Entretenimento

YouTuber Thaynara OG estreia dois programas no verão do canal GNT

10/01/2019, 06h48

Apresentadora comanda programa de batalha culinária e de viagens pelo Brasil

Foi no já não mais tão popular aplicativo Snapchat que Thaynara OG fez fama, em 2016. Falando com seus seguidores diretamente de São Luís, no Maranhão, sua terra natal, se tornou cada vez mais popular na plataforma, utilizando expressões locais que chamavam a atenção, como o seu popular “kiu!”, e seguiu para outros caminhos nas redes sociais, o YouTube e o Instagram. Em 2017, passou a apresentar um programa especial para o canal pago GNT no YouTube e, em 2018, entrou na programação regular com Minha Vida é Kiu.

Agora, na programação especial de verão do GNT, Thaynara estreia de uma só vez duas novas atrações no canal. A primeira, que vai ao ar nesta quinta-feira, 10, a partir das 21 horas, é uma competição gastronômica, Chef ao Pé do Ouvido.

A apresentadora não tem grandes experiências na cozinha, mas os participantes também não. A cada semana, dois competidores leigos em culinária precisam preparar receitas apenas ouvindo, por um ponto eletrônico, as orientações dos chefs Renata Vanzetto e Raphael Cesana.

“É um formato que já existe em outros países, mas ainda não havia sido feito no Brasil”, explica Thaynara ao jornal O Estado de S. Paulo. “Sinto que tem muito a ver comigo, é um pouco cômico, me senti à vontade para ser espontânea.” Thaynara brinca que algumas situações bem inesperadas marcaram o programa. “Teve um participante que o chef pediu um fio de azeite e a pessoa ficou procurando o fio”, ri.

Apesar das trapalhadas dos cozinheiros de primeira viagem, a apresentadora garante que os resultados são emocionantes. “São histórias de superação, as pessoas ficam muito emocionadas quando veem o que são capazes de fazer na cozinha.”

A própria Thaynara confessa que também aprendeu muito com o programa. “Tenho o paladar muito infantil”, brinca. “Foi muito legal poder conhecer os chefs e pratos mais refinados.” No total, a primeira temporada do programa terá 10 episódios. Em um quadro especial, Thaynara vai interagir virtualmente com a apresentadora Palmirinha Onofre, que vai dar dicas de culinária e de segurança na cozinha.

O outro programa de Thaynara no GNT estreia no dia seguinte, dia 11, às 21h30. Minha Vida é KIU #PartiuViagem, como o nome já indica, vai mostrar a apresentadora em viagens por lugares diferentes do País, acompanhada de convidados especiais. Já no primeiro epiódio, Daniela Mercury e Lucy Alves vão com OG até Alcântara, no Maranhão.

“Já tinha ido até Alcântara, mas nunca havia explorado tanto o lugar”, revela a maranhense. Segundo Thaynara, o objetivo do programa é apresentar lugares especiais do Brasil que não tão turísticos. “Queremos explorar destinos que o brasileiro precisa conhecer mais.”

O próprio Maranhão é cenário ainda de outro episódio, mas o programa evitou lugares mais populares, como os Lençóis Maranhenses. Em vez disso, foi escolhida a Chapada das Mesas, já próximo ao Tocantins. “Eu mesma nunca fui e sempre tive vontade de ir.”

O programa conta ainda com aventuras por outros três Estados brasileiros, Pará, Amazonas e Goiás. Dentre os desafios, um mergulho com botos no Rio Negro e um passeio com búfalos na Ilha de Marajó. “Eu achava que era medrosa, mas me surpreendi. Eu precisava encorajar os convidados também”, revela Thaynara.

A rotina de gravações foi puxada. Foram 20 dias seguidos na estrada, entre os deslocamentos e as aventuras. “Exigia muito, mas consegui render bem até o final. Meu medo era parecer cansada nas últimas gravações.”

Uma segunda temporada já vem sendo cogitada, de acordo com Thaynara. A dúvida, segundo ela, é se os destinos explorados continuarão sendo no Brasil, ou se o programa deve começar a ser gravado no exterior.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Mundo

Polícia investiga parto de mulher em coma há mais de 10 anos

Ela deu à luz mês passado.
10/01/2019, 06h56

A polícia de Phoenix, nos EUA, requisitou exames de DNA dos funcionários homens de uma clínica do Estado do Arizona, onde uma mulher em coma há mais de uma década deu à luz no mês passado.

Os investigadores apresentaram na quarta-feira, 9, uma ordem judicial para que os empregados façam exames de sangue para tentar descobrir se o homem que estuprou a mulher trabalha na clínica Hacienda Healthcare. Em razão do escândalo, o diretor da clínica, Bill Timmons, renunciou ao cargo.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Entretenimento

Homem-Aranha: Uma homenagem ao verdadeiro herói de mil faces

O personagem foi criado por Stan Lee e Steve Ditko.
10/01/2019, 07h12

Desde a sua primeira aparição, em agosto de 1962, o Homem-Aranha foi reimaginado dezenas de vezes. Embora a roupagem original de Steve Ditko tenha permanecido quase imutável, os quadrinhos são um grande laboratório de ideias.

A primeira grande releitura do herói foi seu uniforme negro, um alienígena que se une ao corpo de Peter Parker durante a saga Secret Wars (1984-85) e viria a ser um de seus principais antagonistas, Venom. A partir dos anos 1990, o cabeça de teia ganhou diversas versões e uniformes alternativos, indo até para o passado ou futuro. Em Spider-Man 2099 (1992), quem assume o manto futurista do herói é Miguel OHara, que se envolve em um acidente de laboratório e tem seus genes misturados aos de uma aranha, ganhando poderes semelhantes aos do antigo Homem-Aranha, cujos passos decide seguir. Já em Spider-Man Noir (2009), o personagem vive durante a Grande Depressão americana como um pistoleiro mascarado, vestido todo de preto.

Os desenhos animados são bem mais avessos à mudança que as HQs. De todas as aparições do amigão da vizinhança na TV, desde 1967, apenas a série Unlimited (1999) trouxe um uniforme mais moderno. No cinema, os filmes dirigidos por Sam Raimi, Mark Webb e Jon Watts se inspiraram também no visual clássico criado por Steve Ditko, mas o uniforme que o herói interpretado por Tom Holland veste em Vingadores – Guerra Infinita faz alusão à Iron Spider, armadura que o personagem usa durante a saga Guerra Civil (2006).

Com a animação Homem-Aranha no Aranhaverso, finalmente essas e outras versões do personagem ganham o grande público no cinema. O filme introduz aos espectadores não habituados ao mundo das HQs, com suas idas e vindas de roteiro, o importante conceito de universos paralelos. Não bastasse o nível técnico e estético da animação, o longa constitui mais um elo fundamental na já intrincada relação entre cinema e quadrinhos.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Mundo

Cúpula militar da Venezuela reafirma apoio a Maduro

Segundo mandato de Nicolás Maduro não foi reconhecido pelo Parlamento.
10/01/2019, 08h31

O alto comando das Forças Armadas Nacionais Bolivarianas reafirmou nesta quinta-feira, 9, seu apoio ao presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, na véspera de sua posse para um segundo mandato, não reconhecido pelo Parlamento e por grande parte da comunidade internacional. O respaldo foi dado pelo Ministro da Defesa, Vladimir Padrino, que prometeu apoio irrestrito e lealdade ao líder chavista.

O Exército é um dos principais fiadores de Maduro no poder e, ao longo de seu primeiro mandato, ganhou espaço tanto no governo quanto em empresas estatais, chegando até mesmo ao comando da PDVSA. A oposição também acusa os militares de corrupção ao monopolizar a distribuição de alimentos e remédios, cada vez mais escassos no país.

No comunicado desta quarta, o ministro manifestou ainda sua “profunda indignação e rejeição categórica” à declaração do Grupo de Lima que, com o apoio dos Estados Unidos, pediu que o líder venezuelano entregasse o poder à Assembleia Nacional.

A Assembleia Nacional, eleita em 2015 e de maioria opositora, qualificou Maduro de “usurpador” e começou na terça-feira a debater fórmulas para promover a “transição política” na Venezuela. O Congresso, no entanto, teve seus poderes caçados pelo Judiciário, que permanece leal ao presidente. (Com agências internacionais).

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Economia

Caiado, Zé Eliton e Marconi trocam ataques para não assumirem crise em Goiás

Notas foram publicadas por Caiado e os ex-governadores sobre a situação caótica do Estado, trocando críticas e ataques entre eles.

Por Ton Paulo
10/01/2019, 09h07

Em meio a uma crise fiscal sem precedentes em Goiás, o atual governador Ronaldo Caiado, do DEM, e os ex-governadores Zé Eliton e Marconi Perillo, do PSDB, seguem em um ciclo de contradições e desentendimentos em praça pública para não assumir a culpa pelo visível estado de quase falência do Estado. Após pronunciamento de Zé Eliton e nota divulgada por Perillo, Caiado publicou nota em que chega a dizer, inclusive, que Zé Eliton aplicou “o calote nas famílias goianas que precisam do salário para custear suas mais elementares despesas”, e que o governo tucano lançou “mão de manobras e artifícios financeiros”, que instalaram a crise em Goiás

A crise se instala nos mais diversos setores da sociedade goiana, indo de OSs gestoras de hospitais com repasse atrasado até o funcionalismo público sem pagamento de salário. Como justificativa para a preocupante situação, Caiado vem afirmando que pegou o Estado quase falido, e que Zé Eliton “deu o calote” nos servidores goianos, ao não empenhar a folha de dezembro.

Caiado diz, ainda, que o tucano que o antecedeu deixou R$ 11 milhões em caixa para uma dívida de R$ 3,4 bilhões de reais, o que estaria dificultando a quitação regular da folha dos servidores. Em resposta às declarações de Caiado, Zé Eliton se pronunciou por meio de uma nota, onde diz que “não há impedimento legal ou orçamentário para efetuar neste mês [janeiro] o pagamento da folha de dezembro”, é que o não pagamento seria “apenas uma questão de prioridades da nova administração”

“O atual governo conta com recursos financeiros para iniciar o pagamento da folha de dezembro. Só de recursos do Fundeb, por exemplo, foram deixados em caixa mais de R$ 100 milhões, acrescidos dos recursos que ingressaram no corrente mês, que já são suficientes para pagar os salários dos servidores da educação. Além disso, a expectativa é de uma arrecadação estadual superior a R$ 800 milhões entre 1 e 10 de janeiro, o que permitiu inclusive ao atual governo anunciar o pagamento antecipado da maior parte da folha de janeiro, invertendo a ordem cronológica do pagamento em ofensa à Constituição em vigor”, diz um trecho da nota.

Zé Eliton ainda diz que “a qualquer momento, o empenho da folha pode ser feito sem prejuízos à administração pública, tanto que situações como essa não são inéditas”.

Em resposta à nota de Zé Eliton, Caiado se manifestou, através de seu secretário de Governo, Ernesto Roller, também por meio de nota, dizendo que “os ex-governadores Marconi Perillo e José Eliton precisam, antes de qualquer outra coisa, assumir suas responsabilidades, ou, mais apropriadamente, suas irresponsabilidades na gestão do Estado”.

Na nota, divulgada por meio da assessoria e assinada por Roller, é dito que o Governo de Goiás tem dívidas em todos os órgãos e programas, sem exceção, e que “todos eles tiveram seu pagamento preterido no ano passado para tentar assegurar a folha do funcionalismo e acobertar os problemas do Estado”. O texto fala ainda que boa parte das folhas do funcionalismo de novembro e dezembro sequer foi empenhada até o fim do ano.

Ao termina afirmando que, além de que Caiado já está buscando soluções para os problemas deixados por Zé Eliton e Marconi Perillo, “os ex-gestores já não são mais assunto de política ou administração do Estado, são casos de polícia e de Justiça, seja por pedaladas ou por desvio de conduta ética”.

Em meio à briga de Caiado e Zé Eliton, Marconi se manifestou dizendo que “nunca atrasou o pagamento do funcionalismo público”

Em meio ao caos nas contas públicas e os ataques e conflito público de declarações de Caiado e Zé Eliton, o ex-governador Marconi Perillo publicou uma nota em que diz, em provocação a Caiado, que jamais atrasou o pagamento dos servidores.

“Em 174 meses como governador, paguei 178 folhas e 46 folhas de 13º salário, sempre rigorosamente em dia, antecipadamente durante quase todo o tempo em que fui governador”, diz parte do texto.

Em outro trecho, o ex-governador ainda diz que o compromisso do governo tucano com o funcionalismo público estadual “é parte incontestável e inseparável do legado” que entregaram a Goiás em quatro mandatos. “Todas as metas do ajuste anual foram cumpridas. Isso garantiu a Goiás segundo melhor desempenho fiscal do País no ano passado, perdendo apenas para São Paulo. Também em 2017, o superávit fiscal do Governo de Goiás foi superior a R$ 600 milhões. Durante meus mandatos, todas obrigações fiscais e financeiras foram cumpridas. O PIB saltou de R$ 17 bilhões para previsão superior a R$ 200 bilhões para este ano”, declara.

O ex-governador finaliza fazendo um alerta para a “necessidade da Reforma Previdenciária”. “Sem uma reforma previdenciária que resulte em ajustes indispensáveis e imediatos, teremos desequilíbrios fiscais insanáveis no curtíssimo prazo”, diz.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.