Esportes

Brandonn Almeida conquista medalha de bronze no Mundial de Piscina Curta

15/12/2018, 11h24

O nadador brasileiro Brandonn Almeida ganhou a medalha de bronze nos 400 metros medley do Mundial de Natação em Piscina Curta (25 metros), realizado em Hangzhou, na China. Na manhã deste sábado (horário de Brasília), o brasileiro subiu ao pódio graças ao tempo de 4min03s71.

“Eu queria muito essa medalha. Meu ano não foi dos melhores, então vim para cá para usar todas as minhas forças. Deu certo!”, comemorou o nadador brasileiro, de 21 anos, que conquistou a primeira medalha dele em uma edição de Mundial de Piscina Curta.

O vencedor da prova foi o japonês Daiya Seto, que se tornou tetracampeão mundial da prova em Piscina Curta e bateu o recorde mundial da prova, com a marca de 3min56s43. Em segundo lugar ficou o australiano Thomas Fraser-Holmes, com o tempo de 4min0274.

Na semifinal dos 100 metros livre, Marcelo Chierighini marcou o tempo de 46s93, insuficiente para classificar o nadador para a final, já que ele ficou em 12º no ranqueamento geral. Daiene Dias, nos 100 metros borboleta, e Etiene Medeiros, nos 50 metros livre, bateram os recordes sul-americanos de suas provas e avançaram às finais, que serão disputadas neste domingo.

“Vim me divertir hoje e deu certo. Ainda não digeri muito bem o que aconteceu na prova anterior, mas coloquei na minha cabeça que queria me divertir. Vou tentar fazer isso amanhã também”, disse Etiene, que não conseguiu se classificar para disputar a final dos 50 metros costas.

Em baterias diferentes, João Gomes Junior (25s94), em terceiro no ranqueamento geral, e Felipe Lima (26s01), em oitavo, conquistaram a classificação para disputar a final os 50 metros peito, que também vai acontecer neste domingo.

A húngara Katinka Hosszu, conhecida como “Dama de Ferro”, ganhou a medalha de ouro nos 200 metros medley, o terceiro título mundial em Piscina Curta dela na atual edição do torneio e o 16º na carreira. A tricampeã olímpica fez o tempo de 2min03s25, mais rápida do que as norte-americanas Melaine Margalis (2min04s62) e Kathleen Baker (2min05s54), medalhistas de prata e bronze, respectivamente.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Universidade em Goiânia demite mais de 40 professores de uma só vez e alunos reagem

A universidade alega que os desligamentos fazem parte de um "processo natural da instituição".

Por Ton Paulo
15/12/2018, 11h35

A universidade Estácio de Sá, com sede no Rio de Janeiro e unidades em Goiânia e Aparecida de Goiânia, pegou muita gente de surpresa esta semana ao demitir de uma só vez 43 professores que lecionavam na capital goiana. A demissão em massa está sendo denunciada por professores nas redes sociais desde ontem (14/12), e o corte dos docentes parece ter ocorrido em outras unidades da instituição de outros estados, que alegou “motivos administrativos”. Alunos estão se mobilizando em favor dos professores demitidos.

De acordo com informações de um jornal local, denúncias recebidas informam que eram todos professores contratados pela CLT, possuíam pouco tempo de vínculo empregatício e foram demitidos sem justa causa.

A demissão em massa gerou reações tanto dos professores, que foram às redes sociais expor o ocorrido, quanto dos alunos que, mobilizados através do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da universidade Estácio de Sá, fizeram uma manifestação na noite da última sexta-feira (14/12) na porta da instituição, localizada no Shopping Estação da Moda, em Goiânia.

Segundo o estudante de Educação Física e presidente do DCE Helenira Rezende, Guilherme Mariguella, de 20 anos, o ato reuniu cerca de pessoas de 20 pessoas e teve que ser feito na entrada da unidade, uma vez que eles foram impedidos de entrar. Ainda de acordo com Guilherme, os estudantes de Goiás estão se mobilizando com os de outros estados. “Começamos a fazer o ato por volta das 18h30, e eles não nos deixaram entrar. Estamos fazendo contato com os DCEs [da Estácio] de outros estados, onde também estão ocorrendo essas demissões”.

Universidade em Goiânia demite mais de 40 professores de uma só vez e alunos reagem
Alunos fazem ato em frente à Estácio de Sá, em Goiânia (Foto: Reprodução)

Por meio de uma nota assinada pelos DCEs da Estácio de Sá de Goiás, Rio de Janeiro, Pernambuco e Maranhão, os estudantes que se manifestaram em prol dos professores demitidos declaram que a “universidade se utiliza de artifícios oriundos da mudança nos direitos trabalhistas para favorecer o empregador”, e que não vão “aceitar calados atitudes arbitrárias, que são tomadas com o único objetivo de prejudicar a qualidade de ensino”.

Estácio de Sá diz que desligamentos são parte de um “processo natural da instituição”

Em nota enviada ao Dia Online, a assessoria de comunicação da instituição de ensino superior declarou que os desligamentos são naturais, uma vez que universidade “periodicamente precisa rever a sua base de docentes”. Confira abaixo a íntegra da nota:

“Sobre os fatos a Estácio esclarece: Os desligamentos realizados fazem parte de um processo natural de uma instituição de ensino, que periodicamente precisa rever a sua base de docentes, adequando-a às necessidades do mercado, demandas de cursos e às particularidades das praças em que atua.  A Estácio é um dos maiores grupos de ensino do país, que continuamente realiza ajustes na sua operação como um todo, buscando um crescimento sustentável para ofertar ensino de qualidade em larga escala.  Reforçamos que nosso principal compromisso é com a qualidade acadêmica, para que possamos cumprir a nossa missão de Educar para Transformar.”

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Trânsito

Câmera mostra acidente chocante de motociclista que ignorou placa de Pare, em Goiânia

As imagens mostram o momento em que o motociclista é literalmente atirado contra barras de proteção.

Por Ton Paulo
15/12/2018, 13h21

A cena de um acidente chocante foi flagrada por câmeras de segurança na manhã deste sábado (15/12), no Setor Jardim América, em Goiânia. Um motociclista em alta velocidade ignorou a placa de sinalização de Pare da pista onde trafegava e chocou violentamente com um carro que entrava no cruzamento de duas pistas, em via preferencial. As imagens mostram o momento em que o motociclista é literalmente atirado contra barras de proteção.

De acordo com a Delegacia de Crimes de Trânsito (DICT), o acidente ocorreu por volta de 07h50, na Rua C-143, no Jardim América, Goiânia. Tales Alves Lima, de 18 anos conduzia sua motocicleta, uma Honda/CG 150 Titan, cor preta, pela rua mencionada, na pista de sentido aproximado Av. T-63/Av. T-9 onde havia sinalização horizontal e vertical de “Pare”, enquanto que a motorista de um Chevrolet Onyx vinha pela Rua C-137, via preferencial, na pista de sentido Jardim América-Setor Bueno.

Ainda de acordo com a DICT, e como é possível ver nas imagens capturadas, Tales, que estava em alta velocidade, ignora a sinalização de Pare e colide violentamente com o veículo que fazia o cruzamento. Com a força da batida, a moto, assim como o condutor, é atirada a metros de distância, batendo em tocos de proteção.

A condutora do Ônix, uma moça de 21 anos, permaneceu no local do fato e foi submetida ao teste do bafômetro, cujo resultado foi negativo.

Motociclista que sofreu acidente chocante em Goiânia está internado em estado grave

A vítima Tales foi socorrida pelo resgate e encaminhada ao Hospital de Urgências de Goiânia, o HUGO, onde se encontra entubado, em estado grave.

Funcionários do HUGO, ao Dia Online, informaram que Tales está internado na Emergência e, devido a isso, só estão autorizados a fornecer detalhes de seu estado a familiares.

Veja o momento do acidente:

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Trânsito

Idosa morre atropelada e motorista foge sem prestar socorro, em Brasília

Motorista fugiu do local sem prestar socorro à vítima.
15/12/2018, 13h54

Jaíra Afonso da Silva, de 73 anos morreu na manhã deste sábado (15/12) depois de ser atropelada, por um carro, enquanto atravessava a rua no Eixão Norte, em Brasília e o motorista do veículo fugir sem prestar socorro.

Segundo as informações veiculadas pelo G1, a idosa atravessava a via, na altura da quadra 116 do Eixão Norte, quando um carro a atingiu no momento da travessia. De acordo com a matéria publicada, a idosa não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

O Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) foi chamado para atender a ocorrência, e ao chegar ao local constaram o óbito da idosa. Conforme a publicação, o motorista que atropelou Jaíra, não foi encontrado no local e até o momento não há informações sobre o paradeiro do mesmo.

Motorista que atropelou idosa em Brasília fugiu do local

Depois de atropelar e matar a idosa, o motorista não parou para prestar socorro e fugiu do local. De acordo com as informações uma testemunha do atropelamento conseguiu anotar a placa do veículo, mas o carro não foi encontrado até o momento.

Com o atropelamento e morte da idosa, duas faixas do Eixão Norte ficaram interditadas até às 11h40 da manhã, para a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) fazer a perícia do local e decifrar o que causou o atropelamento.

Idosa morre após ser atropelada e motorista fugir, em Goiânia

No dia 24 de Maio de 2018, a idosa Maria Rosa da Silva, de 73 anos, morreu após ser atropelada na avenida nerópolis, no setor Gentil Meirelles, em Goiânia.

A idosa fazia uma caminhada matinal, quando o veículo atingiu Maria e a arrastou por aproximadamente 30 metros. Uma testemunha presenciou o acidente, e que o carro conduzido pelo motorista era um Hyndai I 30 de cor preta.

Segundo a testemunha, o condutor do veículo, apenas deu ré e fugiu do local, sem prestar socorro à idosa, que morreu no local.

Via: G1 
Imagens: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Entretenimento

Fernanda Lima explica processo contra Eduardo Costa: 'inibir agressões'

A apresentadora afirmou que as desculpas dadas por Eduardo Costa teriam sido feitas após ela já ter autorizado o processo.
15/12/2018, 14h00

A apresentadora Fernanda Lima usou seu perfil no Instagram na sexta-feira, 14, para fazer um esclarecimento a respeito do processo que está movendo contra o cantor Eduardo Costa. Ela também atribuiu a situação à qual vem passando ao machismo presente na sociedade.

“Depois de ser difamada, agredida e ameaçada por ele através de um post indignado, procurei orientação jurídica a fim de proteger a mim e à minha família. Fui orientada a processá-lo, pois dessa forma inibiria agressões futuras. E assim o fiz.”

Segundo Fernanda, as desculpas dadas por Eduardo Costa teriam sido feitas após ela já ter autorizado o processo, “deixando claro que não se arrepende do que disse, e sim da forma como disse.”

A apresentadora ainda relatou que tem recebido mensagens de ódio por parte dos fãs do sertanejo: “Ontem mesmo minha assessoria recebeu telefonema de um fã dele me ameaçando.”

Fernanda Lima afirmou “não entender” as desculpas dadas por Eduardo e demonstrou não estar convencida de que sejam reais. “Além disso, um pedido de desculpa verdadeiro pode até ser louvável, mas ele não repara o mal que fez à vítima”, complementou.

“Faz parte do machismo estrutural transformar a vítima em ré. Era justamente esse o assunto do meu programa Amor & Sexo que tanto indignou o meu agressor.”

A apresentadora também aproveitou o espaço para desmentir notícias publicadas na imprensa de que teria ficado “possessa” ao saber da entrevista de Eduardo Costa a Pedro Bial e de que teria tentado impedir que o cantor fizesse parte de outros programas na emissora.

“Não tenho ingerência sobre a escolha dos convidados dos programas da emissora – com exceção do Amor & Sexo”, afirmou, antes de concluir ressaltando sobre “como é importante falarmos e sabotarmos essa engrenagem machista”.

Entenda o caso

A confusão entre os dois começou após a apresentadora fazer um discurso incisivo sobre o conservadorismo durante o Amor & Sexo que foi ao ar em 6 de novembro.

Na ocasião, Fernanda foi chamada de “imbecil” (entre outras ofensas) por Eduardo Costa, que também afirmou, por meio de seu perfil no Instagram: “a mamata vai acabar, a corda sempre arrebenta pro lado mais fraco e o lado mais fraco hoje é o que ela está”.

Posteriormente, o cantor voltou atrás e pediu desculpas. No dia 30 de novembro, Costa foi entrevistado pelo Conversa com Bial, da Globo, mesma emissora em que Fernanda trabalha, e pediu desculpas por meio de um vídeo.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.