Brasil

Deslizamento de terra deixa 5 mortos e 11 feridos em Niterói (RJ)

Além do deslizamento de terra, uma pedra rolou sobre o morro Boa Esperança, em Niterói.
10/11/2018, 14h52

Um deslizamento de terra e pedras deixou pelo menos cinco mortos e 11 feridos na madrugada deste sábado (10) em Niterói, região metropolitana do Rio. O número de vítimas pode ser maior, pois os trabalhos de resgate continuam no local. Da noite de quarta-feira até sexta-feira, fortes chuvas atingiram o Estado do Rio, incluindo a região metropolitana, mas não houve registro de acidentes graves em outras localidades além de Niterói.

Pelo menos seis casas foram atingidas pelo deslizamento, no Morro da Boa Esperança, na chamada região oceânica de Niterói, mais afastada do Centro da cidade. Moradores relataram ao canal GloboNews que o acidente ocorreu por volta das 4 horas da manhã. O Corpo de Bombeiros do Rio foi acionado às 5h08, segundo a assessoria de imprensa do órgão.

“Choveu muito nos últimos dois dias. Niterói estava em estágio de atenção e alerta de acordo com a área e as comunidades estavam avisadas dessa situação, com recomendação para buscarem locais seguros”, disse à GloboNews o secretário de Estado de Defesa Civil e comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar, coronel Roberto Robadey Costa Júnior.

Sete equipes de cinco quartéis do Corpo de Bombeiros, num total de 50 homens, atuaram no resgate a feridos. Moradores do local se juntaram às equipes para ajudar, voluntariamente, no trabalho de resgate. Conforme o comandante Robadey, o trabalho de remoção dos escombros e resgate das vítimas ou busca por mortos poderia levar até 48 horas.

Entre os mortos estão duas mulheres entre 50 e 60 anos e um homem de 37 anos. Entre os feridos, pelo menos duas pessoas foram resgatadas com estado de saúde estável, um homem de 43 anos e uma menina.

Segundo Claudio dos Santos, que se apresentou como presidente da associação de moradores do local, algumas das casas atingidas pelo deslizamento já estavam interditadas pela Defesa Civil há cerca de um ano, mas seus donos se recusavam a deixá-las.

“As casas estavam isoladas pela Defesa Civil. Só que os moradores são complicados, não querem sair. Ontem (sexta-feira) mesmo a gente estava preocupado com essa chuva”, disse Santos à GloboNews. Em entrevista o “RJTV”, da TV Globo, uma moradora confirmou a interdição de algumas casas e acusou a Prefeitura de Niterói de não ter agido.

O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves (PDT), negou que houvesse casas interditadas e descreveu o acidente como uma fatalidade, pois não se tratou de um deslizamento de encosta que poderia receber obras de contenção. “Foi a ruptura de um maciço, não foi deslizamento de encosta”, afirmou Neves, por telefone, em entrada ao vivo no “RJTV”. Em nota, a Prefeitura de Niterói informou que “investiu mais de R$ 150 milhões em obras de contenção em 50 encostas da cidade”.

Imagens: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Homem é preso suspeito de aliciar menores, em Aparecida de Goiânia

Meninas confirmaram que além de usar drogas, faziam sexo com o suspeito.
10/11/2018, 15h44

Um homem identificado como Joilson Lima Martins, de 35 anos, foi preso na tarde da última sexta-feira (9/11) no Setor Internacional Park, em Aparecida de Goiânia, região metropolitana da capital, suspeito de aliciar menores para prostituição e por tráfico de drogas.

A assessoria da Guarda Civil Metropolitana (GCM) de Aparecida de Goiânia confirmou ao Portal Dia Online a prisão do suspeito, e que na casa dele foram encontradas 52 porções de crack e dois pés de maconha.

Segundo a GCM, além das drogas, na casa do suspeito foram encontrados cinco menores, sendo quatro meninas e um rapaz com idades entre 14 e 16 anos, que tinham fugido do abrigo que fica próximo a residência de Joilson.

A assessoria confirmou que chegou ao local depois de denúncias, de que no local funcionava uma boca de fuma e que os menores fugiam do abrigo para fazer o uso de drogas.

Suspeito fazia sexo com as meninas em Aparecida de Goiânia

Além do uso de drogas, as meninas também iam para a casa de Joilson para fazer sexo com o suspeito. Foi levantado ainda que Joilson estaria aliciando os menores, mas conforme a GCM não foi confirmado o aliciamento dos adolescentes.

Os menores foram levados de volta ao abrigo e entregues a responsável da instituição. Joilson por sua vez foi preso em flagrante por tráfico de drogas e por aliciar os menores. Suspeito já possui passagens por tráfico de drogas e receptação.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Sobe para sete o número de mortos no deslizamento de terra em Niterói (RJ)

Número de mortes no deslizamento no morro da Boa Esperança aumenta.
10/11/2018, 16h28

Um deslizamento de terra e pedras deixou pelo menos sete mortos e 11 feridos na madrugada de sábado em Niterói, região metropolitana do Rio. O número de vítimas pode ser maior, pois os trabalhos de resgate seguem no local. Há suspeitas de que haja pelo menos mais dois mortos. Da noite de quarta-feira até sexta-feira, fortes chuvas atingiram o Estado do Rio, incluindo a região metropolitana, mas não houve registro de acidentes graves em outras localidades além de Niterói.

Pelo menos seis casas foram atingidas pelo deslizamento, no Morro da Boa Esperança, na chamada região oceânica de Niterói, mais afastada do Centro da cidade. Moradores relataram ao canal GloboNews que o acidente ocorreu por volta das 4 horas da manhã. O Corpo de Bombeiros do Rio foi acionado às 5h08, segundo a assessoria de imprensa do órgão.

“Choveu muito nos últimos dois dias. Niterói estava em estágio de atenção e alerta de acordo com a área e as comunidades estavam avisadas dessa situação, com recomendação para buscarem locais seguros”, disse à GloboNews o secretário de Estado de Defesa Civil e comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar, coronel Roberto Robadey Costa Júnior.

Sete equipes de cinco quartéis do Corpo de Bombeiros, num total de 80 homens, atuam no resgate a feridos. Moradores do local se juntaram às equipes para ajudar, voluntariamente, no trabalho de resgate. Conforme o comandante Robadey, o trabalho de remoção dos escombros e resgate das vítimas ou busca por mortos poderia levar até 48 horas.

Entre os mortos estão duas mulheres entre 50 e 60 anos e um homem de 37 anos. Entre os feridos, pelo menos duas pessoas foram resgatadas com estado de saúde estável, um homem de 43 anos e uma menina.

De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde, seis vítimas foram para o Hospital Estadual Azevedo Lima. Duas das vítimas são crianças – uma está em estado grave e a outra, estável. Entre os quatro adultos, dois já receberam alta e dois permanecem estáveis. Já o Hospital Estadual Alberto Torres um paciente vítima do deslizamento – um adulto que apresenta estado estável.

Segundo Claudio dos Santos, que se apresentou como presidente da associação de moradores do local, algumas das casas atingidas pelo deslizamento já estavam interditadas pela Defesa Civil há cerca de um ano, mas seus donos

se recusavam a deixá-las.

“As casas estavam isoladas pela Defesa Civil. Só que os moradores são complicados, não querem sair. Ontem (sexta-feira) mesmo a gente estava preocupado com essa chuva”, disse Santos à GloboNews. Em entrevista o “RJTV”, da TV Globo, uma moradora confirmou a interdição de algumas casas e acusou a Prefeitura de Niterói de não ter agido.

O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves (PDT), negou que houvesse casas interditadas e descreveu o acidente como uma fatalidade, pois não se tratou de um deslizamento de encosta que poderia receber obras de contenção. “Foi a ruptura de um maciço, não foi deslizamento de encosta”, afirmou Neves, por telefone, em entrada ao vivo no “RJTV”. Em nota, a Prefeitura de Niterói informou que “investiu mais de R$ 150 milhões em obras de contenção em 50 encostas da cidade”.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Morre fundador do Jardim Botânico de Goiânia

José Ângelo Rizzo deixa o seu conhecimento registrado em Livros e em plantas que receberam o seu nome.
10/11/2018, 16h29

O Jardim Botânico em Goiânia amanheceu mais triste neste sábado de chuva (10/11), seu fundador, o Professor Emérito da Universidade Federal de Goiás (UFG) José Ângelo Rizzo, morreu na madrugada de hoje. As causas da morte do professor não foram divulgadas.

Rizzo é conhecido não apenas pelo trabalho que fez na UFG, mas também por suas pesquisas na área de botânica, com mais de 50 livros publicados, onde fala sobre a flora de Goiás e do Tocantins.

Além dos livros e de fundar o Jardim Botânico da capital, o professor também foi fundador da sociedade ecológica do Centro Oeste e das reservas ecológicas da Universidade.

José Ângelo Rizzo coleciona conquistas em sua trajetória

O professor colecionou várias conquistas durante sua carreira, recebendo homenagens como o Troféu Aroeira, dado a ele pela Assembleia legislativa do Estado de Goiás (ALEGO).

Mas não foram só essas as homenagens que Rizzo recebeu, ele também foi agraciado com o diploma da Fundação Cultural de Goiás, além de ter o seu nome dado a duas plantas a Tassadia rizzoania e a Pilosocercus rizzoianus.

O velório do professor emerito da UFG acontece neste momento no Cemitério Parque Memorial de Goiânia e o sepultamento está marcado para as 17h30.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Esportes

Forte chuva faz Conmebol adiar 1º jogo da final da Libertadores para este domingo

Clubes se enfrentam em uma final de competição internacional pela primeira vez em sua história.
10/11/2018, 17h00

A forte chuva que castigou Buenos Aires e o gramado do estádio da Bombonera levaram a Conmebol a adiar a primeira partida da final da Copa Libertadores entre Boca Juniors e River Plate para este domingo, às 17 horas (de Brasília). A entidade sul-americana anunciou a decisão em sua conta oficial no Twitter.

“Por motivos de força maior, a partida está adiada para amanhã, domingo, 11 de novembro, às 16:00 h (horário local)”, publicou a Conmebol. Com a decisão, os jogos da 12ª rodada do Campeonato Argentino que seriam realizados no domingo foram adiados, pela impossibilidade de a polícia de Buenos Aires garantir a segurança das partidas na capital argentina.

A Conmebol se pronunciaria oficialmente às 14 horas (de Brasília), quando o gramado parecia apresentar condições de jogo e o Boca Juniors abriu os portões para os torcedores com ingressos entrarem na Bombonera. O trio de arbitragem, inclusive, fez a inspeção no gramado e chegou a dar sinal verde para a realização da partida.

Mais chuva

No entanto, minutos depois, um novo temporal voltou a cair e o campo ficou ainda mais encharcado. Além disso, as ruas no entorno do estádio também ficaram cheias de água, dificultando o acesso dos torcedores, o que fez a Conmebol se pronunciar minutos depois adiando a partida para o domingo.

O jogo de volta está marcado para daqui dois sábados, no dia 24. A Conmebol concordou em romper com a tradição de promover finais às quartas-feiras por causa da cúpula do G20, reunião dos países industrializados e emergentes, estar marcada para Buenos Aires no dia 30. O segundo jogo, no Monumental de Nuñez, seria realizado no dia 28, mas a polícia de Buenos Aires alegou que não conseguiria organizar a logística de segurança de dois eventos desse porte tão perto um do outro.

Imagens: Globoesporte.com 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.