Goiás

Menina de 11 anos morre após levar tiro acidental na nuca, em Aparecida de Goiânia

Ainda não informações sobre um possível vínculo de parentesco entre a menina e o autor do tiro acidental, que está foragido e já teve o nome divulgado.

Por Ton Paulo
07/12/2018, 11h45

Uma menina de 11 anos morreu nesta sexta-feira (7/12), após ser baleada com um tiro na nuca, em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital. De acordo com a Polícia Civil, a principal suspeita é que o disparo tenha sido involuntário. Ainda não há informações sobre um possível vínculo de parentesco entre a menina e o autor do tiro acidental, que está foragido.

De acordo com o delegado Klayter Camilo, do Grupo de Investigação de Homicídio (GIH) de Aparecida de Goiânia, Patrick Suet, de 18 anos, teria disparado contra a menina de 11 anos, acertando-a na nuca. Ainda segundo Klayter, caso ocorreu por volta da 1h30 desta sexta-feira, em um ponto comercial localizado na Avenida das Nações, no Setor Vera Cruz, em Aparecida de Goiânia.

O delegado ainda disse, em entrevista ao Dia Online, que a “Delegacia está apurando detalhes do caso para entender o que realmente aconteceu”. Conforme disse o delegado, a principal suspeita é que o disparo tenha sido feita de maneira acidental.

“A criança morreu após ser atingida por um tiro na nuca, ao que parece, acidental. O socorro chegou a ser acionado, mas a menina morreu ainda no local do ocorrido”, conta

O caso ocorreu por volta de 1h desta sexta-feira, em um ponto comercial que fica na Avenida das Nações, no bairro Vera Cruz, em Aparecida de Goiânia.

O corpo da criança foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) da cidade.

Outra criança morreu após levar tiro acidental, em Carmo do Rio Verde

Em novembro deste ano, um menino de sete anos morreu após ser atingido na cabeça enquanto brincava com outras duas crianças, de 10 e 2 anos, com a arma do padrinho, na chácara da família em Carmo do Rio Verde.

A vítima foi socorrida, levada para Ceres e, depois, para o Hugol, em Goiânia, onde teve morte cerebral, segundo a família.

Conforme o delegado, ocorreria a festa de aniversário do dono da arma no local, naquele dia. Porém, quando o menino se feriu, não havia nenhum adulto por perto.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Economia

Nenhuma agenda nos próximos 12 meses tirará Previdência da pauta, diz Maia

Presidente da Câmara afirmou ainda que a defesa enfática da reforma da Previdência pode ter sido um dos motivos de ele ter "sofrido" para se reeleger.
07/12/2018, 13h13

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, fez enfática defesa da importância de se dar continuidade aos debates sobre a reforma da Previdência no Congresso. “Não haverá nenhuma outra agenda nos próximos 12 meses que possa superar, tirar da pauta, a reforma da Previdência. Nada do que a gente possa discutir aqui ou em qualquer ambiente pode superar o tamanho do problema previdenciário”, disse Maia, durante evento do setor de químicos organizado pela Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim), nesta sexta-feira, 7, em São Paulo.

Maia aproveitou a oportunidade para destacar as dificuldades enfrentadas pelo País, tanto na área econômica como política, e aproveitou para elogiar a atuação conjunta do Executivo e Judiciário na aprovação de reformas como a trabalhista e o teto dos gastos. “Muita coisa foi feita entre os poderes em temas que estavam travados há muitos anos”, afirmou.

Ele lembrou que muitos políticos e alguns opositores criticam o teto dos gastos, que seria uma forma de barrar os investimentos em saúde e educação. Segundo o presidente da Câmara, o que impede investimentos nestas áreas não é o teto dos gastos. “O problema de não termos investimentos em saúde e educação é porque o Brasil gasta em despesas obrigatórias quase todo o seu orçamento”, cravou.

Maia afirmou ainda que a defesa enfática da reforma da Previdência pode ter sido um dos motivos de ele ter “sofrido” para se reeleger a deputado federal.

Cemig

O presidente da Câmara dos Deputados defendeu também a importância para o setor sobre o projeto que permite financiamento barato para empresas que constroem gasodutos e exploram serviços de gás no País. Entretanto, a questão do perdão de dívidas da Cemig, “parte polêmica do projeto”, segundo Maia, não deve ser aprovada.

“O texto é importante para questão do gasoduto, mas a questão da Cemig é tema polêmico. Ou a Câmara pode retirar a questão da Cemig ou pode ter um compromisso com esse ou o próximo governo de veto a este ponto”, disse Maia, já na saída de evento promovido pela Abiquim.

Maia lembrou que o próximo governo é contra o perdão da dívida da Cemig. Segundo o deputado, a proposta pede que o governo devolva à Cemig recursos de usinas que a empresa nem tem mais. Maia disse que há espaço do projeto avançar ainda neste ano, ou retirando o ponto da Cemig ou com o compromisso de veto dos dois governos desta parte. “Mas a parte do gasoduto me parece interessante o Brasil, que está muito atrasado no setor.”

Segundo reportagem do jornal O Estado de S. Paulo da última terça-feira, a disputa pelos mais de R$ 100 bilhões que podem ser arrecadados com o megaleilão do pré-sal só aumenta e a partilha dos recursos está sendo usada como moeda de troca para que outras pautas polêmicas passem junto.

Na Câmara, o projeto que divide os recursos do Fundo Social do Pré-Sal com Estados e municípios foi usado para permitir o perdão a uma dívida bilionária da Cemig, além de financiamento barato para empresas que constroem gasodutos e exploram serviços de gás.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Homem tenta matar ex-namorada com chumbinho no leite, em Iporá

Casal terminou o relacionamento há um mês.
07/12/2018, 13h33

Um homem identificado como Eudes Rodrigues foi preso na noite da última quinta -feira (6/12) pela Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO), suspeito de tentar matar a ex-namorada envenenada com chumbinho em uma garrafa de leite, na cidade de Iporá, a 216 quilômetros de Goiânia.

A Polícia informou ao Portal Dia Online que foi chamada pela vítima depois de receber a garrafa de leite do ex-namorado. A mulher contou que havia terminado o relacionamento com Eudes há cerca de um mês que ele levou a garrafa de leite para ela na noite da última quinta-feira.

Homem tenta matar ex-namorada com chumbinho no leite, em Iporá
Foto: Reprodução

Conforme o relato aos PM’s, após receber o litro com leite, a vítima resolveu ferver e coar a bebida. No entanto, ao ferver o líquido e coar, a moça percebeu que havia chumbinho – veneno usado para matar ratos – no leite.

Suspeito de colocar chumbinho no leite é preso, em Israelândia

Ao ser informada sobre o caso, a polícia começou as buscas pelo ex-namorado da vítima na cidade de Iporá, mas só o encontraram Eudes na cidade vizinha Israelândia, a 189 quilômetros da capital.

A polícia informou que o suspeito, durante a prisão, confessou ter colocado o chumbinho no leite que deu para a ex-namorada. Com a confissão e as informações levantadas durante a ocorrência, Eudes foi preso em flagrante e vai responder pelo crime de tentativa de homicídio.

Em São Simão, homem foi preso ao tentar matar a mulher a facadas na frente dos filhos

Tony Joseph Silva Araújo, 25 anos, foi preso após tentar matar a mulher dele, Milena Aparecida de Oliveira Silva, de 20, na tarde da última quinta-feira (15/11), em São Simão, a 366 km de Goiânia.

Um vídeo divulgado nas redes sociais mostra o desespero da mulher após o marido esfaqueá-la pelo menos cinco vezes. No chão, Milena pede socorro e demonstra medo de morrer.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Assalto no Ceará deixa 12 mortos, sendo 6 reféns

Informações divulgadas pela imprensa local, apontam que cinco dos seis reféns mortos eram da mesma família.
07/12/2018, 14h15

Ao menos doze pessoas foram mortas em uma tentativa de assalto a dois bancos com reféns na madrugada desta sexta-feira, 7, em Milagres, na região do Cariri, no Ceará. Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS-CE), após um confronto com policiais, seis integrantes de uma quadrilha morreram.

Os outros mortos seriam pessoas que estavam em poder dos bandidos. Informações divulgadas pela imprensa local, apontam que cinco dos seis reféns mortos eram da mesma família – e que haveria duas crianças entre as vítimas.

A tentativa de assalto às agências do Banco do Brasil e do Bradesco aconteceu por volta das 2h30 desta sexta. Os criminosos estavam com reféns quando a polícia chegou. Testemunhas relatam que houve um intenso tiroteio. O grupo não conseguiu levar dinheiro.

Segundo a SSPDS-CE, ao menos duas pessoas suspeitas de participação no crime foram conduzidas para a delegacia local. Com elas, foram apreendidas uma pistola 9 milímetros, um revólver calibre 38, uma arma calibre 12 e explosivos.

Também foram identificados um carro e duas caminhonetes que teriam sido utilizadas na ação. Além disso, equipes da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) realizam trabalho de levantamento de vestígios nos locais.

Em entrevista à Globonews, o prefeito de Milagres, Lielson Landim, afirmou que duas crianças, de 10 e 13 anos, foram feitas reféns e morreram no tiroteio. A polícia ainda não conseguiu identificar todos os mortos no confronto – nem confirmar as informações.

O bando teria assaltado um caminhão no km 495 da BR-116, entre os municípios de Brejo Santo e Milagres. Teria também assaltado a família na estrada e, então, feito motorista e passageiros reféns, antes de entrar em Milagres para a tentativa de assalto.

Em nota oficial, a Prefeitura de Milagres anunciou a suspensão de serviços nas repartições públicas municipais e recomendou que os moradores não saiam de casa até que “a ordem seja restabelecida”.

O texto diz, ainda, que a Polícia Militar está com um “grande efetivo” em diligência no centro e em outras regiões do município em busca de envolvidos na tentativa de assalto.

‘Madrugada de terror’

O padre Ronaldo Oliveira, da paróquia Nossa Senhora dos Milagres, contou ao jornal O Povo, do Ceará, que acordou com os tiros e pensou se tratar de fogos de artifício. “Ouvi todos os tiros e não conseguia mais dormir. Acordei atordoado, pensando que eram fogos, ou alguém batendo no meu portão, algo assim. Depois percebi que era algo mais sério”, afirmou. “Precisei tomar remédio para dormir.” O religioso descreveu a cena como uma “madrugada de terror”.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Assaltante morre em troca de tiros com a PM durante assalto a joalheira, em Inhumas; veja vídeo

O trio de bandidos tentou assaltar um joalheria localizada no centro da cidade.

Por Ton Paulo
07/12/2018, 14h39

Um assaltante que integrava um trio de bandidos morreu numa troca de tiros com a Polícia Militar (PM) no começo da tarde desta sexta-feira (7/12), em Inhumas, a 50 quilômetros de Goiânia. O trio tentou assaltar um joalheria localizada no centro da cidade. Os outros dois foram capturados pelos policiais. O assalto a joalheria não chegou a se concretizar.

Segundo informações da Polícia Civil (PC), que também participou da ação de captura dos assaltantes, o trio armado tentou roubar a Joalheria Raísa, localizada na Rua Goiás, no centro da cidade de Inhumas, por volta de meio-dia.

Entretanto, o assalto foi frustrado pela chegada da polícia ao local. Os três homens, que ainda não tiveram os nomes divulgados, então, começaram a trocar tiros com os policiais. Um deles acabou sendo atingido pelos disparos, vindo a óbito no local.

Os outros dois, ainda segundo a PC, foram detidos e encaminhados para exames médicos. Eles serão conduzidos para a delegacia da cidade.

Veja o vídeo do momento da troca de tiros:

Crédito do vídeo: Bill Guerra

Autores de outro assalto a joalheria foram presos em setembro deste ano

Em setembro desta ano, a PC cumpriu mandados de prisão temporária e preventiva contra os autores do roubo a uma joalheria no Goiânia Shopping, ocorrida em julho deste ano. A operação foi realizada pela Grupo de Repressão a Roubos da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (GARRA/DEIC).

De acordo com a polícia, o crime foi premeditado e as joias roubadas foram trocadas por armas de fogo, como pistolas com rajada, fuzil e metralhadora.

Depois do crime, os suspeitos teriam se encontrado em Abadia de Goiás para dividir os frutos do roubados. Carlos Antônio Laer então fugiu para a cidade de Campos Belos, onde foi preso no último dia 20/9.  Lá, ele atuava no tráfico de drogas.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.