Entretenimento

Artista paraense Bené Fonteles faz exposição em São Paulo

18/11/2018, 08h52

Embora conhecido aqui e fora do Brasil, com obras suas em coleções internacionais (de Yoko Ono ao MoMA, entre outras), o artista paraense Bené Fonteles, 65, mantém cautelosa distância do mercado. Na 3ª Bienal de São Paulo, em 2016, o Museu Reina Sofia, de Madri, mostrou interesse em comprar para seu acervo a xamânica oca montada por ele no pavilhão da mostra – Fonteles simplesmente respondeu não à proposta. Poeta, compositor, jornalista e escritor, Bené Fonteles inaugurou esta semana uma individual na Galeria Jacqueline Martins, Das Coisas ao Avesso, parceria com a galeria Karla Osório, de Brasília, onde reside o artista.

A mostra, composta por uma seleção de obras realizadas entre os anos 1980 e 2000, tem um caráter proustiano – não só pela rememoração do contexto em que foram produzidas, mas sobretudo pelo caráter autobiográfico de algumas séries, entre as quais se destaca Sudário, integrada por 14 trabalhos. Como o próprio título sugere, trata-se de uma série que retém as marcas da experiência existencial de Bené, incansável defensor das tradições culturais e dos santuários ecológicos brasileiros. Numa de suas viagens de barco pelo Amazonas, sofreu um acidente ao cozinhar numa panela de pressão que explodiu, e por pouco não aconteceu uma tragédia. O “sudário” traz as marcas de seu corpo, contornado pelos amigos, e funciona como uma mortalha.

A cocuradora da 32ª Bienal de São Paulo, Júlia Rebouças, já observara há dois anos, na época da exposição internacional, que as assemblages de Fonteles vão além do ‘objet trouvé’ de Duchamp para assumir uma espécie de síntese cultural em que texturas, formas e cheiros revelam a relação do artista com o ambiente que o cerca. Fonteles é um resumo do Brasil, um pioneiro das questões ambientais e indigenistas, amigo de compositores e cantores que têm igualmente a mesma preocupação, como Egberto Gismonti e a dupla Luli e Lucina – ele se prepara para gravar com elas.

Ao contrário de Duchamp, o ready-made de Fonteles não é um objeto que surge diante do espectador sem apelo emocional. Tudo nele vem cercado de afeto. Não é apenas um objeto achado ao acaso, mas carregado de memória, de lembranças pessoais, de experiências afetivas, como, por exemplo, uma assemblage que traz duas figuras geométricas em metal, presenteadas pelo amigo cearense Sérvulo Esmeraldo (1929-2017) e acopladas ao trabalho de Fonteles.

Em outra obra, o arco e flecha de Oxóssi é representado pelo ferro da roda de um carro de boi (o arco), reafirmando sua ligação com culturas e crenças ancestrais. Fonteles conta que começou a pesquisar os orixás quando morava na Bahia, nos anos 1970. Foi lá que conheceu o pintor Rubem Valentim, em 1977, de quem se tornou amigo e guardião de sua obra – ele prepara um novo livro sobre o artista, de quem catalogou mais de 500 peças e sobre o qual escreveu outros dois livros anteriormente (O Livro do Ser, em 1994, e O Artista da Luz, em 2001).

Homem de fé, como Rubem Valentim, seu trabalho de resistência pela preservação das culturas africanas tem resultado positivo, a considerar a presença de Valentim em todos os importantes museus brasileiros e do Exterior. Bené Fonteles, evoque-se, montou a sala especial do amigo no Museu de Arte Moderna da Bahia. Presente em pelo menos cinco edições da Bienal de São Paulo (1973, 1975, 1977, 1981, 2016), Fonteles poderia ter feito uma carreira internacional, mas preferiu ficar por aqui – ele morou em sete estados brasileiros e nunca saiu do Brasil. Quando organizou a mostra Les Magiciens de la Terre (1989) no Pompidou, o curador Jean-Hubert Martin queria levar o artista brasileiro para figurar entre Richard Long e Louise Bourgeois, mas quem acabou participando foi Cildo Meireles.

“Há muito a fazer por aqui”, justifica Fonteles. “Desde que morei no Mato Grosso, nos anos 1980, acabei me envolvendo com a luta indigenista e as causas ambientais”, conta, denunciando o genocídio das tribos indígenas no Brasil. “Temo que a situação vá se agravar”, antevê. Com etnias como a dos guaranis-caiovás em perigo e a cultura de outras tribos correndo o risco de extinção, a urgência de criar obras que resgatem essas tradições faz Fonteles recorrer aos mesmos métodos de trabalho, reciclando materiais da natureza. Afinal, natural e sobrenatural, tanto para os índios como para ele, são sinônimos.

DAS COISAS AO AVESSO Galeria Jacqueline Martins. R. Dr. Cesário Mota Junior, 443, tel. 2628-1943.

3ª/6.ª, 10h/19h. Sáb., 12h/17h. Grátis. Até 1/12

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Bloqueio de ligações de telemarketing é o serviço mais procurado no site do Procon Goiás

Até o início de novembro, o órgão registrou um aumento de 228% em comparação com o mesmo período do ano passado, quando foram feitos 5.317 pedidos de bloqueios.
18/11/2018, 10h11

Pelos menos 12 mil pedidos de bloqueios de ligações de telemarketing de operadores de celular, foram feitos até o início de novembro deste ano, no Procon Goiás, pelo Procon Web. A empresa tem até 30 dias para retirar o número do cliente do banco de dados.

A matéria foi publicada na manhã deste domingo (18/11) no G1 e traz que este é o serviço mais procurado no site do Procon Goiás.

No Estado, o bloqueio é possível devido a lei número 17.424 sancionada em setembro de 2011. E segundo as informações publicadas, desde então, o número de solicitações tem aumentado a cada ano.

Até o início de novembro, o órgão registrou um aumento de 228% em comparação com o mesmo período do ano passado, quando foram feitos 5.317 pedidos de bloqueios. Em 2016, o órgão registrou um número bem abaixo do que nos últimos dois ano, com um total de 1.620 registros.

Em entrevista ao G1, a superintendente do Procon Goiás, Darlene Araújo, afirmou que mesmo depois do pedido de bloqueio de ligações, a operadora não parar de fazer as ligações, o consumidor pode entrar em contato com o órgão e a empresa ser multada.

Os números divulgados até o momento pelo órgão em seu site, são do início do mês, desta maneira, a quantidade de pedidos feitos pelo site do Procon Goiás, pode ser maior do que o registrado até agora. Com o número levantado até o momento, o serviço de bloqueio de ligações de telemarketing é o mais procurado pelo Procon Web.

Aprenda como solicitar o bloqueio das ligações de telemarketing das operadoras no Procon Goiás:

Acesse primeiramente o site do Procon Goiás, e procure a opção Bloqueios, cadastre o seu número de telefone ou números em que não quer mais receber as mensagens com promoções ou ligações da operadora. O bloqueio pode ser feito por até três números do Cadastro de Pessoa Física (CPF)

Via: G1 
Imagens: TecMundo 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Homem é morto a tiros por conhecido, em Aparecida de Goiânia

Suspeito chamou Carlos para conversar e depois de alguns metros atirou contra a vítima.
18/11/2018, 12h10

Um jovem identificado como Carlos Ferreira da Silva, de 21 anos, foi morto a tiros na noite do último sábado (17/11) por um conhecido, no Setor Marista Sul, em Aparecida de Goiânia, região metropolitana da capital.

Segundo as informações divulgadas até o momento, o jovem estava em sua casa, quando um homem chegou e o chamou para conversar. Carlos saiu para falar com o suspeito e caminhou por alguns metros, próximo a sua casa.

No entanto, o jovem não voltou, o homem com quem saiu para conversar efetuou diversos disparos contra a vítima. De acordo com outras publicações, Carlos Ferreira, cumpria pena no regime semiaberto atualmente.

Portal Dia Online entrou em contato com o Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Aparecida de Goiânia, que apenas confirmou o fato a nossa reportagem, sem fornecer maiores detalhes. A motivação e autoria do crime ainda são desconhecidos pela polícia que agora vai investigar o caso.

Mortos a tiros em Goiás

No último dia (9/11) o Pai de família Antônio Pinto Primo foi morto a tiros e sua filha Larissa de Sousa Primo baleada, dentro de sua casa, na Rua W8, no Jardim Itaipu, em Goiânia.

Na véspera do feriado da proclamação da república, um outro homicídio foi registrado na capital. Ricardo de Campos Moreira, de 29 anos, dormia ao lado de sua esposa, quando dois homens invadiram a casa, chegaram ao quarto da casal e efetuaram pelo menos quatro tiros contra a vítima, que se colocou na frente da esposa, para que ela não fosse morta.

Na madrugada de sábado (17/11) um outro caso também foi registrado, desta vez na Rua das Orquídeas, no Jardim Pompeia, em Goiânia. O jovem Gabriel Felipe Santos Silva, de 19 anos, estava em uma kitenete, quando cinco homens pularam o muro, invadiram o local, mataram o cachorro da raça pitbull e arrombaram a porta para chegar até o jovem e matá-lo com nove tiros.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Esportes

Inglaterra vira sobre a Croácia, se classifica e rebaixa rival na Liga das Nações

Seleção de Gareth Southgate saiu atrás no placar, mas marcou duas vezes nos últimos 15 minutos.
18/11/2018, 14h04

A Inglaterra buscou uma classificação emocionante às semifinais da Liga das Nações da Uefa, neste domingo (18/11). No estádio Wembley, a seleção de Gareth Southgate saiu atrás no placar, mas marcou duas vezes nos últimos 15 minutos, virou para 2 a 1 e garantiu a vaga. O resultado ainda rebaixou o adversário, algoz inglês na última Copa do Mundo.

A “vingança” da Inglaterra veio quatro meses depois da derrota por 2 a 1, na prorrogação, que a eliminou no Mundial da Rússia. O resultado levou a equipe a sete pontos no Grupo 4 da Liga A, a primeira divisão do torneio, deixando para trás a Espanha, que ficou em segundo com seis. A Croácia, com quatro, terminou em último e está rebaixada para a Liga B.

Jogo de classificação às semifinais da Liga das Nações

O que se viu no início da partida deste domingo foi um massacre da Inglaterra, ao menos na posse de bola e nas oportunidades criadas. Mas os donos da casa não estavam com a pontaria apurada e viram Sterling e Harry Kane, duas vezes, perderem chances incríveis nos primeiros minutos.

A pressão diminuiu, mas a Inglaterra seguiu superior no primeiro tempo e o gol parecia questão de tempo. Na volta do intervalo, porém, a Croácia conseguiu encaixar o contra-ataque e passou a assustar. Até abrir o placar aos 11 minutos. Brekalo deu ótima enfiada para Vlasic, que chegou tocando para o meio, para Kramaric. O atacante dominou, cortou a marcação duas vezes e bateu. A bola ainda desviou em Dier e matou o goleiro.

O gol embalou a Croácia, que melhorou e perdeu a chance de fazer o segundo logo depois, em contragolpe puxado por Perisic. E quando os visitantes eram superiores, saiu o empate. Aos 33, Walker cobrou lateral para a área, a defesa não conseguiu afastar e Kane, meio atrapalhado, tentou a finalização. A bola passou por baixo do goleiro e sobrou para Lingard empurrar para a rede.

Desta vez, foi a Inglaterra que cresceu com o gol, e aproveitaria para chegar à virada seis minutos depois. Após falta cobrada da esquerda, Kane se atirou de carrinho para finalizar para a rede, selando o triunfo e garantindo a classificação.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Saúde

Mais de 300 mil pessoas sofrem com diabetes em Goiás

Entre 2006 e 2017, o percentual de homens em Goiânia que apresentaram diagnóstico médico de diabetes aumentou 76%.
18/11/2018, 15h37

Segundo dados do Ministério da Saúde, mais de 300 mil pessoas sofrem com diabetes em Goiás, sendo que entre os anos de 2010 e 2016, a doença fez 10.493 vítimas no estado. Ainda de acordo com a pesquisa, entre as capitais brasileiras, Goiânia se destaca com o maior número de diabéticos, sendo 7,2%. Os dados revelam ainda que, na capital, o percentual de homens diagnosticados com diabetes aumentou 76%, entre os anos de 2006 e 2017.

Em relação aos pré-diabéticos, a Sociedade Brasileira de Diabetes estima que 40 milhões de brasileiros possuem o nível elevado de glicemia de jejum, variando entre 100 e 125 mg/dl; e que 25% deste total pode desenvolver o diabetes tipo II.

Hoje, os brasileiros consomem 50% a mais de açúcar do que o recomendado, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), ou seja, por dia, cada pessoa consome em média 18 colheres de chá do produto, quando o recomendado seria até 12. Esse hábito tem impactado no aumento do diabetes nos últimos anos, que de acordo com a Pesquisa Vigitel 2017 cresceu 54% nos homens e 28,5% nas mulheres.

Combate ao diabetes

Uma das principais formas de prevenir o desenvolvimento da doença crônica, é manter uma boa alimentação, exercícios regulares e outros hábitos saudáveis, uma vez que as altas taxas de glicose podem levar a complicações no coração, nas artérias, nos olhos, nos rins e nos nervos.

No último dia 14 de novembro, foi considerado o Dia Mundial do Diabetes, data instituída para reforçar a prevenção e tratamento da doença. Com isso, o Ministério da Saúde reforçou a importância de uma alimentação adequada e de qualidade, com base no Guia Alimentar para a População Brasil, que pode diminuir a incidência e controle ao pré-diabetes, evitando assim que ele evolua para o tipo II da doença.

Veja abaixo algumas dicas:

– Alimentação adequada com baixo teor de açúcar e ingestão de alimentos não processados;

– Manter hábitos saudáveis e praticar atividades físicas;

– Refeições devem ser feitas em horários semelhantes todos os dias e consumidas com atenção e sem pressa;

– Pré-diabéticos devem optar por água, leite e frutas no lugar de refrigerantes, bebidas lácteas e biscoitos recheados;

– Não troque comida feita na hora (caldos, sopas, saladas, molhos, arroz e feijão, macarronada, refogados de legumes e verduras, farofas, tortas) por produtos como sopas “de pacote”, macarrão “instantâneo”, pratos congelados prontos para aquecer, sanduíches, frios e embutidos, maioneses e molhos industrializados, misturas prontas para tortas);

– E fique com sobremesas caseiras, dispensando as industrializadas.

Imagens: Aparecidanet 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.