Entretenimento

Saiu o primeiro trailer da versão realista de "O Rei Leão", da Disney

Filme estreia em julho de 2019.
22/11/2018, 23h12

A Disney divulgou nesta quinta-feira (22) o primeiro trailer da versão realista do clássico “O Rei Leão”.

O filme usa a mesma tecnologia fotorealista mostrada no recente “Mogli – O Menino Lobo” e possui o mesmo diretor, Jon Favreau.

O elenco de vozes conta com Donald Glover interpretando Simba, Beyoncé no papel de Nala, John Oliver como Zazu, Seth Rogen como Pumba, Billy Eichner como Timão e James Earl Jones como Mufasa.

Hans Zimmer, que foi o compositor do desenho, volta ao cargo que lhe rendeu o Oscar de Melhor Trilha Sonora pelo trabalho no filme de 1994. O longa segue a mesma história do original mas terá cenas adicionais com novas canções.

A estreia nos cinemas acontece em 19 DE JULHO DE 2019.

Assista ao trailer de “O Rei Leão” a seguir:

Veja também o primeiro pôster divulgado pelo diretor no Twitter:

Imagens: YouTube 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Resultado do concurso público da Câmara Municipal de Goiânia é divulgado

A primeira convocação deve ser feita ainda em 2018, conforme disse o Presidente da Câmara, Andrey Azeredo.

Por Ton Paulo
23/11/2018, 07h50

Foi divulgado na tarde da última quinta-feira (22/11) o resultado do concurso público da Câmara Municipal de Goiânia, que foi aplicado no dia 2/9 e movimentou milhares de pessoas que se inscreveram para concorrer às 75 vagas de nível médio e superior, disponibilizadas pelo órgão.

De acordo com informações divulgadas pela Universidade Federal de Goiás (UFG), cujo Centro de Seleção foi o responsável pelo processo seletivo, foram aprovados, ao todo, 75 candidatos para as vagas previstas, sendo dois destes para as vagas destinadas às pessoas com deficiência.

Além destes, outros 48 candidatos estão no cadastro de reserva técnica, sendo 46 de ampla concorrência e dois para as vagas reservadas aos deficientes.

A primeira convocação deve ser feita ainda este ano, conforme disse, a um jornal local, o Presidente da Câmara, Andrey Azeredo (MDB). Segundo o presidente, na primeira convocação serão chamados, de acordo com o Termo de Ajuste de Conduta (TAC) firmado entre a Câmara e o MP, pelo menos 30% dos aprovados. As demais convocações, de acordo com ele, serão graduais.

A Lei para a realização do certame foi sancionada pelo prefeito Iris Rezende (MDB), em 21 de março deste ano, após aprovação unânime no Plenário da Câmara em duas votações.

O prazo de validade do presente Concurso Público será de 2 anos, contados da data da publicação de sua homologação no Diário Oficial do Município, podendo ser prorrogado, a critério da Administração, uma única vez e por igual período.

Polêmica e denúncias marcaram a aplicação do concurso público da Câmara Municipal de Goiânia

O concurso da Câmara de Goiânia, realizado no início de novembro, foi marcado por inúmeras polêmicas e denúncias de desvios e irregularidades.

Segundo uma vereadora da capital, várias denúncias de irregularidades constatadas por candidatos chegaram ao seu gabinete, motivo esse que fez com que ela entrasse com um pedido de investigação no Ministério Público.

De acordo com a vereadora Sabrina Garcêz (PTB), logo após a aplicação das provas do concurso em questão várias pessoas a procuraram para denunciar supostos desvios e falhas no processo seletivo. Entre gabaritos duplicados até convocações extraordinárias de candidatos em prazo fora do edital, candidatos falando ao celular na sala e envelopes abertos com provas, vários foram os problemas relatados.

Em nota, à época, a Câmara Municipal de Goiânia informou que contratou o Centro de Seleção da UFG pela experiência e credibilidade que possui e que todas as reclamações de candidatos foram encaminhadas para a universidade, mas acompanhadas pela Câmara.

Via: O Popular 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Economia

Na Black Friday, 40% dos clientes devem ir a loja física

Não ter cartão de crédito também ajuda a explicar a escolha do consumidor pelo varejo físico.
23/11/2018, 08h33

Dos mais de 100 milhões de brasileiros que devem aproveitar as promoções da Black Friday, 40% pretendem comprar em lojas físicas, de acordo com pesquisa da empresa de informações financeiras Boa Vista SCPC.

O número de compradores no comércio de rua e nos shoppings durante essa data já é quase uma vez e meia maior que o registrado no “supersábado de Natal”, o que antecede o dia 25 de dezembro – segundo levantamento da ShopperTrak, empresa que trabalha com inteligência de tráfego de clientes.

Para 38% das pessoas que não utilizam e-commerce, a principal razão para se ir até as lojas físicas é poder ver o produto de perto e tomar a melhor decisão. Foi esse motivo que levou a dona de casa Cristina Rabelo ao comércio na edição do ano passado. Mas, dessa vez, ela diz que pode ser diferente. “Se você já tem o produto, a marca e o modelo, é mais fácil comprar pela internet”, argumenta.

Não ter cartão de crédito também ajuda a explicar a escolha do consumidor pelo varejo físico. No Brasil, de acordo com dados do IBGE, são cerca de 60 milhões de pessoas desbancarizadas – que não possuem conta em bancos. “Há um número considerável de consumidores que têm acesso à internet, mas não ao cartão”, diz Roberto Kanter, professor dos MBAs da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

De acordo com ele, o acesso restrito ao cartão, além de levar as pessoas ao comércio, também tem um papel importante na diminuição das compras por impulso. “Cerca de 30% das compras têm desistências no boleto”, acrescenta.

O professor explica que o fato de se ter um prazo para pagar a conta faz com que o consumidor reflita a respeito do gasto. Isso, muitas vezes, leva ao não pagamento do boleto, o que cancela a compra online.

Cristina conta que a maior parte das compras que fez na última Black Friday foi decidida à medida que ela e as filhas viam os produtos na prateleira. “A gente ia olhando o que queria enquanto uma ficava na fila.”. Para Kanter, essa característica de pronta entrega do varejo físico é o principal diferencial desse tipo de comércio. “Por esse serviço de estoque, o varejista cobra um preço. Quando a pronta entrega ficar frequente no e-commerce, a procura pelo varejo físico pode diminuir”, diz.

O maior trânsito nas lojas, no entanto, não significa conversão em vendas. O diretor da ShopperTrak, Marcelo Quaiatti, alerta que, caso o lojista não se prepare, o cliente sairá do estabelecimento sem gastar. “O lojista deve usar o fluxo de anos anteriores para determinar o número de vendedores disponíveis nas loja”, diz Quaiatti.

Segundo estudo do Ibevar/FIA, as menções digitais à data crescem de maneira contínua desde 2014, sendo que, nos últimos três anos, os números de citações no Facebook, Twitter, YouTube, comentários em notícias de jornais eletrônicos, além de sites como o Reclame Aqui e o JusBrasil, foram superiores a 52.500 mensagens, apresentando crescimento ano a ano.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Imagens: G1 Ceará 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Cubanos reclamam de abandono do Ministério da Saúde

Em nota, o ministério afirmou que a decisão de permanência no País é individual.
23/11/2018, 08h39

Pressionados por Cuba a voltar, profissionais recrutados para trabalhar no Mais Médicos que gostariam de permanecer no País se queixam de abandono de autoridades do Brasil. Cerca de 1,4 mil deles se casaram com brasileiros e, com isso, têm a opção de ficar com a situação regularizada. Se ficarem, porém, não têm garantia de trabalho.

“A partir de segunda-feira estaremos desempregados, sem saber ao certo o que será de nossas vidas”, afirmou a médica cubana Esther Carina Mena. Na última terça-feira, um grupo de médicos cubanos enviou ao Ministério da Saúde uma carta pedindo informações sobre como proceder e se há garantia de que poderão continuar no programa. “Não recebemos resposta. Estamos por nossa conta e risco”, disse Esther, que trabalha em Içara (SC) desde 2014.

A promessa inicial do governo era a de que o grupo poderia participar de um edital destinado a profissionais formados no exterior, com publicação esperada para a próxima semana. Nesta quinta-feira, 22, no entanto, o ministério disse que o edital foi adiado. A previsão é de que seja publicado só em dezembro, depois de concluída a seleção de brasileiros, que têm prioridade no preenchimento de vagas.

Casada há dois anos com um morador da Içara, Esther disse estar disposta a participar do edital. “Mas não sabemos se haverá vagas disponíveis”, afirma ela, que já trabalhou em Honduras, Guatemala e Venezuela. “Desde formada, nunca fiquei desempregada. Sabe o que vai ser ver toda essa população que atendia e não fazer nada? Não poder atender?”

A vaga ocupada por Esther já foi incluída no novo edital. Na mesma situação estão os demais cubanos que trabalham no programa. “A escolha é: voltar para Cuba e ter emprego garantido ou ficar aqui, com a família que constituímos e não ter ocupação garantida.”

Nesta semana, ministro Gilberto Occhi havia afirmado que cubanos receberiam assistência para ficar no Brasil. “O que isso significa, se nos é tirado o emprego?”, disse um médico cubano à reportagem, sob condição de anonimato. “Já suspeitava que o apoio poderia ser só um discurso. Mas, agora, com o adiamento do edital, começo a ter certeza e a pensar mais seriamente em voltar para Cuba.”

O médico Ramon Burgos, que desde 2014 trabalhava em Sorocaba (SP), não voltará a Cuba porque se casou com uma brasileira e pretende usar essa condição para adquirir a cidadania. “Estou procurando um trabalho para meu custeio e para ajudar minha família, enquanto espero para fazer o Revalida (exame de validação do diploma de médico obtido no exterior).”

Governo

Em nota, o ministério afirmou que a decisão de permanência no País é individual. Logo após o anúncio de Cuba que deixaria o Mais Médicos, o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), prometeu asilo político a todos os cubanos.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Imagens: MSN 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Justiça determina que governo pague servidores de Goiás até o dia 10 de dezembro

Salários de outubro terminaram de ser pagos na última quinta-feira.
23/11/2018, 08h48

Por meio de liminar concedida na última quinta-feira (22/11), a Justiça determinou que o pagamento dos salários dos servidores públicos de Goiás seja feito até o dia 10 de dezembro.  A assinatura de um decreto do governador José Eliton (PSDB), no último dia (31/10) e publicado no dia (1/11), revogou o artigo 45 do Decreto nº 9.143, de 22 de janeiro de 2018, desobrigando o governo a pagar os salários nos meses trabalhados referentes a novembro e dezembro. Os vencimentos de outubro terminaram de ser quitados na última quinta-feira.

A decisão é do desembargador Alan Sebastião de Sena Conceição, que atendeu a um pedido do Sindicato dos Funcionários do Fisco. O desembargador levou em consideração o atraso nos pagamentos dos servidores, que atrapalhou os trabalhadores na manutenção da casa, principalmente na questão alimentar.

Mesmo concedendo a liminar, o magistrado não multo o Estado pelos atrasos, ao considerar que o caso não é uma conduta frequente ou abusiva e que os vencimentos atrasados são em decorrência da situação econômica que do governo de Goiás.

Em nota o governo do Estado de Goiás informou que ainda não foi notificado oficialmente sobre a decisão liminar para o pagamento dos salários dos servidores no próximo dia 10 de dezembro. Conforme a nota divulgada, a Procuradoria Geral do Estado de Goiás (PGE) vai tomar as medidas necessárias dentro do âmbito judiciário.

Confira a nota na íntegra

“O Governo de Goiás ainda não foi comunicado oficialmente da decisão do desembargador Alan Sebastião de Sena. A PGE tomará as medidas cabíveis no âmbito do Judiciário. O Governo de Goiás esclarece que quitou ontem a integralidade da folha de outubro, sendo que 70% dos servidores estaduais receberam dentro do mês trabalhado (ainda em outubro) e até o dia 10 deste mês havia pago mais de 85% da folha do Estado. O escalonamento de uma parcela da folha salarial se deve a problemas de fluxo de caixa do Tesouro Estadual, em decorrência de fatores macroeconômicos.”

Decreto liberava calote nos servidores de Goiás

No final do mês de outubro, o governador José Eliton (PSDB) assinou um decreto que liberava um calote nos servidores público do Estado, nos meses de novembro e dezembro de 2018. O documento foi publicado no Diário Oficial (D.O) no dia (1/11) e a atitude foi duramente criticada pelo governador eleito Ronaldo Caiado (DEM) através de suas redes sociais.

Via: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.