Educação

Material escolar pode ter variação de 233%, em Goiânia

Procon Goiás orienta os consumidores a pesquisar pelo menos três papelarias e comprar os produtos mais baratos encontrados em cada uma delas.
08/01/2019, 16h19

Além da preocupação com o valor das matrículas para o ano escolar de 2019, a outra aflição dos país ou responsáveis é com o valor do material para o ano letivo. Pensando nisso, o Procon Goiás divulgou na última sexta-feira (4/1) uma pesquisa sobre o valor encontrado para este ano nas papelarias.

Durante a pesquisa, o Procon Goiás visitou 10 papelarias e observou 122 itens que estão na lista de materiais escolares para o ano letivo de 2019. O órgão constatou que houve um aumento médio de 1,64% no valor do material escolar para este ano, em comparação com 2018.

Material Escolar com aumento de 233%

Além dos 122 produtos listados, a pesquisa também orienta os consumidores a terem cuidado redobrado com instituições de ensino que estão incluíndo produtos proibidos na listagem. Durante a pesquisa, o Procon Goiás analisou produtos idênticos, e constatou uma variação de 233% de uma papelaria para outra.

Entre os materiais escolares com preços observados durante a pesquisa, está a borracha número 40 da marca “Mercur”, que foi encontrada com o menor preço de R$ 0,30 e o com o valor de R$ 1,00 que mostra a variação de 233% de uma papelaria para outra.

Outro ponto levado em consideração durante a pesquisa de preços sobre o material escolar, em 2019, foi a compra de marcas conhecidas. E conforme os dados divulgados, adquirir os materiais de marcas famosas pode encarecer a compra em até 134,57%. Durante a pesquisa por exemplo, o Procon encontrou uma caixa de lápis de cor grande com 24 unidade da “Faber Castell” com valor de R$ 32,84, enquanto em outras papelarias, as equipes encontraram o mesmo produto sendo comercializado por R$ 14,00.

Para quem busca economizar na hora da compra do material escolar do filho, o Procon indica fazer um fracionamento no momento de adquirir os produtos. A orientação do órgão é para o consumidor listar pelos menos três papelarias, fazer a pesquisa de preços e após esse levantamento, comprar os produtos mais baratos encontrados em cada estabelecimento.

Via: Procon Goiás 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.