Entretenimento

Renata Gaspar mostra versatilidade em 'Pais de Primeira' e fala de 'Tá no Ar'

30/12/2018, 07h08

Um dos talentos da nova geração do humor brasileiro, Renata Gaspar encontrou a oportunidade perfeita para explorar sua versatilidade como atriz na série Pais de Primeira, cujo último episódio vai ao ar na Globo neste domingo, 30 – e que deve ganhar nova temporada. Isso porque a produção faz uma deliciosa mistura de comédia e emoção para contar a jornada de um casal, Taís e Pedro (personagens de Renata e George Sauma), marcada por alegrias, medos e dúvidas após a chegada da primeira filha. Renata também faz parte do elenco do humorístico Tá no Ar: A TV na TV, que chega à sexta e última temporada a partir do dia 15 de janeiro.

Apesar de ter trabalhos de destaque ligados ao humor, Renata não iniciou sua carreira focada nessa frequência de interpretação. “Comecei a fazer teatro com 11 anos. Aos 14, fiz curso profissionalizante e me formei com 17 anos, junto com a escola. Depois, fiz interpretação para cinema e não parei de trabalhar. Um trabalho me levou a outro”, conta a atriz paulistana, de 32 anos, ao jornal O Estado De S. Paulo. Sua incursão pela comédia se deu mais recentemente. Foi em 2012, no Saturday Night Live, exibido na RedeTV!, quando ficou conhecida pelas imitações que fez. “Lá foi o primeiro lugar onde pude ser vista fazendo humor, que até então só fazia entre amigos. O programa abriu essa porta, daí fui convidada para o Tá no Ar, para o Chapa Quente, e não parou mais.”

Além dos papéis na TV, Renata tem engatilhados, para 2019, diversos projetos no teatro, entre eles, a peça Antes Que a Definitiva Noite Se Espalhe em Latinoamérica, de Felipe Hirsch, que estreia no dia 11 de janeiro, no Rio, e o monólogo Fábula do Inimigo, que deve estrear ainda no primeiro semestre, em São Paulo. Ao Estado, ela fala sobre sua personagem em Pais de Primeira e a despedida do Tá no Ar.

Como foi a construção da personagem Taís em Pais de Primeira? Fez pesquisas, teve conversas com pais de primeira viagem…?

Primeiro assisti a filmes, séries, vídeos na internet e li blogs que falam desse assunto. Tentei entender o universo e a mentalidade da mãe. Percebi que é muito parecido para todo mundo. Além disso, tenho muitos amigos próximos que já tiveram filhos ou que estão “grávidos”. Acompanhei o dia a dia da filha de uma amiga minha, que estava com 10 meses. Não consegui segurar ou acompanhar um bebê tão pequeno.

Qual o desafio de dosar a emoção e o humor na série?

Levo o humor muito a sério. Faço humor no mesmo nível que faço drama. Quanto mais a gente acredita que aquilo está acontecendo, mais engraçado fica. A linguagem da série foi construída por nós: o autor, Antonio Prata; os diretores Luis Henrique Rios e Daniela Braga; e nós atores. Tínhamos a intenção de contar essa história de forma realista. As situações são engraçadas, mas o personagem não está achando graça nenhuma. Quem acha graça é quem assiste e vê o desespero da pessoa passando por aquilo. E aí, quanto mais realista, mais engraçado. Você ri numa cena, chora em outra. E isso tem muito a ver com nossa vida.

É sua primeira protagonista na TV, certo?

Na verdade, fiz protagonista em 2009 no seriado Descolados, da MTV. Éramos eu e mais dois meninos. Eu fazia a Ludmila, uma das personagens que mais repercutiu na minha carreira. Até hoje as pessoas perguntam se vai ter segunda temporada.

Vai ter segunda temporada de Pais de Primeira?

A previsão é de que tenha. Vai mostrar o dia a dia da Taís e do Pedro mais para frente. A volta ao trabalho, a escolha da creche… Vai ser muito legal mostrar essa realidade. Devemos gravar essa segunda temporada no segundo semestre.

Na TV, outro papel de destaque foi a Josilene, de Chapa Quente. Como foi fazer a personagem?

A Josi era muito interessante porque era muito diferente de mim. Era raríssimo me reconhecerem na rua. Quando falava que era eu, a pessoa não acreditava, dizia que ela era um “mulherão, gostosona. E eu falava “é, sou eu…” (risos). Também foi um baita time: (Leandro) Hassum, Ingrid (Guimarães), Lucinho (Lúcio Mauro Filho), Tiago Abravanel, Eduardo Estrela. Foi uma galera que também ficou muito amiga. Minha parceria com Lucinho foi muito legal, ele é muito generoso e criativo. Era uma diversão fazer aquilo.

Me fale sobre a última temporada de Tá no Ar e esse clima de despedida.

Nem me fale! Estou numa pausa da gravação nesse momento e a gente sente uma alegria e às vezes bate uma tristeza. De repente, a gente está numa gravação e começa a chorar. A gente vê todo mundo junto e fala “quando vamos estar junto de novo?”, aí se emociona.

Qual a importância do Tá no Ar na sua trajetória?

O programa tem muita importância na minha trajetória. Na nossa, na verdade, porque construímos um grupo. Parece uma trupe de teatro. É um grupo que se ama e se admira demais. O Marcius Melhem, que é uma das cabeças do Tá no Ar, lutou por esse projeto até o fim. É um cara muito generoso que juntou essa trupe que tem a intenção de servir ao programa. O Tá no Ar traz coisas que queremos dizer. Viramos amigos, damos pitaco no personagem do outro, assistimos aos episódios juntos, na casa de alguém. Foi uma grande sorte termos nos encontrado. Vai ser estranho não ter mil personagens para vestir a cada dia. Mas, ao mesmo tempo, é um programa que deu e está dando certo. Acho que as coisas têm que ser renovadas.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Política

Juíza libera a Dilma acesso ao inquérito-mãe da Lava Jato

Juíza afirmou que não via com facilidade de que maneira o acesso aos autos pela defesa de Dilma Vana Rousseff poderia prejudicar investigações sigilosas em curso.
30/12/2018, 10h12

A juíza federal Gabriela Hardt liberou à ex-presidente Dilma Rousseff acesso ao inquérito-mãe da Operação Lava Jato. O procedimento deu origem à investigação, em Curitiba, que teve sua primeira fase deflagrada em 14 de março de 2014.

A defesa de Dilma havia solicitado acesso a todo conteúdo do inquérito, pois seria alvo da delação premiada do ex-ministro Antonio Palocci, seu ex-ministro da Casa Civil. Em manifestação, o Ministério Público Federal foi contrário, alegando que a defesa se baseava exclusivamente em informações publicadas na imprensa e que negativa de acesso também teria por finalidade preservar a eficácia de eventuais investigações ou diligências em curso.

Ao decidir, Gabriela Hardt afirmou que não via com facilidade de que maneira o acesso aos autos pela Defesa de Dilma Vana Rousseff poderia prejudicar investigações sigilosas em curso. Segundo a magistrada, o acesso da defesa ao inquérito-mãe não permitiria acesso a investigações sigilosas, a processos nos quais tramitam acordos de colaboração ou leniência e nem a processos nos quais há medidas cautelares e coercitivas pendentes.

“Dilma Vana Rousseff é ex-presidente do Brasil, tendo sido responsável pela indicação política de investigados e/ou condenados no âmbito da Operação Lava Jato, vg. Aldemir Bendine, Antônio Palocci e Guido Mantega. Ainda, ela própria ocupou o cargo de Presidente do Conselho de Administração da Petrobrás, durante o período no qual também ocupava o cargo de Ministra de Minas e Energia do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, outro condenado perante este Juízo”, registrou a magistrada.

“Sem qualquer juízo de valor, é visível que há uma certa proximidade de Dilma Vana Rousseff aos fatos investigados perante este Juízo.”

A juíza ainda anotou que mesmo Dilma não sendo diretamente investigada nos presentes autos, considerando que se trata de inquérito-mãe da Operação Lava Jato, que tramita com sigilo baixíssimo, reputo razoável franquear acesso a sua defesa.

“Defiro o requerido e franqueio o acesso da defesa de Dilma Vana Rousseff a este apuratório”, decidiu a juíza.

O que mira o inquérito-mãe da Lava Jato?

O inquérito policial 1041/2013 foi aberto em 8 de novembro de 2013, pelo delegado Márcio Adriano Anselmo, que iniciou as investigações que desencadearam a primeira fase da Lava Jato, que prendeu em março de 2014 o doleiro Alberto Youssef – velho conhecido da Justiça Federal, do Caso Banestado – e o ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás Paulo Roberto Costa.

O inquérito nasceu de uma descoberta feita por Anselmo nas escutas telefônicas que tinham sido autorizadas pelo juiz federal Sérgio Moro, nos telefones da lavanderia de dinheiro do doleiro Carlos Habib Chater, dono do Posto da Torre.

“No curso da interceptação, surgiram, porém, indícios de práticas de crimes por terceiros que não compõem o grupo criminoso dirigido por Carlos Chater, em espécie de encontro fortuito de provas”, escreveu Moro, ao autorizar as investigações desmembradas de um inquérito aberto ainda em 2009. Os crimes de terceiros levaram ao escândalo Petrobrás.

Imagens: Metro Jornal 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Confira o que abre e fecha durante o feriado de Ano Novo em Goiânia

Programe-se!
30/12/2018, 13h43

No feriado de Ano Novo supermercados, shoppings, órgãos públicos e outros serviços funcionarão em horários especiais em Goiânia e Região Metropolitana da capital. Confira abaixo a lista que preparamos com o que abre e fecha entre a véspera da virada e o dia 1º de janeiro de 2019 e programe-se!

Comércio

Listamos os principais supermercados que atendem todas as regiões de Goiânia e Região Metropolitana e o horário de funcionamento dos shoppings de Goiânia e Aparecida de Goiânia nos dias 31 de dezembro e 1º de janeiro.

Supermercados no feriado de Ano Novo

Tático

  • Segunda-feira (31//12): aberto das 8h às 20h
  • Terça-feira (01/01): fechado

Moreira

  • Segunda-feira (31/12): aberto das 7h às 22h
  • Terça-feira (01/01): fechado

Bretas

  • Segunda-feira (31/12): aberto das 7h às 20h
  • Terça-feira (01/01): fechado

Barão – Aparecida Shopping

  • Segunda-feira (31/12): aberto das 7h às 18h
  • Terça-feira (01/01): aberto das 7h às 22h

Costa Atacadão

  • Segunda-feira (31/12): aberto das 7h às 18h
  • Terça-feira (01/01): fechado

Atacadão Dia a Dia

  • Segunda-feira (31/12): aberto das 7h às 19h
  • Terça-feira (01/01): fechado

Shoppings no feriado de Ano Novo

Araguaia Shopping

  • Segunda-feira (31/12): lojas: 8h30 às 16h; praça de alimentação: 10h às 18h
  • Terça-feira (01/01): lojas fechadas; praça de alimentação: 10h às 22h30

Passeio das Águas Shopping

  • Segunda-feira (31/12): lojas: 10h às 17h
  • Terça-feira (01/01): lojas fechadas; praça de alimentação: facultativo das 11h às 23h

Shopping Bougainville

  • Segunda-feira (31/12): aberto das 10h às 18h
  • Terça-feira (01/01): lojas fechadas; praça de alimentação: 12h às 22h

Buriti Shopping

  • Segunda-feira (31/12): lojas e quiosques: 10h às 18h
  • Terça-feira (01/01): lojas e quiosques fechados; praça de alimentação e lazer: 12h às 22h

Aparecida Shopping

  • Segunda-feira (31/12): lojas: 9h às 18h; praça de alimentação: 10h às 18h
  • Terça-feira (01/01) – lojas: fechadas; praça de alimentação: 12h às 22h

Serviços durante o feriado de Ano Novo

Transporte coletivo

No período do feriado, os ônibus vão circular com planilhas especiais na região metropolitana de Goiânia. Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) determinou que o serviço seja reforçado com viagens extras, que devem ser colocadas em circulação caso haja necessidade. A população pode entrar em contato com a CMTC pelos telefones 0800 646 1851/ 3524-1851 (Ouvidoria)  ou pelo whatsapp 9943-1620.

Correios

Não haverá expediente nas agências dos Correios. Na quarta-feira (2/1) as agências voltam a funcionar normalmente. A Central de Atendimento aos Clientes (CAC) da empresa também não atenderá no feriado. Para registrar manifestações e obter informações sobre produtos e serviços, os clientes devem acessar o site www.correios.com.br.

Vapt Vupt

Na segunda-feira (31/12) as unidades Vapt Vupt que atendem em regime de plantão funcionarão em horários especiais das  7h às 12h, ou das 7h às 13h, ou ainda das 8h às 13h. Na terça-feira (1º/1) feriado de Ano Novo, nenhuma unidade funcionará. As unidades de Goianésia, Palmeiras de Goiás e Trindade Maysa passarão a funcionar, a partir do dia 2 de janeiro, das 8h às 18h.

Zoológico

O Zoológico abrirá normalmente neste fim de semana e no dia 1° de janeiro, fechando apenas no dia anterior (31/12). As atividades ocorrem das 8h às 17h, a entrada é R$ 5 (inteira) e R$ 2,50 (meia). Crianças de até 12 anos de idade pagam valor de meia e até os três anos entram de graça.

Comurg

Mantém os trabalhos essenciais, como varrição, coleta de lixo orgânico e seletivo e de resíduos infectantes. Os atendimentos nos casos de queda de árvores e recolhimento de animais mortos não sofrem interrupção. Os usuários poderão solicitar serviços pelo telefone 3524-8555.

Imagens: Catraca Livre 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Homem mata a tiros, filma e divulga nas redes sociais, em Goiânia; veja vídeo

Vítima foi obrigada a se deitar no chão com as mãos na cabeça. Criminoso atirou várias vezes.
30/12/2018, 15h18

Jogadores amadores interromperam a pelada às 15h do último sábado (29/12) na Arena Canarinho quando ouviram a rajada de tiros na Alameda das Monções, no Setor Capuava, em Goiânia.

Sullivan Rodrigues Lima, de 30 anos, foi morto com pelo menos dez tiros enquanto o assassino, que o abordou a pé, filmava.

O corpo da vítima ainda estava debaixo de uma jambeira na calçada de uma residência quando o vídeo começou a circular por grupos de WhatsApp.

A família não confirmou, mas Sullivan costumava, segundo vizinhos, jogar futebol ou assistir a partidas amadoras na Arena Canarinho. Ele estaria indo ao local.

A vítima, que morava a três ruas do local onde foi executada, foi obrigada pelo assassino a se deitar de bruços, com as mãos na cabeça.

No vídeo, é possível ver Sullivan vestido com uma bermuda jeans, camiseta azul e preta. Ele estava apavorado.

A cerveja escorria da latinha, próxima às raízes da jambeira, ao mesmo tempo em que a vítima, de olhos fechados, era baleada, se retorcia e morria nos primeiros tiros que o atingiram.

O assassino vestia uma camiseta de manga longa, calça jeans e segurava uma sacolinha de plástico vermelha.

“É possível que seja execução, crime premeditado”, comentou por telefone ao Portal Dia Online, o delegado-adjunto da Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH), Ernani Cazer, que estava de plantão no sábado.

“O atirador ainda usou uma pistola com carregador estendido”, acrescenta o delegado.

Veja vídeo da execução em Goiânia

Segundo Cazer, a vítima tem passagens pela polícia, entre elas, uma por tentativa de homicídio. “Não sei mais detalhes sobre a ficha criminal dele.”

A investigação do crime deve começar na segunda-feira, sob responsabilidade da delegada-adjunta da DIH, Mirian Vidal.

O corpo da vítima foi liberado do Instituto Médico Legal (IML) na manhã deste domingo (30/12). Nenhum suspeito foi preso ainda.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

"Assim como eu, vocês não estão sozinhas", diz advogada agredida pelo namorado em Goiânia

Luciana Sinzimbra agradeceu todo o apoio recebido e disse que pretende ajudar outras mulheres também vítimas de agressão.
30/12/2018, 15h45

A advogada Luciana Sinzimbra, agredida pelo então namorado, o piloto Victor Augusto Amaral Junqueira, disse por meio de uma rede social que está se fortalecendo para ajudar outras mulheres também vítimas de agressão. A advogada resolveu falar sobre o trauma abertamente pela primeira vez em uma entrevista exclusiva dada ao programa Fantástico, da TV Globo, que vai ao ar neste domingo (30/12).

Luciana agradeceu todo o apoio recebido e ressaltou que outras mulheres que passam pela mesma situação que ela não estão sozinhas. “Estou aqui pra vocês como vocês estiveram para mim”, escreveu. Veja abaixo o relato completo:

Essa semana foi muito difícil para mim, além de estar lidando com um turbilhão de sentimentos em razão da agressão sofrida, me vi exposta pro Brasil com a divulgação do vídeo sem minha autorização, em plena véspera de Natal.

Como toda mulher que sofre agressão no começo me senti envergonhada e humilhada, mas com o passar da semana com apoio psicológico de profissionais, da minha família, amigos e de todos me mandaram mensagem, estou me fortalecendo para que minha dor se transforme em algo bom.

E é pensando nisso que resolvi expor minha história e dar voz a tantas Lucianas que estão sofrendo violência doméstica e não se dão conta, ou, às vezes, não possuem força para registrar ocorrência contra o agressor. Assim como eu, vocês não estão sozinhas.

Espero poder ajudar a construir um país com leis mais justas. Agradeço imensamente por estarem confiando em mim, seja como os relatos de agressões que sofreram, seja com desabafos ou com pedidos de socorro. Estou aqui pra vocês como vocês estiveram para mim.

 Advogada é agredida pelo namorado em Goiânia

Luciana teve um vídeo divulgado nas redes sociais no último dia 24, véspera de Natal. As imagens foram gravadas no dia 14 de dezembro e mostram ela sendo agredido pelo então namorado, Victor Junqueira. As agressões ocorreram, de acordo com depoimento, depois que o casal voltava de uma confraternização do trabalho da mulher na madrugada de sexta-feira (14/12).

No registro policial consta que ao chegarem à casa da vítima, no Setor Marista, o namorado ficou furioso com a mulher porque esta decidiu não convidá-lo para subir até seu apartamento. “A declarante subiu para seu apartamento e, pouco tempo depois, o suposto autor chegou, fechou a porta do quarto e, já transtornado, perguntou porque ela o tinha deixado sozinho”.

À Polícia Civil (PC), a Luciana relatou que foi agredida com socos, tapas, chutes e estrangulamento, além de xingamentos. “Afirmou que revidava as agressões, todavia, não conseguia medir forças com o suposto autor. No vídeo, enquanto tenta se defender, a moça pede a todo momento que o agressor parasse de bater e fosse embora, o que não é suficiente para convencê-lo.”

O caso já foi registrado na polícia e quando as imagens foram divulgadas já estava em processo de conclusão pela Polícia Civil.

Vídeo da agressão vaza nas redes sociais

Ao jornal Metrópoles, a advogada de Luciana,  Lana Carmo de Araújo Castelões, contou que a intenção nunca foi tornar o vídeo público. As imagens foram compartilhadas por um amigo de Luciana, pessoa no qual ela confiava. “Foi alguém que ela tinha relação de confiança. E ela pediu para as poucas pessoas que tiveram acesso para não compartilhar, mas essa pessoa acabou compartilhando, infelizmente”, ressaltou.

Imagens: Instagram 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.