Goiás

Caminhoneiro de terceirizada a serviço da Enel é flagrado dirigindo bêbado, em Rio Verde

O caminhoneiro estava a serviço da Enel para a instalação de postes de energia em uma fazenda, no momento da autuação.

Por Ton Paulo
27/11/2018, 11h52

Um motorista que transportava postes de energia foi flagrado e autuado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) dirigindo bêbado, na manhã desta terça-feira (27/11), em Rio Verde, sudoeste goiano. O caminhoneiro é funcionário de uma empresa terceirizada contratada pela Enel, fornecedora de energia em Goiás, e estava a serviço dela para a instalação de postes de energia em uma fazenda, no momento da autuação.

O caminhoneiro, de 41 anos, foi autuado por volta das 7h30 de hoje. Segundo o inspetor da PRF, Lacerda Santos, que realizou a autuação no posto da corporação em Rio Verde, o teste do bafômetro indicou o teor alcóolico de 0,18mg/l no sangue do homem, o que aponta embriaguez.

Ainda segundo o inspetor, o motorista apresentava os olhos muito vermelhos. Ele alegou que havia ingerido “whisky e cerveja no dia anterior”. A carga transportada, composta por postes e ferramentas para instalação deles, estava amarrada de forma precária e perigosa na carroceria do caminhão. “Os postes estava com pedaços pra fora, mal amarrados, quase saindo”, conta.

O inspetor Lacerda conta que o homem é de uma empresa terceirizada da Enel, e estava a serviço da distribuidora de energia no momento da autuação. Segundo Lacerda, ele estava indo de Rio Verde para uma fazenda na região, realiza a instalação de postes de luz.

Além da embriaguez,  motorista também foi multado pelo não uso do cinto de segurança e por conduzir o veículo com equipamento obrigatório insuficiente. O valor total de multa aplicada pela PRF foi de R$ 3.500 reais.

O motorista precisou chamar outro condutor em condições de dirigir e o veículo ficou retido até a chegada de outro caminhão, que tinha capacidade para transportar a carga de forma adequada e segura.

Em nota, Enel disse que “está apurando” o caso

Procurada pela reportagem do Dia Online, a Enel declarou que está apurando o caso, e ressaltou que adota rigorosos padrões éticos em suas operações.

Veja a nota na íntegra:

“A Enel Distribuição Goiás esclarece que está apurando o caso mencionado junto à empresa parceira responsável pelo colaborador. A distribuidora ressalta que adota rigorosos padrões éticos em suas operações e não tolera qualquer tipo de desvio de conduta.”

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Mulher morre ao tomar choque enquanto usava máquina de limpeza, em Goiás

Bombeiros tentaram reanimar a vítima, mas sem sucesso.
27/11/2018, 11h57

Patricía Cerri Soares, de 37 anos, morreu no fim da tarde da última segunda-feira (26/11) depois de tomar choques, enquanto lavava uma área com uma máquina de limpeza de alta pressão, na cidade de Ouro Verde de Goiás, a 51 quilômetros de Goiânia.

A equipe do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO) da cidade de Neropólis, a 14 quilômetros de Ouro Verde, atendeu a ocorrência. De acordo com as informações divulgadas pela corporação, a unidade que atendeu o chamado encontrou a vítima inconsciente e com parada cardio respiratória.

Os bombeiros encaminharam a vítima para o hospital de Neropólis, enquanto faziam todos os procedimentos de ressuscitação.

A equipe envolvida na ocorrência ficou no hospital da cidade por aproximadamente 50 minutos, no entanto apesar das tentativas e da entubação da vítima, o médico que atendeu a paciente, confirmou a morte de Patricia no hospital.

Um outro caso registrado em Indiara terminou com a morte de uma criança tomar um choque

Em agosto deste ano, um outro caso que terminou com um menino de 9 anos, morto após tomar um choque, foi registrado na cidade de Indiara, a 100 quilômetros de Goiânia. O menino que foi identificado como João Luiz Amaral Almeida, estava na casa da avó.

A criança pegou uma caixa de ferramentas, que estava em contado com um fio desencapado da máquina de lavar roupas. O menino foi eletrocutado e a avó só percebeu que algo estava errado, quando chamou pelo neto e ele não respondeu.

O menino chegou a ser socorrido e levado para o hospital da cidade, mas não resistiu e morreu.

Em São Paulo um rapaz morreu eletrocutado ao encostar no poste de energia

Um outro caso foi registrado em fevereiro deste ano, na cidade de São Paulo. Lucas Lacerda da Silva, de 22 anos, morreu eletrocutado depois de encostar em um poste com câmeras de monitoramento, em uma rua no Centro da cidade.

Imagens: Facebook 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Oito dias depois, chega ao fim o mistério do desaparecimento de jovem, em Goiás

Jovem foi encontrado oito dias depois, andando sem rumo em uma rodovia em Goiás.
27/11/2018, 12h27

Sujo, cansado, olhar perdido. Foi assim que a família de Edivan Pereira da Silva, de 19 anos, o encontrou em uma rodovia do Município de Dois Irmãos, a 60 km de onde sumiu, no Povoado de Faz Tudo, no interior de Goiás.

Edivan desapareceu de uma festa na madrugada de domingo (18/11), por volta das 3h, quando ele saiu da festa “Dança Comigo”.

O jovem não foi mais visto após informar ao irmão, Evandro Pereira Silva, de 20 anos, que ia ao banheiro da festa. Edivan, que é morador no povoado de Acaba Vida.

A prima do jovem, Maria Aparecida de Carvalho Santos, conta que, agora, a família está mais aliviada. “Não conseguíamos dormir, mas hoje podemos respirar em paz. Graças a Deus”, diz ela ao Portal Dia Online.

Segundo a prima, Edivan não comentou nada sobre o que teria acontecido com ele. “Ele fica em silêncio, mas aparentemente está bem”, conta. “Matamos a saudade, mas não pretendemos tocar no assunto do sumiço dele. Não sabemos o que aconteceu. Como ele conseguiu sobreviver andando sem destino.”

Jovem de Goiás foi visto entrando em ônibus

Ligações para a família informaram que que Edivan foi visto na BR-414, entre Faz Tudo e Quebra Linhas. Depois, uma imagem de monitoramento de segurança flagrou o jovem em Dois Irmãos, entrando em um ônibus indo para Padre Bernardo por volta das 19h do domingo.

A suspeita é que Edivan tenha ido para Padre Bernardo ou alguma cidade do entorno de Brasília.

Os familiares e amigos do jovem se dividiram entre as cidades de Padre Bernardo e Niquelândia, mas sempre que perguntaram pelo jovem, com a fotografia dele, ninguém sabia de nada.

A Polícia Civil e a Polícia Militar ajudaram a família procurar o jovem que pouco saía da fazenda em que trabalhava com o pai. E que, agora, deve voltar a cuidar da roça.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Fraudes no Bolsa Família em Goiânia podem ultrapassar a casa dos milhões

Na casa de um dos fraudadores, a polícia encontrou mais de 200 carteiras de identidades falsificadas.
27/11/2018, 15h08

Durante as primeiras horas da manhã desta terça-feira (27/11) a Polícia Federal (PF) deflagrou a Operação Grande Família, que investiga fraudes no programa Bolsa Família na capital. Os dados da operação foram divulgados durante entrevista coletiva, na sede da PF em Goiânia, embora as cifras não tenham sido reveladas, o valor pode ultrapassar milhões apenas em Goiânia. A PF contou com a parceria da Secretaria Municipal de Assistência Social (SEMAS) de Goiânia.

O delegado da PF, James Soliz, afirmou durante coletiva de imprensa que a própria SEMAS encaminhou as suspeitas de irregularidades no programa aos investigadores. A primeira etapa da operação procurou por documentos, que indicaram a participação de servidores municipais no esquema.

Segundo o delegado, na casa de uma pessoa que não teve o nome divulgado, os policiais encontraram mais de 200 carteiras de identidades falsificadas e diversos cartões do Bolsa Família. Durante a operação, o suspeito confessou que a documentação era falsa e que em alguns momentos conseguiu sacar os recursos do benefício.

“O fraudador contou que procurou funcionários da secretaria, oferecendo vantagens para que eles pudesse colaborar com a fraude”, conta o delegado.

Como foi a primeira fase da operação, foram cumpridos mandados de busca e apreensão, inclusive na sede da SEMAS. Segundo a PF, ninguém foi preso. Apenas documentos e computadores foram levados pela PF, para complementar a investigação e para que depois os envolvidos possam ser indiciados.

Entre os beneficiados com o esquema, a PF conseguiu identificar uma funcionária da SEMAS, que recebia o auxilio, sem preencher os requisitos necessários para ser beneficiária do Bolsa Família. Além dela, o fraudador, um outro servidor municipal, compareceu a PF, prestou esclarecimentos e foi liberado.

“O Bolsa família como está implantado hoje, não só ele, mas o seguro desemprego, gera várias oportunidades para que as pessoas possam fraudar. Na verdade é um verdadeiro queijo suíço. Então é preciso implementar ações para modificar a forma de concessão e a fiscalização, pois da forma como esta hoje, ela propicia a frade”, comenta James Soliz.

Fraudes no Bolsa Família em Goiânia, pode ultrapassar a casa dos milhões
Foto: Divulgação

O número de servidores envolvidos no esquema e de pessoas indicadas pelo fraudador para captar os recursos não foram divulgados.

Entretanto, o fraudador segundo o delegado, está indicando alguns nomes, que vão ser chamados para prestar esclarecimentos. Depois de todo o levantamento feito, a PF vai pedir o indiciamento dos envolvidos e encaminhar o processo para o Ministério Público (PF).

Inicialmente o suspeito vai ser indiciado por estelionato, enquanto os servidores municipais, vão ser indiciados pelo crime de inserção de dados falsos no sistema.

“Por exemplo na casa do fraudador, nós encontramos a imagem de uma só pessoa, em mais de 30 RG’s, dessa forma a pessoa ganhava uma ajuda do Bolsa Família e o restante fica para ele”, conta o delegado.

Como era feita a fraude no Bolsa Família em Goiânia

O delegado conta que até o momento não foi possível identificar o montante em Goiás, mas acredita que deva passar dos milhões e que agora aguarda um levantamento feito pela Caixa Econômica Federal (CEF) para saber real valor desviado do programa na capital.

“Eles cadastravam a pessoa no programa, depois alteravam o endereço para um indicado pelo fraudador, ele pegava o cartão, desbloqueava e recebia o dinheiro. Depois voltava a alterar o endereço, enquanto a pessoa estava aguardando o cartão. O beneficiário então recebia o cartão e imaginava que a partir dali estava recebendo. Quando o fraudador já tinha recebido os valores do Bolsa Família em outros momentos”, explica James Soliz.

A polícia vai esperar o levantamento da CEF, que vai ser feito com números do Cadastro de Pessoa Física (CPF) e da inscrição social no programa. Segundo as informações divulgadas, beneficiários da Bahia, tiveram os endereços transferidos para Goiânia, e também foram vítimas da fraude.

Secretário de Assistência Social de Goiânia – Robson Azevedo

O secretário de assistência social de Goiânia, Robson Azevedo, esteve na coletiva e contou que a secretaria abriu uma sindicância para apurar as irregularidade e identificou que algo que estava errado.

“Uma vez identificado nessa primeira fase provas de fraude, nós vamos continuar a investigação, aprimorar os nossos mecanismos fiscalizadores, para identificar novas e possíveis fraudes, que vão ser encaminhadas para a polícia Federal”, conta o secretário.

Robson Azevedo explicou que o cadastro no programa é feito apenas por servidores municipais, que recebem um curso e uma senha para fazer os cadastros. Em relação aos servidores que estiveram na sede da PF, para prestar depoimento, a secretaria abriu uma sindicância interna, para a partir dela definir o futuro dos funcionários envolvidos, que podem receber uma advertência ou ser demitidos.

“Quero ressaltar a importância do programa, ele é para destinar recursos para aquela família realmente carente, que não tem nem o que comer direito. Então é preciso que esse novo governo federal, faça realmente uma auditoria e identifique as reais necessidades do projeto, que são os beneficiários. Por que se não fica fica ai alguns espertalhões recebendo o benefício e tirando o dinheiro de que precisa e isso é muito grave”, frisa o secretário.

Segundo o secretário, no Brasil a fraude no programa pode ultrapassar a casa de R$ 1 bilhão de reais, mas em Goiânia os números podem passar da casa dos milhões. Como a operação está na fase inicial, Robson Azevedo acredita que outras fases vão propiciar a polícia, identificar outras pessoas envolvidas e assim acabar com a fraude na capital.

“Precisamos manter os mecanismos de fiscalização, porquê até agora a gente estava acreditando que estava acontecendo tudo normal. E o aparecimento das denúncias e o nosso interesse de investigar é que chegamos nesse momento atual, então fico feliz por essa ação, mesmo cortando na própria carne. Mas acho isso extremamente importante, pois nós temos que ser corretos com o bom encaminhamento do dinheiro público”, conclui Robson Azevedo.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Vídeo mostra a frieza de assassinos matando homem, em Aparecida de Goiânia

Uma criança viu o momento do crime.
27/11/2018, 15h28

Latidos de dois vira-latas, choro de uma criança e, em seguida, tiros. É a trilha sonora para o assassinato filmado pelos próprios executores de Klayton Silva Sousa, de 21 anos, em Aparecida de Goiânia, em Goiás, no último domingo (26/11).

Pelo menos dois homens invadem a casa da vítima na tarde de domingo (26/11), no Jardim Nova Olinda, na periferia aparecidense. Um deles, com uma pistola, vestido com calça jeans, camiseta cinza e calçando chinelas, entra rápido, passa por uma criança de dois anos apavorada. Veja vídeo no final da matéria.

O criminoso, de arma engatilhada, persegue Klayton, que foge sem camisa. O comparsa do homem armado filma em plano sequência e revela o desespero da vítima. Familiares da vítima não sabem o que fazer, apenas assistir à execução.

Depois de atirar várias vezes na vítima, o criminoso ainda pergunta pelo vídeo. O assassinato está sendo investigado pelo Grupo de Investigações de Homicídios (GIH) de Aparecida de Goiânia. O delegado responsável pelo caso, Eduardo Rodovalho, não quis comentar o caso.

Durante a manhã desta terça-feira (27/11), repórteres procuraram a delegacia em busca de informações, mas o delegado titular, Klayter Camilo, os dispersou. “Não vamos comentar para não atrapalhar a investigação. Esta insistência atrapalha o nosso trabalho”, reclamou o delegado ao Dia Online.

Vítima assassinada em Aparecida de Goiânia sofria ameaças

Nas últimas semanas, a vítima teria sofrido ameaças. “Só isso que nós sabemos”, comentou uma prima no início da tarde desta terça-feira. “Não vamos falar disso. Estamos muito traumatizados”, disse.

Preliminarmente, há suspeita que o crime tenha a ver com tráfico de drogas. Klayton, segundo a Polícia Civil, tinha passagens por tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo de uso restrito.

O corpo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) da cidade, liberado à família na manhã de segunda-feira (26).

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.