, Goiânia – GO, 74505-010

6 – Big Loja Tecidos e Decorações

Conheça as melhores lojas para fazer seu enxoval em Goiânia
Foto: Reprodução

Há mais de 40 anos atendendo o público goianiense, a Big Loja já possui muita experiência. Representa uma das melhores opções para montar seu enxoval em Goiânia, com variadas opções de tecidos, cama, mesa, banho e decoração.

Horário de funcionamento: segunda a sexta, das 8h às 18h / sábado, das 8h às 13h

Telefones:

  • (62) 3086-0132
  • (62) 3086-0132

Endereços:

  • Av. Honestino Guimarães, 614 – St. Campinas, Goiânia – GO, 74510-020
  • Av. 85, 231 – St. Sul, Goiânia – GO, 74080-010

7 – Vilarô Enxovais & Presentes

Conheça as melhores lojas para fazer seu enxoval em Goiânia
Foto: Reprodução/ Vilarô

Fundada em 1995, a Vilarô é uma loja familiar que sempre busca oferecer qualidade, bom gosto e beleza para seus clientes, atendendo um público diferenciado e que visa artigos exclusivos.

No ano de 2000, além de oferecer enxovais para casa, também passou por ampliações e incluiu a Coleção Baby, que se tornou referência em cuidados com o bebê.

Horário de funcionamento: segunda a sexta, das 9h às 19h / sábado, das 9h às 14h

Telefone: (62) 3241-2480

Endereço: Rua 9, 2461 – St. Marista, Goiânia – GO, 74150-130

Enxovais para bebês:

8 – Caraminholas

Conheça as melhores lojas para fazer seu enxoval em Goiânia
Foto: Reprodução

Se você vai montar um enxoval em Goiânia para o seu bebê, a Caraminholas oferece diversas opções tanto para o pequeno, quanto para a mamãe. Presente no mercado há oito anos, ainda é uma empresa jovem mas que já se consolidou e transformou-se em referência.

Com duas unidades, conta com lojas modernas e confortáveis, sem contar que há diversas opções para aguardar a chegada do seu bebê.

Horário de funcionamento: segunda a sexta, das 8h às 18h

Telefones:

  • (62) 3241-4747
  • (62) 3214-2664

Endereços:

  • Av. 136, 428 – St. Marista, Goiânia – GO, 74180-040
  • Quadra 06 – Lote 76 – Rua 5, 923 praca Tamandare – St. Oeste, Goiânia – GO, 74115-060

9 – Atacadão dos Recém Nascidos

Conheça as melhores lojas para fazer seu enxoval em Goiânia
Foto: Reprodução

É um excelente lugar para montar enxoval em Goiânia para o seu bebê. Conta com boa variedade de roupinhas e peças também para a mãe. Ótimo custo-beneficio!

Endereço: R. José Sinimbu Filho – Setor Norte Ferroviário, Goiânia – GO, 74063-340

10 – Atacadista Arco Íris

Conheça as melhores lojas para fazer seu enxoval em Goiânia
Foto: Reprodução

Com mais de 23 anos de experiência, é uma tradicional lojinha de enxoval em Goiânia, especializada em peças para bebês e confecções de 0 a 10 anos. É possível encontrar de tudo para esperar seu bebê, dese roupinhas até sapatinhos e móveis para decoração.

Horário de funcionamento: segunda a sexta, das 8h às 18h / sábado, das 8h às 13h

Telefone: (62) 3223-9437

Endereço: Av. Anhanguera, 6196 – St. Aeroporto, Goiânia – GO, 74075-010

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Biblioteca é implantada na Asdown, em Goiás

Ideia primordial é promover uma inclusão inversa e fazer com o que o portador da síndrome de down seja incluído na sociedade como um todo, não apenas em uma instituição.
08/11/2018, 17h00

A síndrome de Down, também conhecida como síndrome do cromosso 21 , você já conhece. Mas você já ouviu falar da Biblioteca Asdown? Bom, caso não tenha ouvido falar dela, o Portal Dia Online traz agora para você o que é este projeto, idealizado pela Bibliotecária Keyla de Farias e mestranda do curso de comunicação, mídia e cultura da Universidade Federal de Goiás (UFG).

Keyla conta que há 15 anos frequenta a Associação Down de Goiás (Asdown) e fez um levantamento dentro da associação, onde verificou a ausência de políticas voltadas para cultura dentro da associação.

A bibliotecária ressalta que a ideia do projeto se deu com o mestrado, mas que na verdade quem teve a ideia “foi minha irmã e eu acabei implantado ela na Asdown, porque tenho uma sobrinha portadora da síndrome”.

Biblioteca é implantada na Asdown, em Goiás
Foto: Keyla e sua sobrinha Victórya.

A mestranda da UFG diz que o projeto não é apenas para fazer com que os portadores da síndrome tenham acesso somente aos livros. Ao implantar a biblioteca na associação “a intenção é desenvolver atividades culturais e por meio delas os meninos se desenvolvam no âmbito da leitura, participando de vários exercícios, para a partir daí desenvolver o cognitivo deles”, conta.

Associados da Asdown e doações pelas redes sociais

De acordo com Keyla, atualmente a associação possui 700 associados. E que a mudança de presidente contribuiu para a implantação da biblioteca. O projeto foi apresentando à diretoria da associação e as mães dos associados, que aceitaram a iniciativa.

Keyla conta que com aceitação do projeto, foi cedida uma sala na Asdown para montar a biblioteca e através das redes sociais conseguiram doações de materiais e ajuda financeira com a comunidade, dentro da UFG com alguns professores, o que possibilitou a reforma do local.

Além do dinheiro arrecadado para a reforma da sala onde a biblioteca será montada. A idealizadora do projeto afirma que “já temos uma quantidade expressiva de livros, que nos foi doada e tudo que adquirimos até o momento, foi pelas redes sociais”.

A bibliotecária revela que falta adquirir alguns materiais específicos. Para conseguir estes materiais irá buscar verbas para comprá-los e assim poder trabalhar com os meninos. Keyla comenta que “a intenção é fazer com que a biblioteca da Asdown, seja uma biblioteca de referência para estudos científicos e pesquisas no desenvolvimento da síndrome de down.”

Inclusão Inversa

A intenção de Keyla é promover uma inclusão inversa, ela explica que ao invés da sociedade simplesmente aceitar o portador da síndrome de down nas escolas regulares, a sociedade passe a aceitar o portador num todo, não apenas em uma instituição.

De acordo com a bibliotecária “ao levar a biblioteca para o mundo deles, ou seja, para associação, a sociedade vai começar a participar, a conhecer o que é a Asdown, pois vão conviver mais com os portadores da síndrome e vão perceber todas às suas dificuldades e que assim como todo ser humano tem limitações, então a sociedade vai perceber que eles também tem condições de avançar”.

Keyla afirma que a implantação da biblioteca é apenas o primeiro passo, que a partir do momento que forem promovidas oficinas, atividades cientificas e culturais, não apenas os pais, mas toda sociedade irá participar e conhecer mais sobre a síndrome de down.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Polícia descobre velório de bebê em caixa de papelão, no Piauí

Uma cova havia sido feita no quintal para enterro da criança.
08/11/2018, 17h21

Familiares velavam um bebê recém nascido na cidade do Norte do Piauí, por volta de 7h da manhã na última terça-feira (6/10) quando a Polícia Civil de Cocal interrompeu o velório.

O corpo do bebê foi periciado e a polícia investiga se a criança nasceu morta, se houve um aborto ou se o bebê foi morto pela mãe, que não foi identificada. A criança não teve o sexo divulgado.

A polícia foi acionada após uma denúncia anônima, que informava que um bebê estava sendo velado em uma caixa de papelão e iria ser enterrado no quintal de uma residência.

A polícia se dirigiu ao local e interrompeu o velório, levando a caixa com a criança para a perícia.

Mãe escondeu gravidez no Piauí

Para o G1 Piauí, a delegada Daniella Dinali informou que a mãe do bebê escondeu a gravidez durante os noves meses.

“A família questionava, mas ela negava. Ainda vamos ouvi-la para saber o que exatamente aconteceu”, explicou.

A jovem foi encaminhada para internação em um hospital da cidade para a realização de uma cirurgia e não prestou depoimento à polícia. A delegada Daniella explicou que tudo indica que a criança nasceu de parto normal. A polícia está aguardando o resultado da perícia.

“Todos os exames já foram feitos e agora estamos fazendo as investigações para saber se foi um infanticídio ou se não houve crime nenhum.”

Via: G1 
Imagens: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.