Mundo

França teme mais tumultos; museus, comércio e Torre Eiffel fecham sábado

06/12/2018, 18h16

Autoridades francesas estão em alerta para a possibilidade de mais tumultos e violência em razão das manifestações convocadas pelos “coletes amarelos” neste fim de semana. Museus, teatros e lojas em Paris anunciaram que fecharão no sábado por precaução – incluindo a famosa Torre Eiffel da cidade. Um documento foi distribuído nesta quinta-feira, 6, aos comerciantes após reunião de emergência da polícia local.

As autoridades se preparam “para um dia de grande violência”, com base no que tem sido dito por manifestantes de extrema direita e extrema esquerda, mesmo após o recuo do presidente Emmanuel Mácron no aumento dos preços dos combustíveis.

Nesta quinta, o premiê Edouard Philippe disse aos senadores que o governo implementará medidas de segurança “excepcionais” para os protestos em Paris e em outros localidades com forças adicionais.

Recuo

O governo francês decidiu nesta quarta-feira, 5, abandonar o imposto sobre combustível que previamente tinha sido suspenso por seis meses após reivindicação dos protestos nas ruas do país, que ganham novas adesões a cada dia. Edouard Philippe, comunicou aos parlamentares a decisão do presidente Emmanuel Macron de retirar a previsão de aumento do orçamento de 2019 para tentar o diálogo com os manifestantes.

O premiê não deixou claro se o reajuste poderia ser adicionado eventualmente em uma emenda ao orçamento durante o ano que vem. A concessão custará € 2 bilhões (cerca de R$ 8,7 bilhões) aos cofres públicos.

O presidente também congelou as discussões que teria sobre reajustes dos preços de alimentos, mas nada parecia aplacar o ímpeto da mobilização. Sindicatos de produtores rurais e caminhoneiros anunciaram adesão à ela.

Os protestos dos “coletes amarelos” começaram como resposta a um plano do governo de elevar taxas de combustível para desestimular o uso de carros e fazer uma transição para energia limpa. O porta-voz do governo, Benjamin Griveaux, deixou aberta hoje a porta para um possível restabelecimento do Imposto sobre Fortuna (ISF), uma das reivindicações mais frequentes dos manifestantes.

Nos últimos dias, o movimento tornou-se mais heterogêneo. Estudantes colocaram fogo em colégios para protestar contra o novo sistema de seleção para as universidades; pequenos comerciantes bloquearam estradas contra os altos impostos; pensionistas foram para as ruas contra o que chamaram de elitismo do presidente. Nas últimas adesões, o maior sindicato de agricultores da França anunciou atos para a próxima semana depois que o sindicato dos caminhoneiros conclamou a categoria para uma grande greve a partir de domingo.

Os sindicatos na França não vinham, até então, desempenhando um papel importante do movimento espontâneo, mas agora tentam capitalizar o crescente descontentamento popular. Em um comunicado conjunto, dois sindicatos de caminhoneiros instaram esses profissionais a iniciar na noite de domingo um protesto contra um corte nos pagamentos das horas extras e pediram uma reunião urgente com o ministro dos Transportes.

O sindicato dos agricultores FNSEA disse que lutará para ajudar os produtores rurais a melhorar seus rendimentos, ainda que não oficialmente participe do movimento “coletes amarelos”, que leva esse nome em referência aos coletes que os motoristas são obrigados a manter em seus carros.

A polícia francesa liberou a maioria dos depósitos de combustível que os manifestantes haviam bloqueado, mas em grande parte da França ainda faltava o produto nas bombas.

Manifestantes também tomaram cabines de pedágio nas estradas do país, permitindo que motoristas passassem sem pagar, para pressionar por demandas que vão do aumento de salários e pensões à dissolução da Assembleia Nacional, o Parlamento francês.

Na Universidade Tolbiac, centro de Paris, estudantes tomaram o prédio e as aulas foram canceladas. “Nós precisamos de impostos, o problema é que eles não são propriamente redistribuídos”, disse o manifestante Thomas Tricottet à TV BFM. “Obviamente, nós temos de lutar contra isso.”

Um estudante foi ferido durante os protestos em frente a uma escola em Saint-Jean-de-Braye, no norte da França. Segundo a TV BFM, ele foi atingido na cabeça por uma bala de borracha, o que não foi confirmado imediatamente por autoridades.

Vários colégios de Ensino Médio estavam bloqueados ontem, pelo terceiro dia consecutivo, em uma mobilização contra a reforma educacional do governo. A associação de estudantes secundaristas FIDL pediu um ato “amplo e geral” para hoje e exigiu a renúncia do ministro da Educação.

Éric Drouet, um porta-voz dos “coletes amarelos”, convocou os franceses a se reunirem no sábado perto de pontos importantes da capital francesa como a Avenida Champs-Élysées, Arco do Triunfo, ou Palácio da Concórdia ou em frente à Assembleia Nacional.

Recluso

Acusado pelos manifestantes de ser o “presidente dos ricos” e um estranho para os trabalhadores, as ações de Macron têm feito pouco para mudar essa percepção desde que ele retornou de uma viagem para a Argentina, no fim de semana, onde participou da cúpula do G-20.

Ele tem se recusado a falar publicamente sobre os protestos e permanecido a maior parte do tempo na residência oficial. Na noite de terça-feira, ele foi vaiado ao visitar um prédio do governo que foi destruído por manifestantes no fim de semana.

Um dos líderes dos protestos, Christophe Chalencon, disse ontem temer que haja mais mortes se os protestos de sábado forem adiante e pediu que Macron se manifeste. Os atos das últimas três semanas deixaram 4 mortos e mais de 400 feridos. Segundo Chalencon, Macron precisa admitir que cometeu um erro. Ontem, apenas o porta-voz do presidente falou, pedindo calma aos envolvidos

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Esportes

Conmebol rejeita recurso do Boca Juniors e confirma final no domingo

Enquanto o River exigia jogar em seu estádio, o Boca pedia para ser declarado campeão.
06/12/2018, 19h16

A Conmebol rejeitou nesta quinta-feira o recurso do Boca Juniors e confirmou a realização da segunda partida da final da Libertadores. O clube argentino pedia o título da competição sem ter que entrar em campo no domingo, mas teve a ação negada pela entidade continental.

O recurso do Boca foi realizado no dia 30 de novembro, para o Tribunal de Apelações da Conmebol, logo depois da entidade negar o pedido inicial do clube para a exclusão do River da competição pelos acontecimentos ocorridos nos arredores do Monumental de Núñez no último dia 24.

O Boca considerava que deveria ser declarado vencedor daquela partida e, consequentemente, campeão da Libertadores. Mas, nesta quinta, a Conmebol anunciou que manteve a decisão de seu Tribunal Disciplinar e reafirmou que o segundo jogo da final acontecerá domingo, no Santiago Bernabéu, em Madri.

Conmebol suspende final após confusão

Depois do empate por 2 a 2 na ida, em La Bombonera, os rivais argentinos deveriam se enfrentar no último dia 24, mas o apedrejamento do ônibus do Boca, que deixou alguns jogadores do clube feridos, resultou no adiamento e, posteriormente, na suspensão da partida.

A disputa foi para os tribunais. Enquanto o River exigia jogar em seu estádio, o Boca pedia para ser declarado campeão. A Conmebol, então, decidiu tirar a aguardada partida de Buenos Aires e a levou para o estádio do Real Madrid, onde será disputada domingo, às 17h30 (de Brasília).

Imagens: Massa News 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Obras da primeira creche para idosos em Anápolis devem ser entregues em 2019 

Local receberá nome da vereadora Vilma Rodrigues, idealizadora do projeto, que morreu em março deste ano.
06/12/2018, 20h01

Assinada nesta quinta-feira (6/12), em Anápolis, a ordem para início das obras do primeiro Centro Dia do Idoso, a creche para idosos; o local, que deve inaugurado no segundo semestre de 2019, oferecerá cuidados a pessoas acima de 60 anos que residem ou mantêm vínculos com suas famílias, mas não dispõem de atendimento em tempo integral em casa. O centro para idosos funcionará de segunda a sexta, das 8h às 17h.

De acordo com a Prefeitura, a creche para idosos vai dispor, em 344. 75 metros quadrados, de salas de repouso, salas para atividades coletivas e individuais, ambulatório, academia e refeitório. Será construído ainda um espaço para o cultivo de quatro hortas.

O Centro-dia do Idoso, iniciativa da vereadora Vilma Rodrigues, que morreu em março deste ano, vai ser coordenado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, e ocupará uma área da prefeitura localizada no setor Vila Esperança, na cidade. As obras contam com investimento de R$ 784 mil, sendo R$ 600 mil fornecidos pelo Governo de Goiás e o restante pelo município.

A solenidade contou com a presença do prefeito Roberto Naves e do delegado titular da Delegacia do Idoso e filho da vereadora responsável pelo projeto, Manoel Vanderic.

Creche para idosos em Anápolis

Depois de inaugurado, o Centro Dia do Idoso funcionará de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. O objetivo é oferecer à população idosa, além de proteção, melhoria na qualidade de vida e ainda diminuição da sobrecarga de trabalho dos cuidadores domésticos.

A creche para idosos, classificada pelo Conselho Nacional da Assistência Social com um Serviço de Proteção Social Especial de Média Complexidade, deve atuar como espaço para atender idosos:

– Que possuem algumas limitações para a realização das atividades da vida diária, como alimentação, mobilidade e higiene;

– Que não possuem comprometimento cognitivo severo ou que apresentam perdas cognitivas leves ou moderadas;

– Que na maioria das vezes ainda residem ou mantêm vínculos com suas famílias, mas não dispõem de atendimento em tempo integral em seus domicílios.

Imagens: Press Minho 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Mulher morre após bater a moto no meio-fio e ser arremessada, em Goiânia

A mulher foi arremessada com o forte impacto a metros do local, não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

Por Ton Paulo
07/12/2018, 09h22

Um trágico acidente culminou em uma vítima fatal na madrugada desta sexta-feira (7/12), na Avenida Perimetral Norte, em Goiânia. Uma mulher de 40 anos, após perder o controle da motociclista que conduzia, acabou batendo no meio-fio e sendo arremessada com forte impacto a metros do local. Ela não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

A vítima, Eronildes Pereira dos Santos Fernandes, conduzia uma Honda Biz pela Avenida Perimetral Norte, no Setor Cândida de Morais, em frente à Loja Big Lar, por volta de 0h40 quando, por motivo desconhecido, perdeu o controle da moto e chocou com o meio-fio. Com o impacto, Eronildes foi arremessada com violência nas proximidades de um poste de energia elétrica, indo a óbito no local.

Policiais da Delegacia de Crimes de Trânsito (DICT) estiveram no local, assim como da Polícia Técnico-Científica e do Instituto Médico Legal (IML), que retirou o corpo, levando-o para o instituto.

Testemunhas do acidente entraram em contato com familiares de Eronildes para informar sobre o trágico ocorrido.

Em outubro deste ano, um motociclista também veio a óbito depois de bater em meio-fio em Goiânia

Um caso semelhante ao da mulher que morreu após perder o controle da moto e bater em um meio-fio ocorreu no dia 7/10 deste ano.

Um motociclista de 49 anos morreu após bater contra o meio fio na Avenida Leste Oeste, no Parque Industrial João Braz, em Goiânia. Com impacto, o veículo ainda seguiu por mais três metros.

Niltecy Ribeiro da Silva perdeu o controle da direção do veículo por volta de 23h de domingo (7/10). Segundo a Delegacia de Investigação de Crimes de Trânsito, o local não tem iluminação e não foram encontradas câmeras de segurança nas proximidades que podem ajudar a identificar o que causou o acidente.

Familiares informaram à Polícia Civil que a vítima fazia consumo frequente de bebida alcoólica. Porém, a corporação não precisou se o motociclista havia bebido antes do acidente.

Via: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Bombeiros controlam incêndio em faculdade de Catalão; veja vídeo

Fogo começou em um carrinho de pipoca e se intensificou por conta de um botijão de gás de cozinha.
07/12/2018, 09h28

O Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO), na cidade de Catalão, a 256 quilômetros de Goiânia, foi acionado na noite da última quinta-feira (6/12) para controlar um incêndio no Centro de Ensino Superior de Catalão (Cesuc).

O CBMGO informou ao Portal Dia Online que na centro estava acontecendo um evento de uma escola, quando do lado de fora um carrinho de pipoca pegou fogo e atingiu o anfiteatro da Cesuc. Conforme a corporação um bombeiro que passava pela região viu as chamas e começou o combate com extintores de incêndio e depois acionou a corporação. Durante a operação para apagar as chamas, as pessoas que se encontravam no anfiteatro foram retiradas do edifício.

De acordo com as informações dos bombeiros, o fogo que começou no carrinho de pipoca se intensificou por conta de um botijão de gás de cozinha, que estava ao lado do carrinho. Além do carrinho de pipoca, o fogo atingiu também o anfiteatro da Cesuc, o teto da instituição que caiu durante o incêndio. Ainda conforme a corporação o responsável pelo carrinho perdeu os utensílios de cozinha, objetos e documentos pessoais no incêndio.

Bombeiros controlam incêndio em faculdade de Catalão
Foto: Divulgação

Feito o rescaldo e anfiteatro entregue aos responsáveis pelos Bombeiros em Catalão

Segundo informações dos bombeiros, o militar que passava pela região e presenciou o fogo conseguiu controlar o incêndio com os extintores da Cesuc. A equipe que foi ao local para dar apoio fez o rescaldo do anfiteatro e usou o equipamento moto ventilador para retirar o excesso de fumaça no local. Apesar do susto, não houve vítimas.

Portal Dia Online entrou em contato com a Cesuc, mas até a publicação desta matéria, as ligações não foram atendidas.

Bar e boliche é destruído por incêndio em Aparecida de Goiânia

No dia (29/10) os bombeiros atenderam uma ocorrência na cidade de Aparecida de Goiânia, região metropolitana da capital, onde um incêndio destruiu boa parte de um bar e boliche da cidade. O fogo só foi controlado pelo CBMGO, depois de mais de cinco horas de trabalho para apagar o fogo.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.