Goiás

Troca de tiros termina com dois mortos, em Luziânia

Além das armas apreendidas, vários materiais produtos de roubos foram encontrados na casa.
21/12/2018, 07h43

Duas pessoas morreram após trocar tiros com policiais das Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (ROTAM) na noite da última quinta-feira (20/12), durante uma abordagem em uma casa na busca por veículos roubados, na cidade de Luziânia, no Entorno do Distrito Federal (DF).

A polícia informou que havia recebido denúncias de que uma caminhonete do modelo Toyota Hilux, que tinha sido roubada e estaria escondida na residência, no Setor Nova Esperança, em Luziânia. Em posse das informações, a ROTAM ao chegar a residência encontrou além da caminhonete, um outro veículo do modelo Fiat Argo.

Segundo as informações divulgadas pela polícia, no momento que as equipes entraram na casa, foram recebidos com tiros pelos suspeitos, os policiais revidaram alvejando dois indivíduos que estavam na casa, o terceiro suspeito conseguiu fugir do local.

Dois suspeitos morreram na troca de tiros

Após atingir os dois suspeitos, os policiais acionaram o socorro médico e os dois indivíduos foram levado para Unidade de Pronto Atendimento de Luziânia (UPA). Apesar de serem socorridos, os dois suspeitos não resistiram aos ferimentos e morreram na UPA. Os dois mortos durante a troca de tiros foram identificados como Lucas Eduardo Araújo Bueno com passagens por roubo e receptação e o menor A.A.S.C.

Troca de tiros termina com dois mortos, em Luziânia
Foto: Divulgação

A polícia afirmou também que durante a abordagem, ao analisar o segundo veículo, foi constatado que o carro tinha sido adulterado e o mesmo roubado no dia 30 de outubro de 2018. Além dos dois veículos, os policias apreenderam um revólver calibre .38 com cinco munições deflagradas e uma intacta, uma pistola nove milímetros e uma escopeta calibre 12. Dentro da casa os policiais encontraram ainda um bloqueador de sinal, um giroflex, seis celulares, 19 pacotes de roupas e um colete da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) todos oriundos de roubos.

Em Novo Gama, dois bandidos morreram ao trocar tiros com a ROTAM

No último dia 13 de dezembro, dois homens morreram ao trocar tiros com a ROTAM, em Novo Gama, no Entorno do Distrito Federal. Os suspeitos antes de morrerem na troca de tiros, roubaram uma moto e um carro e ainda fizeram o dono do carro de refém durante o assalto.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Vendedores que aplicavam o golpe do "brinde" em Goiânia são indiciados

Para fazer as pessoas comprarem mercadorias de baixa qualidade, os vendedores prometiam brindes a serem resgatados em lojas de Goiânia, brindes esses que não existiam.

Por Ton Paulo
21/12/2018, 08h22

Após um ano de investigação, a Polícia Civil (PC) deflagrou, através da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes contra o Consumidor (Decon), uma operação policial que indiciou 10 vendedores ambulantes que aplicavam golpes em consumidores para venderem suas mercadorias. Para fazer as pessoas comprarem mercadorias de baixa qualidade, os vendedores prometiam brindes a serem resgatados em lojas de Goiânia, brindes esses que não existiam. A operação ocorreu nesta quarta-feira (19/12).

A ação da Decon é resultado de uma longa investigação, que durou um ano, e cumpriu três mandados de buscas e apreensões em residências na capital. A operação teve por objetivo identificar e punir vendedores ambulantes diversos, os quais vêm aplicando golpes contra o mercado de consumo em Goiânia. Segundo a PC, as vendas aconteciam geralmente em estacionamentos de supermercados, praças populares e vias públicas da capital.

De acordo com informações da Decon, os vendedores anunciavam a mercadoria por valores e qualidade do produto consideráveis e atrativos, mas após o uso dos produtos, vários consumidores verificavam a má qualidade dos produtos, que não chegavam a durar muito tempo.

O golpe dos “brindes” aplicado pelos vendedores ambulantes em Goiânia

Para pressionar a venda e fazer as pessoas comprarem os produtos, os investigados ofereciam outros produtos agregados como cortesias, os famosos “brindes”, pelas aquisições anteriores. Esses “brindes” deveriam ser retirados em lojas tradicionais em Goiânia, entretanto, quando os consumidores compareciam a estes locais, eram surpreendidos com a informação de que a promessa dos ambulantes não passava de golpes, e que não havia brinde algum para ser resgatado.

Dez pessoas foram conduzidas até a delegacia, todas foram identificadas e responderão pelos crimes de Publicidade Enganosa, Falsidade Documental, Associação Criminosa, Estelionato e Publicidade Enganosa, cujas penas, podem chegar ao máximo de 16 anos de reclusão.

Foram apreendidos centenas de produtos impróprios ao consumo, documentos públicos e particulares que comprovam, dentre outros elementos, as materialidades dos crimes investigados.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Supremo pode decidir hoje sobre liberdade de João de Deus

O relator do pedido é o ministro Gilmar Mendes.
21/12/2018, 09h30

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, pode decidir hoje (21/12) sobre o pedido de liberdade impetrado pela defesa do médium João Teixeira de Faria, o João de Deus. Ele está preso preventivamente há cinco dias, no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, suspeito de crimes sexuais.

habeas corpus foi sorteado para relatoria do ministro Gilmar Mendes, mas devido ao recesso do Judiciário, que começou há dois dias, o processo foi encaminhado para o gabinete do presidente do STF, ministro Dias Toffoli, responsável pelo plantão.

Ontem (20), Toffoli pediu informações ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) antes de decidir sobre o pedido de liberdade feito pela defesa. A prisão preventiva foi decretada pela Justiça de Goiás com base em 15 denúncias já formalizadas em Goiânia.

Há dois dias, o ministro Nefi Cordeiro, do STJ, negou seguimento a um habeas corpus impetrado pelo advogado Alberto Toron, que representa o médium. Ele argumentou supressão de instâncias, uma vez que um pedido de liberdade ainda está pendente de julgamento na primeira instância.

O Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO) negou liminar para soltar o médium, mas ainda não julgou o mérito do habeas corpus impetrado na primeira instância.

Indiciamento

Nessa quinta-feira (20/12), a Polícia Civil indiciou  João de Deus  pelo crime de violação sexual mediante fraude. O inquérito se refere à denúncia específica de uma mulher de 39 anos. De acordo com a vítima, o crime ocorreu em outubro deste ano, durante atendimento espiritual na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia (GO), a 118 quilômetros de Brasília.

Agência Brasil apurou que, apesar de o inquérito concluir pelo indiciamento, o documento ainda não havia sido protocolado no Ministério Público de Goiás até o fim da tarde.

Imagens: Agência Brasil 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Bandidos explodem caixa eletrônico em agência bancária de Morrinhos

Polícia faz busca pelos suspeitos na cidade.
21/12/2018, 09h59

Uma agência do Banco do Brasil, na cidade de Morrinhos, a 128 quilômetros de Goiânia, foi alvo de bandidos na madrugada desta sexta-feira (21/12). Os suspeitos invadiram a agência e explodiram um caixa eletrônico da instituição financeira.

A Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO) afirmou ao Portal Dia Online que durante a madrugada, uma vizinha da agência ligou e contou sobre a explosão. Os policiais foram até a instituição financeira e se depararam com o banco danificado.

De acordo com a PM, os bandidos explodiram apenas um caixa eletrônico, mas com a força da explosão, a agência ficou danificada. Conforme as informações repassadas pela polícia, o banco ainda não afirmou se algum valor foi levado e a quantia que possivelmente os bandidos levaram. A PM procura neste momento pelos suspeitos de explodir o caixa eletrônico em Morrinhos.

Explosão de Caixas eletrônicos em Goiás

No último dia 8 de outubro de 2018, a polícia prendeu cinco suspeitos de explodirem uma agência bancária, em Bom Jesus de Goiás. A prisão dos suspeitos foram efetuadas no mesmo dia, no km 520 da BR-153, entre Hidrolândia e Aparecida de Goiânia. Durante a ação que culminou com a prisão dos suspeitos, o trecho da BR-153 chegou a ser interditado e liberado 15 minutos depois.

No início do mês de novembro de 2018, a polícia impediu uma quadrilha de explodir caixas eletrônicos em Hidrolândia, a 35 quilômetros de Goiânia, durante a madrugada do dia 1ª de novembro de 2018. Durante a abordagem, houve troca de tiros entre o grupo e os policiais, e dois suspeitos que não tiveram os nomes divulgados foram alvejados e morreram no hospital. Os outros dois conseguiram fugir.

Bandidos explodem carro forte em Cristalina

No dia 26 de novembro de 2018, um grupo criminoso explodiu um carro-forte na BR-040, próximo ao município de Cristalina, localizado a 280 quilômetros de Goiânia. Durante a ação dos bandidos a Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que quatro funcionários da empresa de transporte de valores estavam no veículo, mas nenhum ficou ferido. A explosão do Carro Forte, foi o terceiro registrado durante o ano na BR-040.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Wesley Murakami é preso em operação policial, em Brasília

Cirurgião plástico foi denunciado por deformar rosto de pacientes em Goiânia.
21/12/2018, 10h16

O cirurgião plástico Wesley Murakami, denunciado por quatro pacientes que ficaram com os rostos deformados após serem convencidas pelo médico a fazer uma bioplastia – um tratamento estético onde uma substância chamada PMMA é usada para preenchimento cutâneo –  com ele em Goiânia, foi preso na manhã desta sexta-feira (21/12) durante uma operação da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF).

A operação foi deflagrada pela Coordenação de Repressão aos Crimes Contra o Consumidor, a Propriedade Imaterial e a Fraudes (Corf) e batizada de Disformia, em alusão aos pacientes que ficaram deformados após passarem pelo procedimento cirúrgico com o cirurgião plástico.

A prisão de Wesley Murakami é temporária, além de Murakami, a mãe do médico e a dona de uma clínica de estética também foram presas.

Wesley Murakami atuava em Goiânia sem registro de especialidade

No dia 30 de novembro de 2018, a Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) recebeu pelos menos quatro denúncias contra o médico por seus procedimentos médicos que levaram à deformação dos rostos de pacientes. O caso foi registrado no 4º Distrito Policial da Capital, pelo delegado Carlos Caetano, que afirmou que quatro pacientes procuraram a delegacia e afirmaram que ficaram com os rostos desfigurados após serem atendidos pelo cirurgião plástico.

Segundo o delegado, os quatro pacientes passaram pelo processo de bioplastia em anos diferentes, com um registrado em 2012, outro em 2017 e outros dois em 2018.

Apesar de atuar com cirurgias plásticas, Wesley Murakami não tinha registro de especialidade junto ao Conselho Regional de Medicina do Estado de Goiás (Cremego). Na reportagem publicada pelo Portal Dia Online após as primeiras denúncias, o Cremego enviou nota informando que o médico está inscrito junto ao Conselho, mas não tem nenhuma especialidade médica registrada.

O Cremego afirmou na nota que está apurando todas as denúncias contra Wesley Murakami e que as mesmas tramitam em sigilo no conselho, segundo o Código de Processo Ético-Profissional (CPEP) Médico no artigo primeiro.

Imagens: Facebook 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.