Brasil

Estudante goiana tem prisão preventiva decretada após abandonar recém-nascido no Paraguai

Família da jovem é de Goiás e informou ao MP do Paraguai que a jovem esta com transtornos psicológicos.
12/12/2018, 10h58

A estudante de medicina Maria Angelica Pereira Galdino, de 22 anos, teve a prisão preventiva decretada pelo Ministério Público do Paraguai, depois de abandonar o filho recém-nascido de apenas seis dias, em uma rua da cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero, que faz divisa com Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul. As informações foram publicadas pelo G1.

De acordo com a matéria, o MP paraguaio informou que uma família encontrou a criança na rua e avisou ao Ministério Público. O órgão iniciou as investigações e descobriu que a estudante brasileira de medicina tinha abandonado o bebê.

Conforme a publicação, Maria Angelica se arrependeu e avisou a família que mora em Goiás sobre o caso. Segundo as informações publicadas, a mãe e os irmãos da jovem foram para o Paraguai e entraram em contato com o MP, informando o arrependimento da universitária e que a mesma está internada em um hospital com transtornos psicológicos e que vai se apresentar assim que receber alta.

A guarda da criança está provisoriamente com uma família paraguaia, e caso a mãe queira o bebê de volta vai ser preciso acionar a justiça do país por meio do Consulado Brasileiro.

Recém-nascido é abandonado em Aparecida de Goiânia

No último sábado (8/12) uma equipe da Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO) encontrou um recém-nascido dentro de uma caixa de papelão, em um matagal no Setor Papilon Park, em Aparecida de Goiânia, na região metropolitana da capital.

A criança que é do sexo masculino foi encontrada pela equipe do Sargento Adelson, e segundo a polícia o menino estava dentro de uma caixa de papelão, enrolado em uma toalha.

O sargento explicou que o recém-nascido estava com muito sangue no cordão umbilical, indicando que a criança tinha nascido há pouco tempo. Os policiais chamaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgências (Samu) que prestaram os primeiros atendimentos ao bebê no local.

Os policiais militares e socorristas do Samu, deram o nome de Samuel para criança. O recém-nascido foi levado pelo Samu para a Maternidade Marlene Teixeira, em Aparecida de Goiânia.

Via: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Prefeitos participam de Fórum da FGM para receber auxilio na gestão dos municípios

Essa é a segunda vez que os prefeitos participam do Fórum.
12/12/2018, 11h24

O segundo Fórum Goiano de Gestores Municipais (FGM) acontece nesta quarta-feira, (12/12), às 13h no espaço de eventos Master Hall. O objetivo do fórum é fomentar e auxiliar os prefeitos, prefeitas e gestores sobre as diferentes áreas que são necessárias para gerir as cidades. O evento tem como tema os “Desafios e Perspectivas frente às Administrações Municipais”.

A Federação Goiana de Municípios (FGM), está realizando o evento em parceria com a Confederação Nacional de Municípios (CNM), e com apoio institucional do Sebrae.

De acordo com o presidente da FGM, Haroldo Naves, o evento vai propor medidas para que os municípios possam ter excelência na gestão e na prestação de serviços públicos. “Queremos fortalecer mais a gestão municipal estamos com a segunda edição do Fórum. O intuito da Federação é oferecer capacitação e informações de qualidade, para que os gestores possam aplicar e desenvolver políticas públicas integradoras e que saibam enfrentar os problemas da administração municipal”, diz.

O Fórum contará com palestras que auxiliam os Municípios, em diversos seguimentos da gestão pública, como o turismo e empreendedorismo na administração municipal e um debate sobre a judicialização da saúde.

Participara do Fórum o Desembargador Dr. MartinSchulze do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, o Dr. Liciomar Fernandes da Silva do Tribunal de Justiça de Goiás, o Dr. José Goudinho Filho, Juiz de Direito Justiça Federal em Goiás, o Dr. Benedito, Procurador Geral de Justiça, e Rodrigo Scholler, Promotor de Justiça do Ministério Público do RS.

Confira a programação do evento da FGM:

13:00 Credenciamento

13:30 Abertura Oficial

14: 00 O Turismo como vetor de desenvolvimento municipal – Captação deInvestimentos e Financiamentos – CNM e Ministério do Turismo.

15:40 O Empreendedorismo na Gestão Pública Municipal – Dr. Luiz Barreto Filho

16:30 Coffe Breack

17:00 Judicialização da Saúde – A intersetorialidade como forma de qualificar asdemandas judiciais da saúde – Mediador: Glademir Aroldi, presidente da ConfederaçãoNacional de Municípios – CNM. Coordenador da Mesa: Haroldo Naves, Presidente da FGM e vice-presidente da CNM

19:00 Solenidade – Entrega de Comendas da Ordem ao Mérito Municipalista aautoridades dos Governos Federal e Estadual;

20:00 Jantar de confraternização

Informações:

Local: Master Hall

Data: 12/12/2018

Horário: 13:00

Realização: FGM

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Médium João de Deus trava briga na Justiça por imóvel em Abadiânia

O médium, alvo recente de inúmeras acusações de abuso sexual, briga na Justiça pelo imóvel desde 2016.

Por Ton Paulo
12/12/2018, 11h26

O médium João Teixeira de Faria, mais conhecido como João de Deus, alvo recente de centenas de denúncias de abusos sexuais não só de mulheres em Goiás, mas também de outros estados e outros países, briga na Justiça pela posse oficial de um imóvel desde o ano de 2016. O médium, famoso pelos seus atendimentos espirituais na Casa Dom Inácio de Loyola, entrou, no ano em questão, com uma ação de adjudicação contra Marlene Veloso Vieira pela posse de uma imóvel em Abadiânia.

Segundo consta nos autos, João de Deus entrou com uma Ação de Adjudicação Compulsória (voltada a executar a transferência obrigatória de um bem imóvel, desde que cumpridas certas condições), proveniente de uma herança do espólio de Marlene Veloso Vieira e Edson Veloso Vieira.

No processo, consta que João teria pago o valor de R$ 20 mil reais por um imóvel aos herdeiros do bem no Loteamento Continuação de Lindo Horizonte, em Abadiânia de Goiás, mas não conseguiu fazer o registro do bem em questão.

De acordo com uma advogada consultada pela reportagem do Dia Online, que analisou o processo, a briga de João de Deus é pelo registro do imóvel que já teria sido pago. “Como o inventário ainda está pendente, não houve lavratura de escritura definitiva. Então ele entrou com essa ação requerendo adjudicação compulsória para poder regularizar a escritura do imóvel”, esclarece a advogada.

Imóvel adquirido por João de Deus seria para centro de apoio a idosos

O processo teve início em 5 de agosto de 2016, e até o momento, não teve sentença. Houve, inclusive, decisão declinando de competência jurídica sobre o processo, uma vez que o médium ingressou com a ação em Anápolis, mas a comarca competente seria em Abadiânia de Goiás. “No dia 12 de setembro [deste ano] esse processo foi encaminhado para Abadiânia, pois é o juiz de Abadiânia competente para julgar o processo”.

De acordo o processo, João de Deus reivindica, através de Escritura Pública de Cessão de Direitos Hereditários, a posse do imóvel para instalação de um centro de apoio e atendimento para idosos em situação frágil.

Um a vez que o imóvel se encontrava em estado deteriorado, foi pago o valor de R$ 20 mil para que ele pudesse fazer os devidos reparos.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Política

Doria diz a Moro que estados precisam de recursos para a segurança

Na abertura havia 16 governadores.
12/12/2018, 11h44

Dirigindo-se ao futuro ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, em Brasília, o governador eleito de São Paulo, João Doria (PSDB), disse hoje (12), que o governo federal terá de destinar recursos para os estados organizarem a segurança pública. Doria participa do Fórum de Governadores. Todos os estados estarão representados no encontro, mas na abertura havia 16 governadores.

“O objetivo é também definir recursos. Não há como imaginar que os governos estaduais, que vivem situações difíceis, terão esses recursos para organizar a segurança pública, o sistema prisional e o controle de fronteiras”, afirmou Doria.

A afirmação foi feita na abertura do Fórum de Governadores, com a presença de Moro, dos presidentes do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, do Superior Tribunal de Justiça (STF), João Otávio de Noronha, e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Cláudio Lamachia.

Os governadores pretendem aprofundar o debate da segurança pública com foco na proteção das fronteiras e no sistema prisional. “O Brasil não produz drogas, mas pelas fronteiras passam toneladas de drogas”, disse Doria.

Segundo o governador reeleito do Piauí, Wellington Dias (PT), já há uma proposta de segurança pública, aprovada no ano passado pelos atuais governadores, que inclui a proteção das fronteiras, com barreiras tecnológicas (por meio de satélites) e presencial (com policiais qualificados). No sistema prisional, a ideia é, além de investimento na estrutura, priorizar a ressocialização.

Tema

Segurança pública será o tema central da segunda reunião dos governadores eleitos e reeleitos, que ocorre hoje (12) em Brasília, na sede do Conselho Nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Até ontem (11) à noite, 25 governadores e um vice-governador haviam confirmado presença.

O encontro é organizado pelos governadores eleitos do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), e de São Paulo, João Doria (PSDB).

Na última reunião, em novembro, os governadores combinaram que levariam para debate temas consensuais. Foram definidos 13 assuntos prioritários dos estados. Algumas propostas, como as reformas da Previdência, administrativa e tributária, são listadas como necessárias, mas os governadores não têm posição conjunta sobre quais pontos devem ser aprovados.

Imagens: Agência Brasil 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Catedral de Campinas recebe flores em homenagem a vítimas de atirador

A igreja deve ser reaberta no início da tarde para a celebração da primeira missa desde o ataque.
12/12/2018, 12h00

A Catedral Metropolitana de Campinas permaneceu fechada na manhã de hoje (12), após a tragédia envolvendo Euler Grandolpho, de 49 anos, que entrou ontem na igreja e matou quatro pessoas a tiros, antes de tirar a própria vida. Ainda não foram esclarecidas as razões do ataque. Foram colocadas flores em homenagem aos mortos no portão principal da catedral.

A igreja deve ser reaberta no início da tarde para a celebração da primeira missa desde o ataque.

Na Praça José Bonifácio, em frente ao templo, um grupo de curiosos e jornalistas se aglomeram no local. Uma viatura da Guarda Civil Metropolitana está próxima à escadaria da catedral. O caso virou destaque na imprensa internacional.

No centro de Campinas, no entanto, o comércio funciona normalmente, sem sinais da tragédia do dia anterior. O prefeito Jonas Donizette (PSB) decretou ainda ontem luto oficial de três dias. A expectativa é que os velórios das vítimas ocorram a partir desta quarta-feira (12).

O atentado

Registros das câmeras de segurança da Central de Monitoramento de Campinas (CinCamp) mostram o momento em que o agressor se levanta de um dos bancos, nas últimas fileiras da igreja, vira-se em direção às pessoas e começa a atirar. Em seguida, dois agentes da Guarda Municipal entram na igreja e perseguem o atirador. As imagens não mostram o que ocorre depois deste momento.

A identidade das vítimas do atirador foi confirmada: Sidnei Vitor Monteiro, José Eudes Gonzaga, Cristofer Gonçalves dos Santos e Elpídio Alves Coutinho foram mortos dentro da igreja.

Euler Fernando Grandolpho, de 49 anos, autor dos disparos, tirou a própria vida depois de balear os fiéis que estavam rezando.

Imagens: Agência Brasil 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.