Goiás

Procon Goiânia faz alerta a universitários sobre empresas de formatura

Uma audiência chegou a ser marcada com os proprietários de empresa que decretou falência, dando prejuízo a centenas de estudantes.

Por Ton Paulo
07/01/2019, 15h22

O superintendente do Procon Goiânia, em entrevista à imprensa, fez um alerta a estudantes universitários quanto às empresas de formatura contratadas pelos formandos para fazer a tão sonhada Colação de Grau. O alerta foi feito depois que um empresa de eventos de Goiânia decretou falência, deixando no prejuízo centenas de estudantes que haviam contratado os serviços da empresa e estavam pagando por eles. Uma audiência chegou a ser marcada com os proprietários da empresa.

Em dezembro do ano passado, a reportagem do Dia Online denunciou o caso de estudantes de Jornalismo e Publicidade e Propaganda da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás) que haviam sido deixados na mão após a falência da empresa Original Eventos, de Goiânia.

A Original Eventos, que realizava cerimônias de formatura para concluintes do Ensino Superior, comunicou no ano passado a abertura de falência, deixando na mão, no dia 20/12, todos os estudantes que tinham contrato fechado com ela e que pagavam, mensalmente, pelo tão esperado evento que marca a conclusão do curso superior.

O caso ganhou repercussão, e vários estudantes que foram lesados pela empresa procuraram o Procon Goiânia. Depois de procurado pelos formandos, o órgão passou a investigar a Original Eventos Assessoria e Cerimonial Ltda, empresa contratada para realizar formaturas, mas que decretou falência antes de cumprir os contratos. Diante disso, foi marcada uma audiência com os empresários para o dia 21 de janeiro para checar as informações.

O superintendente do Procon Goiânia, Walter Silva, em entrevista à imprensa, fez um alerta aos estudantes que pretendem contratar uma empresa para realizar a formatura, diante de toda a repercussão do caso em questão. “É preciso estar por dentro da situação da empresa e, para isso, a melhor medida é acompanhar suas atividades, com visitas, pesquisas de contratos já firmados, além de ter conhecimento sobre os serviços realizados para outros clientes”, pontuou ele.

Audiência foi marcada com donos da Original Eventos, que atuavam no ramo de empresas de formatura, para esclarecimentos

De acordo com Walter Silva, o objetivo do Procon Goiânia no encontro marcado com os proprietários da Original Eventos é ouvir as razões pelas quais levaram a empresa a decretar falência e intermediar com as comissões de formatura negociações para devolução dos recursos que foram repassados pelos alunos à empresa. A maioria dos contratos deveria ser cumprindo nos próximos meses. O prejuízo, conforme o superintendente do Procon Goiânia, Walter Silva, pode chegar a R$ 3 milhões.

Todo o trabalho, de acordo com Walter Silva, ocorre em consonância às investigações do 7° Distrito Policial (DP) da Polícia Civil do Estado de Goiás (PC-GO), responsável pelo caso. “Os empresários já foram identificados e estamos realizando todo o trabalho pertinente em defesa dos consumidores”, lembra Walter, acrescentando que os alunos não podem ter os seus sonhos interrompidos e que o impacto do problema deve ser minimizado.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.