Goiás

Homem é morto a tiros, em Goiânia

Vítima era conhecida como Tiririca e tinha uma ficha criminal extensa.
07/01/2019, 15h33

Um homem, de 35 anos, foi morto a tiros no início da tarde desta segunda-feira (7/1) no cruzamento entre as Avenidas Piratininga e Consolação, no setor Nossa Senhora de Fátima, em Goiânia. A vítima foi identificada pelo primeiro nome Ulisses, mais conhecido como Tiririca.

O caso foi confirmado ao Portal Dia Online pela Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH), e o delegado Dannilo Proto esteve no local do crime. A primeira a chegar ao local foi a Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO), que isolou a área.

“A informação que nós temos é que ele foi alvejado por vários disparos de duas pistolas calibre 9 milímetros”, conta o delegado. Conforme as informações fornecidas pela polícia, a vítima tinha uma ficha criminal extensa. Segundo o delegado, ainda não foi definida uma linha de investigação sobre o assassinato do homem.

O delegado afirmou também que até o momento ninguém foi preso e que a autoria e motivação do crime são desconhecidos.

Homem é morto em troca de tiros com a polícia

Amarildo Rosa de Oliveira, de 54 anos, morreu na noite do último sábado (5/1) em uma troca de tiros com a Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO), no Jardim Pampulha, em Aparecida de Goiânia, região metropolitana da capital.

Amarildo era suspeito de uma tentativa de feminicídio, na madrugada de sábado, contra a ex-esposa. Segundo o Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Aparecida de Goiânia, o suspeito pulou o muro da casa da ex e efetuou vários disparos, no entanto não acertou nenhum dos tiros na mulher.

A PM esteve no local e após ouvir os relatos iniciou as buscas pelo suspeito. Amarildo foi encontrado pela equipe policial e durante a abordagem atirou contra os policiais, que revidaram e alvejaram o suspeito. Amarildo chegou a ser socorrido e foi levado para o Cais do Jardim Nova Era para receber atendimento médico, no entanto ele não resistiu aos ferimentos e morreu.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Economia

IPVA: é melhor pagar o imposto à vista ou parcelar?

Comece 2019 com orçamento equilibrado. Veja recomendação de especialistas!
07/01/2019, 15h42

Para começar 2019 com o orçamento equilibrado, especialistas recomendam planejamento para quitar o imposto sobre a propriedade de veículos automotores (IPVA) sem pagar juros e comprometer os valores que poderiam ser destinados a outras contas. A Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo divulgou no início de dezembro a tabela com os prazos de vencimento.

As alíquotas do imposto permanecem inalteradas e o contribuinte que optar por pagar em parcela única terá desconto de 3%.

Para não passar aperto no começo do ano, o planejador financeiro Caco Santos recomenda que o pagamento do imposto seja incluído em um planejamento anual. “Se você sabe que vai pagar R$ 960 de IPVA, o ideal é dividir esse valor por 12 e guardar R$ 80 por mês para pagar à vista.”

Ele sugere que quem tem o dinheiro usufrua do benefício de 3% de desconto concedido pelo Estado e pague em uma única parcela. “Nenhum investimento minimamente moderado conseguiria ter um rendimento equivalente ao desconto habitual em três meses.” Ele completa: “Quem tem dinheiro aplicado em algum fundo de renda fixa, como o CDI, estaria perdendo por volta de 2,5% se pagasse em três parcelas, então é recomendado até sacar o dinheiro do investimento para pagar à vista.”

Parcelado

No entanto, para quem não conseguiu fazer uma reserva, a alternativa é dividir o IPVA 2019 em três parcelas. Foi o que o engenheiro mecânico Celso Corrêa fez.

Além dos impostos de começo de ano, como o IPTU, ele também tem gastos de matrícula e material escolar com o filho de 13 anos. “Para mim, vale mais a pena parcelar porque eu desembolso menos dinheiro de uma vez e consigo usar o crédito em outras dívidas que não possuem a facilidade do pagamento parcelado”.

Segundo a economista do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) Ione Amorim, ainda que pagar à vista seja benéfico, não é recomendado pegar um crédito pessoal para conseguir quitar o IPVA de uma vez. “Os juros praticados no atraso de um pagamento de imposto são bem inferiores aos praticados por qualquer instituição financeira”, aponta.

Ione também destaca a importância de se ficar atento para as datas de vencimentos das parcelas e alerta para possíveis golpes de boletos falsos. O aviso de vencimento do IPVA deixou de ser enviado no Estado de São Paulo em 2018. A Secretaria da Fazenda também não envia boletos bancários por e-mail ou por correspondência física.

Juros

No Estado de São Paulo, a multa diária por atrasado no pagamento do IPVA é de 0,33%, além de juros. Passados 60 dias, a multa fica em 20% do valor do imposto. No caso de inscrição na dívida ativa, a multa é de 40% do valor do IPVA.

O devedor também pode ter o seu nome incluído no Cadin Estadual, o que o impede de usufruir dos créditos provenientes da Nota Fiscal Paulista. Se o débito do IPVA for inscrito, a Procuradoria Geral do Estado pode cobrá-la mediante protesto.

O planejador financeiro Caco Santos destaca que, por ser um compromisso fiscal, o não pagamento de impostos pode gerar outros transtornos. Não pagar o IPVA impossibilita o proprietário de renovar o licenciamento do veículo.

“Se o licenciamento estiver em dia e o IPVA atrasado, o carro não pode ser apreendido, mas isso só acontece durante alguns meses, já que pouco tempo depois do vencimento do imposto é necessário fazer o licenciamento”, destaca. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Mais de 20 detentos fogem de cadeia pública no Ceará

Estado vive onda de violência e rebeliões prisionais.
07/01/2019, 17h01

A Secretaria de Administração Penitenciária do Ceará confirmou, na tarde de hoje (7), a fuga de 23 detentos da Cadeia Pública de Pacoti, cidade a 122 quilômetros da capital, Fortaleza. A fuga foi de manhã, durante o banho de sol, quando os presos pularam o muro da cadeia e tiveram acesso à área externa. Os procedimentos de busca já foram iniciados na região, informou o governo.

A fuga ocorre justamente em meio a uma onda de violência no Ceará, que já resultou em mais de 120 ataques a prédios públicos, estabelecimentos comerciais e veículos. Esta segunda-feira é o quinto dia consecutivo de ocorrências notificadas.

Por causa da violência, a frota de ônibus do transporte público na capital e na região metropolitana opera abaixo do efetivo normal.

O sistema de transporte público de Fortaleza e da região metropolitana opera abaixo do normal nesta segunda-feira (7), segundo informou o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus).

Sistema de transporte público de Fortaleza e da região metropolitana opera abaixo do normal – José Cruz/Agência Brasil

No balanço mais recente, a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social confirmou a prisão de 148 pessoas suspeitas de envolvimento nos ataques.

O governo do estado está transferindo, de forma imediata, 20 detentos considerados líderes de facções criminosas no estado, para penitenciárias federais de segurança maxima. As vagas, num total de 60, foram disponibilizadas pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, após pedido do governador Camilo Santana.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Médium suspeito de matar mulher em Aparecida de Goiânia se apresenta na polícia

Antônio Miguel Rodrigues é investigado por outros dois homicídios na Bahia.
07/01/2019, 17h01

O médium Antônio Miguel Rodrigues, de 55 anos, se apresentou a Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) na tarde desta segunda-feira (7/1) para prestar depoimento sobre a morte de duas pessoas na Bahia e uma em Goiás.

Além de ser investigado por essas duas mortes na Bahia, Antônio Miguel também é investigado por outro homicídio, em Aparecida de Goiânia. O inquérito foi aberto na Bahia e é investigado pelo delegado Romero Cavalcanti do Distrito Policial (DP) de Barreiras, na Bahia.

O inquérito policial segundo o delegado foi aberto, após o marido de uma das vítimas, que morreu ao passar pelo procedimento com o médium, denunciar o caso. Além da mulher, um senhor que também passou pelo processo ficou em estado grave com inchações e inflamações.

“As cirurgias eram feitas em uma chácara da cidade que é de uma vereadora”, conta o delegado. Conforme Romero Calvacanti, o caso ainda passa por instrução no DP de Barreira na Bahia e o médium não foi intimado a depor até o momento.

Médium é investigado pela morte de uma mulher em Aparecida de Goiânia

Além das duas mortes na Bahia, Antônio Miguel, é investigado pela morte de uma outra mulher, em Aparecida de Goiânia, região metropolitana da capital. Conforme as informações publicadas pelo G1, Raimunda Matos de Souza, de 55 anos, morreu ao sofrer uma parada cardíaca após fazer uma cirurgia com o médium em um centro espírita.

O médium se apresentou espontaneamente na sede da Central de Flagrante de Aparecida de Goiânia e prestou depoimento. A delegada titular da 2º Regional de Aparecida de Goiânia, Cybelle Tristão, ouviu Antônio Miguel. Na matéria publicada, Cybelle Tristão afirmou que o médium citou apenas os casos da Bahia, e não mencionou os casos de Goiás, além de negar todas as acusações.

A delegada afirmou ainda que é preciso recolher mais elementos, e ouvir outras testemunhas, para depois intimar o médium. Cybelle Tristão conta que o advogado de Antônio Miguel já entrou em contato com ela, e que assim que houver outras provas, o médium vai se apresentar para prestar um novo depoimento.

Via: G1 
Imagens: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Ministério da Justiça fala em redução em ataques no CE; balanço aponta 144

Os números desta segunda-feira, 7, ainda não foram disponibilizados e vão indicar se há uma tendência de debelar a crise na segurança local ou se a situação ainda está fora de controle.
07/01/2019, 17h44

O número de ataques em Fortaleza e demais cidades do Ceará desde o dia 2 chegou a 144, segundo dados do Ministério da Justiça e Segurança Pública. A pasta destaca, no entanto, que houve uma redução desde o início da atuação da Força Nacional.

Os 330 homens e 20 viaturas da Força Nacional começaram a atuar em apoio às forças de segurança estaduais às 19h do sábado (5/1). Ao longo daquele dia, foram registrados 38 ataques. No domingo, o número caiu para 23.

Os números da segunda-feira, 7, no entanto, ainda não foram disponibilizados. Eles poderão indicar se há uma tendência de debelar a crise na segurança local ou se a situação ainda está fora de controle.

Na capital, na região metropolitana e no interior do Estado, os atentados alvejaram desde carros e prédios públicos a uma torre de polícia.

No domingo, foi destruída a base de uma operadora de telefonia móvel na cidade de Limoeiro do Norte, no interior do Estado, deixando 11 cidades sem o serviço da operadora. Os ataques, de maneira geral, estão sendo investigados como feitos por facções criminosas no Ceará.

A Força Nacional está realizando ações de patrulhamento ostensivo, preventivo e repressivo em pontos como terminais rodoviários e vias de grande circulação. A previsão é que de permaneça no Estado por até 30 dias, prazo que poderá ser prorrogado. O planejamento das operações é feito pela Polícia Militar do Estado do Ceará.

Em outras frentes, a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal e o Departamento Penitenciário Nacional têm atuado nas investigações sobre os crimes cometidos dentro e fora das prisões.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.