Goiás

Vandalismo no transporte público da região metropolitana de Goiânia custa 15 ônibus novos

Por ano, ocorrem cerca de 192 atos de vandalismo nos ônibus e 72 em terminais e estações.
24/11/2018, 08h46

Anualmente, ocorrem cerca de 192 atos de vandalismo nos ônibus do transporte público que atendem os 18 municípios da Região Metropolitana de Goiânia. Com isso, 16 ônibus são retirados de circulação todos os meses e o custo equivale ao valor de 15 novos veículos para a frota. De acordo com a Rede Metropolitana de Transporte de Coletivo (RMTC), essas ações prejudicam o planejamento diário que é feito para atender os usuários do transporte coletivo.

Segundo levantamento da RMTC, os itens mais danificados dentro dos ônibus são janelas de emergência, vidros fixos de janelas, calhas do sistema de iluminação e mangueiras hidráulicas das portas automáticas. Além disso, são registrados ainda, por ano, cerca de 72 situações de vandalismo nos terminais, dentre elas: depredação, destruição e furtos de materiais e utensílios como lixeiras, torneiras e tampas de válvulas de descargas, especialmente dentro dos banheiros de uso público.

Os reparos nos veículos e nos terminais custam aos cofres públicos e ao passageiros o valor de 15 novos ônibus nas ruas. Ainda de acordo com dados da RMTC, o vandalismo nos ônibus é promovido principalmente por estudantes e torcidas organizadas. Em dias de clássicos do futebol, os danos causados por torcedores dentro do transporte coletivo, terminais e estações aumentam.

Além do prejuízo financeiro, passageiros também são vítimas das ações de vândalos. Cláudio Lizita, gerente de transportes da empresa Reunidas, que atende 280 bairros da Região Metropolitana da capital, afirma que em diversos casos os usuários são feridos por estilhaços de vidros. “Quando isso ocorre o motorista tem que acionar socorro médico e ainda registrar um boletim de ocorrência, atrapalhando não só o atendimento, mas prejudicando outras pessoas.”

Linhas da Região Metropolitana de Goiânia com mais casos de vandalismo

O levantamento da Rede Metropolitana de Transporte de Coletivo (RMTC) apontou que as linhas com maiores índices de atos de vandalismo são as do Eixo Anhanguera, incluindo as extensões para Trindade e Goianira, a linha 574 (Terminal Bandeiras/Forteville), e a 338 (Terminal Vera Cruz / GO 060/Jardim do Cerrado). Já os terminais com mais registros de vandalismo são: Cruzeiro, Bandeiras e Vera Cruz. Em relação as estações do Eixo Anhanguera onde ocorrem mais atos de vandalismo estão a José Hermano e Jóquei Clube.

Os passageiros podem denunciar casos de vandalismo no transporte público ao Posto de Segurança de Transportes por meio do Whatsapp (62) 98591-8952. Os vândalos identificados pela polícia serão denunciados e responderão a processo judicial.

Imagens: Rmtc 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.