Mundo

Paraguai rompe relações diplomáticas com a Venezuela

Anúncio aconteceu após o presidente Nicolás Maduro assumir o segundo mandato na Venezuela.
11/01/2019, 09h10

O presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, anunciou nesta quinta-feira, 10, o rompimento das relações diplomáticas com a Venezuela. A decisão foi anunciada logo após a posse do presidente venezuelano, Nicolás Maduro.

A ruptura envolve o fechamento da Embaixada do Paraguai em Caracas e a retirada imediata dos diplomatas. Além disso, foi anunciado o cancelamento de um acordo de vistos com a Venezuela – o que, segundo o governo paraguaio, afetará apenas funcionários do regime.

Benítez lembrou que, como membro do Grupo de Lima, o Paraguai não reconhece o resultado da última eleição na Venezuela, falando em “um processo eleitoral ilegítimo”. Em nota, a chancelaria paraguaia informou que a crise política na Venezuela “é de índole interna e cabe aos próprios venezuelanos resolvê-la”.

“Ordenei o fechamento de nossa embaixada e a retirada imediata de pessoal diplomático do Paraguai acreditado na Venezuela”, disse Abdo Benítez. O presidente paraguaio ressaltou ainda que a decisão tem como base o fato de Assunção não reconhecer o novo mandato de Maduro, que seria “resultado de um processo eleitoral ilegítimo”.

Para Abdo Benítez, os líderes políticos da região deveriam adotar medidas que protejam o povo e a democracia venezuelanos. “A causa da liberdade, da democracia, a causa da Venezuela é uma causa justa”, afirmou o paraguaio.

Na semana passada, o Grupo de Lima anunciou que não reconheceria o governo venezuelano se o presidente Maduro assumisse um novo mandato de seis anos. O único país do grupo que não apoiou a decisão foi o México, governado pelo esquerdista Andrés Manuel López Obrador.

O Grupo de Lima foi criado em 2017 por iniciativa do governo peruano e com o objetivo de pressionar pelo restabelecimento da democracia na Venezuela. O Equador, que integra o grupo, anunciou nesta quinta que também retirou seu embaixador de Caracas. No entanto, o governo do presidente equatoriano, Lenín Moreno, garantiu que não rompeu relações com a Venezuela. (Com agências internacionais).

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Dois homens morrem após tentativa de roubo, em Senador Canedo

Tentativa de roubo ocorreu no setor Monte Cristo, na tarde de ontem (10/1). Um dos suspeito foi atingido por tiros do morador da casa que seria roubada. O outro homem foi baleado pela PM em confronto.
11/01/2019, 10h07

Uma tentativa de roubo no Setor Monte Cristo em Senador Canedo, na tarde de ontem (10/1) terminou com a  morte de dois homens. Conforme informações de testemunhas,  os homens armados anunciaram o roubo em uma residência e o morador reagiu, baleando um dos suspeitos.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) esteve no local e socorreu a vítima.  Ele foi levado para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), onde não resistiu aos ferimentos e morreu. O outro assaltante fugiu para uma mata próxima à casa, porém depois foi  achado pela Polícia Militar (PM).  

Conforme  a assessoria de imprensa da Polícia Militar, ao se deparar com os policiais o suspeito efetuou vários disparos de arma de fogo. Todavia, durante o confronto ele foi alvejado por tiros disparados pela PM, que revidaram para se defender.  O homem foi socorrido pelo SAMU, mas também acabou morrendo.

Homem morre ao trocar tiros com a PM, após tentativa de roubo, em Goiânia

Durante um troca de tiros com a PM, no dia 20 de outubro, no Setor dos Funcionários, em Goiânia, um homem foi morto. Conforme informaçōes  da PM ao Portal Dia Online, os policias foram chamados para atender uma ocorrência de roubo, em um estabelecimento comercial na região, onde o suspeito ameaçava a proprietária do comércio com uma arma de fogo.

O indivíduo ao ver que a polícia se aproximava fugiu do local em um carro Volkswagen/Gol de cor branca roubado. Os policias acompanharam o suspeito que bateu o veículo de frente com um muro durante a fuga.

Ao descer do carro o homem começou a disparar contra os policias, usando um revólver calibre 38.  De acordo com a PM, para se proteger as equipes revidaram os tiros e conseguiram alvejar o suspeito. O homem chegou a ser socorrido e encaminhado para o hospital, porém não resistiu aos ferimentos e morreu.

Segundo a polícia, o indivíduo morto, que ameaçou a comerciante durante a tentativa de assalto usava documentos falsos. Além disso, a PM informou que  ele tinha uma ficha criminal extensa om passagens por tráfico de drogas, receptação e ameaça.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Trabalhador morre afogado ao cair com carro em represa, em Goianésia

O homem voltava do almoço e trabalhava numa plantação de soja, quando perdeu o controle do carro e acabou caindo na represa, em Goianésia.

Por Ton Paulo
11/01/2019, 10h21

Um homem de 37 anos que trabalhava num plantio de soja próximo a uma usina, no município de Goianésia, a 170 quilômetros de Goiânia, na tarde da última quinta-feira (10/1), morreu ao cair com o carro que conduzia em uma represa. Ao que tudo indica, Cleiton Severino do Nascimento teve morte por afogamento.

De acordo com informações apuradas pelo Dia Online, Cleiton morava no Bairro Bougainville, região leste de Goianésia, e trabalhava junto com um grupo numa plantação de soja numa região rural. Ele morreu na tarde desta quinta-feira, por volta de 12h30, quando voltava do almoço, após o veículo que ele conduzia cair em uma represa na Fazenda Esplanada, entre Goianésia e o município de Vila Propício.

De acordo com informações do Corpo de Bombeiros de Goianésia, Cleiton e um grupo de trabalhadores haviam ido para um vilarejo chamado na região de Gaiola, para almoçar. Na volta, Cleiton decidiu ir sozinho na frente, em um Uno Mille Cinza, enquanto os outros foram logo depois, em um caminhão. Um sargento do Corpo de Bombeiros conta que, como Cleiton não chegava, mesmo tendo partido na frente, os amigos, então, resolveram refazer o caminho para procurá-lo.

Trabalhador morre afogado ao cair com carro em represa, em Goianésia
Foto: Corpo de Bombeiros

Foram os sinais às margens de uma represa que denunciou o que havia acontecido. “Os homens viram o capim amassada na beira da represa e estranharam. Foi quando resolveram entrar na água para procurar pelo amigo”, conta um bombeiro ao Dia Online.

O carro foi encontrado com Cleiton dentro, já sem vida.

Homem que morreu afogado em represa de Goianésia pode ter sofrido “mal súbito”

Como Cleiton não havia ingerido bebida alcóolica, como confirmado pelos bombeiros, a hipótese trabalhada é a de que vítima trafegava pela estrada vicinal no meio de um canavial da empresa Jalles Machado, onde foi encontrado, quando perdeu o controle do veículo e caiu dentro da represa. Como os vidros das portas da frente estavam abertos, rapidamente o carro submergiu não dando chances à vítima para sair do interior do veículo fazendo com que ele morresse afogado.

Após ser acionado, o Corpo de Bombeiros de Goianésia, através do ST Junior, SGT Osman, CB Miguel, CB Borges e SD Luiz Carlos, deslocou ao local e realizou a retirada do corpo de Cleiton Severino de dentro do veículo. Em seguida, com a ajuda de um caminhão munck o carro foi retirado de dentro da represa.

O corpo da vítima foi entregue ao Instituto Médico Legal – IML – de Goianésia após realização de perícia. As causas concretas do acidente só serão definidas depois da realização de exames cadavéricos, no entanto, tudo indica que Cleiton tenha sofrido um mal súbito antes de cair na represa uma vez que havia sinais de zigue-zague na pista.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Entretenimento

Aos 9 anos, brasileiro faz 'vaquinha online' para ingressar no balé no Bolshoi

Jonathan de Araújo mora na periferia de Salvador.
11/01/2019, 11h10

Ser um bailarino lendário como Mikhail Baryshnikov pode parecer um sonho inalcançável. A dança, que carrega uma série de estereótipos relacionados a gênero e raça, ainda é um caminho desafiador para aqueles que querem ficar na ponta dos pés, mas não reúnem as tais características que implicitamente são cobradas.

O balé clássico ainda discrimina profissionais negros. Nas companhias de dança de São Paulo, cidade com grande número de afrodescendentes, bailarinos lutam por um lugar melhor nos palcos. A situação não é diferente em outras partes do Brasil.

Jonathan de Araújo tem nove anos de idade e começou se interessar pelo balé há cinco meses. Em agosto de 2018, depois de ver a irmã dele chegar atrasada e ser eliminada de uma seletiva de canto, o garoto decidiu se inscrever no processo para entrar no Bolshoi, que ocorria no mesmo local.

O garoto mora na periferia de Salvador com os pais e a irmã. A mãe está desempregada e a família não tem condições de custear as despesas para Jonathan na Escola de Teatro do Bolshoi no Brasil, única filial no país do famoso teatro russo, em Joinville, Santa Catarina.

Por isso, a Associação Classista de Educação e Esporte lançou na segunda-feira passada, dia 7, uma campanha de financiamento coletivo, uma espécie de “vaquinha online”, para ajudar Jonathan. A meta era chegar no valor de R$ 10 mil, mas até o fechamento desta reportagem, o valor já atingia R$ 20 mil.

A viagem de Jonathan para Santa Catarina está marcada para o dia 21 e o site da “vaquinha” ficará disponível até lá. As aulas de balé no Bolshoi começam no dia 11 de fevereiro. Ele e a irmã já estão matriculados em escolas estaduais de Joinville.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Economia

Goiás fica novamente em primeiro entre Estados que mais caíram na produção industrial

Goiás teve queda de 6,2% na produção industrial, a maior entre os Estados onde ocorreram a pesquisa do IBGE.

Por Ton Paulo
11/01/2019, 11h23

Como esperado, em plena época de crise fiscal no Estado, Goiás ficou novamente em primeiro lugar no ranking dos Estados que tiveram maior queda na produção industrial no país. Em dados divulgados recentemente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), referentes ao mês de novembro do ano passado, Goiás teve queda de 6,2%, a maior entre os Estados onde ocorreu a pesquisa do instituto. Em dezembro do ano passado, O IBGE divulgou os dados referentes ao mês de outubro (de 2018), onde Goiás também obteve a maior queda industrial comparado ao ano anterior.

Apesar do aumento de 0,1% de outubro para novembro de 2018, a produção industrial recuou em nove dos 15 locais pesquisados pelo IBGE no período. As principais quedas ocorreram em Goiás (-6,2%) e no Amazonas (-3,5%). Também tiveram queda os estados do Rio de Janeiro (-2,2%), Pará (-1,3%), Bahia (-1,2%), Santa Catarina (-0,9%), Espírito Santo (-0,8%) e Mato Grosso (-0,4%).

A região Nordeste, também pesquisada em seu conjunto de nove estados, teve uma queda de 0,8%. Apenas seis locais tiveram alta: Pernambuco (1,4%), Paraná (1,1%), Ceará (0,9%), São Paulo (0,7%), Minas Gerais (0,7%) e Rio Grande do Sul (0,4%).

Dados do ano passado mostram que Goiás não teve nenhuma melhora na produção industrial

De acordo com o IBGE, em dados divulgados em dezembro do ano passado referentes ao mês de outubro, Estado de Goiás foi o que apresentou a maior queda de na produção industrial entre os 15 estados pesquisados, comparado ao ano de 2017.

O IBGE pesquisou o desempenho da produção industrial deste ano de 15 estados brasileiros, de setembro para outubro, e constatou que nove deles tiveram recuo, apesar da alta nacional de 0,2%.

A maior queda, na ocasião, foi observada em Pernambuco, de 10,1%. Goiás teve recuo de -1%. Entretanto, na comparação com o ano de 2017, Pará teve a melhor alta em sua produção industrial e Goiás a maior queda.

Comparando com o mês de outubro do ano passado, 11 dos 15 locais pesquisados tiveram alta, com destaque para o Rio Grande do Sul (14,8%) e o Pará (12,9%). Quatro locais tiveram queda, sendo a maior delas registrada em Goiás (-6,5%).

Também foram constadas quedas na produção nos estados de Mato Grosso (-2,7%), Ceará (-2,6%), Pará (-2,5%), Paraná (-2,5%), Rio Grande do Sul (-2,1%) e Rio de Janeiro (-0,8%). A Região Nordeste, que reúne as produções de seus nove estados, também recuou 1,9%.

A produção da indústria de São Paulo manteve-se estável no período. Cinco estados sustentaram a alta nacional de 0,2%: Amazonas (12,4%), Santa Catarina (4,4%), Espírito Santo (1,9%), Bahia e Minas Gerais (com 1,1% cada um).

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.