Goiás

Médium João de Deus é acusado de abuso sexual

Além de abusar sexualmente das pacientes, o médium as ameaçava para que ficassem caladas.
08/12/2018, 17h22

O programa Conversa com Bial, da TV Globo, entrevistou quatro mulheres no programa que foi ao ar na noite da última sexta-feira (7/12) que afirmaram terem sido abusadas sexualmente pelo mundialmente famoso médium goiano João de Deus.

Os abusos teria ocorrido entre 2013 e 2017, no local onde o médium realiza suas famosas ‘cirurgias espirituais’, a Casa Dom Inácio de Loyola, na cidade de Abadiânia, interior de Goiás. O programa, que foi ao ar na noite de sexta-feira, diz ter colhido depoimentos de dez mulheres com relatos semelhantes.

As mulheres contaram ao jornalista e apresentador Pedro Bial que os abusos cometidos por João de Deus aconteciam numa linha padrão. O médium, segundo elas, atendia as mulheres em público e depois pedia que elas o encontrassem, sozinhas, em seu escritório, para que ele incorporasse uma entidade e terminasse o procedimento.

Os abusos sexuais ocorriam, de acordo com os relatos, dentro da sala dele. Algumas dizem ter sido levadas a um banheiro dentro do cômodo. Elas afirmam que João de Deus lhes pedia segredo sobre as supostas “práticas espirituais”.

Além do programa entrevista com Bial exibido na última sexta-feira, uma reportagem do jornal O Globo que investigou as denúncias e ouviu quatro mulheres das 12 que afirmaram terem sido abusadas pelo médium João de Deus.

Uma holandesa teve coragem de mostrar o rosto e afirmou ter sido penetrada pelo médium João de Deus

Entre as mulheres que foram ouvidas pela reportagem esta a holandesa, Zahira Leeneke Maus, que recentemente usou o seu perfil no Facebook para relatar que foi abusada sexualmente pelo médium.

No relato de Zahira ela conta que conheceu João de Deus, através de um amigo que lhe falou sobre o médium. A holandesa então procurou por ele mais de uma vez para buscar pela espiritualidade e a cura de um trauma sexual.

A holandesa relata que em uma oportunidade, em que esteve na cidade de Abadiânia com o médium, ela foi convidada para uma consulta particular, e levada até um banheiro na sala dele, momento em que João de Deus se posicionou atrás dela.

“Ele pegou a minha mão e colocou por trás de mim na calça dele, fique me perguntando o que está acontecendo aqui, por que tenho que tocar no seu pênis para ser curada? Em seguida, ele começou a movimenta a minha mão no pênis dele, eu estava em choque” conta Zahira.

A holandesa afirma que durante o ato o médium disse que ela deveria sorrir, se sentir feliz por estar ali naquele momento. “Ele estava se limpando e fechando as calças de novo, me levou para outro escritório, me colocou em um sofá e abriu um armário cheio de pedras preciosas e disse que eu poderia escolher qualquer uma, como se fosse uma espécie de pagamento”, conta.

A coach espiritual e autora Amy Biank, afirmou durante a entrevista que levava várias pessoas para a Casa Dom Inácio de Loyola desde 2002, e disse que as pessoas que trabalhavam com médium tinham conhecimento da prática. A escritora confessou que em uma oportunidade ouviu o grito de uma mulher, enquanto João de Deus tentava obrigar ela a fazer sexo oral nele e mandou a escritora ficar calada.

Depois das denúncias irem ao ar na última sexta-feira (7/12) o médium por meio da assessoria de imprensa respondeu em nota que trabalha há 44 anos atendendo milhares de pessoas na cidade e nega todas as acusações feitas contra ele.

Confira a nota enviada ao programa

“Há 44 anos, João de Deus atende milhares de pessoas em Abadiânia, praticando o bem por meio de tratamentos espirituais. Apesar de não ter sido informado dos detalhes da reportagem, ele rechaça veementemente qualquer prática imprópria em seus atendimentos”.

Via: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Cubanas pedem ajuda à OAB para conseguir refúgio no Brasil

Médicas são consideradas desertoras por não cumprirem a convocação de Cuba para retornar à ilha.
09/12/2018, 10h28

Quatro médicas que atendiam a população de Nova Odessa (SP) pelo programa Mais Médicos protocolaram na quinta-feira pedidos de refúgio no Brasil. As profissionais não cumpriram a convocação de Cuba para retornar à ilha e, lá, são consideradas desertoras.

Segundo o presidente da subsecção local da Ordem dos Advogados do Brasil, sem apoio das prefeituras onde trabalharam, esses médicos estão batendo às portas da OAB para pedir ajuda. “Algumas cidades fizeram jantares de despedida para os cubanos, disseram que iam apoiar, mas viraram as costas para aqueles que ficaram aqui. Mesmo os que constituíram família não podem exercer a profissão porque não estão sendo readmitidos no Mais Médicos e não têm sequer Carteira de Trabalho para tentar outro ofício”, disse Alessandre Pimentel.

Cubanas decidiram ficar no Brasil

Das oito cubanas que atendiam nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) de Nova Odessa, cinco decidiram ficar no País, mas só uma se casou e regularizou a situação de permanência. Para não serem consideradas clandestinas, a OAB encaminhou os pedidos de refúgio das outras quatro à Polícia Federal, em Piracicaba (SP). “Se forem para Cuba, vão sofrer retaliações. Há orientação do governo cubano de que o médico chamado de volta que não atende à convocação fica oito anos proibido de entrar em Cuba. As autoridades cubanas consideram-nos desertores.”

A cubana Liseti Aguilera, uma das solicitantes, disse que quer revalidar o diploma de médica obtido em Cuba e trabalhar em atenção básica no País. “Vim com a maior boa vontade e encontrei um povo amigo. Quero muito ficar, mas preciso de trabalho até poder fazer a prova.” Suleidys Gonzales, outra cubana, disse que não vai voltar à ilha pela ligação com os pacientes que atendeu em Nova Odessa. “Somos quase como família.”

Em nota, a prefeitura de Nova Odessa informa ter providenciado transporte e acompanhado as cinco médicas que foram requerer a Carteira de Trabalho anteontem. O prefeito Benjamin Vieira (PSDB), diz o texto, entrou em contato com o Ministério das Relações Exteriores para discutir o caso.

Pelo Estado. Em outras cidades, cubanos que se casaram e decidiram ficar no País também enfrentam problemas. “Estamos sendo discriminados, pois saiu edital (para suprir o quadro do Mais Médicos) para os que já têm o CRM (registro no Conselho Regional de Medicina) e outro para formados no exterior. Estão dando prioridade para brasileiros que se formaram no exterior e excluindo a nós, cubanos, que já estávamos trabalhando há três anos, sem reclamação de ninguém”, disse a cubana Lissete Quiñonez, de São Miguel Arcanjo (SP). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Imagens: Dom Total 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Após denúncias de abuso sexual, Polícia Civil de Goiás investiga médium João de Deus

Relatos vieram à tona na última sexta-feira (7/12), no programa Conversa com Bial, da TV Globo.
09/12/2018, 13h10

Depois que 12 mulheres denunciaram abusos sexuais praticados pelo médium João de Deus, a Polícia Civil de Goiás abriu uma investigação para apurar os relatos, além de crimes como exercício ilegal de medicina e estelionato. O Serviço de Inteligência fará um levantamento de todos esses casos, denunciados nos anos 1970, que foram arquivados pelo regime militar.

Os investigadores esperam ainda chegar a possíveis vítimas de abuso sexual que ainda não registraram ocorrência ou deram depoimentos à polícia. O levantamento, de acordo com o delegado-geral da Polícia Civil de Goiás, André Fernandes, começou em outubro deste ano quando a Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic) recebeu as denúncias.

“Nós recebemos essa denúncia no final do mês de outubro. Esse inquérito já está instaurado com toda atenção devido à complexidade os fatos. Todas as senhoras que estão denunciando serão ouvidas pela Polícia Civil para que possamos buscar as provas necessárias para investigar com imparcialidade e com eficiência”, explicou o delegado-geral ao Dia Online.

Mulheres denunciam médium João de Deus

As denúncias de abuso sexual vieram à tona na última sexta-feira (7/12), no programa Conversa com Bial, da TV Globo. As vítimas relataram que as agressões ocorreram na Casa Dom Inácio, em Abadiânia, interior de Goiás, onde o médium, famoso no mundo inteiro, atende milhares de pessoas que buscam curas espirituais.

As mulheres contaram ao jornalista e apresentador Pedro Bial que os abusos cometidos por João de Deus aconteciam numa linha padrão. O médium, segundo elas, atendia as mulheres em público e depois pedia que elas o encontrassem, sozinhas, em seu escritório, para que ele incorporasse uma entidade e terminasse o procedimento.

Os abusos sexuais ocorriam, de acordo com os relatos, dentro da sala dele. Algumas dizem ter sido levadas a um banheiro dentro do cômodo. Elas afirmam que João de Deus lhes pedia segredo sobre as supostas “práticas espirituais”. Após os relatos em rede nacional, outras duas possíveis vítimas procuram a imprensa local para denunciar agressões ocorridas com o mesmo padrão na ‘Casa’.

O que diz João de Deus

Por meio de nota, a assessoria do médium João de Deus afirma que “há 44 anos, João de Deus atende milhares de pessoas em Abadiânia, praticando o bem por meio de tratamentos espirituais. Apesar de não ter sido informado dos detalhes da reportagem [veiculada no programa Conversa com Bial], ele rechaça veementemente qualquer prática imprópria em seus atendimentos”.

Imagens: Revista Factual 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Saúde

Usuários do IMAS Goiânia podem acessar serviços do plano por aplicativo 

Ferramenta é gratuita e pode ser baixada, a partir de janeiro, pelo Google Play.
09/12/2018, 15h33

Instituto de Assistência a Saúde e Social dos Servidores Municipais de Goiânia (Imas) lançou um aplicativo por onde os usuários podem consultar lista de médicos, clínicas e hospitais credenciados de acordo com especialidade desejada e que estejam mais próximos da sua casa ou local de trabalho. A ferramenta é gratuita e pode ser baixada, a partir de janeiro, pela loja virtual do sistema android, o Google Play.

De acordo com a Prefeitura de Goiânia, o app é atualizado diariamente para oferecer informações com mais precisão. O objetivo é facilitar a vida do usuário, que de agora terão as informações sobre o plano 24 horas por dia, afirma o diretor administrativo e financeiro do IMAS, Marcos 3M.

Segundo levantamento do município, “o IMAS é o 3º maior plano de saúde do estado de Goiás e conta com cerca de 81 mil associados, sendo 34 mil titulares, 40,6 mil dependentes naturais e 6,5 mil agregados. A rede de credenciados do instituto é formada por 512 profissionais médicos e 326 estabelecimentos de saúde que atendem com todo o corpo clínico em diversas especialidades.”

Serviços disponíveis pelo app do IMAS

Após baixar o Imas Prefeitura de Goiânia, o usuário terá acesso à lista de prestadores que atendem em caráter de urgência, hospitais, médicos, clínicas e laboratórios credenciados pelo plano de saúde municipal. Por meio do aplicativo o usuário pode conferir ainda o telefone e localização do prestador, inclusive informações da rota para se chegar ao consultório ou hospital escolhido.

A lista de unidades de saúde credenciadas aparecerão sempre de acordo com a localização do interessado, ou seja, mostrará o local mais próximo do usuário. A ferramenta disponibiliza também, na área exclusiva para associados do plano, extratos de consultas e exames realizados num determinado período e aos valores que serão debitados na sua folha. Segundo o município, as informações estão disponíveis tanto para o titular quanto para os seus dependentes.

Imagens: Trocafone 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Esportes

Burocrático, Real Madrid joga mal, sofre pressão, mas vence lanterna do Espanhol

Pouco criativo, com falhas na marcação e, por vezes, preguiçoso, o Real Madrid precisou contar com a sorte para sair de campo vencedor.
09/12/2018, 16h44

Uma atuação pouco inspirada, apática e burocrática foi suficiente para o Real Madrid derrotar o Huesca, lanterna do Campeonato Espanhol, por 1 a 0, neste domingo, no estádio El Alcoraz, casa do rival, em duelo da 15ª rodada da competição.

O triunfo, o segundo seguido no torneio, eleva o Real à quarta posição, com 26 pontos somados, dois a menos que o Atlético de Madrid, que aparece logo à frente. Apesar do bom futebol, o Huesca permanece afundado na lanterna, com apenas sete pontos ganhos, a sete do Villarreal, primeiro time fora da zona de rebaixamento, e chegou à marca negativa de 14 jogos sem vencer. O único triunfo aconteceu na rodada inaugural da competição, há quase quatro meses.

Real Madrid não atuou com criatividade

Pouco criativo, com falhas na marcação e, por vezes, preguiçoso, o Real Madrid precisou contar com a sorte para sair de campo vencedor. Os donos da casa, surpreendentemente, sufocaram o time merengue, especialmente no segundo tempo, mas não aproveitaram uma das várias chances criadas.

O time de Santiago Solari foi superior apenas nos primeiros 15 minutos de jogos. Foi neste período, exatamente aos sete minutos, que a equipe de Madri fez o gol que garantiu o triunfo. Bale aproveitou cruzamento de Odriozola da direita e bateu com o lado do pé esquerdo para marcar.

O gol encerrou um jejum longo do galês, que ficou pouco mais de 800 minutos sem balançar as redes em um período de 100 dias, ou dez partidas. O goleiro Courtois também se destacou ao fechar o gol e ser peça fundamental para garantir o resultado positivo em Huesca. A intervenção no chute de Ferreiro, no começo do segundo tempo, foi a defesa mais impressionante do goleiro na partida.

Já classificado às oitavas de final da Liga dos Campeões, o Real Madrid entra em campo pela rodada final da primeira fase do principal torneio de clubes do mundo na próxima quarta-feira, quando encara o CSKA Moscou, em casa, no Santiago Bernabéu. O time merengue precisa de um empate para se garantir na liderança do grupo, sem precisar torcer por um tropeço da Roma.

Imagens: UOL 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.