Goiás

Medicamentos de alto custo deverão ser distribuídos gratuitamente pela Prefeitura de Goiânia

Remédios deverão ser repassados conforme a quantidade receitada pelo médico.
13/12/2018, 11h53

A Câmara Municipal de Goiânia aprovou em segunda votação durante a sessão da última quarta-feira (12/12), o projeto da vereadora Cristina Lopes (PSDB) que permite a distribuição gratuita de medicamentos de alto custo pelo poder público da capital, de acordo com a prescrição e quantidade receitada pelo médico.

A vereadora lembrou durante a apresentação da proposta que o atendimento a saúde é um direito básico garantido pela Constituição Federal Brasileira data de 1988. A vereadora afirmou que levou em consideração para o projeto a questão dos remédios ser de alta complexidade, e que os mesmos são de alto custo.

Ás vezes a pessoa precisa tomar quatros comprimidos, mas na caixa vem 30, então estou propondo um fracionamento para que o medicamento seja ofertado de acordo com a quantidade receitada pelo médico”, afirmou.

O projeto da doutora Cristina prevê que esses medicamentos sejam fornecidos de maneira ininterrupta pela Prefeitura. Desta forma, a proposta coloca que seja feita a dispensa do processo licitatório, em caso da falta do medicamento, para que os remédios sejam adquiridos, e para que a distribuição não seja interrompida.

Projeto da doutora Cristina prevê que medicamentos sejam distribuídos de acordo com a quantidade da receitada

Para a vereadora é importante que essa distribuição seja feita conforme a receita médica, ou seja se “são quatro comprimidos, então vão ser quatro compridos, se são oito, então serão oito medicamentos para serem repassados aos pacientes, pois as vezes o paciente recebe 30 compridos na caixa e não usa nem metade disso”.

De acordo com a autora do projeto, outros estados do país fazem o uso da medida e que é importante que Goiás também tenha um projeto como este. “Isso é gasto público e se a gente não fizer dessa maneira, é dinheiro sendo jogado na lata do lixo”, conclui.

Com a aprovação do projeto em segunda votação na casa, a proposta agora vai para o Paço Municipal, onde poderá ser vetado ou sancionado pelo Prefeito Iris Rezende (MDB).

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Batizada de Páginas da Vida, operação da PC prende donos de papelarias acusados de vender cadernos roubados

Dos sete que vendiam cadernos roubados, segundo a PC, quatro são proprietários de papelarias.

Por Ton Paulo
13/12/2018, 12h11

A Polícia Civil de Goiás (PC) deflagrou na manhã desta quinta-feira (13/12) uma operação que prendeu sete pessoas acusadas de vender cadernos de um carregamento roubado em Anápolis, distribuindo os produtos frutos de roubo em várias papelarias da região metropolitana de Goiânia. Dos sete que vendiam cadernos roubados, segundo a PC, quatro são proprietários de papelarias. A operação foi batizada pela polícia de Páginas da Vida, e será apresentada hoje, em coletiva.

A operação foi realizada pela Polícia Civil através da Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Cargas (DECAR), e as investigações tiveram início no mês de outubro, quando um carregamento de cadernos foi roubado no município de Anápolis, a 50 quilômetros de Goiânia. Anda não há informações do valor do carregamento, mas trata-se de uma enorme quantidade cadernos.

Tendo os levantamentos investigativos iniciais apontado que as mercadorias seriam comercializadas em papelarias da região metropolitana de Goiânia, as equipes policiais começaram a realizar o mapeamento de vários comércios que, possivelmente, teriam recebido parte do carregamento roubado, todos localizados em municípios próximos a Goiânia, como Anápolis.

Papelarias que revendiam os cadernos roubados serão fechadas

De acordo com a Polícia Civil, inúmeros outros elementos foram anexados às investigações da Operação Páginas da Vida, e a conclusão apontou os sete autuados como envolvidos no esquema criminoso, de onde quatro deles são empresários do ramo de papelarias.

Batizada de Páginas da Vida, operação da PC prende donos de papelarias acusados de vender cadernos roubados
Foto: Polícia Civil

Ainda segundo a PC, com as prisões realizadas hoje, quinta-feira, foi possível identificar os demais integrantes da organização criminosa, os quais terão suas prisões preventivas solicitadas, e os comércios terão seus fechamentos pleiteados judicialmente.

Mais da metade do carregamento foi recuperado e serão restituídos às vítimas.

O caso completo com detalhes será apresentado pela PC na tarde desta quinta-feira.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Ex-marido de vereadora de Bom Jesus assassinada é preso suspeito de ser mandante do crime

Ex-marido ofereceu R$ 50 mil reais para os assassinos.
13/12/2018, 12h51

A Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) cumpriu na manhã desta quinta-feira (13/12) mandados de prisão preventiva contra dois suspeitos de participarem da morte da vereadora de Bom Jesus de Goiás, Roseli Aparecida de Oliveira Rocha, conhecida como Roseli da Academia (DEM), de 55 anos, assassinada no último dia (2/12).

Um dos mandados foi cumprido contra o ex-marido da vereadora, o empresário Vilmar Rodrigues da Rocha, de 57 anos, que seria o mandante do crime. O outro mandado foi em desfavor de Joaquim dos Santos, de 60 anos, que contratou o próprio filho Natanael para participar do crime.

Vereadora de Bom Jesus é encontrada morta depois de sequestro

No dia 2 de dezembro de 2018 a vereadora estava em casa, e quando o filho chegava a residência dois homens aproveitaram o momento que o portão foi aberto para anunciar o assalto. Os dois homens então levaram o carro da família um Hyndai HB 20 e Roseli com eles.

O carro foi encontrado na manhã de segunda-feira (3/12) pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) depois de sofrer um acidente sobre o Rio Meia Ponte na BR 452 próximo a Itumbiara. Os policiais encontraram o veículo com vereadora e Roseli morta com perfurações de arma de fogo.

Ex-marido de vereadora de Bom Jesus assassinada é preso suspeito de ser mandante do crime
Foto: Divulgação

Nas buscas pela região do acidente, os policiais encontraram Natanael Cardoso dos Santos, de 22 anos, e Gilberto Alves da Silva de 26 que foram presos e levados para a delegacia de Bom Jesus. Na unidade prisional os dois confessaram o crime e afirmaram que saíram de Itumbiara apenas para roubar o veículo.

Os suspeitos confessaram também que atiraram contra a vereadora. O que a princípio era tratado como latrocínio – roubo seguido de morte. No entanto, durante as investigações o delegado Rogério Moreira, depois de ouvir as testemunhas descobriu que o ex-marido de Roseli poderia ser o mandante do crime, por uma briga entre eles sobre a divisão dos bens, com o ex da vereadora tendo ameaçado ela de morte em outras oportunidades.

Em posse das informações, o delegado pediu a prisão preventiva do empresário Vilmar Rodrigues da Rocha, que foi cumprida na manhã desta quinta-feira. Além do empresário também foi preso preventivamente o agenciador Joaquim dos Santos, que contratou os suspeitos de matarem a vereadora.

Suspeito confessa participação no assassinato da vereadora de Bom Jesus

O delegado do caso Rogério Moreira, Joaquim na manhã desta quinta-feira, e em um vídeo gravado, o agenciador confirmou a participação dele no crime. No vídeo ele informa que foi procurado pelo empresário, para executar a esposa, e que receberia R$ 50 mil reais pelo serviço.

Depois do assassinato da vereadora Roseli da Academia, Joaquim afirmou ter recebido cerca de R$ 20 mil reais das mãos de Vilmar e que com o dinheiro tinha comprado várias coisas inclusive uma moto.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Economia

Após renegociação com Banco do Brasil, espanhola Mapfre renova gestão no País

O novo comando da Mapfre no Brasil, que ainda dependente de aprovações legais, terá início em 1º de janeiro de 2019.
13/12/2018, 14h15

Depois de concluir a reestruturação da sociedade com o Banco do Brasil, a seguradora espanhola Mapfre anunciou nesta quinta-feira, 13, mudanças na alta cúpula da sua filial brasileira. Dando sequência ao movimento já feito nos últimos meses, indicou o espanhol Fernando Pérez-Serrabona como novo CEO da companhia substituindo o brasileiro Wilson Toneto.

O novo comando da Mapfre no Brasil, que ainda dependente de aprovações legais, terá início em 1º de janeiro de 2019. A mudança foi anunciada juntamente com outras danças de cadeiras divulgadas pela companhia.

Formado em Ciências Econômicas e Empresarias pela Universidad Complutense, de Madri, e em Direito, pela UNED – ambas na Espanha -, Serrabona ingressou na Mapfre em 1989, atuou nas áreas de seguros e serviços financeiros, foi chefe da Área Internacional e diretor geral das Américas da Mapfre Garantias e Crédito. Desde 2013, era diretor geral para Espanha e América Latina da Solunion, empresa de seguro de garantia e crédito do grupo.

Depois 31 anos de Mapfre, dos quais sete como CEO, Toneto deixa a empresa para se dedicar a outros projetos profissionais e pessoais.

No final do mês passado, a seguradora espanhola e o Banco do Brasil, por meio da sua holding de seguros, a BB Seguridade, concluíram a revisão da parceria que possuem. A Mapfre desembolsou R$ 2,27 bilhões para recomprar 100% dos negócios gerados pela Rede de Corretores e Affinities e toda a operação de Automóvel e Grandes Riscos.

Conforme o acordo final, BB Seguridade e Mapfre permanecerão sócias no canal de distribuição do banco nos negócios de Vida, Prestamista, Habitacional, Rural e Massificados, até 2031.

Antes da conclusão do negócio, a Mapfre foi arrumando a casa no Brasil para enfrentar a nova fase. Ainda em 2017, desligou executivos com cerca de duas décadas de carreira na instituição. No lugar, trouxe espanhóis e expatriados, numa sinalização clara de que a operação carecia de ajustes. A tacada final ocorre hoje com a substituição de Toneto por mais um espanhol.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Ministério Público pede suspensão da implantação das placas do Mercosul em Goiás

Detran declarou que ainda não foi notificado pelo Ministério Público sobre a suspensão.

Por Ton Paulo
13/12/2018, 14h18

Uma promotora do Ministério Público de Goiás (MP-GO) expediu uma recomendação ao presidente do Departamento de Trânsito de Goiás (Detran-GO), Flávio Murilo Gonçalves Prates Oliveira, recomendando a suspensão da implantação das novas placas veiculares padrão Mercosul no Estado. A promotora de Justiça pede a suspensão das placas até que seja homologada a integração do sistema estadual com o nacional e implementado o sistema de consulta e intercâmbio de informações sobre aspectos relativos à circulação de veículos nos Estados signatários do Convênio Mercosul 33/2014.

No documento, expedido pela Dra. Leila Maria de Oliveira, da 50ª Promotoria de Goiânia, é dado um prazo de cinco dias para que sejam informadas à promotoria as providências adotadas. A promotora ainda alerta que um descumprimento da recomendação pode acarretar consequências de sanção aos agentes públicos envolvidos, responsáveis pela implantação das placas.

A promotora alega ainda, no documento expedido, que “essa medida tem por finalidade prevenir responsabilidade, a fim de que não se alegue, em futuro processo judicial, ignorância, desconhecimento da lei ou boa-fé”.

Leila Maria argumenta que, com base na análise do Convênio Mercosul 33/2014, a implementação do sistema de consultas e de intercâmbio de informações é providência que deve anteceder a adoção de medidas no sentido da troca das placas dos veículos.

Para ela “é inaceitável a adoção de um novo modelo de placas automotivas, que gerará gastos aos usuários, sem a contrapartida da implementação do sistema, pois não gerará qualquer impacto para a segurança e para a integração entre os Estados-parte”.

Ao Dia Online, a gerente de comunicação do Detran, Karlla Cristina de Freitas, declarou que o órgão só vai se manifestar após ser notificado da recomendação do MP-GO, fato que ainda, segundo ela, não ocorreu.

A jornalista Márcia Abreu, assessora de imprensa do ministro das Cidades, Alexandre Baldy, informou que o Sistema de Consultas e Informações já existe. “Existe um Sistema Nacional, que compartilha informações entre o Denatran e os Detrans. Todas as etapas foram cumpridas pelo Denatran e Ministério das Cidades. Além disso, vale ressaltar que não há custo adicional no emplacamento do novo modelo e que ele não é obrigatório”, declarou.

Placas do Mercosul tiveram alteração depois de decisão do ministro das Cidades, Alexandre Baldy

O goiano Alexandre Baldy (PP), ministro das cidades, anunciou no dia 28 de novembro deste ano uma alteração nas placas Padrão Mercosul, que estão sendo implantadas gradativamente em todo o país. De acordo com o ministro, os brasões dos Estados que estavam incluídos nas novas placas foram retirados, evitando, assim, despesa extra aos condutores.

A assessora do ministro, ao Dia Online, confirmou a alteração. Segundo ela, Baldy vinha recebendo muitas mensagens de pessoas insatisfeitas com a inclusão dos brasões, pois isso geraria um custo extra para o condutor que vai precisar substituir a placa do seu veículo pela de padrão Mercosul, que será implantada em todo o Brasil.

“O motorista que comprar o carro [após a implantação da placa], não iria pagar nada, pois o veículo já viria com a nova placa. Já os outros, teriam que pagar pela substituição. Com a retirada do brasão das placas, o motorista não vai mais pagar nada”, diz.

Via: MP-GO 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.