Goiás

Vídeo mostra homem usando colher para furtar motos, em Goiânia

Deflagrada nesta quarta-feira, Operação Gazua identificou o furto das motocicletas por meio de imagens de câmeras de segurança.
21/11/2018, 18h05

Na manhã desta quarta-feira (21/11), a Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos Automotores (DERFRVA) deflagrou a Operação Gazua, em Goiânia. A Operação tem como objetivo coibir o roubo de motocicletas na capital. A investigação resultou na prisão de Flávio da Silva Arcal, 30 anos, indiciado pelo furto de três motocicletas.

Segundo o delegado José Antônio Podestà Neto, responsável pelas investigações, o acusado tem várias passagens por furto, roubo e um homicídio.

A Operação identificou o furto das motocicletas por meio de imagens de câmeras de segurança (veja no final da reportagem). “A investigação é recente. Os crimes foram praticados durante o dia em 16 de setembro, 2 e 3 de outubro. Inclusive, ele estava sempre com um capacete rosa e, em duas oportunidades, usava a mesma roupa”, revela o delegado.

Flávio está preso desde o dia 15 de outubro, quando foi flagrado tentando furtar uma motocicleta. Ao observar a movimentação suspeita do homem que tentava arrastar o veículo, populares chamaram a Polícia Militar (PM) que efetuou a prisão. Com dois mandados de prisão expedidos por dois juízes, Flávio ficará preso até o julgamento.

Fabricação  de chave falsa com cabo de colher, em Goiânia

Vídeo mostra homem usando colher para furtar motos, em Goiânia
Suspeito fabricava chave falsa com colher para furtar as motocicletas.(Foto: Polícia Civil/Divulgação)

Uma peculiaridade na ação é a ferramenta usada para cometer os crimes. A chave “gazua”, que dá nome à Operação, foi fabricada pelo próprio suspeito com um cabo de colher. “Ele revelou que fazia essa chave utilizada para ligar as motocicletas com o cabo de uma colher. Ele se aproximava das motos, funcionava elas com a chave e saía rapidamente. Era uma ação muito rápida”, explica Podestà.

O delegado conta que está investigando o paradeiro dos veículos furtados por Flávio Arcal, mas, “pelo que ele passou, essas motocicletas foram desmontadas para a venda das peças”.

Com o alto índice de furtos de motocicletas em Goiânia, o delegado José Podestà orienta a população a tomar certas precauções que podem inibir o furto. “O registro de motocicletas roubadas na capital é grande. A gente orientar que os proprietários coloquem dispositivos de segurança como alarme ou travas nas rodas para previnir o roubo. Quanto mais o cidadão dificultar a ação dos criminosos, menor o risco de ter o veículo subtraído”, alerta.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Política

"Saio com a tranquilidade de quem fez o que era possível", diz José Eliton 

Atual governador se reuniu, nesta quarta-feira (21/11), com policiais e bombeiros da Casa Militar da Governadoria.
21/11/2018, 18h41

O governador José Eliton disse, durante reunião com policiais e bombeiros da Casa Militar da Governadoria, que deixa o governo com a “tranquilidade de quem fez o que era possível”, e apesar das dificuldades que o estado vivenciou ele a equipe atuaram com “serenidade e equilíbrio”. O encontro ocorreu no início da tarde desta quarta-feira (21/11).

José Eliton reuniu autoridades para agradecer pelo trabalho realizado durante seu mandato como vice-governador e governador de Goiás. “Deixo no próximo dia 31 de dezembro a condição de governador de Goiás, mas saio com a tranquilidade de quem fez o que era possível, de quem atuou com serenidade e equilíbrio, sabendo das dificuldades que o Estado vivenciou e vivencia, mas esperançoso”, declarou.

Durante a reunião, o atual governador afirmou que buscou exercer o mandato com a “ponderação necessária para realizar os melhores programas, obras e ações para a população goiana”. Fazendo referência à sua equipe de auxiliares e aos servidores de todas as áreas da administração estadual, José Eliton deixou claro que todos trabalharam para “fazer o melhor possível para Goiás.”

Após os agradecimentos do governador, o secretário-chefe da Casa Militar, coronel Divino Alves, ressaltou a simplicidade e humildade de José Eliton e da primeira-dama, Fabrina Müller, durante o tempo que estiveram à frente do governo de Goiás. “O senhor e a dona Fabrina sempre nos trataram com respeito e carinho. Nunca vou me esquecer de tudo que fez pela nossa instituição e também pelos Bombeiros”, disse.

Já o subchefe da Casa Militar, coronel Karison Ferreira, destacou que “nenhum policial militar pode falar que não foi valorizado” durante a gestão de José Eliton. “Fomos reconhecidos e, em todos momentos, o senhor esteve à frente das decisões que favoreceram a nossa instituição”, concluiu o coronel.

José Eliton deixará o governo em dezembro

José Eliton (PSDB) assumiu o governo de Goiás em abril deste ano, após  Marconi Perillo deixar o cargo para se candidatar a uma vaga no Senado. Nas eleições 2018, Zé Eliton concorreu para governador, mas perdeu o cargo para Ronaldo Caiado (DEM), eleito com 59% dos votos válidos.

A equipe de transição do novo governador do estado é coordenada pelo senador Wilder Morais (DEM). Já a equipe de Zé Eliton tem como coordenadores: os secretários Joaquim Mesquita e Fernando Tibúrcio; o titular da CGE, Tito do Amaral; o presidente do Ipasgo, José Carlos Siqueira; e o superintendente executivo da Sefaz, Afrânio Cotrim Júnior.

Imagens: Facebook 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Política

Julgamento sobre indulto de Temer é suspenso no STF até próxima quarta-feira

Indulto natalino e comutação de penas a condenados foi assinado por Michel Temer em dezembro de 2017.
21/11/2018, 18h48

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, suspendeu o julgamento de uma ação formulada pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge, que questiona a extensão de um decreto de indulto natalino e comutação de penas a condenados assinado pelo presidente Michel Temer em dezembro do ano passado. Após conversar com o ministro Luís Roberto Barroso, relator do caso, Toffoli suspendeu o julgamento e informou que ele será retomado na próxima quarta-feira, 28.

“Tenho um compromisso fora de Brasília amanhã, (na reunião da) Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e Lavagem de Dinheiro, que reúne mais de 50 instituições brasileiras neste trabalho. Conversei com o ministro Luís Roberto Barroso para que suspendêssemos o julgamento na data de hoje e retomemos como primeiro item na pauta de quarta com início do voto. E que possamos, numa mesma sessão, terminar”, disse aos colegas do plenário. Toffoli disse ainda que a discussão tomará tempo de voto de todos os ministros porque o assunto “é extremamente relevante e importante”.

Antes de a sessão ser suspensa, Raquel Dodge disse que o decreto assinado por Temer ampliou desproporcionalmente os benefícios e criou um cenário de impunidade no País, “sem uma justificativa minimamente razoável”. “A concessão de indulto deve-se fundar em critérios de política criminal compatíveis com natureza humanitária desse instituto. Não era o caso do decreto impugnado, sem justificativa minimamente razoável, ampliou desproporcionalmente os benefícios e criou cenário de impunidade no País. Reduziu em 80% o tempo de cumprimento da pena aplicada, extinguiu penas restritivas de direito, suprimiu multas e o dever de reparar os danos pela prática de crimes graves”, disse Raquel Dodge durante sustentação oral no julgamento desta quarta.

Para a chefe do Ministério Público Federal, a competência constitucional de conceder o indulto não confere ao presidente da República a prerrogativa de suprimir injustificadamente condenações penais. “O chefe do Poder Executivo não tem a competência constitucional para legislar sobre matéria penal e não pode, por essa razão e nessa extensão, extrapolar os limites da finalidade do indulto e estabelecer parâmetros incompatíveis com princípio da proporcionalidade, o que acaba por se equiparar a descriminalização de condutas penalmente relevantes.”

O decreto nos moldes em que foi aplicado por Temer, na avaliação de Raquel Dodge, não ressocializa, não dissuade novas práticas, apenas passa a sensação de que o crime compensa. “A resposta do sistema de administração de Justiça na forma como incitada neste decreto acaba sendo débil, desproporcional à gravidade da prática e ao tamanho da sentença fixada pelo Poder Judiciário”, afirmou.

Suspensão de indulto natalino assinado por Temer

Em 28 de dezembro do ano passado, em pleno recesso do Judiciário, a então presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, atendeu ao pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR) e suspendeu parcialmente o decreto de indulto natalino assinado por Temer, apontando que o texto não pode ser “instrumento de impunidade”, nem “prêmio ao criminoso nem tolerância ao crime”.

Cármen suspendeu os seguintes pontos: o indulto para quem cumprisse só um quinto de qualquer tipo de pena ou crime, a concessão do benefício para quem havia recebido pena restritiva de direito (prisão domiciliar como tornozeleira eletrônica, por exemplo), para quem está em livramento condicional ou no regime aberto, para quem não tinha sentença definitiva em seu processo e o perdão de multas pela reparação de danos, como as definidas para réus em casos da Lava Jato.

Em março deste ano, o relator da ação, ministro Luís Roberto Barroso, alterou o indulto natalino a presos editado por Temer, estabelecendo novas regras. Barroso excluiu do indulto condenados por crimes de colarinho-branco, como peculato, corrupção, lavagem de dinheiro e tráfico de influência.

Imagens: A la carta 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Idoso de 80 anos cai do telhado e é encontrado 18 horas depois em estado grave, em Goiânia

Com o impacto, ele ficou sem movimentos e não conseguiu pedir ajuda.
21/11/2018, 20h17

Um idoso de 80 anos caiu do telhado de casa na noite de terça-feira (20/11) e foi encontrado 18 horas depois pelo Corpo de Bombeiros. O caso ocorreu no Jardim Itaipu, em Goiânia. O homem foi resgatado na tarde desta quarta-feira (21/11), em estado grave devido a queda.

O idoso, que não teve o nome revelado, teria subido no telhado na residência para fazer reparos em algumas telhas, ele teria se desequilibrado e caído. Com o impacto, ele ficou sem movimentos e não conseguiu pedir ajuda. O idoso ficou exposto a chuva da noite de terça e só foi encontrado hoje por bombeiros.

De acordo com informações da corporação, devido ao acidente, o homem foi resgatado com coluna travada e em seguida encaminhado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jardim Itaipu. Ainda não há atualizações sobre o estado de saúde da vítima.

Cuidados para idosos em Goiânia

A Organização das Voluntárias de Goiás (OVG) por meio dos Centros de Convivência de Idosos (CCI) dos setores Cândida de Morais e Norte Ferroviário, abriram inscrições para aulas gratuitas de hidroginástica, em Goiânia. Para participar, os interessados precisam se inscrever pessoalmente na unidade em que pretendem fazer as aulas. É necessário levar os documentos pessoais, comprovante de endereço e atestado médico do cardiologista liberando-o para a prática dos exercícios.

Os exercícios como hidroginástica são recomendados por vários especialistas para idosos porque é capaz de enrijecer os músculos, que com o passar dos anos perdem a força. Através das atividades, é possível ainda melhorar o equilíbrio e prevenir o aparecimento da osteoporose e regular a pressão arterial.

De acordo com a OVG, os Centros de Convivência buscam valorizar pessoas da terceira idade e permitir que elas possam socializar com outras, através da integração e da troca de experiências entre elas e dos exercícios do corpo e da mente.

Via: O Popular 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Idoso embriagado provoca grave acidente ao estacionar em ponte sobre o Rio das Almas, em Uruaçu

O caminhão que caiu no rio deve ser retirado nesta quinta-feira (22/11).
22/11/2018, 07h59

Um idoso de 65 anos foi preso por dirigir embriagado e provocar um grave acidente noite da última quarta-feira (21/11), ao parar na ponte que passa sobre o Rio das Almas, na BR-080, em Uruaçu, a 280 quilômetros de Goiânia e deixar duas pessoas gravemente feridas.

Segundo as informações divulgadas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), o motorista da caminhonete modelo Ford F-100, que não teve o nome divulgado e estava embriagado, parou na ponte sem nenhuma explicação. O motorista de um caminhão modelo Iveco Strais 570 que vinha logo atrás, para não bater na caminhonete, desviou pela direita e bateu na proteção da ponte e caiu no rio.

Um outro caminhão baú que seguia logo atrás dos dois primeiros veículos não conseguiu desviar e bateu na traseira da caminhonete, com a colisão a F-100 foi empurrada para frente e ficou pendurada na ponte.

Motorista parou veículo sobre o Rio das Almas a caminho de Uruaçu

O Inspetor Newton Morais da PRF afirmou ao Porta Dia Online que no momento em que as equipes chegaram ao local, encontraram a caminhonete pendurada e com o motorista dentro dela.

Segundo o inspetor, o motorista foi submetido ao teste do bafômetro e foi reprovado com o teor de 0,76 ml/l de sangue e acabou preso por embriaguez ao volante. De acordo com as informações divulgadas pela PRF, o condutor da caminhonete informou que tinha ingerido cachaça e fazia o percurso de Barro Alto de Goiás para Uruaçu.

Os outros dois motoristas envolvidos no acidente ficaram gravemente feridos e foram levados para Unidade de Pronto Atendimento de Uruaçu (UPA), não há informações sobre o estado de saúde deles. O caso foi encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil (PC) da cidade.

Em relação ao caminhão que caiu da ponte no acidente, o inspetor informou que a retirada do veículo deve ser feita ainda nesta quinta-feira (22/11).

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.