Goiás

Bombeiros fazem cortejo para menino que morreu após ser atropelado por avó, em Niquelândia

O pequeno Issac, de apenas 5 anos, morreu após ser atropelado acidentalmente pela avó. Caso comoveu a cidade de Niquelândia.

Por Ton Paulo
17/12/2018, 09h54

Uma tragédia comoveu os habitantes do município de Niquelândia, a 300 quilômetros de Goiânia, na manhã do último sábado (15/12). Um menino de apenas 5 anos morreu após ser atropelado acidentalmente pela própria avó. O Corpo de Bombeiros promoveu um cortejo fúnebre para o pequeno Issac Augusto Nunes de Oliveira no domingo (16/12), juntamente com viaturas da Polícia Militar (PM).

A tragédia aconteceu por volta das 11h de sábado, no Setor Belo Horizonte, em Niquelândia. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o menino ficou ferido depois de a avó ter perdido o controle do carro e batido no portão da casa, onde Isaac brincava. Ele foi atingido em cheio.

Isaac chegou a ser socorrido pelos bombeiros e encaminhado para o hospital da cidade, mas não resistiu aos ferimentos e acabou falecendo.

De acordo com o delegado Cassio Arantes a um jornal local, a avó do menino estava “realmente estava bem devagar, chegou na frente do portão devagar, mas por um motivo que não se sabe acabou avançando no portão da própria residência. Ela derrubou o portão, o neto estava brincando na área da garagem, o portão caiu em cima dele, o carro passou por cima do portão, ele sofreu os ferimentos, foi socorrido, mas veio a óbito no hospital”, explica.

A assessoria do Corpo de Bombeiros conta que houve comoção generalizada na cidade pela morte do pequeno Isaac, e um cortejo fúnebre foi feito pelo bombeiros em conjunto com a PM. O cortejo foi feito por volta das 10h30.

Bombeiros fazem cortejo para menino que morreu após ser atropelado por avó, em Niquelândia
Foto: Reprodução/Bombeiros

Além do caso de Niquelândia, menino de 5 anos morreu atropelado em Cristalina, em outubro deste ano

Em outubro deste ano, um menino também de 5 anos morreu após ser atropelado por um micro-ônibus escolar no município de Cristalina, interior de Goiás. Segundo os bombeiros, a criança andava de mãos dadas com o irmão quando se soltou e foi atingido pelo veículo. Ele chegou a ser socorrido no local, mas não resistiu e veio a óbito.

O acidente ocorreu no dia 22 de outubro, na Rua 9 da Vila Militar no Setor Noroeste da cidade. O corpo da vítima foi recolhido horas depois pelo Instituto Médico Legal (IML) de Luziânia, no Entorno do DF.

Via: O Popular 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Trabalhador morre em acidente na BR-153, em Rialma

Motorista perdeu o controle do carro e atingiu outros dois veículos na via.
17/12/2018, 10h36

Um trabalho rural de 55 anos morreu na manhã do último domingo (16/12) no KM 310 da BR-153, na cidade de Rialma, a 183 quilômetros da capital, na região do Vale do São Patrício, após se envolver em um acidente com três veículos.

O Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou ao Portal Dia Online que o trabalhador viajava em um Fiat Strada, no sentido Jaraguá a Ceres, e perdeu o controle da direção, invadindo a pista contrária. Conforme a PRF, ao invadir a outra pista, o veículo bateu na lateral de uma carreta que seguia no sentido oposto, com a colisão a pick up rodou na via e atingiu uma caminhonete que tombou na BR-153.

A PRF afirmou que devido a força do impacto da batida, o trabalhador rural não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Conforme a polícia, o condutor do outro veículo também da Fiat teve ferimentos leves, sendo socorrido e encaminhado para o Hospital Municipal de Ceres. O motorista foi submetido ao teste do bafômetro, mas segundo as informações da PRF, o condutor não estava embriagado.

Conforme as informações repassadas pela polícia, os outros motoristas que se envolveram no acidente não tiveram nenhum ferimento.

Motorista morreu carbonizado na BR-153

Um outro acidente foi registrado na BR-153 no último dia 12 de dezembro de 2018. O acidente aconteceu no KM 201 da BR-153, em Uruaçu, a 280 quilômetros da capital, quando o motorista de um veículo bateu com um caminhão, incendiando o veículo de passeio e carbonizando o condutor, a força da batida fez com que o caminhão tombasse na via.

Outro acidente envolvendo na BR-153 terminou com uma pessoa morta e outra ferida

No último dia 11 de novembro de 2018, um acidente envolvendo dois caminhões e uma ambulância, na BR-153, entre as cidades de São Luís do Norte e Ceres terminou com uma pessoa morta e uma outra ferida.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Escolas de SP podem começar o ano sem material

Os contratos para compra de cadernos, canetas, lápis e apontadores ainda não foram assinados.
17/12/2018, 11h23

Os 3,5 milhões de alunos das escolas estaduais de São Paulo podem começar o ano sem material escolar. Os contratos para compra de cadernos, canetas, lápis e apontadores ainda não foram assinados. Além disso, as apostilas didáticas – usadas desde 2008 na rede – também não serão entregues porque precisam se adequar à Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Alunos de redes municipais também podem ser afetados, já que o governo estadual compra materiais para o ensino infantil e fundamental de algumas cidades. Segundo o Estado apurou, houve problemas judiciais com os pregões realizados para a compra dos materiais e o processo ficou parado.

Depois que o contrato for assinado, de acordo com o edital da licitação, as empresas têm até 150 dias – o equivalente a cinco meses – para entregar os produtos. As aulas começam no dia 1.º de fevereiro na rede estadual. Em geral, as licitações são finalizadas nos meses de agosto e setembro para que os materiais estejam nas escolas a tempo.

A Secretaria do Estado da Educação informou, por meio de nota, que no dia 7 de dezembro, a Justiça deu o parecer para que fosse feita uma nova licitação. “Um novo pregão será realizado na próxima terça-feira (dia 18) e o contrato deverá ser assinado no dia seguinte”, afirmou o texto. No entanto, ao término dos processos licitatórios há sempre um prazo estipulado por lei para eventuais recursos, antes da assinatura.

Também segundo a secretaria, “a distribuição dos kits de material escolar iniciará em janeiro de 2019, antes do início do ano letivo”. Questionado como poderia garantir esse prazo já que o edital prevê 150 dias, o governo não respondeu.

Essa não é a primeira vez que os materiais atrasam. Segundo relatório do Tribunal de Contas do Estado (TCE) deste ano, 56% das escolas – estaduais e municipais – não tinham recebido os materiais em maio.

Apostilas

“Há um grande risco de a aprendizagem dos alunos ficar comprometida este ano”, afirma a educadora Anna Helena Altenfelder, presidente do Conselho do Cenpec. Ela se preocupa com a falta de apostilas didáticas, que integram o programa São Paulo Faz Escola.

Os materiais foram adotados pela rede em 2008 e são divididos por disciplinas para todos os anos do ensino fundamental e médio. “Ele tem estruturado o trabalho pedagógico das escolas. É um currículo e um material de apoio dos professores, teve toda uma formação e um projeto nessa direção.”

O governo considera que os materiais estão desatualizados após a aprovação da BNCC, em dezembro de 2017, que traça novas diretrizes para o ensino infantil e fundamental. A versão para o ensino médio foi aprovada este mês. “Principalmente para o ensino médio, é bastante precipitado, poderia continuar com o material antigo e fazer adequações”, diz Anna Helena.

A secretaria da Educação informa que o novo material será construído com os professores ao longo de 2019 e, enquanto isso, eles terão “guias de transição” para “apoiar a elaboração das aulas na implementação do novo currículo”. A pasta não passou, no entanto, detalhamento sobre qual será o conteúdo desses guias.

Em janeiro, o atual ministro da Educação, Rossieli Soares, assume o cargo de secretário da Educação em São Paulo, no governo Doria. Ele foi um dos responsáveis pela finalização da BNCC no governo de Michel Temer. Procurado, Rossieli disse que gostaria de se informar melhor da situação dos materiais antes de dar entrevistas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Menino de 12 anos foge de casa em Abadiânia e é encontrado em BR

O menino contou que estava indo para Anápolis, fugindo dos maus-tratos sofridos pelo pai com quem mora em Abadiânia.

Por Ton Paulo
17/12/2018, 11h35

Um menino de 12 anos foi encontrado na noite do último domingo (16/12) pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) na BR-060, em Anápolis, após ter fugido de casa, em Abadiânia. A criança estava em uma bicicleta e trazia uma mochila às costas com roupas e água. Ele contou aos policiais que decidiu fugir de casa por causa de agressões sofridas pelo pai.

O garoto foi interceptado por uma equipe da concessionária que administra a rodovia na noite de ontem, e que comunicou aos policiais rodoviários federais sobre a situação. O menino contou que estava indo de Abadiânia para Anápolis.

Segundo a equipe, o menino conduzia uma bicicleta e trafegava sozinho pela BR-060 quando foi encontrado. Ele viajava sem documentos pessoais, carregava uma mochila com um par de roupas, um cobertor e uma garrafa de água. Imediatamente a PRF foi acionada e o menino foi conduzido para a Unidade Operacional da PRF em Anápolis.

Conversando com os policiais, ele informou que foi abandonado por sua mãe quando tinha apenas um ano idade e que vivia em companhia de seu pai e uma tia paterna, que por sofrer agressões físicas e morais ele resolveu fugir de sua casa.

Ele foi assistido pelos agentes que deram acolhimento e alimentação para a criança.

Não há informações sobre qual era o destino específico do menino em Anápolis.

Caso do menino que fugiu de Abadiânia para Anápolis será encaminhado para o Ministério Público

O Conselho Tutelar foi acionado e o garoto foi encaminhado para a cidade de Abadiânia. Em contato com o Conselho Tutelar de Abadiânia, Renivaldo Morais, conselheiro tutelar, informou que já estava em posse do garoto e, no momento do contato de nossa reportagem, estava na presença do pai dele.

O conselheiro também informou que estava reunindo documentos para enviar ao Ministério Público sobre o caso, uma vez que o menino alega que fugiu porque era agredido pelo pai.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Corpo de bebê é encontrado dentro de mochila, em Goiânia

O corpo, já em decomposição, foi encontrado por uma catadora de material reciclável, que acionou a polícia.

Por Ton Paulo
17/12/2018, 12h40

Um corpo de bebê do sexo masculino já em decomposição foi encontrado no final da manhã desta segunda-feira (17/12) dentro de uma mochila, no Setor Sudoeste, em Goiânia. O corpo foi encontrado por uma catadora de material reciclável, que imediatamente acionou a polícia.

De acordo com testemunhas ouvidas pelo mochilink Bill Guerra, uma mulher ainda não identificada passou pela Rua C-7, no Setor Sudoeste, no começo desta manhã, deixando uma mochila perto de uma árvore. Uma catadora de material reciclável, então, viu a mochila e resolver verificar seu conteúdo, na esperança de encontrar algo.

Assim que abriu a bolsa e viu o corpo, inicialmente pensou se tratar de uma boneca. Mas quando verificou com mais atenção, tamanho foi o seu choque ao ver que se tratava do cadáver de um bebê, já em decomposição. O caso ocorreu hoje, por volta das 11h20

De acordo com a Polícia Militar (PM), uma viatura do 7º Batalhão (BPM) está no local, e a Polícia Civil e Técnico-científica foram acionadas e já estão a caminho.

A reportagem do Dia Online tenta contato com a equipe da Polícia Civil que se deslocou para o local onde o bebê morto foi encontrado.

O caso deve ser investigado.

Em outubro deste ano, o corpo de uma mulher foi encontrado em uma mala, em Goiânia

Em outubro deste ano, foi a vez de uma caixa de papelão contendo o corpo de uma mulher ser encontrada na Praça do Trabalhador, no Setor Norte Ferroviário, em Goiânia. Por volta das 5h30 da manhã de terça-feira (30/10) o corpo de uma mulher foi encontrado dentro de uma caixa de papelão, enrolado em um lençol e amarrado com fios pretos, a 200 metros da Rodoviária de Goiânia.

O corpo era de Gessika Sousa dos Santos, de 27 anos, e foi deixado, segundo a delegada que investiga o caso, Magda D’ávila, ao lado da moto dela.

De acordo com a Polícia, dois homens em um carro chegaram às 23h da noite anterior e abandonaram a caixa no Coreto da Rodoviária. Logo em seguida, um terceiro suspeito deixou a moto da vítima, uma FZ25 Fazer azul, ano 2007.  Um morador de rua viu tudo e fez o relato à Polícia.

No início deste mês, o suspeito do crime foi identificado e preso pela Polícia Civil.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.