Goiás

Acusado de abusar de criança de 3 anos, idoso é preso em Valparaíso de Goiás

O abuso só foi descoberto quando a menina, que é neta da esposa do suspeito, começou a exibir comportamento sexual anormal.

Por Ton Paulo
11/01/2019, 15h49

Um idoso de 64 anos foi preso nesta sexta-feira (11/1) em Valparaíso de Goiás, acusado de estupro de vulnerável contra uma menina de 3 anos. O abuso só foi descoberto quando a menina, que é neta da esposa do suspeito, começou a exibir comportamento impróprio para sua idade, além de se queixar de dores nas partes íntimas.

O mandado de prisão preventiva foi cumprido pela Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM) de Valparaíso de Goiás, nesta sexta-feira. O idoso, que teria praticado o crime em novembro do ano passado, é casado com a avó da criança há vários anos.

Os pais da criança desconfiaram dos abusos depois que a menina começou a apresentar comportamento sexualizado, incompatível com sua idade. Em razão disso, familiares a indagaram sobre o motivo dela estar agindo daquela forma, ocasião em que ela afirmou que o ‘avô’ apertava sua região íntima com força e que tal ato doía.

Ela ainda afirmou que não gostava mais do ‘avô’ e revelou ainda outros atos libidinosos praticados pelo autor.

Exames no IML comprovaram os relatos de abuso cometidos contra criança, em Valparaíso de Goiás

A ocorrência policial foi registrada por familiares na delegacia do município de Valparaíso de Goiás em novembro de 2018, e a vítima encaminhada para exames no Instituto Médico Legal (IML), onde ficou comprovado que ela apresentava lesões na região íntima, as quais eram compatíveis com seu relato.

Ainda durante o recesso forense, a delegada Ísis Leal, responsável pelas investigações do caso, representou pela prisão temporária do idoso, autor do estupro, que foi decretada pelo Poder Judiciário e cumprida na data de hoje, sexta-feira. A delegada afirmou que o homem se encontra preso preventivamente e ainda está sendo investigado.

Participaram das diligências os policiais civis Hélio Marreiros e João Arcanjo, coordenados pela delegada Ísis Santana Leal.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.