Goiás

PM e bombeiros de Goiás ameaçam paralisar caso não recebam até dia 10 de janeiro

Presidente de associação de PM e bombeiros de Goiás diz que "policiais e bombeiros não vão pagar o preço de situação financeira herdada".

Por Ton Paulo
08/01/2019, 14h15

A PM e bombeiros de Goiás não estão nada satisfeitos com a possibilidade de não receberam do Estado. A Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar do Estado de Goiás (ACS) publicou um comunicado, na noite da última segunda-feira (7/1), em que avisa que os militares podem se mobilizar e fazer uma paralisação caso não recebam o salário referente ao mês de dezembro até o dia 10/1. Presidente da Associação diz, no comunicado, que “policiais e bombeiros não vão pagar o preço de situação financeira herdada por quem assumiu o cargo [Governo de Goiás]”.

No texto divulgado pela ACS, o Sargento Gilberto Cândido de Lima, que preside a entidade de policiais e bombeiros militares de Goiás, salienta que a associação é “frontalmente contra a intenção do governador Ronaldo Caiado que propôs parcelar, em até oito vezes, o salário do mês de dezembro das duas corporações”.  O sargento ainda lembrou que “uma das principais promessas de campanha do recém-empossado Governador era a manutenção do pagamento da folha em dia”, e o mesmo já sinaliza que isso pode não ocorrer.

“Ele mal assumiu e já quer descumprir uma de suas principais propostas de campanha”, protesta o sargento, no texto publicado no site oficial da ACS.

Ainda de acordo com o comunicado, Gilberto Cândido, que representa mais de seis mil associados, entre ativos e inativos, diz que vai aguardar até o dia dez deste mês pela quitação integral dos salários, caso contrário vai mobilizar a tropa para forçar o Governo a cumprir com sua obrigação. “Há mais de vinte anos nossos salários são pagos em dia, dentro do mês trabalhado. Nossos policiais e bombeiros não vão pagar o preço de situação financeira herdada por quem assumiu o cargo. Trabalhamos honestamente e precisamos receber”.

O presidente da ACS ainda critica o fato de outras categorias do serviço público estadual ter recebido ou terem garantia de que vão receber até dia dez e os policiais e bombeiros ficarem de fora. “Outros servidores vão receber o salário de uma vez, como os da Assembleia Legislativa e do Poder Judiciário, e os policiais e bombeiros vão ficar de fora. Não aceitamos isso. Se até o dia dez não nos pagar vamos convocar uma assembleia geral e vamos paralisar nossas atividades”, afirma.

O sargento e presidente da ACS finaliza alertando que “a Associação dos Cabos e Soldados não vai aceitar que seus associados e os demais policiais e bombeiros fiquem sem receber”. “Se houver necessidade de fazer uma paralisação, vou convocar uma assembleia geral e vamos estar todos juntos. Tenho certeza que terei apoio de todas as Praças. A responsabilidade pelo atraso no pagamento não é nossa, mas vamos cobrar com todas as forças o cumprimento dessa obrigação”, finalizou.

Sobre ameaça de paralisação da PM e bombeiros de Goiás, Sefaz diz que ainda não tem posicionamento do Governo

A reportagem do Dia Online entrou em contato com a Secretaria da Fazenda do Estado de Goiás (Sefaz), que disse, por meio de sua assessoria, que ainda não tem um posicionamento sobre o pagamento dos salários.

A assessoria disse, ainda, que a secretaria, Cristiane Schmidt , estava em Brasília em reunião com pessoal do Tesouro Nacional, e prometeu, em breve, uma nota com respostas às demandas.

Entretanto, em entrevista depois da cerimônia de posse, ocorrida no dia 1/1, o vice-governador de Goiás, Lincoln Tejota (Pros) falou sobre a situação das contas do Estado e do impasse do pagamento dos servidores estaduais relativo ao mês de dezembro. De acordo com Tejota, o governo anterior deixou “um rombo” nas contas públicas, e que o atual governo, de Ronaldo Caiado, pagará o funcionalismo público “no momento oportuno, quando tiver caixa”.

Sindicatos se reuniram com governador Ronaldo Caiado para falar sobre a situação

Representantes de vários sindicatos de servidores públicos estaduais se reuniram na tarde da última quinta-feira (3/12) com o governador do Estado de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), e a secretária de Economia, Cristiane Alkmin Junqueira Schmidt e deputados estaduais para discutir a questão do pagamento dos salários referentes ao mês de dezembro de 2018. Na reunião, que ocorreu no Palácio Pedro Ludovico, foi proposto aos líderes dos sindicatos um parcelamento para para pagamentos dos atrasados, proposta essa rejeitada por eles.

Uma nova reunião foi marcada para o dia 17 deste mês. Segundo Caiado, Zé Eliton, ex-governador do Estado, deixou dívida de 3,4 bilhões de reais e 11 milhões em caixa, o que estaria dificultando o pagamento da folha dos servidores.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Entretenimento

Artesanato em Goiânia: 9 lugares que você precisa conhecer

Está em busca de acessórios para artesanato em Goiânia ou de produtos prontos para decorar sua casa? A capital oferece variedade e é possível encontrar artigos para todos os gostos.
08/01/2019, 14h26

O artesanato é uma antiga técnica de produção manual, utilizada com o objetivo de criar objetos a partir de matéria-prima natural. Já foi bastante utilizado por todas as partes do mundo, mas acabou sendo esquecido a partir da Revolução Industrial, já que surgiram métodos mais eficazes de fabricação. No entanto, já faz algum tempo que a técnica voltou com tudo, sendo ainda mais valorizada por todo o cuidado e delicadeza que o processo envolve. Portanto, se você é um dos vários adeptos e está procurando por artesanato em Goiânia, seja para alimentar um hobbie, fazer uma renda extra, ou simplesmente porque pretende decorar sua casa, podemos te ajudar.

Nós aqui do Portal Dia Online preparamos uma listinha com lojas e ateliês na cidade, onde é possível encontrar desde produtos já prontos, até matéria-prima para que você possa produzir suas peças, ou cursos para aqueles que se interessam em aprender as técnicas do artesanato. Vale a pena conferir! Dá uma olhada!

Opções de artesanato em Goiânia:

1 – Feira do Cerrado

artesanato em Goiânia
Foto: Reprodução

Para quem pretende comprar artesanato em Goiânia, uma das melhores opções fica por conta da Feira do Cerrado, que atua justamente nesse segmento. O lugar é excelente e fica próximo ao Estádio Serra Dourada.

As peças de artesanato são feitas sempre com muito cuidado por artesãos locais. Existem coisas que não encontramos em nenhum outro lugar! Vale muito a pena conhecer, principalmente devido ao custo benefício, já que é possível encontrar artigos bonitos e baratos, de qualidade inquestionável.

A feira também conta com um espaço destinado a alimentação, onde é possível encontrar bancas que servem deliciosos cafés da manhã e outros lanches.

Horário de funcionamento: quinta, atendimento 24 h / domingo, das 9h às 13h

Endereço: Parque da Criança – R. 72, s/n – Jardim Goiás, Goiânia – GO, 74810-360

2 – Andrea Artesanato

artesanato em Goiânia
Foto: Reprodução

Para quem está em busca de artesanato em Goiânia, esta também é uma excelente opção! O ambiente conta sempre com bom atendimento e variedade de produtos, desenvolvidos com os mais diversos materiais.

Um diferencial da loja é que também trabalham oferecendo cursos para quem pretende aprender um pouquinho mais sobre artesanato. É possível participar de aulas presenciais, que costumam ser ministradas no mesmo ponto comercial, mas o site também oferece videoaulas gratuitas sobre diversos temas. Vale muito a pena conhecer e se inspirar! Para conferir, basta clicar aqui!

Horário de funcionamento: segunda a sexta, das 8h às 18h / sábado, das 8h às 13h

Telefone: (62) 3294-2737

Endereço: Av. Honestino Guimarães, 633 – St. Campinas, Goiânia – GO, 74510-020

3 – Vitória Artesanatos

artesanato em Goiânia
Foto: Reprodução

A lojinha conta com excelente variedade de produtos para decoração, todos produzidos artesanalmente. Para quem pretende decorar o quarto do bebê, por exemplo, é uma boa escolha já que oferece diversos artigos voltados para o público infantil. Também é recomendado para quem busca por materiais para produzir suas próprias peças.

Horário de funcionamento: segunda a sexta, das 8h às 18h / sábado, das 8h às 13h

Telefone: (62) 3291-7244

Endereço: Av. Honestino Guimarães, 528 – St. Campinas, Goiânia – GO, 74510-020

4 – Fio e Arte

artesanato em Goiânia
Imagem ilustrativa. Foto: Reprodução/ Fio e Arte

Fio e Arte é uma lojinha de materiais para artesanato em Goiânia. Por ali é possível encontrar de tudo um pouco, no entanto, sua especialidade fica por conta de aviamentos. É possível encontrar opções diversificadas, principalmente para quem trabalha ou adora fazer bordados.

Horário de funcionamento: segunda a sexta, das 8h às 18h / sábado, das 8h às 13h

Telefone: (62) 3229-2226

Endereço: Rua 4, 945 – St. Central, Goiânia – GO, 74020-060

5 – Tupinambas Artesanato

artesanato em Goiânia
Foto: Reprodução

A loja é uma das melhores do segmento na cidade, oferecendo sempre para seus clientes um excelente atendimento e produtos de qualidade, produzidos em materiais variados que agradam a todos os gostos e expectativas. Vale mencionar também o custo benefício do ambiente, que é um de seus pontos mais atrativos.

Para quem prefere a comodidade de poder comprar sem sair de casa, a loja também conta com um site onde é possível comprar alguns de seus principais produtos. Ainda é possível aproveitar um curso online de decoração. Vale a pena conhecer! Para conferir o site, clique aqui.

Horário de funcionamento: segunda a sexta, das 8h às 21h / sábado e domingo, das 8h às 17h

Telefone: (62) 3242-1057

Endereço: Av. Dep. Jamel Cecílio, 1738 – St. Pedro Ludovico, Goiânia – GO, 74085-580

6 – Menina dos Brincos – Acessórios e Artesanatos

artesanato em Goiânia
Foto: Reprodução

No lugar é possível encontrar de tudo um pouco. As peças de artesanato são produzidas sempre com a mais alta qualidade, requinte e bom gosto, servindo como lindos presentes ou lembrancinhas para aniversários, casamentos, chá de panelas e eventos em geral.

Horário de funcionamento: segunda a sexta, das 8h às 18h / sábado, das 8h às 12h

Telefone: (62) 98304-8711

Endereço: Rua 17 Quadra 43 Lote 12 – Jardim Santo Antônio, Goiânia – GO, 74853-300

7 – AM Artesanato Marabá

artesanato em Goiânia
Foto: Reprodução

Para quem busca por peças de decoração e mobiliário em Goiânia produzidos artesanalmente, esta também é um excelente opção. Todos os produtos são de alta qualidade, planejados para satisfazer seus clientes. As peças são lindas e ajudam a dar um ar sofisticado para os ambientes de sua casa. Vale a pena conhecer!

Horário de funcionamento: segunda a sábado, das 8h às 18h

Telefone: (62) 3241-6481

Endereço: Quadra F43A, Lote 206, Rua 115, 1620 – St. Sul, Goiânia – GO, 74085-328

8 – Ateliê Jujulinha

artesanato em Goiânia
Foto: Reprodução

O artesanato em Goiânia também pode ser bem aproveitado no Ateliê Jujulinha. Isso porque além de lindas peças, o ambiente ainda oferece cursos para todos os que se interessarem em aprender um pouquinho mais sobre a arte de produzir artigos artesanalmente. É ideal para quem gosta de Patchwork e Quilt.

Ainda é possível encontrar uma lojinha virtual e um blog recheado de informações sobre esse universo. Para saber mais e conferir os detalhes, basta clicar aqui.

Horário de funcionamento: segunda a sexta, das 8h às 18h / sábado, das 8h às 13h

Telefone: (62) 98174-2210

Endereço: Rua 4, 731 – 4 – St. Central, Goiânia – GO, 74025-020

9 – Kacique Aviamento e Artesanato

artesanato em Goiânia
Foto: Reprodução

Este é um bom lugar para a compra de acessórios para artesanato em Goiânia. Além de encontrar variedade de materiais relacionados, ainda conta com boas opções em linhas, fitas, colas e outros tipos de aviamentos.

Além disso ainda é possível encontrar produtos prontos, de alta qualidade e que se destacam pelo encanto e cuidado com que foram produzidos. O custo benefício é excelente quando comparado a outros lugares da capital.

Horário de funcionamento: segunda a sexta, das 8h às 18h / sábado, das 8h às 12h

Telefone: (62) 3233-5820

Endereço: Av. São Paulo, 496 – St. Campinas, Goiânia – GO, 74510-030

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Política

Ex-prefeito de Pontalina é condenado por compra de votos

Após a assinatura da parceria, teve uma distribuição de cheques moradia durante a campanha eleitoral, que era acompanhado do pedido de voto.
08/01/2019, 15h04

O ex-prefeito de Pontalina, cidade a 120 quilômetro de Goiânia, Jurandir Augusto da Silva (PSB) e o advogado e candidato a vice-prefeito da cidade Sebastião Pires da Silva, foram condenados pelo Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO), pelos crimes de responsabilidade fiscal e corrupção eleitoral, após comprar votos nas eleições para prefeito em 2012, com verba pública destinada ao município.

Segundo o MP, o ex-prefeito foi condenado a sete anos de reclusão, com a condenação de três anos e dez dias, pelo crime de corrupção eleitoral, e os outros quatros anos de prisão pelo crime de responsabilidade fiscal. Enquanto Sebastião Pires da Silva, foi condenado a cinco anos de reclusão, sendo dois anos e dez dias por corrupção eleitoral e três anos pelo crime de responsabilidade.

Com a condenação do ex-prefeito e do advogado, os dois não podem exercer nenhum cargo ou função pública, eletivo ou de nomeação pelos próximos cinco anos, de acordo com o Ministério Público.

Conforme as informações do MP, Jurandir estava concorrendo à reeleição e Sebastião era o candidato a vice-prefeito. No ano eleitoral, o município firmou um acordo com a Agência Goiana de Habitação  (Agehab) para implantação do Programa Morada Nova, o que é uma modalidade de Cheque Moradia, para reforma e/ou ampliação do imóvel.

Compra de votos nas eleições

O acordo firmado na época entre a prefeitura de Pontalina e Agehab, girou em torno de R$ 1,4 milhão em Cheques Moradias. A parceria previa que as famílias receberiam até R$ 1,5, conforme as condições apresentadas no cadastro da agência e iria atender cerca de 936 famílias do município.

O MP lembra que o acordo foi assinado poucos dias antes do início da campanha eleitoral, o que da entender que o dinheiro arrecadado, foi utilizado para promoção pessoal do ex-prefeito e do candidato a vice-prefeito da cidade. Conforme o Ministério, após a assinatura da parceria, teve uma distribuição de cheques moradia durante a campanha eleitoral, que era acompanhado do pedido de voto.

O caso foi levado a Justiça Eleitoral, que julgou a ação dos acusados, e os condenou pelos crimes. O ex-prefeito tentou recorrer da decisão no Tribunal Regional Eleitoral (TRE), no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). De acordo com o MP, os dois condenados respondem outros processos, por improbidade administrativa.

Imagens: Facebook 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Política

Caiado diz que Zé Eliton não empenhou folha dos servidores para se livrar da Lei

Caiado ainda disse que pauta do governo anterior era "desumana", e que posturas adotadas em Goiás levaram o Estado à falência.

Por Ton Paulo
08/01/2019, 16h10

Em entrevista concedida à Globo News na manhã desta terça-feira (8/1), o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), pintou um quadro nada animador sobre a atual situação do Estado, e não poupou críticas à última gestão. De acordo com o democrata, a pauta do governo anterior era “desumana”, e que posturas adotadas em Goiás levaram o Estado à falência. Caiado ainda disse que Zé Eliton teria deixado de empenhar a folha de pagamento dos servidores públicos de dezembro para não ser penalizado pela Lei de Responsabilidade Fiscal.

Caiado deixou claro que a situação econômica do Estado não é nada boa, e que não pode contar com ajuda federal. Ele afirmou estar “trabalhando diuturnamente” para resolver a questão. “Já fui ao Ministro Paulo Guedes, ao Tesouro Nacional, e Goiás foi rebaixado para letra “D”, não tem aval, não tem como contrair empréstimo”, lembrou. Entretanto, mesmo diante do cenário caótico, Goiás deve receber, no dia 21 de janeiro, uma comitiva do Governo Federal para avaliar a situação fiscal do Estado e para que, a partir dessas constatações, possam ser apontadas diretrizes para sanar o problema.

Questionado sobre o salário do funcionalismo público, Caiado ressaltou a irresponsabilidade do governo anterior, de Zé Eliton, do PSDB, que deixou em caixa apenas R$ 11 milhões em recursos, e uma dívida que ultrapassa os R$ 3 bilhões. Ele apontou uma “manobra do grupo político que comandou o Estado durante 20 anos, como um desrespeito aos servidores públicos“. De acordo com Caiado, em uma tentativa de livrar o CPF, o ex-governador não empenhou a folha do mês de dezembro, um artifício para fugir da Lei de Responsabilidade Fiscal. Segundo o governador, a gestão passada deveria ter deixado receita para o pagamento dos servidores, mas a folha sequer foi empenhada.

“O ex-governador, para livrar o seu CPF, não empenhou a folha de dezembro. Veja a que ponto chegou. Então, essa dívida não existe. Ele, para não ser penalizado pela Lei de Responsabilidade Fiscal, já que teria que deixar o depósito, ou seja, a receita do pagamento do salário de dezembro, sequer empenhou”, disse.

Caiado também comentou situação caótica da saúde

O governador, ainda na entrevista, também falou sobre a grave situação dos hospitais do Estado. Caiado já visitou duas Unidades desde sua posse: Hospital de Urgência de Goiânia (HUGO) e Hospital Materno-Infantil (HMI). O democrata classificou a situação como de colapso. “O que se vê hoje são os pacientes internados e as distribuidoras não aceitam sequer repassar o medicamento. Esse é outro problema sério. Estamos lidando com vidas”, disse.

“Existe o Hospital Materno Infantil: é preciso ver o colapso daquela unidade, onde há crianças recém-nascidas com lesões graves. É algo avassalador. É insensibilidade. A pauta do governo era totalmente desumana. Era no sentido de se beneficiar politicamente”, finaliza o governador.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Economia

Novo presidente da Caixa nega alta de juro do crédito imobiliário para classe média

Ele afirmou na cerimônia de posse dos novos titulares dos bancos públicos, em Brasília, que "quem é classe média tem de pagar mais".
08/01/2019, 16h12

O novo presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Pedro Guimarães, negou nesta terça-feira, 8, que o banco vai aumentar os juros do crédito imobiliário para a classe média. Na segunda-feira, na cerimônia de posse dos novos titulares dos bancos públicos, em Brasília, ele afirmou que “quem é classe média tem de pagar mais”. “Ou vai buscar no Santander, Bradesco, Itaú. Na Caixa, vai pagar um juro maior que o do Minha Casa, certamente, porque vai ser um juro de mercado”. Segundo Guimarães, porém, a declaração foi reproduzida de forma distorcida pelos veículos de imprensa.

Após participar da cerimônia de transmissão de cargo do novo presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Levy, no Rio, Guimarães esclareceu que sua afirmação foi uma constatação matemática, já que o menor juro do mercado no crédito imobiliário é o do programa Minha Casa Minha Vida (MCMV).

Guimarães qualificou a forma como suas declarações foram publicadas de “desonestidade intelectual” e disse que não é “correto matematicamente” comparar o crédito imobiliário do MCMV com o crédito para a classe média. “É óbvio que o juro para a classe média, que não é o MCMV, por definição matemática, é maior. Aí, vocês (a imprensa) trocaram o que falei para dar manchete. Agora, matematicamente, o MCMV para pobre é menor. Foi o que falei”, disse Guimarães. ()

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.